• large-2
    Comportamento, Textos

    O que fazer em tempos de ódio?

    ver post
  • large-2
    Playlist

    Playlist: Agosto

    ver post
  • large
    Amor, Textos

    Ser sensível é corajoso

    ver post
  • imagem.aspx
    Livros

    Livro: Siga Os Balões

    ver post
  • October 1, 2011
    postado por

    Quase não acreditei nas próprias palavras ao ir embora, deixando para trás o que tanto lutara para conseguir. O motivo? Nem ela mesmo sabia. Talvez orgulho, talvez auto suficiência que a fazia ser quem era ela. Só sabia que aquele orgulho ia a consumindo, a pegando por completo e não deixando ela agir. Dois bobos, aqueles. Eu assistia tudo pela janela, enquanto o vento pairava no ar e só via duas pessoas orgulhosas. Cheias de si demais para pedir desculpas ou confessar que a culpa era de ambos. Porque o orgulho lhe consumia tanto por dentro se o sujeito tinha tudo o que queria?

    Às vezes, era preciso voltar atrás e pedir desculpas. Esquecer suas frases feitas, seus pensamentos fixados na cabeça e dados como certo. Não gostava de voltar atrás, odiava indecisão, e sentia raiva daqueles que tentavam fazer com que ele mudasse de opinião. Não gostava de coisas mal feitas. Amava o perfeccionismo, e tinha certeza sobre si mesmo. Mas amava mais o próximo do que ele próprio. Como pode deixá-lo ir embora, apenas pelo orgulho? Culpa do orgulho, talvez. Daquele sentimento que não era ele que tinha que voltar, ser contraditório.

    Mas era necessário. Era necessário ou tudo iria se perder, apenas por falta de palavras. Existiam sentimentos sim, só não eram expressados. Tinham a mania de achar que era sempre culpa do outro, aquele casal que tanto parecia certo um para o outro. Mas então, porque simplesmente não esqueciam o pensamento de que o outro era o erro, o outro era o problema, e não alimentava do sentimento que ainda restava?

    Pobre orgulho. O impedia de fazer o que queria. O impedia de pedir desculpas e seguir em frente. O fixava no ponto do qual ele sempre sonhava em sair, só não lhe dava adeus porque se acha forte demais, melhor demais, ou em outros casos, tinha vergonha de admitir que não era tudo aquilo que enchia o peito para dizer.

    Mas o vilão não era ele – orgulho – era a própria pessoa. Que insistia em achar que ela nunca poderia errar. Achava que não tinha defeitos, apenas os outros o carregavam nos ombros, achava que poderia ter tudo o que quisesse apenas por alguns meros objetivos. Mas tinha o orgulho ao seu lado. Orgulho que o impediu de voltar para o que sempre amou. Claro que era bom ter sua companhia: o orgulho o fazia se sentir amado, quando não havia aquela pessoa ao seu lado. A culpa não era dele.

    Eles eram apenas orgulhosos demais para admitir que não conseguiam um viver sem o outro.

    October 1, 2011
    postado por

    Conhecido como “curto na frente, longo atrás” o comprimento mullet vem ganhando cada vez mais espaço no guarda roupa das pessoas, esse estilo ganhou esse apelido devido aos cortes de cabelo da época de 80 onde os fios eram curtos na frente e longo atrás.

    A tendência tem sido aposta das grifes Zang Toi, Stella McCartney, Valentino e Alexander McQueen desde 2010. Varias celebridades e it girls vem adotando esse estilo também. Apesar de que aqui no Brasil não está muito popularizado ainda. Para essa tendência pode ser usado tanto vestido como saia e até mesmo blusas.

    Os tecidos usados para a fabricação dessas peças são tecidos mais leves, como fluidos, para dar mais leveza ao look. Como ainda não é uma tendência muito usada aqui as garotas que aderirem esse estilo pode começar de uma forma discreta onde não há tanta diferença entre a frente e atrás. Já para quem é mais ousada não tenha medo de apostar na diferencia de comprimento.

    A moda pegou até para peças de vestido de noivas e debutantes do mundo inteiro. E vai uma dica quem tem o bumbum mais avantajado pode apostar nas blusas skinny com calça de legging e sem medo de estar chamando atenção para o quadril, as blusas ficam ótimas.

    E aí o que acharam da nova aposta? Vocês teriam coragem de usar?

    October 1, 2011
    postado por

    Posso sim viver sem o amor da minha vida, basta apenas “esquecê-lo” por um tempo, aprendi que as coisas nem sempre vão ser do jeito como quero que sejam e que elas não acontecerão no meu tempo, aprendi que as coisas não caem do céu, eu preciso correr atrás delas.

    Eu aprendi que sempre haverá tempestades na minha vida e que eu não posso fazê-la parar, mas posso esperar ou pegar algo que me tampe. Aprendi que as coisas são dificeis porque colocamos dificuldades nelas, mas a verdade é que tudo pode ser enfrentado e de cabeça erguida.

    Aprendi a esperar, a ter paciência e também aprendi que escolher as coisas a dedo não significam que escolhi as melhores. Aprendi que por mais que eu não queria, sempre precisarei de ajuda. Eu aprendi que pessoas vão e poucas ficam, aprendi que preciso confiar desconfiando.

    Eu aprendi que o certo nem sempre é certo e o que parece errado não será sempre errado, eu aprendi que se aprende errando e concertando, aprendi que se aprende vivendo.

    October 1, 2011
    postado por

    New Girl é a série que estreou na fall season do canal Fox, ou seja, já pode ser considerada uma das maiores promessas das novas séries! Mas o que dá charme à série é a protagonista, Jess, interpretada por Zooey Deschanel, atriz de 500 Days of Summer (quem nunca assistiu?). A atriz e cantora de 31 anos (a pesar de ter rosto de 20) é a aposta da nova comédia da Fox. E New Girl já conquistou todos os americanos! A série estreou a sua season premiere com mais de 10 milhões de telespectadores. Esqueça os dramas e romances: a série aposta na comédia e na relação dos homens e das mulheres.

    Jess Day, uma mulher com seus 20 e poucos anos que está tentando superar o rompimento repentino de seu namorado modelo. Ela acaba encontrando um novo lugar para ficar quando ela vai morar com três caras solteiros; Nick, um barman, Schmidt, um cassanova profissional e moderno, e Coach, um ex-atleta que virou treinador. Com eles está a amiga modelo de Jess, Cece. Juntos, esse grupo de amigos tentam ajudar Jess a aprender muito sobre a vida, o amor e principalmente sobre si mesma, enquanto ao mesmo tempo, aprendem muito sobre si mesmos.

    A série é super divertida, leve, tem só 20 minutos de duração por cada episódio (um novo por semana, aproximadamente) e arranca ótimas risadas de qualquer pessoa que assiste. Já no primeiro episódio, a série já marca com a cena dos protagonistas cantando o clássico (I’ve Had) Time Of My Life em pleno restaurante de Nova York.

    [+] Download dos episódios legendados.

    October 1, 2011
    postado por

    Eu só queria que você me quisesse do seu lado, só queria que você me desse atenção, queria que você olhasse para mim, queria que você percebesse em mim, eu só queria que você olhasse quando eu passo ao teu lado, queria que você pensasse em mim, queria que você me ligasse, me chamasse no MSN mesmo quando eu estiver ocupada. Queria que seu sorriso abrisse para mim, queria ouvir sua voz, queria tocar sua mão, seu rosto, queria sentir sua pele, seu toque, queria o seu carinho agora, queria você me amando, queria sua atenção toda para mim. Eu só queria ouvir sua voz, queria poder te olhar nos olhos por longos segundos, queria ouvir você dizendo que sou sua princesa, queria receber um beijo teu, queria rir das suas piadas sem graças, queria deitar em seu colo e ouvir você dizendo como foi seu dia. Queria dormir com você ao meu lado, queria escutar nossa música junto com você. Queria que tudo fosse como antes, queria que o tempo tivesse parado ou que ele voltasse. Só queria não ter que fugir de você ou que você fugisse de mim, queria que eu não fosse estranha pra você, apenas queria dizer o que sinto, queria estar onde você está agora, queria acordar e ver você do meu lado, queria ouvir sua voz nem que fosse apenas por telefone. Sabe de tudo isso o que eu mais queria? Eu queria que você lutasse por mim…

    subir
    elas disseram TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © 2017 // DESIGN POR SARA SILVA