Sobre amores que viram nada
12/04/2013 | Categoria: Uncategorized

Estranho é apaixonar-se, amar, viver intensamente durante alguns meses e anos e depois tudo se estabilizar novamente. Sabe o que aconteceu? Paixão. Sim, aquela coisa que vira tudo de cabeça para baixo e torna os dias mais longos, de algum modo, e cada momento que você vive bem mais intenso. É como se todos os sentimentos estivessem ligados na última potência, no último volume, e nada, nem ninguém, pudesse tirar aquilo de você. Por que de uma forma ou de outra, quando se tem algo verdadeiro, aquilo pode ser (quase) mais forte que qualquer outra coisa.

E olha, levo tempo para deixar tudo de lado, viu. Esquecer então, se torna uma tarefa praticamente impossível depois que você vivencia o sentimento mais louco que alguém já pode ter vivido. Mas o que me faz pensar, muito tempo depois que tudo aconteceu, é como os casais brigam, se desfazem, deixam tudo pra trás e depois são como estranhos um para o outro.

Esse é o mais engraçado dos namoros, das paixões (mesmo que rápidas) ou dos amores longos. Você conhece alguém, começa a se interessar e então tudo acontece. Pode ser correspondido ou não, tanto faz, cada um sabe muito bem o que sente. Mas o que parece ser incompreensível é o fato de você já ter gostado muito de alguém, e mesmo que as coisas mudem muito, a ideia seria que o sentimento não passasse.

Mas passa. Passa sim, mesmo que não seja rapidamente. E é muito estranho, quase desconfortável, você sentir que as coisas acabaram. Porque estava tão acostumado a sentir aquilo tudo, e agora, as coisas beiram a indiferentes. Sim, é exatamente isso que virou: indiferença total. Claro que as coisas que aconteceram antes, no passado, ainda ficam bem marcadas nas nossas memórias e lembranças, talvez pouco para um e muito para outro, mas o que me deixa na dúvida é como somos capazes de sentir tantas coisas durante um tempo, e depois, tudo se tornar algo que nem pode chegar a ser bonito ou compreensível como o amor era.

Pode se tornar raiva, desprezo, ou no melhor dos casos, uma amizade. Uma lembrança boa, uma coisa que deixe saudades. E quando simplesmente não se torna nada, apenas penso que as pessoas deveriam guardar algumas coisas para si mesmas. Pois foram essas coisas que nos fizeram crescer, mesmo que tudo tenha doído ou não e você agora agradeça por sentir apenas tolerância.

Mas eu não sei… eu nunca namorei, mas quando vejo aquelas frases sobre ex namorado bom é aquele que está longe, etc, me vem o pensamento que alguém que nos marcou tanto não pode ter se transformado em algo ruim. Talvez só o que eu deseje seja que, depois de um tempo, o sentimento forte não se transforme em nada simplesmente. Se transforme em algo memorável. Que apenas deixe saudades depois.

P.S: Mas indiferença, acima de tudo, pode até ser algo bom.