• 1018-allure-cover-shoot-rihanna-braids-blue-eyeshadow.png
    Make, Moda

    A revolução de Rihanna com a Fenty

    ver post
  • photo-1450849608880-6f787542c88a
    Textos

    Para todos os quase momentos

    ver post
  • 385beecb2b33a6b3aa2070a5b388609d
    Moda, Tendência

    O street style do NYFW

    ver post
  • imagem.aspx
    Livros

    Livro: 13 Segundos – Bel Rodrigues

    ver post
  • Agosto 17, 2013
    postado por

    Título: A Seleção

    Autor (a): Kiera Cass

    Editora: Seguinte

    Sinopse: Para trinta e cinco garotas, a “Seleção” é a chance de uma vida. Num futuro em que os Estados Unidos deram lugar ao Estado Americano da China e mais recentemente a Illéa, um país jovem com uma sociedade dividida em castas, a competição que reúne moças de dezesseis e vinte anos de todas as partes para decidir quem se casará com o príncipe é a oportunidade de escapar de uma realidade imposta a elas ainda no berço. É a chance de ser alçada de um mundo de possibilidades reduzidas para um mundo de vestidos deslumbrantes e joias valiosas. De morar em um palácio, conquistar o coração do belo príncipe Maxon e um dia ser a rainha. Para America Singer, no entanto, uma artista da casta Cinco, estar entre as Selecionadas é um pesadelo. Significa deixar para trás Aspen, o rapaz que realmente ama e que está uma casta abaixo dela. Significa abandonar sua família e seu lar para entrar em uma disputa ferrenha por uma coroa que ela não quer. E viver em um palácio sob a ameaça constante de ataques rebeldes.

    Já tinha lido uma série de burburinhos e resenhas positivas sobre A Seleção, mais um livro do gênero da distopia que está bombando por ai, e não via a hora de ler também. Por muito tempo, ele foi pauta em blogs e revistas, e todo mundo elogiava bastante. Sem contar que, para mim, a opinião das blogueiras conta muito! Uma amiga me emprestou o primeiro volume e eu comecei a ler. Senti aquele doce gostinho de me apaixonar por uma história e querer virar página após página apressadamente para saber o que iria acontecer.

    Um dos grandes trunfos é com certeza a protagonista maravilhosa, a America Singer. E vamos confessar, no mundo do best seller, é tão difícil encontrar uma personagem que realmente se saia bem nesse papel. Já li muitos livros de romance ou drama, e nele, ou a protagonista era totalmente boba, ou ela ficava presa naquele clichê eterno de triângulo amoroso, que no fim, era sem graça. E então apareceu a America, que é o contrário: divertida, corajosa, espontânea e humilde. E ela não fica dependendo do mocinho ou de alguma paixão para fazer o que quer!

    Ela vive no país de Illéa, onde as pessoas são dividas por castas. A maior é a um, em que são as pessoas da realeza e do clero. America é uma cinco, composta por artistas. Sua família passa dificuldades, e ela ainda tem um problema: é apaixonada e mantém um relacionamento secreto com Aspen, da casta seis. É proibido e também inadmissível uma garota casar com alguém de uma casta abaixo dela, e por isso, eles se encontram escondidos. A Seleção é a chance de trinta e cinco garotas disputarem o amor do príncipe Maxon, e deixarem toda a pobreza e fome para trás, se tornando a próxima rainha.

    De inicio, ela não quer se inscrever de jeito nenhum. Mas pressionada pela mãe e por Aspen, que querem um futuro melhor para ela, America acaba se inscrevendo: ela não acreditava que iria realmente passar, mas ela conseguiu. E agora, é obrigada a deixar toda a vida antiga para trás e ir para o palácio, competir com tantas outras garotas, por Maxon. Ela sempre o viu como alguém sem graça, sem opinião, e achava até então impossível se apaixonar por ele. Até o conhecê-lo e os dois se tornarem amigos.

    Como é de praxe no gênero distopia, é debatido as questões políticas e filosóficas da sociedade em que o livro é ambientado. A protagonista quer lutar contra a injustiça e a opressão das castas, e ela não entende o motivo de se casar com alguém que não gosta, mas tenta, pois quer salvar a família da fome. Os dois se aproximam, e muito, e ela então fica na dúvida: o que fazer, já que America sempre amou Aspen?

    A história não é nem um pouco devagar. A autora sabe nos interessar, fazer com que a gente fique cheio de curiosidade e leia rápido. Eu mesmo, li ele em apenas três dias. E logo que terminei, já fiquei louca para comprar o segundo volume. Indico para quem quer ler uma história realmente boa, com personagens bem construídos. Até você vai gostar do príncipe Maxon e se sentir amiga da protagonista.

    Quem já leu?

    subir
    elas disseram TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © 2017 // DESIGN POR SARA SILVA