• 26e14d287bd9c5f49b36990e398601d0
    Comportamento

    Um recado para o Instagram

    ver post
  • space love xx Scott Brian Madeiras
    Amor, Reflexão

    Antítese

    ver post
  • 71e0db6e93ee0415f7c0c0cb28e2027c
    Looks, Moda

    Looks para o verão

    ver post
  • imagem.aspx
    Livros

    Livro: A Quimica Que Há Entre Nós

    ver post
  • September 20, 2014
    postado por

    Já começo o post falando que eu não sou a pessoa de 16 anos mais segura do mundo. Não. Eu tenho milhares de inseguranças aqui dentro e coisas do qual não gosto sobre mim, mas tento, todos os dias, aceitar um pouco mais. Porque afinal, a gente não tá aqui pra desgostar de quem somos né? E é uma missão difícil, eu admito, tentar enxergar mais suas qualidades e deixar os defeitos de lado quando o mundo é repleto de problemas e pressões por todos os lados, mas eu tento fazer a minha parte. Na última semana voltei a ter o cabelo enrolado, com mais volume, e confesso que no inicio estranhei (faz um tempão que eu estava com o liso). Dai, já virou motivo pra algumas crises, mas eu quero gostar do meu cabelo assim. E estou tentando, de verdade. E nem quero apelar pra chapinha porque tenho paciência zero (ainda mais de manhã cedo). E só porque todo mundo anda feliz com seu cabelo liso por ai, eu não preciso achar que só vou ser bonita assim.

    Eu sempre fui uma pessoa que se importava demais com a opinião dos outros. Sempre. Mas faz alguns bons anos que eu faço análise e consegui finalmente ir, aos poucos, superando isso. É óbvio que ainda me importo, mas consegui me assumir muito mais e deixar de lado o que as outras pessoas dizem/falam. É um processo lento, mas é muito bom ligar o “foda-se” em muitos momentos da vida. E necessário, vamos confessar.

    Por causa disso, vivia constantemente tentando me encaixar em algum lugar. E percebi que todo mundo tem uma certa visão do que é o “normal.” De como – principalmente depois dos 13 anos – 90% das pessoas só ligam se você tem a aparência definida como “bonita” pelos outros, usa roupas legais, tem fotos bonitas no Instagram, e blá blá blá. Não vou ser hipócrita e dizer que também já não valorizei coisas muito fúteis. Sim, eu já liguei bastante pra isso, mas é muito bom ver que a gente cresce e aprende que imagem é algo absurdamente insignificante quando você conhece as pessoas de verdade. E que personalidade e essência contam muito mais em alguém. Acredite!

    Não me considero influenciável, mas houveram inúmeras vezes em que me senti tentada a fazer algo porque os outros faziam (ninguém é de ferro aos 14 e 15 anos), quando tentei mudar o meu jeito de ser porque não aguentava mais ficar às sombras (quando você é quieto e tem como hábito ler e escrever, as pessoas tendem a te achar “menos interessante”), quando considerei seriamente reaver minhas opiniões sobre um monte de coisas porque queria que as pessoas vissem quem eu era, me notassem, quisessem me conhecer. Eu tinha tanto pra dizer, pra mostrar, e os outros não tinham vontade de puxar um papo.

    Com o tempo, percebi que, a) você precisa mostrar quem é realmente e não esperar que os outros busquem pela sua companhia, b) muita coisa só depende das nossas próprias atitudes e esperar sentado não é uma boa ideia. E que existem pessoas muito legais e companheiras por ai sim, basta olhar melhor e buscá-las. Porque tem mais gente parecida conosco do que imaginamos.

    Existem momentos em que ainda me pego tentando agradar. Em que eu me pergunto: “porque você não pode simplesmente gostar de mim do jeito que eu sou?” Essa questão martela mais na minha cabeça do que nunca às vezes. Dai eu respiro fundo e penso que não preciso mudar por ninguém. E no fundo, nem quero, sabe? Eu sou teimosa e tenho minhas opiniões e personalidade forte. E eu não me imagino sendo outra pessoa. Tomando outras atitudes, caminhos muito diferentes.

    2014 foi bom para abrir a mente, aprender muito mais, passar por experiências novas e eu amadureci muito, mas percebi também que o meu jeito é esse e se alguém quiser gostar de mim, tem que ser assim. Não de outro. A vida já nos tira tantas coisas de vez em quando. Nos decepciona, nos faz ter que passar por momentos complicados demais, mas não dá para deixar ninguém roubar a nossa essência. Isso é algo importante demais para se alterar pelos outros. É quase como trair a si mesmo. E eu não quero isso.

    Não pra mim.

    1. Natz Sodré Sep 21, 2014

      Ameio texto, e quero fotos do cabelo cacheado 😛 tem uma fase em nossas vidas que realmente nos importamos demais com a opinião alheia, mas deixe que isso seja apenas uma fase (vejo que você já passou essa fase) e JAMAIS mude sua essência pelas pessoas, elas não merecem tais mudanças, pessoas vazias se importam demais com esses quesitos, pessoas reais, de carne, osso e coração vão te enxergar exatamente como você é, te achar interessante e o principal, não vão querer te mudar 😉 ameeeei!

    2. Dayane Nascimento Sep 21, 2014

      A gente não tem que ficar tentando agradar os outros não, é ´fácil de falar, mas é complicado, mas não impossível, temos que procurar ser nós mesmo, ter a nossa própria opinião sobre tudo e não ser influenciada por ai, não temos que ficar mudando por ninguém. Gostei muito do seu post ?

      Beijoss
      http://www.conversandocomalua.com

    subir
    elas disseram TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © 2017 // DESIGN POR SARA SILVA