• large-2
    Comportamento, Textos

    O que fazer em tempos de ódio?

    ver post
  • large-2
    Playlist

    Playlist: Agosto

    ver post
  • large
    Amor, Textos

    Ser sensível é corajoso

    ver post
  • imagem.aspx
    Livros

    Livro: Siga Os Balões

    ver post
  • August 8, 2015
    postado por

    Eu já comentei algumas vezes aqui no blog, mas caso vocês não tenham visto os posts: The Maine é uma das minhas bandas favoritas, e eu não havia ainda tido a oportunidade de ir em um dos shows da banda aqui no Brasil (essa já foi a quarta vez que eles desembarcaram aqui). Mas dessa vez eu tinha me planejado para juntar um dinheiro e comprei meu ingresso logo no primeiro dia (depois de ficar 3 horas na frente do computador tentando, mas valeu a pena). A Brazilian Candy Tour começou no dia 31 de Junho, e terminou em 5 de Agosto, em Curitiba. Eu fui no show de Porto Alegre, dia 4, e nós ainda demos a sorte do aniversário do John ser nesse dia, o que deixou o show ainda mais especial.

    Vou começar falando do show de abertura, que foi sensacional. O convidado desse ano era o Brennan Smiley, que é o vocalista do The Technicolors. Infelizmente, não deu para vir a banda toda, só ele (por motivos desconhecidos), mas o show foi muito legal do mesmo jeito, o que me faz pensar então que com a banda inteira… socorro. Já entrou para a listinha de desejos ver eles ao vivo. Se você ainda não conhece a banda, sugiro correr para o Spotify e ouvir. Eu estava com expectativas altas para vê-lo no palco, e ele correspondeu todas elas. O Brennan manda muito bem ao vivo. A voz dele é incrível. Quando o show terminou, fui direto na mesa do merch comprar o EP que eles lançaram neste ano. Meu momento favorito foi Tonight You Are Mine e o cover de Don’t Look Back in Anger.

    Birthday in Brazil.

    Uma foto publicada por The Maine (@themaineband) em

    Eles são super pontuais, então o show começou no horário, até uns minutos antes das 21h, se não me engano, e eles entraram com Miles Away, e nesse momento eu já comecei a pular (muito) berrar, cantar junto. Eu sou daquelas pessoas que não consegue ficar parada, e imaginem ver a sua banda favorita ao vivo? Eu juro que não parei nem por um segundo! Mesmo que lá pela metade não aguentasse mais pular hahahaha quando a próxima música começava, eu já saía do chão de novo. Logo depois eles seguiram com Run, Growing Up, Inside of You e Misery.

    Eu queria ter gravado mais vídeos, mas não fiquei exatamente na frente do palco (mas deu para ver muito bem, já que era um teatro, então a sensação de estar perto era grande). Porém, achei uns vídeos ótimos no Youtube e que transmitem um pouco da animação do show (ninguém parou de cantar por nenhum segundo, a platéia fez bonito!).

    A setlist seguiu basicamente a mesma dos shows nos EUA, com algumas alterações (aqui teve mais músicas) e às vezes, alternando os shows, eles adicionavam duas músicas diferentes. Eu confesso que senti falta de algumas do American Candy (o álbum que dá nome à turnê, lançado em Março deste ano). Algumas das minhas músicas favoritas da banda estão nesse CD, mas foi muito legal do mesmo jeito. E ah, já que era aniversário do John, rolou algumas surpresas no show, organizado pelas meninas de POA. Em Jenny, por exemplo, nós acendemos velas (era eletrônico, só apertar em um botão), em Into Your Arms também, e ficou tudo lindo demais. Ele se emocionou bastante. Também rolou parabéns e bolo na cara, do qual vocês podem ver nos vídeos (ele até esfregou um pouco de bolo que estava no rosto dele, em uma fã. Sortuda!).

    Eu sai do show ainda mais apaixonada pela banda. Eles são muito bons ao vivo, não te fazem querer ficar parado um segundo. O Garrett pulou o tempo inteiro no palco, de um lado para o outro, achei demais, haha. A animação deles era nítida, e a emoção com o fato da platéia cantar tudo junto também; o John elogiou o Brasil várias vezes, dizendo que assim que eles fossem embora, já iriam querer voltar, e que os shows aqui eram sempre incríveis. Você percebe que eles realmente amam o que fazem, e sempre estão interagindo com a platéia, seja pegando o que o pessoal joga no palco (algumas meninas jogavam uns cartazes/folhas, e eles liam), dando a mão para quem estava ali na frente, o John rebolava pra galera quase toda hora, era impossível não ficar empolgado.

    O legal de toda a experiência foi também fazer amizades novas. Conheci várias pessoas por um grupo no whatsapp e encontrei algumas no show; é essencial ter companhias legais na hora de ficar esperando na fila (eu cheguei 15h30, e fiquei até umas 18h30, até começar o meet). Aliás, eu não não posso deixar de comentar sobre o m&g, né? Resumindo: eu nunca vou esquecer daquele momento. Sério. Daqui a pouco vai fazer uma semana que se passou e eu ainda vou estar lembrando. É uma sensação muito louca ver ídolos de perto perceber que eles são reais, poder abraçá-los, conversar com eles.

    O meet aconteceu em um grupo de cinco pessoas. Apesar de ser bem rápido, deu para abraçar todos eles, conversar um pouco (mesmo que eu tenha ficado meio muda, de tão nervosa). O primeiro que eu consegui abraçar foi o Garrett, e entreguei alguns presentes que eu tinha levado para eles, e ele foi muito fofo e agradeceu (o Jared também). Abracei os dois, e depois o Pat (que é um amor, meu deus do céu! E baixinho, nem precisei ficar na ponta do pé, olha que milagre). Ele me agradeceu por vir, mas eu tava tão fora da terra que não consegui responder! 😛 olha o micão. Um dos momentos mais legais foi abraçar o Kennedy. Eu disse pra ele que amava ele (em português) e ele respondeu com um “eu também”, sorrindo, e nessa hora eu juro que quase cai no chão desmaiada. Dei um abraço forte no John, desejei um feliz aniversário, e falei para ele se divertir naquele dia, e ele foi muito simpático, me agradeceu e disse pra eu me divertir também. Ele abriu o maior sorriso, provavelmente o mais bonito que eu já vi. Nessa hora o segurança berrou “foto” e eu ainda estava de costas, e sai correndo pra ficar no meio. Fui pega desprevenida e eu nem vi o fotógrafo, ou seja, imaginem minha cara na foto (eu olhei pro além, provavelmente). Quando sair adiciono aqui no post. Essa experiência só reafirmou o que eu já sabia: eles são muito gentis e realmente se importam conosco.


    Cake everywhere. That was a special show. Thank you Porto Alegre!

    Uma foto publicada por The Maine (@themaineband) em

    Nunca me senti tão feliz. Esse dia foi muito especial. E eu já tô esperando ansiosamente por 2016, e pela próxima turnê. Já pode chegar o ano que vem logo?

    subir
    elas disseram TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © 2017 // DESIGN POR SARA SILVA