• tumblr_ov74bamQis1s2uvgco1_1280
    Filmes, Música

    Gaga: Five Foot Two

    ver post
  • large-2
    Textos

    Paralisada

    ver post
  • large
    Viagens, Videos

    Vlogs legais de viagens

    ver post
  • 18033802_1425737924156032_8579091541036371031_n
    Música

    Bandas que vale a pena ouvir

    ver post
  • April 23, 2017
    postado por
    netflix-girlboss-01

    GIRLBOSS, que estreou nesta Sexta-Feira (20/04) na Netflix, é baseado no livro homônimo, escrito por Sophia Amoruso, a criadora da Nasty Gal, uma das lojas virtuais mais populares nos útimo anos. Quem nunca acessou o site da loja e desejou alguma roupa, apesar dos preços serem bem salgados? A história de Sophia já é bem conhecida na mídia: ela teve a ideia de criar a sua empresa literalmente do nada, vendendo roupas vintage no eBay. As suas vendas bombaram, e foi investindo na sua ideia que ela criou o site da loja e posteriormente, as lojas físicas.

    O livro foi adaptado para a TV por Kay Cannon, que também produziu os três filmes de Pitch Perfect. Ele é produzido pela própria Sophia e a atriz Charlize Theron. Praticamente todo o time é composto por mulheres. A protagonista é a conhecida Britt Robertson, que tem uma extensa carreira no mundo cinematográfico.

    O enredo basicamente nos apresenta à Sophia, uma jovem de 22 anos que vive em San Francisco, na Califórnia, e não segue nem um pouco os planos que a sociedade ou o seu pai planejaram para ela. Sophia não gosta do seu emprego e não possui quase nenhuma grana: na verdade, ela não tem ideia do que vai fazer para sobreviver, e a vida adulta a assusta completamente. A personagem é divertida, engraçada e egoísta sim, em muitos momentos. Ela está longe de ser perfeita. Para mim, esse foi um dos trunfos da série: a protagonista é crível, honesta, e tem um milhão de defeitos. Muita gente reclamou da personagem, mas a Sophia que nos é apresentada é uma pessoa complexa e meio sem rumo. Ela é humana, como todos nós.

    girlboss-estreia-netflix03

    Após ser demitida do emprego, Sophia tem a ideia de vender roupas vintage – que ela compra em brechós por preços baixos – no eBay, de maneira bem mais cara. A ideia é despretensiosa, mas dá muito certo. Ela é apaixonada por moda e possui uma visão do negócio que ainda não existia até então, e ela acaba lucrando bastante com a sua ideia, até conseguir pagar o seu aluguel (do qual ela seria despejada) e poder bancar as suas despesas mínimas sozinha. Desde o inicio da sua jornada, nada ocorre de maneira fácil. É claro que a visão da série sobre os fatos pode ser um pouco romantizada – e em alguns momentos, cair no clichê – mas ela cumpre bem o papel de divertir e de focar em mulheres como protagonistas.

    Aliás, com uma equipe feminina tão grande na sua produção, seria díficil GIRLBOSS não fazer um retrato honesto das dificuldades que as mulheres empreendedoras sofrem. Sophia é descreditada a todo minuto. Tudo bem que a sua personalidade instável pode contribuir em alguns momentos, mas o tempo todo ela se vê sendo questionada por pessoas que não acreditam que uma mulher jovem possa ser a dona de uma empresa. Até mesmo quando a Nasty Gal já está famosa e rendendo lucros altos, ela continua sendo alvo de desconfiança. Enquanto eu assistia a série, eu consegui me lembrar de várias mulheres que eu conheço que são donas de negócios diferentes e sofrem com o machismo o tempo todo.

    A amizade feminina também ganha um destaque especial e é a responsável por nos trazer as melhores e mais engraçadas cenas. A melhor amiga de Sophia é a Annie (Ellie Reed). Durante a história, ela é a única pessoa que não duvida de nenhum momento da amiga, mesmo que elas briguem e discordem uma da outra em diversos momentos. Pelo contrário, Annie está sempre lá para ajudar (até quando Sophia não merece). A amizade delas vem de anos, e é legal ver a evolução das duas personagens.

    20girlboss1-master768

    A série também traz romance, mas não é o foco principal. Sophia conhece o baterista de uma banda, Shane, e os dois se tornam próximos bem rapidamente. Apesar dele estar em turnê o tempo todo, o relacionamento continua bem. Mas justamente na semana de lançamento da Nasty Gal, Sophia descobre que o namorado a traiu. Mesmo com o choque, ela age de maneira bem madura frente ao final do relacionamento. O motivo? Ela não quer atrapalhar a sua carreira, mesmo que a traição a tenha machucado muito. A sua prioridade é seguir o seu sonho. Ou seja, ela não deixa nada de lado frente à uma figura masculina.

    Aliás, a paixão que ela sente pelo próprio negócio é o ponto principal da série. Mesmo com muitas dificuldades, ela nunca desiste. E esses problemas podem ser tristes ou cômicos, mas Sophia os encara de frente. GIRLBOSS é uma série que te motiva a seguir aquilo que você realmente quer. E que mulheres jovens podem, sim, ser empreendoras incríveis, apesar de muitos desafios pelo caminho. A visão feminina foi a minha parte favorita da série. É raro nós vermos histórias sobre mulheres bem sucedidas sendo exibidas nos seriados.

    Os episódios tem em torno de 25 minutos, e são 13 no total. A série é leve, engraçada, e tira sarro de muita coisa dos anos 2000 (como The O.C, por exemplo). É imperdível para quem quer assistir algo sobre empoderamento feminino, e também rir bastante.

    1. Natalia Apr 24, 2017

      Li o livro e adorei, comecei a assistir a série hoje 😉

    2. Camila Faria Apr 24, 2017

      O livro foi um sucesso, tenho certeza que a série vai bombar também! O trailer é bem divertido.

    3. Váh Apr 26, 2017

      Tá todo mundo falando desse seriado né?
      Parece ser muito bom, fiquei curiosa pra assistir, mas no momento estou acompanhando 13 Reasons Why!

      http://heyimwiththeband.blogspot.com.br/

    subir
    elas disseram TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © 2017 // DESIGN POR SARA SILVA