• large-2
    Comportamento, Séries, TV

    As personagens femininas de Skam

    ver post
  • large
    Música

    Playlist: Junho

    ver post
  • large-2
    Culinária, Diversão

    Os melhores burgers de Florianópolis

    ver post
  • large-2
    Blogs

    O blog está de cara nova!

    ver post
  • May 6, 2017
    postado por
    170208095938-dear-white-people-image-exlarge-169

    Título: “Dear White People”

    Estréia: 28 de Abril

    Diretores (as): Justin Simien, Berry Jenkins, Nisha Ganatra, Tina Mabry, Charlie McDowell e Steven K. Tsuchida

    Dear White People pode ser considerada uma das melhores séries já produzidas pela Netflix. O motivo? Com apenas 10 episódios, com 30 minutos cada, a série consegue abordar diversos temas importantes que envolvem a negritude: racismo, colorismo, militância, violência policial, e também a vida do negro nos espaços como a universidade. Na série, nós conhecemos Samantha White (Logan Browning) que é dona de um programa de rádio que leva o nome da série. Samantha usa a sua voz para denunciar todos os problemas que ela e os seus amigos vivenciam todos os dias. Tudo começa quando os estudantes de um dos jornais da faculdade organizam uma festa com o tema de “black face”, causando uma reação de Samantha e dos seus amigos, que também são personagens importantíssimos nesta história.

    A série não possui só um protagonista, e sim vários, no qual temos a oportunidade de conhecer a história, os medos e a vivência de cada um. Os personagens são complexos e muito bem trabalhados em episódios dedicados à eles, dando espaço para mais assuntos serem abordados, como por exemplo, o desafio de Lionel (DeRon Horton) em lidar com a sua homossexualidade, em como as maneiras de resistência podem ser diferentes com Coco (Antonitte Robertson), o esforço de quem sempre é o líder dos movimentos, como o Reggie (Marque Richardson), e a busca pelos seus objetivos, por sempre querer agradar o pai, de Troy (Brandon P Bell).

    Eu assisti tudo em uma só tarde, tamanho foi o jeito que a série me prendeu. Ela te faz questionar, refletir, e traz um episódio extremamente comovente: o episódio 5, dirigido por ninguém menos que Berry Jenkins, de Moonlight, é impactante, honesto e precisa ser discutido. Não quero dar spoilers, mas ele aborda um dos assuntos mais atuais do momento, que originou o movimento Black Lives Matter.

    you-me-her-900x600

    Título: You, Me, Her

    Estréia: 10 de Fevereiro

    Diretores (as): Nisha Ganatra e Sara St. Onge

    You, Me, Her possui duas temporadas e a sua primeira estreou este ano na Netflix. A série é uma comédia (com um pouquinho de drama) bem diferente do que estamos acostumados a ver. Sem muitos clichês, a série aborda o casamento de Emma (Rachel Blanchard) e Jack (Greg Pohler). Os dois estão juntos faz um bom tempo e se amam. Eles não possuem problemas no casamento, mas algo os incomoda: a rotina bateu e os dois não tem mais aquele romance que possuíam antes. É aos poucos que Izzy (Priscila Faia) entra na história, após conhecer Jack. Ambos se atraem instantaneamente por Izzy, e ela pelos dois.

    Izzy está na universidade. Ela tem uma rommate, a Nina (Melanie Papalia), e alguns relacionamentos frustrados na bagagem. Ela até tem alguns rolos, mas nenhum deles funciona de verdade. Izzy, de início, fica com medo de se envolver demais com Emma e Jack, mas eles tem muita química e a paixão acontece. You, Me, Her é sobre poliamor, aceitação, confiança, bissexualidade e relações não monogâmicas que funcionam sim, muito bem.

    O enredo é responsável por desconstruir estereótipos e aqueles tramas em que relacionamentos LGBTQ+ sempre acabam em tragédias (estamos cansados de ver essa repetição). Óbvio que nem tudo são flores – assim como em qualquer outro namoro – mas  os personagens conseguem lidar com os conflitos, os ciúmes, e os problemas que aparecem no meio da relação. Eles também tem que encarar o preconceito dos amigos e das pessoas ao redor, que não tem absolutamente nada a ver com a vida deles, mas insistem em se meter na relação dos três. Sim, bem parecido com a vida real!

    Ah, e o cast é excelente. Os três atores principais tem uma interação incrível juntos.

    Responder para Natalia // Cancelar resposta

    1. Natalia May 07, 2017

      Mais uma pra minha lista, quero assistir Dear White People!

    2. Camila Faria May 08, 2017

      Oi Ana, eu estou com vontade de assistir o filme Dear White People, de 2014, que originou a série ~ parece que é ótimo também. E nunca tinha ouvido falar de You Me Her, vou colocar a série na listinha aqui. Beijo!

    3. Taís May 10, 2017

      Eu to doida pra assistir Dear White People, mas estou com tanta série atrasada.. e ai veio a segunda temporada de SenSe8.. mas quero ver se consegui assistir em breve, parece ser ótima mesmo!
      Beijos :*

    subir
    elas disseram TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © 2017 // DESIGN POR SARA SILVA