• 26e14d287bd9c5f49b36990e398601d0
    Comportamento

    Um recado para o Instagram

    ver post
  • space love xx Scott Brian Madeiras
    Amor, Reflexão

    Antítese

    ver post
  • 71e0db6e93ee0415f7c0c0cb28e2027c
    Looks, Moda

    Looks para o verão

    ver post
  • imagem.aspx
    Livros

    Livro: A Quimica Que Há Entre Nós

    ver post
  • August 26, 2017
    postado por
    Taylor Swift - ReputationCredit: Mert & Marcus

    Três anos se passaram desde o lançamento do último álbum de Taylor Swift – o 1989, que lhe rendeu o Grammy de “Álbum do Ano” – e depois de muitas premiações, singles e uma parceria com ZAYN em I Don’t Wanna Live Forever, Taylor anunciou o seu sexto disco. Não é segredo que em todos os seus CDs ela tenta trazer uma roupagem diferente e um toque inovador às suas músicas. Foi assim desde o início da carreira, em 2006, e ao revelar o título do novo projeto, “Reputation”, nós já imaginamos que uma fase diferente vai surgir.


    Após deletar todos os posts das suas redes socíais (não sobrou nada!) ela postou alguns vídeos de uma cobra no seu Instagram e Twitter, fazendo uma clara referência as polêmicas que a midia a envolveu no início de 2017. Taylor fez piada da própria crítica que faziam a ela, e é dessa ideia que nasce o single “Look What You Made Me Do”, escrito por ela e Jack Antonoff, responsável por produzir o Melodrama de Lorde.

    O single traz uma batida dançante, porém mais “pesada” – que lembra as canções atuais da Lorde – e com uma letra bem sincera e cheia de mágoas: “Eu não gosto dos seus joguinhos, não gosto do seu palco pendurado, o papel que você me forçou a fazer de tola, não, eu não gosto de você”.

    Como fã – mas tentando ser imparcial – eu confesso que gostei muito da canção e acho que ela tem potencial para ser hit. Analisando toda a trajetória da Taylor, eu a considero uma compositora incrível e ela tem capacidade para expressar todos os seus sentimentos (raiva, coração partido, fim de relacionamentos, alegria) com maestria. Sim, ela expõe o que sente. E qual seria a graça da música se ela não fosse honesta de verdade?

    Inclusive, o Valkírias – um dos sites que eu mais gosto – fez um texto sobre isso.

    O clipe será lançado no Domingo, e “Reputation” em 10 de Novembro.

    1. Thami Sgalbiero Aug 27, 2017

      O que eu gosto da essência da Taylor é disso que ela sabe fazer o bom uso da arte da música mesmo. Muita gente escreve músicas por escrever, ou as vezes aceitam composições que não tem nada haver com o que estão sentindo, só pra lançar e ser hit. O que gostei dessa música nova dela é a batidinha que me lembra o pop antigo e funk também, haha!

    2. Clayci Aug 30, 2017

      Vi muita gente criticando o som e falando que ela se faz de vítima.
      Posso até concordar, porém ela sabe que essa fórmula dá retorno.
      E outra é como vc mesma disse, qual seria a graça de um som sem sentimentos? Eu adorei o som, o clipe ficou MARAVILHOSO e desejo que essa nova fase seja incrível

    3. Bruna Aug 30, 2017

      Quando tinha 14 anos, a Taylor Swift era minha diva.

      Gostava de todas as músicas. Amava o estilo. Sabia cantar tudo.

      Mas, a cada álbum que passava, eu me identificava menos.
      Até 1989, fase em que ela estava com aquele corte de cabelo maravilhoso (e que, inclusive, me inspirou a cortar o meu) eu curtia as canções.

      Mas, com 1989, a coisa começou a desandar.

      Entendo mudança. Nunca somos os mesmos. Taylor começou a carreira muito jovem e, com o tempo, logicamente, ela iria mudar e amadurecer. Mas o problema é que, a partir daí, eu parei de me identificar com ela.

      Sempre fui uma das primeiras a levantar a bandeira do “feminista” quando o nome dela era citado… Mas isso, depois de um tempo, também começou a mudar.

      Hoje, tenho a impressão de que ela é falsa. Não entendo muito bem as opiniões que ela manifesta. Acho que não condizem com as suas ações. Ou, pelo menos, é o que a mídia tem me mostrado.

      O que me leva a essa nova canção: a mídia não é confiável. E, por mais que tenha achado incrível a crítica que essa canção traz (o videoclipe é interessante), ainda sou muito cheia de desconfiança quanto aos ideais da Taylor. Ao mesmo tempo, a batida comercial e essencialmente POP dessa música (outra mudança tremenda para uma ex cantora de Country) não me cativou tanto. Não parece em nada com a Taylor que eu conheci. Mas, como a própria cantora diz, a Taylor que conheci está “morta”.

      Eu entendo isso. Entendo mudança. Mas, infelizmente, não consigo me identificar com a Taylor atual. E nem mesmo consigo confiar e defender os seus pontos de vista. Sempre acreditei que ela era uma defensora dos direitos femininos. Sempre achei que ela lutava junto com o movimento que sustento. Mas, hoje, acredito menos nisso (ou, simplesmente, não acredito).

    4. Bruna Aug 31, 2017

      Acabei de ler o texto no Valkirias. Achei interessante.

      E até me fez repensar um pouco sobre a minha posição quanto a Taylor.

      Enfim, Taylor foi uma cantora que me marcou muito. Espero, algum dia, poder voltar a me identificar com ela. Quem sabe!

      No mais, eu adorei o post. Acho que abriu espaço para reflexão e opinião. Eu adoro discutir ideias. Enfim, adorei <3

    5. Taís Sep 01, 2017

      Apesar do sucesso da Taylor Swift eu sou tão alheia ao que acontece com a cantora e sua carreira, não sou fã, não curto as músicas… mas essa fase diferente dela com seu ultimo trabalho deu o que falar, até eu que não sei nada das novidades dela fiquei sabendo, hahaa então imagino que tenha sido um ”wow” pros fans!

    subir
    elas disseram TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © 2017 // DESIGN POR SARA SILVA