• 26e14d287bd9c5f49b36990e398601d0
    Comportamento

    Um recado para o Instagram

    ver post
  • space love xx Scott Brian Madeiras
    Amor, Reflexão

    Antítese

    ver post
  • 71e0db6e93ee0415f7c0c0cb28e2027c
    Looks, Moda

    Looks para o verão

    ver post
  • imagem.aspx
    Livros

    Livro: A Quimica Que Há Entre Nós

    ver post
  • October 19, 2017
    postado por
    hdd-teaseronesheet-5940d0221309f-1

    Título: A Morte Te Dá Parabéns (Happy Death Day)

    Diretor (a): Christopher B. Landon

    Gênero: Suspense, terror

    Elenco: Jessica Rothe, Israel Broussard, Ruby Modine, Charles Aitken, Rachel Matthews.

    Sinopse: Uma mulher é assassinada e fica presa entre vida e morte. Ela deve resolver o mistério de seu próprio assassinato, ressucitando várias vezes até descobrir quem foi o responsável pelo crime. Só quando ela compreender o que causou sua morte, pode conseguir escapar de seu destino trágico.

    Quando eu assisti o trailer de A Morte te Dá Parabéns, confesso que o longa não me chamou muito a atenção. O gênero de suspense não é o meu favorito, e eu quase nunca assisto filmes desse estilo no cinema. Mas após ler as críticas positivas sobre ele, eu resolvi apostar. O filme é uma boa pedida para quem quer assistir algo com os amigos que seja engraçado, leve, mas uma boa escolha para assistir em Outubro, mês em que as estreias de terror dominam os cinemas.

    Eu usei a palavra “leve”, porque esse não é um filme de terror que aposta em cenas sangrentas que vão deixar o telespectador chocado. Ele segue a vibe de “It”, com um suspense inteligente, que te deixa curioso e sim, provoca vários sustos no cimema. Um dos trunfos mais legais do filme está na protagonista, Tree (interpretada pela atriz relativamente desconhecida, Jessica Rothe) uma universitária que, apesar de ser irritante e prepotente, tem carisma suficiente para fazer com que o público torça por ela. O dia do aniversário de Tree é um momento que a personagem, desde a morte da sua mãe – que também comemorava o aniversário no mesmo dia que a filha -, prefere esquecer.

    Porém as coisas mudam de rumo quando ela é assassinada, de maneira misteriosa, no dia do seu aniversário. Tree acorda no dia seguinte com a certeza de que teve um dejá vú, mas ela só está repetindo novamente o fatídico momento da sua morte. O filme mistura uma boa trilha sonora com momentos engraçados – e assustadores – em que a personagem tenta descobrir o que está acontecendo e quem é o seu assassino. O problema é que desmascará-lo não é uma tarefa fácil, já que Tree tinha uma legião de pessoas que tinham diversos motivos para se vingar dela.

    2486_FP_00377AR

    A única pessoa que parece disposta a ajudá-la é Carter (Israel Broussard), que esteve com ela na noite anterior do seu aniversário. Por mais que Tree o rejeite no início, o personagem de Carter é como se fosse uma representação da redenção que ela precisa alcançar, até descobrir definitivamente quem está matando-a.

    As sequencias em que Tree está prestes a perder a vida são bem cativantes. Ela morre de diversas formas diferentes (e algumas, bem surpreendentes), e as cenas cumprem a proposta de deixar quem está assistindo ao filme com os olhos grudados na tela. Uma das melhores cenas acontece no hospital – quando as suspeitas de quem é o seu assassino começam a crescer -, quando ela é perseguida no estacionamento pelo assassino, e posteriormente, em plena rodovia. A cena é de tirar o fôlego e uma das melhores do filme.

    screen shot 2017-06-15 at 1.31.34 pm

    O que eu também achei interessante no filme foi a forma como a protagonista é conduzida. No inicio, nós só vemos a superficialidade dela. Mas posteriormente, após as suas experiências horrorosas com a morte, as outras camadas da personagem começam a ser reveladas. A atriz também sustenta bem o papel, convencendo tanto nas cenas de alivio cômico, quanto nas de suspense. A personagem também é irônica, corajosa e engraçada. Ou seja: ela passa longe do clichê de mocinha em apuros, tão comum nos filmes de terror (e que ninguém aguenta mais ver).

    Destaque também para os plot twist que ocorrem durante o enredo, que conseguem nos convencer (e mudar de ideia logo depois!). Apesar de alguns erros, como uma saída um pouco previsível para o motivo do assassino estar atrás de Tree, e uma fórmula que já está batida no cinema, “A Morte Te Dá Parabéns” é o longa ideal para assistir com os amigos nas vésperas do dia 31.

    subir
    elas disseram TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © 2017 // DESIGN POR SARA SILVA