• KODAK Digital Still Camera
    Livros

    A importância de O Diário de Anne Frank

    ver post
  • MEGHANN FAHY, KATIE STEVENS, AISHA DEE
    Séries

    The Bold Type, a estréia feminista de 2017

    ver post
  • 8b9392188154f17074b3348bd23a3499-2
    Beleza

    Batons favoritos #Janeiro

    ver post
  • IMG_0910
    Viagens

    O charme do centro de Nashville

    ver post
  • December 17, 2017
    postado por
    Foto: Paolo Raeli (coltre.tumblr.com)

    Foto: Paolo Raeli (coltre.tumblr.com)

    Sempre quando o ano chega ao fim, eu gosto de olhar para trás e refletir, pensando no que eu aprendi nos últimos 12 meses. Quem acompanha o blog faz um tempo provavelmente já percebeu que, no final do ano, eu sempre faço um post nesse estilo. Acho que é importante reconhecer o que foi bom, o que foi ruim, e o que a gente quer mudar para o próximo ano. Eu não sou de fazer listas de mudanças, mas coloco algumas metas que eu quero cumprir. Esse ano, cuidar da minha saúde mental era uma delas. E em 2018, vai continuar sendo. Esse é o bem mais valioso que eu possuo, e eu nunca posso esquecer da importância dele.

    Foi isso que me impulsionou no final de Março a começar a fazer aulas de yoga. Depois que eu encontrei essa prática, nunca mais vou conseguir abandoná-la. É incrível reservar um tempo pra gente – mesmo que seja uma hora, quarenta cinco minutos – para aprender coisas que são básicas, mas que esquecemos. Sentar, respirar, meditar, aliviar os seus pensamentos. É impressionante como isso afeta sua vida positivamente. E com certeza, é um dos pontos chaves na minha luta contra a ansiedade. Se eu puder dizer algo que sou grata à esse ano, seria a descoberta do yoga.

    Mesmo fazendo exercícios quase todos os dias, indo para a terapia e tomando toda a minha medicação certinha, alguns dias ainda foram complicados. Doídos. Ainda mais na tarefa árdua de prestar vestibular. Eu admito, não sei como encontrei forças para tentar outra vez; mas em alguns momentos eu sou obrigada a achar vontade em lugares inusitados. A esperança e a expectativa surgiram de novo com força total, o que me frustrou. Mas eu não me arrependo de tentar de novo. Sei lá, às vezes eu acho que vestibular é só um teste pra vida, pra nos ensinar que nós podemos querer muita coisa, mas nem tudo vai funcionar. E tudo bem. Não é o fim do mundo, né?

    Eu admito que não sei para que lado o meu futuro vai. Ele é incerto. Eu não sei que faculdade vou começar, se espero os resultados finais, se vou para uma privada… Eu não faço ideia. Eu admito, a inconstância me assusta, como sempre faz. E também  é doloroso ver que alguns dos meus planos não deram certo. Acho que se fosse colocar algo no meu caderno imaginário de objetivos para o ano que vem, seria: não idealizar demais uma coisa e achar que só ela funciona. Desde o último ano do colégio eu botei na minha cabeça que só poderia estudar na faculdade se fosse na pública, que eu tinha que passar na maldita prova. Mas hoje, agora, eu percebo que não. Eu não tenho que passar em nada. Eu não sou obrigada a nada disso. E o meu valor não deve ser medido por um pedaço de papel.

    Valor. Essa foi uma palavra tão presente nos meus últimos meses. Valorizar, auto confiança, segurança. Essas três estão intimamente ligadas na minha vida. São uma constante que me rodeiam. E que me lembram que antes de tudo, eu não posso me sabotar. Eu não posso procurar a felicidade nos outros, ou até mesmo a rejeição, a culpa, o último problema que falta para tudo desmoronar. Eu preciso buscar quem me faz bem. Mesmo que algumas coisas pareçam muito atraentes, às vezes elas simplesmente não funcionam. E eu sei disso. Só preciso entender, e aceitar.

    É possível que haja um pequeno sumiço meu aqui no blog até 2018. Eu não sei se vai ser possível fazer posts até o dia 13 de Janeiro, mas caso isso aconteça, quero agradecer todo mundo que me acompanhou por mais um ano por aqui. <3 E avisar que o meu desaparecimento vai ser positivo, pois vou estar viajando e preparando muitos posts legais de viagem para cá (e quem sabe, alguns vídeos!).

    1. Camila Faria Dec 19, 2017

      Ana, querida, que bacana saber que você encontrou o yoga esse ano. Eu pratico há alguns anos e acho que não conseguiria viver sem. Faz um bem ENORME para o corpo, para a cabeça, para a alma… Maravilhoso. Que 2018 seja um ano de muita positividade, amor e realizações na sua vida. Aproveita muito esses dias off-blog. Um beijo!

    2. Clayci Dec 20, 2017

      Meu ano ficou um pouquinho melhor quando descobri as aulas de zumba e jump, por isso te compreendo sobre o yoga É muito bom reservar alguns minutos do dia pra gente, né? Desejo que 2018 seja um ano produtivo e leve para vc. Não se sinta culpada por não pensar no futuro, as coisas vão acontecer do mesmo jeito. Cuide de vc =D nossa saúde mental é tudo, E só me dei conta disso quando cheguei em uma fase ruim e não consegui lidar =/

      Beijão e curta esses dias off
      fique bem

    3. Larissa Fonseca Dec 21, 2017

      Seus aprendizados foram tão bonitos! Confesso que foram, em bos dose, os meus também.

      Abraços!

    4. VANESSA BRUNT Dec 21, 2017

      Ai, Ana, como quero abraçar você. Pausar é também estar fazendo, é também continuar, é lembrar que, por vezes, a melhor maneira de seguir em frente é parando. Você tem uma entrega linda e tão genuína. Que 2018 venha com força e energias de ganhos em cada perda e de vitórias em topos da lista!

      http://www.semquases.com

    subir
    elas disseram TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © 2017 // DESIGN POR SARA SILVA