• 4484434
    Filmes

    Filme: Colette (2018)

    ver post
  • 22498960_2028529004044575_6241653563477036743_o
    Música

    Conheça a belga Angèle

    ver post
  • d7c4f8272df21bdae9d45345439cf090
    Música, Playlist

    Playlist: Dezembro

    ver post
  • photo-1527936599657-e6d24be0c95c
    Comportamento, Textos, Viagens

    Carta de amor para os nômades

    ver post
  • Fevereiro 26, 2018
    postado por
    22007410_1489558797804399_8413990194049833897_n-2

    Bruna Morgan é artista, quadrinista, blogueira e dona do Universo em Bolha de Tinta, o seu projeto artístico que está no Facebook (com mais de 100 mil curtidas!), e no Instagram. Ela possui blog desde 2008, e foi assim que eu conheci o seu trabalho. Logo depois, eu me deparei com a página do Universo, e me apaixonei pelas ilustrações, principalmente porque elas me tocaram em assuntos que possuem um grande significado para mim. As tirinhas da Bruna abordam diversos temas: corações partidos, depressão, felicidade, tristeza e cultura pop (como filmes, em parceria com o canal Megapix).

    Eu me identifiquei de cara. O trabalho dela falou comigo em diferentes níveis, o que fez eu acompanhá-la em outras redes sociais além do blog. Eu bati um papo bem legal com a carioca de 22 anos, que já está nesse meio faz um bom tempo: Bruna participou de diversas zines, algumas exposições, e ilustrou para revistas como a Girls With Style.

    27540133_1616426671784277_8944581491323258376_n 27331964_1610698339023777_4358028274084657431_n

    1. Eu conheci o seu trabalho por meio do seu blog, intitulado de Bruna Morgan, e depois descobri o Universo em Bolha de Tinta no Facebook. Como surgiu a vontade de postar a sua arte na internet? Você tem blog desde 2008. Isso aconteceu de maneira natural?
    Eu sempre desenhei, e às vezes postava um desenho no meu perfil pessoal apenas para os meus amigos. Foi em 2013 que criei coragem para fazer a página no Facebook, meus amigos que me incentivaram, e comecei a postar meus desenhos e a divulgar também os posts do meu blog por lá. Antes do blog atual, eu tive diversos e em outras plataformas, além de desenhar , eu também gosto muito de escrever. Eu tinha uma agenda aos 11 anos, onde escrevia desabafos e poemas mórbidos! Daí aos 12 anos migrei para a internet, e trocava poemas com meus primeiros amigos virtuais. Acho que essa coisa de blog foi o que me ajudou no início, pois eu não tinha vida social e também não tinha ninguém para desabafar. O blog atual já é bem velhinho, e não pretendo abandoná-lo.

    2. Fale um pouco sobre como é trabalhar com arte no Brasil em 2018. Você já participou de várias zines e 4 exposições. Na sua opinião, a internet possui um papel importante no seu trabalho?
    Se não fosse pela internet, eu não sei qual seria a minha chance no meio das artes. Foi através dela que cresci, que conheci amigos artistas, que tive minhas influências, e onde consegui ter voz.
    A internet possibilitou e possibilita muitos artistas a se apoiar mutuamente e a conseguir um alcance melhor. Trabalhar com arte no Brasil, mesmo em 2018, ainda é complicado, pois o mercado não valoriza tanto assim. Muitos dos meus colegas conseguem freelas de fora, trabalhando para outras empresas através da internet, mesmo estando nos confins do interior do Brasil.

    27458976_1610697329023878_430400594469288119_n
    27459493_1610698602357084_4402143552877539603_n

    3. As suas ilustrações abordam diversos assuntos, desde transtornos mentais até corações partidos. Algum tema te chama mais a atenção na hora de produzir seu trabalho?
    O tema que eu mais sinto prazer em abordar é sobre a depressão, pois é uma condição que me encontro há anos, e desenhar é um dos meios que me tiram o peso diário. Porém eu tenho diminuído a publicação desse tema, e estou tentando não deixar muito pesado. Uma vez desenhei sobre suicídio, e por eu não ter abordado de uma maneira otimista, muitas pessoas se sentiram feridas e a tirinha foi censurada. Estou buscando uma maneira menos perigosa de desenhar sobre o assunto.

    4. Quais são os artistas que mais te inspiram atualmente? Até que ponto eles te influenciam?
    Eu digo que os artistas que mais me inspiram são as minhas amigas da área, desde o início da minha aventura por esse meio artístico, foram elas quem me ajudaram a não desistir e me ajudaram a construir esse caminho que estou seguindo, mesmo que nem saibam disso! Alguns nomes são Brendda Lima, Yasmin Ferreira, Samuel d’Saboia, Mariana Sales, Laura Athayde, Fefê Torquato, Lovelove6, Amanda Paschoal.

    26904436_1596261433800801_2522509022168238201_n

    5. Você usa várias redes sociais: Youtube, Tumblr, Facebook, Instagram, Blogspot… alguma delas é considerada a sua favorita para divulgar o seu trabalho? Ou todas possuem uma importância diferente?
    Eu costumava usar mais o Facebook, pois é a rede social que tenho mais seguidores, porém com a mudança de algoritmos, estou postando e interagindo com mais frequência no Instagram, tanto no feed quanto nos stories.

    ULTRAVIOLET

    6. Quem acompanha o seu blog sabe que cultura pop (músicas e séries) são um assunto pertinente nos seus posts. Você também adora quadrinhos. Pode nos indicar os seus favoritos e por quê?
    Essa é uma pergunta muito difícil! Eu leio muitos quadrinhos em livros físicos e também online, meu coração é grande o suficiente para ter mil favoritos! Mas vou listar pelo menos alguns que tenho aqui em casa e que estão no meu coração:

    • Bear, da Bianca Pinheiro, é sobre uma menina que se perde de seus pais, e encontra um urso marrom que a ajuda a procurar por seu lar. Era uma webcomic, mas a Bianca conseguiu publicar fisicamente. Eu achei tão doce e a acompanhei desde o início dessa história, é engraçada, tem suspense, easter eggs, e toca o coração!
    • Três Sombras, de Cyril Pedrosa, conta a história de um casal que vive longe de todo mundo, vivendo uma vida tranquila com seu filhinho, mas que precisam tomar uma decisão para enfrentar o destino que os assola, três sombras surgem para buscar a criança. É necessário ter um coração forte, é uma história que dói o peito e que fica grudada na sua mente por muito e muito tempo. Eu tinha pego emprestado em uma biblioteca anos atrás, mas ela fechou antes que pudesse devolvê-lo, então acho que sou a nova guardiã dele.
    • Macanudo, de Liniers, ele foi um dos primeiros quadrinistas a me encher os olhos, ele é engraçado, sarcástico, doce, inteligente, bobo. Todas as tirinhas e quadrinhos dele estão em meu coração, e a série Macanudo (o dois é o meu preferido) também.
    • Manual de Sobrevivência à Vida Adulta, da Brendda Lima, é um pouco do cotidiano da Brendda nesse desafio de ter que ser adulta e viver de ilustração. Ela usa muitas referências de desenhos animados e de animes dos anos 90, como por exemplo, Sailor Moon. Ela é uma pessoa e uma artista incrível.
    • A Antologia MÊS de 2015, não por eu estar nela hahaha, mas por ser composta por quadrinistas que amo, como: Laura Athayde, Diego Sanchez, Renata Rinaldi, 3m3, Desalineada, Amanda Paschoal. São 22 quadrinhos ao todo, contando com um meu e um do coletivo que eu participava, chamado Girl Gang Coletivo.
    • Cerulean, da Catharina Baltar, conta a história de uma sereia adolescente, que encontra um celular e se sente impulsionada à conhecer o mundo fora d’água. Ele foi feito todo em aquarela e nankin, acompanhei a Catharina montando essa história através das suas redes sociais.
    • Conjunto de histórias em quadrinhos e tirinhas dos Zines XXX, essa coletânea de 5 volumes foi criada a partir de um grupo no Facebook de mulheres quadrinistas, foi por lá que fiz minhas primeiras amizades nesse meio. Hoje em dia acredito que não tenha mais exemplares, então são raridade.

    Redes sociais da Bruna: BlogTumblrTwitterPágina no Facebook Instagram

    Não esqueça de apoiar os artistas que você curte!

    subir
    elas disseram TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © 2017 // DESIGN POR SARA SILVA