Abril 11, 2020 por em Elas Indicam

Essa já é a minha quarta semana de quarentena. Sabemos que muitos de nós não possuem a oportunidade de ficar em casa ou fazer home office. No Brasil, são milhares as pessoas que precisam continuar os seus trabalhos, sejam formais ou informais; o transporte público nas metrópoles, por exemplo, continua cheio. Todos precisaram tentar se reinventar nos trabalhos em casa. Seja por vídeos, reuniões em grupo nos aplicativos; sem falar na questão da saúde mental.

O fato é que esse é um momento incerto, difícil de lidar, em que não podemos controlar praticamente nada. Logo nós, seres humanos sempre ávidos por controle e rotinas loucas.

Nesses dias, consegui arranjar um espaço para ler alguns livros que estavam na gaveta e outros que configuravam na minha lista. Meu critério foi escolher histórias leves: romances divertidos, praticamente todos do gênero young adult. Antes eu tinha o costume de ler livros desse gênero, então pensei em aproveitar o tempo mais livre para escolher temas que não fossem tão complexos ou pesados.

“A Pequena Livraria dos Corações Solitários” – Annie Darling

“Era uma vez uma pequena livraria em Londres, onde Posy Morland passou a vida perdida entre as páginas de seus romances favoritos. Assim, quando Lavinia, a excêntrica dona da Bookends, morre e deixa a loja para Posy, ela se vê obrigada a colocar os livros de lado e encarar o mundo real. Porque Posy não herdou apenas um negócio quase falido, mas também a atenção indesejada do neto de Lavinia, Sebastian, conhecido como o homem mais grosseiro de Londres. Posy tem um plano astucioso e seis meses para transformar a Bookends na livraria dos seus sonhos — isso se Sebastian deixá-la em paz para trabalhar. Enquanto Posy e os amigos lutam para salvar sua amada livraria, ela se envolve em uma batalha com Sebastian, com quem começou a ter fantasias um tanto ardentes… Resta saber se, como as heroínas de seus romances favoritos, Posy vai conseguir o seu “felizes para sempre”. 

Essa foi a minha primeira leitura nas últimas semanas. Escolhi ler o primeiro livro da série de três, de Annie Darling, na aleatoriedade. A sinopse me chamou a atenção, e eu queria uma leitura fluída e sem muitos compromissos. A autora britânica nos apresenta alguns personagens que trabalham na Bookends, uma livraria tradicional na moderna Londres. Já que os personagens são apaixonados por leitura, toda a história possui referências sobre clássicos, como Orgulho e Preconceito, de Jane Austen.

A protagonista da vez é Posy Morland, uma romântica incurável. Apesar de possuir pouca experiência na sua própria vida com relacionamentos, ela é fã de livros desse gênero. Posy cuida do irmão mais novo, Sam, e vive em um apartamento localizado no mesmo prédio da livraria em que trabalha e que passa a maior parte dos seus dias. Quando uma reviravolta faz com que Posy se torne a nova dona do lugar, ela precisa superar seus próprios medos e traumas do passado.

Os capítulos são curtos, e a escrita da autora é simples, permeada por romance. O destaque fica para a paixão não assumida entre Sebastian – um homem totalmente diferente de Posy – e a dona da livraria, que se conhecem desde a infância, mas nunca se deram muito bem. O relacionamento de ambos se desenvolve durante toda a história, de maneira engraçada e envolvente. É romance água com açúcar na sua melhor forma: bom para se distrair nesses momentos tensos de quarentena.

O Resto da História – Sarah Dessen

“Emma Saylor perdeu a mãe ainda criança. Quando seu pai decide se casar de novo e seus planos para o verão dão errado, sua única alternativa é passar a estação na casa de sua distante família materna. Assim, Emma parte em uma jornada de autoconhecimento para entender suas origens, encontrar respostas de dúvidas que nem sabia ter e descobrir o valor de fazer parte de duas famílias. Ao confrontar uma nova realidade e ouvir os segredos sempre sussurrados sobre a mãe, Emma vai contar com a ajuda de seu antigo amigo de infância, Roo, que, além de ser a pessoa com a chave para desvendar os segredos do passado de Emma, faz o coração da garota palpitar. Estas, com certeza, serão férias que Emma Saylor lembrará para sempre.”

Sarah Dessen é, sem dúvidas, uma das minhas autoras favoritas de young adult. Esse é o quinto livro dela que eu li, e um dos melhores de sua carreira. A especialidade da autora sempre foi abordar protagonistas femininas e jovens com grande profundidade. Suas histórias falam sobre laços familiares complexos de forma realista, como em Bons Segredos, e relações de pai e filha, em O Que Aconteceu com O Adeus.

“O Resto da História”, é um livro coming of age. Emma Saylor sempre viveu apenas com o pai, que agora vai se casar novamente. Só o que ela conhece é o seu mundo confortável e cheio de privilégios; algo que Emma terá que questionar abruptamente quando vai passar uma parte do verão na casa da família de sua mãe. A questão é que ela mal conhece a história da juventude de sua mãe, e consequentemente, não faz ideia sobre suas origens também. Quando chega na cidade em que sua matriarca nasceu, descobre um mundo de pessoas e parentes que praticamente a conhecem mais do que ela mesma.

É uma jornada de autoconhecimento, de descobertas e momentos difíceis que praticamente todos nós passamos na transição da adolescência para a vida adulta. E a autora apresenta personagens que são bem explorados do início ao fim: além da própria protagonista, a relação conturbada dela com o seu pai ganha destaque.

Léxico Familiar – Natalia Ginzburg

“Neste livro, lugares, fatos e pessoas são reais. Não inventei nada”, escreve Natalia Ginzburg sobre sua obra mais célebre, Léxico familiar, de 1963. Nos anos 1930, como consequência da criação de leis raciais na Europa, inúmeras famílias foram obrigadas a deixar seu lar, tornando-se apátridas ou sendo literalmente destroçadas pela guerra que se seguiu. É nesse cenário que se inscrevem as memórias de Ginzburg. Nelas, o vocabulário afetivo de um clã de judeus antifascistas se contrapõe a um mundo sombrio, atravessado pelo autoritarismo. Trata-se de uma história de resistência, narrada em tom menor, e, sobretudo, da gênese de uma das escritoras mais poderosas do nosso tempo.”

Esse é o único livro da lista que não é exatamente leve. Se você prefere embarcar em leituras que abordam temas de não-ficção, Léxico Familiar é um clássico publicado nos anos 60, que narra a realidade de uma família judia na Itália fascista. O grande trunfo é que sua autora, Natalia Ginzburg, ainda era jovem quando enfrentou a Segunda Guerra, por tanto, suas anotações e lembranças ainda trazem uma visão de quem, apesar de compreender tudo que acontecia, ainda era cercada por brigas triviais do ambiente familiar ou discussões com seus irmãos mais velhos.

A família Ginzburg era letrada, e o patriarca, Giuseppe Levi, foi professor universitário, anti-fascista e próximo de nomes que, posteriormente, se tornariam memoráveis na luta contra o fascismo, como o poeta Cesare Pavese. Todos estes frequentavam a casa da jovem Natalia, que desde pequena ouvia confrontos e opiniões políticas na sua mesa de jantar. Seus três irmãos e o pai foram presos durante o regime.

A leitura flui com passagens comuns de uma vida familiar, enquanto conhecemos cada membro, pela perspectiva da caçula. Com os anos, ela vai amadurecendo e sua visão sobre a Guerra se torna mais realista e crua, principalmente quando boa parte daqueles que são próximos dos Ginzburg acabam presos pelo fascismo.

Amor & Gelato – Jenna Evans Welch

“Um verão na Itália, uma antiga história de amor e um segredo de família. Depois da morte da mãe, Lina fica com a missão de realizar um último pedido: ir até a Itália para conhecer o pai. Do dia para a noite, ela se vê na famosa paisagem da Toscana, morando em uma casa localizada no mesmo terreno de um cemitério memorial de soldados americanos da Segunda Guerra Mundial, com um homem que nunca tinha ouvido falar. Apesar das belezas arquitetônicas, da história da cidade e das comidas maravilhosas, o que Lina mais quer é ir embora correndo dali. (…) Uma trajetória que fará Lina descobrir o amor, a si mesma e também aprender a lidar com a perda. Amor & gelato é uma deliciosa viagem pelos mais românticos pontos turísticos italianos, com direito a tudo de mais intenso que o lugar tem a oferecer: desde paixões até corações partidos.”

Livros que conseguem transportar o leitor para outros lugares são mágicos. E nesses tempos mais complicados, é isso que Amor & Gelato consegue fazer: assim como Anna E O Beijo Francês e outras histórias que se passam em grandes cidades como pano de fundo, Florença é a escolhida pela autora Jenna Evans Welch.

Lina é uma jovem de dezesseis anos que perdeu a mãe para o câncer a um semestre. O último pedido dela foi que a filha passasse uma temporada na Itália, mesmo lugar que ela morou quando cursou a faculdade de fotografia e viveu grandes experiências. Com um diário que sua mãe escreveu quando jovem, a protagonista percorre os mesmos lugares que ela passou, revisitando os detalhes e tentando descobrir mais sobre a juventude de sua própria mãe, enquanto convive pela primeira vez na vida com seu pai, Howard.

É uma história delicada, com alguns toques de melancolia, descobrimento e muito romance, seja da própria vida de Lina ou dos amores antigos que a mãe da personagem teve, e que ela precisa conhecer, para também poder descobrir a si mesma.

  1. Camila Faria Abr 19, 2020

    Oi Ana, que bom que você está conseguindo ler bastante nessa quarentena. O meu ritmo de leitura diminuiu um pouco, estou quase sem tempo livre e aí fica difícil encaixar uma leitura… mas estou conseguindo ler, aos pouquinhos. Das suas leituras, me interessei muito pelo Léxico Familiar, foi a trama que mais me fascinou. Um beijo querida ~ e fique bem! :*

  2. Bruna Abr 26, 2020

    Amor & Gelatoooo <3

    Beijo, Bru.
    maniadebruna.com.br

  3. Fernanda Abr 27, 2020

    Oi, Ana. Tudo bem? Já adicionei duas de suas indicações no meu GoodReads… A última, “Amor e Gelato”, já estava marcada lá como “quero ler”, então fiquei animada para ler também. Apesar de estar mais ligada em séries e filmes desde 2018, eu quero retomar o meu hábito de leitura e dar uma aquecida no meu coração… Adoro pegar essas indicações de livros leves, porque a leitura realmente flui de forma rápida e nos traz uma sensação gostosa quando você chega na última página… Beijos para você! <3

  4. Rafaela Ribeiro Mai 19, 2020

    Fiquei com vontade de ler Amor & Gelato ! Amo livros que me atraem pela capa! hahah 🙂 ?

Destaque

© 2020 ELAS DISSERAM // DESIGN @LUIZFROST // PROGRAMAÇÃO @SARASSILVA