• tumblr_ov74bamQis1s2uvgco1_1280
    Filmes, Música

    Gaga: Five Foot Two

    ver post
  • large-2
    Textos

    Paralisada

    ver post
  • large
    Viagens, Videos

    Vlogs legais de viagens

    ver post
  • 18033802_1425737924156032_8579091541036371031_n
    Música

    Bandas que vale a pena ouvir

    ver post
  • September 12, 2013
    postado por

    Dizemos adeus e partimos. Dali pra frente seria cada um para um lado, por si. Não carregaríamos mais um ao outro, não compartilharíamos mais nenhuma história, e tudo o que passamos ficaria no passado. Acontece que levamos um pedaço de todo relacionamento que temos, e do nosso peguei uma bagagem um tanto pesada.

    Levei um pouco de nós. De certos momentos que seriam uma pena jogar fora, então também coloquei na mala para quando tivesse coragem deixasse em algum lugar por aí. Trouxe comigo nossas músicas e juntamente nossa primeira dança. Foi impossível também esquecer nossos beijos… Foi só o que deu para levar de nós.

    Já de você, trouxe tudo. Não pude jogar nada fora, e confesso a parte mais difícil foi ter que guardar tudo, sabendo que carregaria algo que não poderia abrir mais tarde, a não ser para jogar fora depois.

    Levei comigo seu abraço que por muito me protegeu de inúmeros perigos. Seu toque que por sempre me trouxe a sensação de paz. Suas manias e seus gostos. Trouxe comigo a sua voz e o som da sua risada que possuíam o dom de me acalmar. O seu sorriso e seu olhar que por serem os mais sinceros me traziam a mais pura felicidade. Levei sua leveza e espontaneidade de encarar a vida.

    Levei comigo também seus conselhos que sempre me guiaram para o lado bom da vida. Suas palavras de conforto quando tudo estava desabando, para que lembrasse nos momentos ruins que sempre a um caminho a seguir. Coloquei na bagagem todo o seu encanto, para que às vezes eu recordasse todos os motivos que me fizeram ficar com você e a raiva de você não me dominasse. Tudo o que aprendi com a sua presença, também trouxe comigo.

    Não abandonei nada de você, porque sabia que ainda precisaria dessas coisas comigo que me fizeram e que me construíram. Não pude deixar parte da minha história para trás, porque elas se tornaram minhas partes. Talvez um dia eu me torne outro alguém, construído por outras partes e deixasse essas de uma vez por todas. Mas isso não é assunto para agora, seria mais para frente, quando eu estivesse acostumado com sua falta e finalmente não precisar mais dessa bagagem.

    Nada disso pesou tanto quanto a saudade e o amor que levei de você. Ah, esses dois não pude me separar, mesmo querendo. E eu queria! Mas foi impossível separar dessas duas bagagens que pesarão por uma longa caminhada. Eu fui e comigo levei a saudade da sua presença, da sua proteção, do seu carinho, do seu afago… Saudade de você! Você foi e me deixou seu amor e levei comigo, o seu e o meu.

    E à medida que perceber que não preciso de certas bagagens vou me desfazendo de cada uma delas, deixando pelo caminho até no final não ter mais nada de você, mas por enquanto: o que levei de você, foi você!

    August 25, 2013
    postado por

    Confessa rapaz, confessa que se arrependeu de ter a deixado ir e que agora você não sabe o que fazer a não ser procura-la em todo lugar. Na esquina da tua casa, nos cabelos castanhos escuros e curtos de outras mulheres que encontra por ai, no cheiro que não sai do seu nariz, em todas as músicas que escuta tem um pouco dela. Em cada lugar que vai encontra um pedaço dessa moça que você deixou escapar. Confessa rapaz que não está sendo fácil esquecê-la e que tudo o que faz, cada passo que dá, cada atitude que tem, cada movimento a lembrança dela vem a tona e te faz sentir remórcio por ter a deixado.

    E você continua na insistência de encontra-la mesmo sabendo que ela não vai a lugar nenhum onde procura, porque ela não frequenta esses lugares que você vai. Mas você não desiste e cada nova mulher que beija tentando esquecê-la, tem um pouco dela. Seja nas suas mãos procurando aquele cabelo macio ou no modo que cada uma te beija, porque não é como ela o beijava e talvez seja por isso que nunca fique com a mesma mulher, porque não encontrou ela naquele beijo ou naquela conversa.

    E você pode até se interessar por outra, achar outra bonita, mas não é ela. Nenhuma outra vai ter aquele sorriso que ela tinha. Nenhuma vai te fazer dormir tarde, e muito menos te fazer feliz como ela fazia. Você achava que deixando-a ia ser mais feliz, que estava fazendo certo, você escolheu a vida de um cafajeste, achando que teria mais vantagens nisso. Mas o que você não sabia era que ela permaneceria em você em todos os sentidos, em todos os teus pensamentos.

    Você foge para não lembrar, se esconde para não vê-la, mas tudo o que faz só trás mais lembranças e dor por ter deixado talvez a única mulher que amou.

    Mas rapaz, você não vai encontrar o toque dela, aquele beijo ninguém tem e não vai ser fácil encontrar uma mulher que esteja disposta a te amar como ela te amava, a cuidar de você, a te esperar como ela sempre esperou. Não adianta insistir rapaz, você não a encontrará em lugar nenhum, conforme-se com isso. A culpa foi toda sua, você fez essa escolha, então arque com as consequências, ou melhor viva com as lembranças.

    E você nunca irá esquecê-la ou encontra-la em outra mulher porque ela é única, rapaz e você sabe disso. Você sabe que ela é insubstituível.

    August 21, 2013
    postado por

    Não adianta. Nós brigamos, ficamos semanas sem se falar, mas ele sempre volta, ou eu. E quando voltamos é como se nunca tivéssemos partidos. Voltamos com uma saudade que nem dá para discutir o porquê brigamos da ultima vez. E ele vem com aquele papo que não vive sem mim e eu não vivo sem ele.

    A gente teve aquela época de ficar junto, mas no final descobrimos que somos mais amigos do que qualquer outra coisa. Somos bons em tudo mesmo, namorados, ficantes, enrolados, amigos, na cama. Vai ver é isso, somos tudo o que é possível. É inexplicável nossa relação, nem da para explicar esse amor que sentimos um pelo outro.

    Ele já me viu de todas as formas possíveis, me conhece de ponta cabeça e do avesso, e eu o desvendo como quero e como ele é. Nos conhecemos como ninguém. Somos aquele casal que as pessoas perguntam: “vocês são namorados ou amigos?” e respondemos que não sabemos e começamos a rir de tal pergunta. Mas no fundo sabemos a resposta é só medo de encarar a realidade e perder tudo o que já construímos.

    Não há incomodo no silencio. Falamos besteira mesmo e nos divertimos com nossos filmes idiotas. Temos um CD inteiro como trilha sonora. Já dançamos feito loucos juntos. Brigamos de novo, mas logo em seguida estamos nos declarando do nosso jeito. Ele é um babaca e eu uma idiota. Nos implicamos de toda forma, nos apelidamos com cada nome que não faz sentido algum.

    Ele diz das meninas que pegou e de qual achou mais gostosa e eu acho cômico o desprezo que ele sente por cada uma por saber que não é nenhuma delas a sua metade. Eu conto dos caras que vi e de alguns poucos que beijei e ele ri da minha cara de nojo e ao me ver confessar que nenhuma beijo me satisfaz. Nos olhamos e sabemos o porque de nenhum outro nos fazer feliz.

    Mantemos um tempo afastados, procurando outras pessoas, outras coisas, outros amores, outras aventuras, mas nenhuma é o suficiente, sempre falta algo que não sabemos o que é, ou sabemos, mas não queremos admitir pra nós mesmos. E voltamos de novo, nos preenchendo mais uma vez e cada um descobrindo o que faltava.

    Acontece que vivemos procurando nos outros o que vamos achar apenas em nós dois juntos. Porque mesmo que não queiramos assumir, mesmo que ele ou eu vá embora, sempre voltamos. Porque meu melhor amigo é meu primeiro e único amor e mesmo que o tempo passe, somos para sempre.

    Esse texto foi inspirado em um outro da autora Tati Bernardi. Você pode conferi-lo aqui.

    August 18, 2013
    postado por
    “E desde que eu te esqueci tá tão bom sem você, você ir fez tão bem por aqui, desde que eu te esqueci eu tô tão outro alguém, que eu nem sei porque que é que você não vem…” Clarice Falcão

    Um casal termina. E na semana anterior eles diziam que se amavam; e as milhões de fotos postadas na internet? E as declarações? Isso tudo não significou nada? E os passeios no cinema, as confissões, os desabafos, a aliança de namoro, os beijos inesquecíveis? Sumiu. Não existe mais em um passe de mágica. E agora, cada um vira para um lado, segue a sua vida e posta frases de superação no Facebook ou posta no Twitter que está indo para a balada. Achou que essa situação descrita não era novidade alguma? Pois é assim que as pessoas se comportam no século 21 e a gente sabe disso.

    Percebi que hoje em dia nada significa grande coisa. Gostar não quer dizer que você realmente quer alguém ao seu lado; e sim que a acha bonita, gosta da aparência dela e está a fim. Estar apaixonado também não. Você pode mudar de opinião daqui a quinze dias e na próxima festa já “se apaixonar” novamente por outra pessoa. E namorar então? Não, só porque você namora alguém não quer dizer que você ama essa pessoa. Os sentimentos são rápidos. Eles chegam sem percebermos e também vão embora em um estalar de dedos.

    E aí, coitado da pessoa que acabou se apaixonando por aquele garoto que mandou uma declaração fofa pelo Facebook. Acredite, ele pode estar ficando com outra garota no exato momento (e não é invenção minha, tá? Já aconteceu com amigas minhas!). Agora, desde quando as pessoas terminam e passam a não sentir mais nada? É sobre isso que trata uma das músicas mais famosas da Clarice Falcão: “Eu Esqueci Você.” Sobre essa pressa para deixar de lado, jogar tudo para o alto, fingir que está feliz e baladeiro agora que o relacionamento acabou.

    Chega a ser engraçado quando alguém termina o namoro e umas semanas depois diz que seu coração já está ganho novamente, que ele vai é ir se divertir e voltar para casa as seis da manhã. Sabe o que é isso? Uma máscara para fingir que as coisas estão normais. Que a pessoa não está decepcionada ou machucada. E se não existir máscara nenhuma, se ela quiser mesmo é se embebedar e ficar com o primeiro desconhecido que cruzar o seu caminho, então me desculpa, mas nunca existiu amor. Nunca existiu nem um carinho mais especial.

    Não deixa-se de amar alguém de uma hora para outra. Acreditem em mim, isso não existe. Se o teu namorado terminou contigo e uma semana depois estava tudo normal, tranquilo, ok, nada complicado… então é por quê, amigo, você nunca realmente se importou tanto assim com aquele relacionamento. Veja bem: gostar ou ter atração física é uma coisa. Gostar do beijo e do abraço, por exemplo. Mas amar mesmo, com tudo, com vontade, com dedicação e o sentimento de que sem aquela pessoa você ia perder uma parte muito feliz da sua vida, é totalmente diferente. Não confundam as coisas!

    É tão ridículo alguém terminar todo um relacionamento de meses, ou até anos, e passar a se fazer de bem resolvido. Não faça isso consigo mesmo. Os nossos sentimentos devem ser valorizados e não existe uma regra que diz que somos obrigados a superar alguém em uma semana. Respeite a si mesmo, sabe? Você pode superar alguém em dois meses, três, levar um ano. Até dois. Ou mais. E dai? Quem sente isso é você. Quem ama, é você. O coração que agora tenta se recuperar é seu e não dos outros. E ninguém tem nada a ver com isso.

    É por isso que eu não me jogo em um relacionamento. Tenho pavor de gente que finge as coisas, que ama num dia, odeia no outro. Ui. Não quero nem passar por isso. Até porque, pra amar, tem que ter coragem e disponibilidade de tempo livre para se dedicar alguém. Pareço até uma chata falando isso, mas amar dá um trabalho e eu não ando disposta a me esforçar muito por isso, não. Mas se você ama, se você está solteiro, ou namorando… quando a sua vida tomar um rumo inesperado, não precisa fingir nada. Só assuma o que sente. Só isso.

    August 12, 2013
    postado por

    Eu não sou mais sua. Não tem mais essa de que sou só eu e pronto! Que sou única e não haverá nenhuma outra mais. Grande mentira essa! Escapei pelas suas mãos e me tornei apenas minha, não te pertenço mais. Não existe mais essa de que faço parte de você.

    Não há mais nada de mim em você, nenhum pedaço, nenhum perfume, nenhum sorriso, nenhuma lembrança, nenhuma marca e muito menos nenhuma lagrima. Minha presença não esta mais em você e a verdade é que me retirei de um dia para o outro, sem chances de pensar mais sobre.

    Não sou mais sua. E não há nenhum vestígio em você de que um dia te pertenci, não há nenhuma marca de que um dia estive ai, com você. Não há mais nada em você que me lembre, que me traga de volta.

    Eu fui embora e não restou nada de mim, você nem ao menos fez questão de tentar me manter, a verdade é que você mesmo me retirou, sem chances para despedidas ou pedidos para eu ficar. Tirou-me bruscamente, como se eu fosse um bandaid que incomoda. Não fez questão de que eu fosse sua.

    Eu não sou mais sua e isso não te perturba. Nunca mais poderá colocar o adjetivo “minha” antes dos substantivos: pequena, morena, vida, alma… Eu não sou mais nenhum desses substantivos seus que antes me caracterizavam. Eu não te pertenço mais e isso não lhe trás nenhuma falta.

    Eu não te pertenço mais e encarei como uma oportunidade para ir embora de uma vez, sem voltar atrás, sem culpa e sem peso na consciência. Estou indo em frente sem te pertencer, sem te levar comigo. Mas ao mesmo tempo em que me trás uma sensação boa, me trás uma tristeza danada. Porque não sendo mais sua, você também não é mais meu.

    Mais a verdade é que: não somos mais um do outro!

    subir
    elas disseram TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © 2017 // DESIGN POR SARA SILVA