• space love xx Scott Brian Madeiras
    Amor, Reflexão

    Antítese

    ver post
  • 71e0db6e93ee0415f7c0c0cb28e2027c
    Looks, Moda

    Looks para o verão

    ver post
  • imagem.aspx
    Livros

    Livro: A Quimica Que Há Entre Nós

    ver post
  • 004
    Playlist

    Playlist: Novembro

    ver post
  • August 18, 2013
    postado por
    “E desde que eu te esqueci tá tão bom sem você, você ir fez tão bem por aqui, desde que eu te esqueci eu tô tão outro alguém, que eu nem sei porque que é que você não vem…” Clarice Falcão

    Um casal termina. E na semana anterior eles diziam que se amavam; e as milhões de fotos postadas na internet? E as declarações? Isso tudo não significou nada? E os passeios no cinema, as confissões, os desabafos, a aliança de namoro, os beijos inesquecíveis? Sumiu. Não existe mais em um passe de mágica. E agora, cada um vira para um lado, segue a sua vida e posta frases de superação no Facebook ou posta no Twitter que está indo para a balada. Achou que essa situação descrita não era novidade alguma? Pois é assim que as pessoas se comportam no século 21 e a gente sabe disso.

    Percebi que hoje em dia nada significa grande coisa. Gostar não quer dizer que você realmente quer alguém ao seu lado; e sim que a acha bonita, gosta da aparência dela e está a fim. Estar apaixonado também não. Você pode mudar de opinião daqui a quinze dias e na próxima festa já “se apaixonar” novamente por outra pessoa. E namorar então? Não, só porque você namora alguém não quer dizer que você ama essa pessoa. Os sentimentos são rápidos. Eles chegam sem percebermos e também vão embora em um estalar de dedos.

    E aí, coitado da pessoa que acabou se apaixonando por aquele garoto que mandou uma declaração fofa pelo Facebook. Acredite, ele pode estar ficando com outra garota no exato momento (e não é invenção minha, tá? Já aconteceu com amigas minhas!). Agora, desde quando as pessoas terminam e passam a não sentir mais nada? É sobre isso que trata uma das músicas mais famosas da Clarice Falcão: “Eu Esqueci Você.” Sobre essa pressa para deixar de lado, jogar tudo para o alto, fingir que está feliz e baladeiro agora que o relacionamento acabou.

    Chega a ser engraçado quando alguém termina o namoro e umas semanas depois diz que seu coração já está ganho novamente, que ele vai é ir se divertir e voltar para casa as seis da manhã. Sabe o que é isso? Uma máscara para fingir que as coisas estão normais. Que a pessoa não está decepcionada ou machucada. E se não existir máscara nenhuma, se ela quiser mesmo é se embebedar e ficar com o primeiro desconhecido que cruzar o seu caminho, então me desculpa, mas nunca existiu amor. Nunca existiu nem um carinho mais especial.

    Não deixa-se de amar alguém de uma hora para outra. Acreditem em mim, isso não existe. Se o teu namorado terminou contigo e uma semana depois estava tudo normal, tranquilo, ok, nada complicado… então é por quê, amigo, você nunca realmente se importou tanto assim com aquele relacionamento. Veja bem: gostar ou ter atração física é uma coisa. Gostar do beijo e do abraço, por exemplo. Mas amar mesmo, com tudo, com vontade, com dedicação e o sentimento de que sem aquela pessoa você ia perder uma parte muito feliz da sua vida, é totalmente diferente. Não confundam as coisas!

    É tão ridículo alguém terminar todo um relacionamento de meses, ou até anos, e passar a se fazer de bem resolvido. Não faça isso consigo mesmo. Os nossos sentimentos devem ser valorizados e não existe uma regra que diz que somos obrigados a superar alguém em uma semana. Respeite a si mesmo, sabe? Você pode superar alguém em dois meses, três, levar um ano. Até dois. Ou mais. E dai? Quem sente isso é você. Quem ama, é você. O coração que agora tenta se recuperar é seu e não dos outros. E ninguém tem nada a ver com isso.

    É por isso que eu não me jogo em um relacionamento. Tenho pavor de gente que finge as coisas, que ama num dia, odeia no outro. Ui. Não quero nem passar por isso. Até porque, pra amar, tem que ter coragem e disponibilidade de tempo livre para se dedicar alguém. Pareço até uma chata falando isso, mas amar dá um trabalho e eu não ando disposta a me esforçar muito por isso, não. Mas se você ama, se você está solteiro, ou namorando… quando a sua vida tomar um rumo inesperado, não precisa fingir nada. Só assuma o que sente. Só isso.

    August 12, 2013
    postado por

    Eu não sou mais sua. Não tem mais essa de que sou só eu e pronto! Que sou única e não haverá nenhuma outra mais. Grande mentira essa! Escapei pelas suas mãos e me tornei apenas minha, não te pertenço mais. Não existe mais essa de que faço parte de você.

    Não há mais nada de mim em você, nenhum pedaço, nenhum perfume, nenhum sorriso, nenhuma lembrança, nenhuma marca e muito menos nenhuma lagrima. Minha presença não esta mais em você e a verdade é que me retirei de um dia para o outro, sem chances de pensar mais sobre.

    Não sou mais sua. E não há nenhum vestígio em você de que um dia te pertenci, não há nenhuma marca de que um dia estive ai, com você. Não há mais nada em você que me lembre, que me traga de volta.

    Eu fui embora e não restou nada de mim, você nem ao menos fez questão de tentar me manter, a verdade é que você mesmo me retirou, sem chances para despedidas ou pedidos para eu ficar. Tirou-me bruscamente, como se eu fosse um bandaid que incomoda. Não fez questão de que eu fosse sua.

    Eu não sou mais sua e isso não te perturba. Nunca mais poderá colocar o adjetivo “minha” antes dos substantivos: pequena, morena, vida, alma… Eu não sou mais nenhum desses substantivos seus que antes me caracterizavam. Eu não te pertenço mais e isso não lhe trás nenhuma falta.

    Eu não te pertenço mais e encarei como uma oportunidade para ir embora de uma vez, sem voltar atrás, sem culpa e sem peso na consciência. Estou indo em frente sem te pertencer, sem te levar comigo. Mas ao mesmo tempo em que me trás uma sensação boa, me trás uma tristeza danada. Porque não sendo mais sua, você também não é mais meu.

    Mais a verdade é que: não somos mais um do outro!

    August 6, 2013
    postado por

    Olha só que engraçado: acho mais bonito a história de amar do que o amor em si. Talvez isso seja uma coisa estranha, ou que tenha saído da mente de uma adolescente que ainda não sabe nada sobre experiências amorosas e só o que tenha na mente sobre isso tenha sido extraído de livros, músicas ou filmes românticos. Ou quem sabe, da minha própria vida talvez? A verdade é que amor, paixão e namoro hoje em dia são coisas supérfluas demais. Juro que não engulo essa história de gostar em apenas sete dias da semana, amar por um sábado a noite e no dia depois, esquecer tudo, fingir que as coisas não existiram.

    Mas em pleno século 21 as pessoas tem a maior facilidade do mundo em fazer isso. Os sentimentos são rápidos. Chegam do nada, encontram o êxtase assim sem querer e também desaparecem rapidamente, num piscar de olhos. Você se apaixonou? Então sugiro sair correndo. Porque para a outra pessoa, em 90% dos casos, foi apenas uma aventura semanal (e olhe lá, se durar mais do que alguns dias, você tem sorte!).

    Acho mais bonito e mais simples versos que falam sobre se apaixonar, músicas que embalam romances, livros que contam poesias, do que essa história de beijar-na-balada-pronto-tchau. Sério que vocês não cansam? Não tem coisa mais boba, mais vazia, mais sem sentido, do que sair ficando com todo mundo por ai. Sinceramente, acho uma coisa muito sem graça.

    É por isso que digo que o sentimento, às vezes, é mais interessante, é mais legal do que o próprio amor fisicamente falando. O que você sente, as pernas tremendo, as mãos suando, o coração batendo como nunca – muito rápido – valha mais a pena do que esse aperto de mãos frouxo ou essas palavras bonitas feitas pelo Facebook. Não, eu não acredito muito em declaração inspiradas na Clarice Lispector (feitas por alguém que nunca leu o livro dela). Prefiro ver atitudes, ver nos olhos da pessoa. Aliás, olhos nunca mentem.

    Só mentem quando você está abobado ou apaixonado demais e absolutamente tudo que a pessoa faz te convence, seja aquelas atitudes idiotas ou a expressão sem nenhum sorriso dela, que você leva como timidez, que por sua vez, justificam a falta de atitude (eu mesma adoro essa desculpa).

    Eu confesso que tenho um pavor enorme de pessoas vazias. Tenho muito, mas muito medo, de um dia me apaixonar por um cara que não tenha nada na cabeça, que tenha um rostinho bonito e ah, as mulheres sabem como é fácil se levar por olhos azuis incríveis ou aquele sorrisinho que te convence de qualquer coisa. Mas eu não ia aguentar muito tempo. Costumo dizer que antes de gostar de alguém, é preciso conhecê-la, e me contrariam. Mas e ai, responde sinceramente pra mim: como você pode se apaixonar sem conhecer? “Ai, nossa, sou apaixonada pelo cabelo dele e pelos olhos azuis.” Tá bom, pode até ser. Mas então você gosta do físico da pessoa. E deixa eu te avisar que amor é bem, mais beeeem mais do que isso.

    Já perdi as contas de quantas vezes eu ouvi que não vai aparecer um príncipe em um cavalo branco do nada na minha vida. Mas quem disse que eu quero um príncipe? Quem disse que eu quero uma pessoa perfeita? Só quero alguém que tenha um pouco de mínima noção de que nem tudo no mundo se resume em praticidade, em beijinhos rápidos e frases de superação no dia seguinte.

    O que eu procuro mesmo é alguém que seja legal, e no fundo, compreenda, só um pouco, que as coisas da vida não se resumem em paixões passageiras demais. E que, por favor, tenha mais que um rosto muito bonito para oferecer. É pedir demais? Me desculpa se sou exigente, ué!

    August 5, 2013
    postado por

    Sabe aquele casal de amigos que você acha fofo? Ou aqueles outros que você sempre vê de mão dadas na rua e também acha super bonitinho? Pois são desses que eu estou falando hoje. Acho engraçado como todo mundo sempre enxerga um erro, um problema, um defeito, naquelas duas pessoas que se gostam. Sempre tem que ter a mesma idade, uma aparência semelhante, frequentar os mesmos lugares… mas e se eles forem diferentes? E se não tiverem nada a ver um com o outro? Acontece, e muito mais do que nós imaginamos. Aquela velha história dos opostos se atraírem pode realmente acontecer em alguns momentos.

    E o ponto é que não devemos querer atrapalhar o relacionamento de ninguém. Todo mundo tem aquela curiosidade sobre o que está rolando na vida de um casal, o que eles estão pensando, se brigaram ou não, e quando colocam um ponto final no relacionamento, e o povo todo dando pitaco e dizendo a sua opinião. Parece que nos sentimos no direito de invadir a privacidade de duas pessoas; o que elas fazem ou deixam de fazer não é da nossa conta.

    Já percebi que pessoas que propagam muito o seu relacionamento na internet dificilmente se gostam tanto assim. Declarações o tempo todo, um milhão de fotos por dia ou hashtags pra provar o seu amor não adiantam nada. Sabe porquê? Já conheci vários exemplos de que no final, essas pessoas terminaram e agora se odeiam. Então, você não precisa provar nada para o mundo, para o colega, o melhor amigo. E sim para o seu parceiro, no caso, o seu namorado (a).

    Status no Facebook não é obrigatório, declarações gigantes ou 5 fotos no instagram por dia também não. Quando nos expomos desse jeito, os outros sentem o direito de invadir a nossa vida.  E nenhum casal precisa disso. Eu acho legal e bonito quando eles se gostam de verdade e não precisam mostrar isso para ninguém, e aposto que ter várias pessoas dizendo se gostam ou não do seu relacionamento (quando quem tem que gostar de verdade é você) não deve ser fácil.

    Então, que tal a gente deixar os casais sozinhos? Decidirem tudo entre eles e sem mais ninguém metido no meio? Aprendi que em briga de casal – definitivamente – não se mete a colher e que o relacionamento de cada um é exclusivamente deles.

    Casais felizes na minha opinião não compartilham tudo com todo mundo. E também tem seu próprio tempo, o seu espaço. Quando terminam (o que um dia pode acabar acontecendo) ninguém fica tão surpreso pois não acompanhava 24 horas a rotina dessas duas pessoas, o que é uma coisa que a internet possibilita.

    Por isso, pra mim, as pessoas deveriam sair um pouco mais das redes sociais ou pelo menos cuidar do seu relacionamento, e não do dos outros. Não podemos escolher namorado pra ninguém ou opinar o tempo inteiro. Afinal, amor não se escolhe! Apenas acontece.

    July 30, 2013
    postado por

    A única coisa que sentia era dor, dor e raiva. Nada mais passava por minha cabeça além daquelas palavras que perfuraram meu coração de tal maneira que não achava possível. Todas as coisas que criamos foram jogadas fora por causa de um sms. Essa não foi a primeira e tenho certeza que não será a ultima despedida, mas é uma despedida e dói. Porque eu sei que agora as coisas mudam para valer. Tantas coisas foram perdoadas, deixadas para trás, todas as magoas foram esquecidas por um tempo. Mas esse erro não pode ficar para trás, não pode ser perdoado facilmente e trás a tona todos os outros que foram esquecidos.

    Trás outras dores que se misturam com essa e rasgam meu coração, o destrói em pedações. E aquela esperança de que podíamos dar outra chance, de que podíamos recomeçar, aquele sentimento de bem estar foi arrancado de nós. É como passar do verão para o invejo de um dia para o outro, sem preparo, sem agasalhos. Você me trouxe o frio mais rigoroso que eu podia enfrentar e não tenho previsão de quando o sol voltará a fazer parte dos meus dias.

    Aquela mensagem que confirmava o que eu tinha medo não me abandona. Excluí-la não seria o suficiente, porque mesmo depois de ser jogada na lixeira eletrônica, meu coração não possui uma lixeira para eu jogar todos os sentimentos ruins fora. Confesso que o único remédio que me serviria agora seria uma boa dose de amnésia. Isso sim resolveria todos os meus problemas e assim poria esquecer todo o mal que você me causou.

    A verdade é que agora, por mais que eu tente não consigo recordar as boas coisas que me trouxe, todas elas foram tapadas pelas inúmeras mancadas que me fez passar, por toda a dor que me trouxe. O que restou de todo aquele amor teu eu não sei, e mesmo que diga que ainda está ai, não acredito mais. O meu está aqui e isso não posso esconder de ninguém porque está em cada movimento que faço. O problema é que ele foi afogado pela maré de dores e sofrimentos que passei.

    Depois dessa, será difícil recuperar, recomeçar. Difícil, não impossível. Preciso me reorganizar, colocar de lado toda essa história confusa que tivemos. Virar a página, ou melhor começar outro capítulo, até mesmo outro livro. É uma pena que todo aquele sentimento belo tenha se transformado em pedidos de socorros. Que aquele “fica, não vai embora!” tenha sido substituído por: “vai e não volta mais!”. Mas é isso que tem de ser feito, mandar você embora para longe de mim. Tirar todo o mal que me causa dor e começarei por você.

    Então: Vai embora e não volta mais.

    subir
    elas disseram TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © 2017 // DESIGN POR SARA SILVA