Meu melhor amigo é meu único amor
21/08/2013 | Categoria: Amizade, Amor, Escrita, Textos

Não adianta. Nós brigamos, ficamos semanas sem se falar, mas ele sempre volta, ou eu. E quando voltamos é como se nunca tivéssemos partidos. Voltamos com uma saudade que nem dá para discutir o porquê brigamos da ultima vez. E ele vem com aquele papo que não vive sem mim e eu não vivo sem ele.

A gente teve aquela época de ficar junto, mas no final descobrimos que somos mais amigos do que qualquer outra coisa. Somos bons em tudo mesmo, namorados, ficantes, enrolados, amigos, na cama. Vai ver é isso, somos tudo o que é possível. É inexplicável nossa relação, nem da para explicar esse amor que sentimos um pelo outro.

Ele já me viu de todas as formas possíveis, me conhece de ponta cabeça e do avesso, e eu o desvendo como quero e como ele é. Nos conhecemos como ninguém. Somos aquele casal que as pessoas perguntam: “vocês são namorados ou amigos?” e respondemos que não sabemos e começamos a rir de tal pergunta. Mas no fundo sabemos a resposta é só medo de encarar a realidade e perder tudo o que já construímos.

Não há incomodo no silencio. Falamos besteira mesmo e nos divertimos com nossos filmes idiotas. Temos um CD inteiro como trilha sonora. Já dançamos feito loucos juntos. Brigamos de novo, mas logo em seguida estamos nos declarando do nosso jeito. Ele é um babaca e eu uma idiota. Nos implicamos de toda forma, nos apelidamos com cada nome que não faz sentido algum.

Ele diz das meninas que pegou e de qual achou mais gostosa e eu acho cômico o desprezo que ele sente por cada uma por saber que não é nenhuma delas a sua metade. Eu conto dos caras que vi e de alguns poucos que beijei e ele ri da minha cara de nojo e ao me ver confessar que nenhuma beijo me satisfaz. Nos olhamos e sabemos o porque de nenhum outro nos fazer feliz.

Mantemos um tempo afastados, procurando outras pessoas, outras coisas, outros amores, outras aventuras, mas nenhuma é o suficiente, sempre falta algo que não sabemos o que é, ou sabemos, mas não queremos admitir pra nós mesmos. E voltamos de novo, nos preenchendo mais uma vez e cada um descobrindo o que faltava.

Acontece que vivemos procurando nos outros o que vamos achar apenas em nós dois juntos. Porque mesmo que não queiramos assumir, mesmo que ele ou eu vá embora, sempre voltamos. Porque meu melhor amigo é meu primeiro e único amor e mesmo que o tempo passe, somos para sempre.

Esse texto foi inspirado em um outro da autora Tati Bernardi. Você pode conferi-lo aqui.


Sobre rotular pessoas
16/08/2013 | Categoria: Comportamento, Escrita, Reflexão, Textos

Que a sociedade é muito critica e nunca está satisfeita com o que você faz é fato. Estamos rodeados de pessoas que nos criticam o tempo todo, seja de forma positiva ou negativa que é a maioria dos casos. As pessoas apontam o dedo a você e te diz coisas sobre o que você não é apenas pela imagem que você passou no primeiro encontro.

Pior que isso, é surgir fofocas sobre você que não tem nada a ver. Somos o tempo todo tachados pela aparência que causamos. Parece que as pessoas tem o prazer de nos “criar” apenas pelos que elas acham de nós e poxa, isso é muito irritante.

Vivemos numa sociedade de rótulos, onde uma pessoa que usa tatuagem é conhecida como moleque, e muitas vezes são excluídas por simplesmente fazer algo que gosta. Onde meninas que usam shorts curtos não passam de piriguetes. Onde quase ninguém aceita um homossexual e que as pessoas nem sequer mascaram o preconceito.

Já parou para pensar que cada pessoa é rotulada de um jeito e que muitas vezes esse rótulo que as pessoas colocaram, não tem nada a ver com o que realmente ela é? Que aquela menina que usa short curto pode ser uma menina que sonha em encontrar alguém para ter ao seu lado, que aquela pessoa de tatuagem pode ter muito mais caráter do que aquela que não tem, que aquele gordinho pode sofrer de algo que o fez ficar daquele jeito? Enfim, cada um tem um motivo para ser o que é!

A sociedade nunca está satisfeita com nada, uns querem que você aja de um jeito, outros querem de outra forma, imagina se formos agradar a todos? O que seriamos afinal? Sem duvida alguma, qualquer mistura ridícula e não a nós mesmos verdadeiramente.

Pessoas são muito mais que aparências e para conhecermos umas as outras com todas as suas características e personalidades precisaríamos mais do que uma vida. Cada um é cada um, com seu jeito de ser, de se expressar. Então vamos fazer nossa parte e começar a conhecer as pessoas antes de julgá-las? Afinal, rotular pessoas já está fora de moda, só falta as pessoas começarem a perceber isso.


Caixa postal
13/08/2013 | Categoria: Conto, Escrita, Textos

Peguei meu celular para ver as horas, apertei qualquer tecla e vi aquele ícone da caixa postal no canto superior da tela. Odiava aquele ícone, me incomodava, era como se tivesse aversão por ele, odiava mais ainda ter que gastar meus créditos para ouvir uma mensagem – que na maioria das vezes não passava de chiados de uma ligação não desligada. Resolvi por fim, discar o numero para ouvir a tal mensagem e tirar de uma vez aquele símbolo incomodo.

Ah, oi! Se lembra de mim? Sou eu, o primeiro e único, como eu costumava dizer. Lembrou agora? Parece estupido eu estar aqui, mas a saudade bateu mais forte que o orgulho. Sei que tem muito tempo que não nos falamos e a culpa é minha, mas sabe me deu uma vontade danada de falar com você para lhe dizer umas verdades que só percebi há algum tempo. No fundo você sempre esteve certa: eu ia me arrepender. E estou aqui para confessar meu arrependimento. Me gabei por muito tempo quando terminamos, achava que estava feliz sem você, me diverti, fiquei com varias, ia onde queria, fazia o que queria e voltava quando desejava, sem compromisso e achava que tinha a liberdade. Mas tudo foi perdendo a graça à medida que o tempo ia passando. No final de tudo, eu não tinha para quem ligar, não tinha um ombro amigo quando precisasse alguém para me cuidar, para estar ao meu lado sempre. Faltava algo e por fim percebi que faltava você. Ultimamente tudo me lembra de você, todas as musicas, todos os textos e frases que vejo. Tudo tem você. Andei olhando fotos suas e vejo o quanto está bem, parece que realmente me esqueceu como eu pedi um dia. Me desculpa por todas as lagrimas e magoas, por toda dor que te causei…Bom é isso, espero que esteja bem, mesmo que não aconteça, estarei esperando sua ligação.

As lagrimas caiam dos meus olhos e aquela sensação que achava que nunca mais ia sentir, estava ali, lembrava perfeitamente daquela voz. No fundo queria retornar sua ligação, matar a saudade, marcar um encontro e começar novamente. Mas deixei que passasse, não iria permitir que acontecessem as mesmas coisas. Ficou para trás.


Eu não sou mais sua
12/08/2013 | Categoria: Amor, Escrita, Textos

Eu não sou mais sua. Não tem mais essa de que sou só eu e pronto! Que sou única e não haverá nenhuma outra mais. Grande mentira essa! Escapei pelas suas mãos e me tornei apenas minha, não te pertenço mais. Não existe mais essa de que faço parte de você.

Não há mais nada de mim em você, nenhum pedaço, nenhum perfume, nenhum sorriso, nenhuma lembrança, nenhuma marca e muito menos nenhuma lagrima. Minha presença não esta mais em você e a verdade é que me retirei de um dia para o outro, sem chances de pensar mais sobre.

Não sou mais sua. E não há nenhum vestígio em você de que um dia te pertenci, não há nenhuma marca de que um dia estive ai, com você. Não há mais nada em você que me lembre, que me traga de volta.

Eu fui embora e não restou nada de mim, você nem ao menos fez questão de tentar me manter, a verdade é que você mesmo me retirou, sem chances para despedidas ou pedidos para eu ficar. Tirou-me bruscamente, como se eu fosse um bandaid que incomoda. Não fez questão de que eu fosse sua.

Eu não sou mais sua e isso não te perturba. Nunca mais poderá colocar o adjetivo “minha” antes dos substantivos: pequena, morena, vida, alma… Eu não sou mais nenhum desses substantivos seus que antes me caracterizavam. Eu não te pertenço mais e isso não lhe trás nenhuma falta.

Eu não te pertenço mais e encarei como uma oportunidade para ir embora de uma vez, sem voltar atrás, sem culpa e sem peso na consciência. Estou indo em frente sem te pertencer, sem te levar comigo. Mas ao mesmo tempo em que me trás uma sensação boa, me trás uma tristeza danada. Porque não sendo mais sua, você também não é mais meu.

Mais a verdade é que: não somos mais um do outro!


Cuida dele
15/07/2013 | Categoria: Amor, Escrita, Saudades, Textos

(Leia ouvindo a música)

Ô moça faz o favor de não o deixar ir embora quando entrar na sua vida. É que ele é aquele tipo de rapaz que faz falta na vida da gente quando parte, ainda mais de repente. Acredite em mim, você não iria querer isso: sentir falta. A gente se acostuma fácil com a companhia dele e fica um vazio, uma sensação de que falta algo quando não a temos. Não se preocupe moça, ele vai ficar se você souber ganhar ele. Diz para ele que eu aprendi a apreciar um pouco aquela musica sertaneja, porem ainda estranho o ritmo, mas sei reconhecer algumas belas palavras naquele som.

Ele já te contou que tem rotinas no domingo? Ele ama pedalar de manha com seus companheiros, ver lugares novos, isso o faz esquecer os problemas por um tempo. E quando ele chegar trate de fazer perguntas de como foi o passeio e se interesse por cada coisa que ele falar sobre sua manha aventureira. Ele vai voltar cansado, mas não vai admitir e se gostar mesmo da sua companhia, irá almoçar com você e passar o resto do domingo na sua casa ou na dele. E vocês assistirão filmes deitados no sofá da sala.

Mas cuida dele moça, assim como alguém cuida de uma criança, porque no fundo ele é assim, e você perceberá isso quando o ver der uma gargalhada de algo bobo que você fez, ele vai rir tanto que vai perder o folego, vê como ele bate na perna quando não é o suficiente o riso? É a mania que ele tem, faz isso todas as vezes que está se divertindo com algo. Ele está exagerando no ketchup né? Briga com ele moça, esconde os saquinhos dele. Ele tem gastrite e logo, logo vai passar mal com tanta porcaria, e não se esquece dos refrigerantes.

Vocês vão passar o dia inteiro trocando sms, mesmo quando ele estiver no trabalho, e não fique com raiva se ele dormir sem despedir de você, te deixar falando sozinha, ele tem essa mania, porque não quer deixar de conversar com você, por isso luta contra o sono, mas ele acaba vencendo. E não se preocupe a primeira coisa que ele fizer quando acordar no outro dia é te mandar uma mensagem de desculpas e fazer você sorrir logo de manha. Ele irá te chamar de feia, quando ele fizer isso o chame de idiota e logo ele te chamara de linda. É que ele gosta de brincar com esses jogos de palavras, que descrevam o que um sente pelo outro, só para no final vocês terminarem dizendo que ama um ao outro.

Mas cuida bem dele moça, faz dele o homem mais feliz desse mundo. Ele vai te passar ciúmes, vai olhar para outra menina com cara de lerdo só para você brigar com ele depois, é que ele ama implicar quem ele ama e acha a coisa mais linda quando uma mulher que ele gosta fica brava, ele acha fofo e sexy ao mesmo tempo. Mas não pergunte demais, não exagere nos ciúmes e nas brigas, ele não gosta de se sentir preso, sufocado e ele pode te deixar se você o sufocar depois e não seria uma boa ideia ficar sem ele. Moça, ele vai precisar de um tempo só para ele, então conceda isso a ele e não o perturbe quando estiver pensando, ele acaba tomando decisões precipitadas.

Mas conta para ele moça que achei um jeito de ficar bem, muito obrigada. Que estou criando coragem para começar aquele livro que disse que escreveria, só estou me organizando por dentro para ele não sair uma bagunça, mas um dia ele sai e o entregarei nas mãos dele como prometi. Diz para ele que ainda consigo ter algumas noticias da vida dele e que torço aqui de pertinho, mas longe para cada conquista sua. Diz também que estou feliz por vocês, mas que no fundo gostaria que fosse eu no seu lugar moça. Conta que guardei esse sentimento numa caixinha exclusiva, mas nunca a esquecerei.

Ô moça, cuida dele para mim, como cuidei e como qualquer pessoa cuidaria de um presente insubstituível.


Brincando de Marionetes
03/07/2013 | Categoria: Escrita, Textos

Descasos com a leitura são comuns, ouvir pessoas dizerem que ler é tedioso também. Em muitos casos a leitura é desprezada. O que nos traz a ideia de que a sociedade só enxerga aquilo que esta a sua frente, como se estivessem usando cabrestos para tapar a visão a sua volta. Mas o que houve para que tal desprezo viesse à tona?

Precisamos assumir que um dos inúmeros fatores que gera desinteresse com a leitura é sem sombra de dúvidas o avanço da tecnologia, para especificar, a causa mesmo é a internet. Em apenas alguns cliques fazemos várias coisas que despertam nosso interesse. Será que uma pessoa adquire senso crítico apenas navegando na internet? A resposta é bem clara e conseguimos responde-la com apenas alguns argumentos.

A leitura nos proporciona liberdade, sede por um mundo melhor, querer construir a melhoria que nos falta, e faz crescer a vontade de construir uma ponte sobre o abismo da ignorância.

A falta de vontade de ler entre as pessoas é tão grande que se continuarmos nesse ritmo, em vez de formamos pessoas com senso crítico, formaremos pessoas alienadas, que acreditarão em qualquer argumento vindo de qualquer pessoa e pior passará este a frente. Formaremos pessoas ignorantes que serão usadas pelos que possuem poder.

Estamos construindo analfabetos funcionais, analfabetos políticos, que não se preocupam com o que está acontecendo ao seu redor, que não conseguem argumentar sobre assuntos que necessitam ser discutidos para que haja iniciativa na construção de um futuro melhor.

Assim, pessoas que precisam de outras para chegarem ao poder como os políticos e outros que usaram a leitura para formar uma boa lábia, brincarão de marionetes com aqueles que por desinteresse a leitura se tornaram bonecos alienados e conseguiram papeis principais no grande espetáculo de brinquedos de madeira que estão sendo controlados pelos corruptos do poder.

Portanto, não ache que leitura é tedioso, pelo contrário, além de nos levar ao mundo mágico, te auxilia a abrir os olhos, ganhar vida e ajudar a se desprender dos fios que te alienam.


Manias
11/06/2013 | Categoria: Amor, Escrita, Textos

E enquanto você dorme eu fico deitada pensando. De todas as suas manias eu resolvi pegar a insonia, na verdade trocamos de lugar, agora você dorme cedo para garantir seu sustento, enquanto eu fico deitada procurando o sono, mas só acho você, e em meio o escuro e silencio consigo ver todos os lugares da qual estivemos juntos e ouvir sua voz.

É cômico perceber que sempre quando penso em nós o que lembro mesmo é de todas as vezes que quase transamos, logo eu que não me agradava com esse tipo de pensamento, mas sua mania não me escapou. Depois de você, percebi que esse assunto as vezes é saudável e que nos faz um bem danado.

Mas o que eu gosto mesmo é de lembrar das danças, ah como é bom lembrá-las, aquele sorriso bobo estampa meu rosto e quase me sinto cega ao ver o reflexo do brilho no meu olhar. Logo nossa música toca em minha mente e falto levantar da cama para dançar no escuro do quarto.

Peguei uma mania boba de dizer: “ai ai” sempre que o assunto falta, sem contar na mania de achar nas musicas algo que descreve o que ando sentindo. Bom mesmo é ficar com essa vontade de te agarrar, mania sua de querer me agarrar, passou para mim.

O melhor de tudo é te achar em qualquer lugar onde estou, seja na minha cama onde já passamos horas deitados, na parede da cozinha, num parque ou no cinema, em uma biblioteca, rede, até mesmo em uma roupa. Bom é ter essa mania de te achar em tudo.

Bom é ter essa sintonia com você, comunicar pelo olhar, sorrir por nos admirarmos juntos e sentir sempre vontade de te beijar. Saber o que está pensando apenas por ver seu olhar, sei quando está pensando em mim de um jeito carinhoso ou quando está pensando em sexo. Conheço todos os seus olhares e você os meus, e assim nos comunicamos.

Mas o que peguei mesmo foi a mania de ter você. Te ter quando eu preciso, em qualquer lugar, qualquer momento. De te ter em meus braços, nos abraços apertados, nos sorrisos, gargalhadas. Te ter e te ver em cada canto, nas esquinas, na solidão da noite, no pulsar do coração. Te ter em cada centímetro do meu corpo, no banho da manhã e da noite. Te encontrar no vazio da cama, na melodia da canção e nos sofás da sala. Te encontrar em cada centímetro quadrado mesmo que não esteja lá.

Meio clichê essa mania de te ter e de te encontrar e de escrever sobre manias que peguei de você, mas é em meio a esse clichê de escrever sobre manias que também te encontro, nas palavras que só dizem sobre você e que guardam minhas memorias sobre nós. É dentro de todo esse clichê chato que lembro do quanto nos tornamos nós.


Autor: Tati Bernardi
06/06/2013 | Categoria: Autores, Crônicas, Escrita, Textos

Ontem depois que você foi embora confesso que fiquei triste como sempre. Mas, pela primeira vez, triste por você. Que outra mulher te veria além da sua casca? E você não sabe como vale a pena gostar de alguém e acordar na casa dessa pessoa e tomar suco de manga lendo notícias malucas no jornal como o cara que acha que é vampiro. Tudo sem vírgula mesmo e, nem por isso, desequilibrado ou antes da hora.Você não sabe como isso é infinitamente melhor do que acordar com essa ressaca de coisas erradas e vazias.

E eu tenho vontade de segurar seu rosto e ordenar que você seja esperto e jamais me perca e seja feliz. E entenda que temos tudo o que duas pessoas precisam para ser feliz. A gente dá muitas risadas juntos. A gente admira o outro desde o dedinho do pé até onde cada um chegou sozinho. A gente acha que o mundo está maluco e sonha com a praia do Espelho e com sonos jamais despertados antes do meio-dia. A gente tem certeza de que nenhum perfume do mundo é melhor do que a nuca do outro no final do dia. A gente se reconheceu de longa data quando se viu pela primeira vez na vida.

E você me olha com essa carinha banal de ‘me-espera-só-mais-um-pouquinho’. Querendo me congelar enquanto você confere pela centésima vez se não tem mesmo nenhuma mulher melhor do que eu. E sempre volta. Volta porque pode até ter uma coxa mais dura. Pode até ter uma conta bancária mais recheada. Pode até ter alguma descolada que te deixe instigado. Mas não tem nenhuma melhor do que eu. Não tem. Porque, quando você está com medo da vida, é na minha mania de rir de tudo que você encontra forças. E, quando você está rindo de tudo, é na minha neurose que encontra um pouco de chão. E, quando precisa se sentir especial e amado, é pra mim que você liga. E, quando está longe de casa gosta de ouvir minha voz pra se sentir perto de você. E, quando pensa em alguém em algum momento de solidão, seja para chorar ou para ter algum pensamento mais safado, é em mim que você pensa.

Eu sei de tudo. E eu passei os últimos anos escrevendo sobre como você era especial e como eu te amava e isso e aquilo. Mas chega disso. Caiu finalmente a minha ficha do quanto você é, tão e somente, um cara burro. E do quanto você jamais vai encontrar uma mulher que nem eu nesses lugares deprê em que procura. Eu vou para a cama todo dia com 5 livros e uma saudade imensa de você. Ao invés de estar por aí caçando qualquer mala na rua pra te esquecer ou para me esquecer.Também sou convidada para essas festinhas com gente “wanna be” que você adora. Mas eu já sou alguém e não preciso mais querer ser. E eu, finalmente, deixei de ter pena de mim por estar sem você e passei a ter pena de você por estar sem mim. Coitado.

Sobre o autor: Tati Bernardi é uma autora e cronista brasileira,  é colunista de variadas revistas famosas brasileiras. Jovem, com uma escrita acessível, Tati é adorada pelas jovens pelo simples motivo de que seus textos transparecem sentimentos, o que os torna mais fácil de serem identificados. Saiba mais sobre ela no seu site.


Quando descobri a fórmula da felicidade.
24/05/2013 | Categoria: Escrita, Reflexão, Textos

Sempre fui o tipo de menina que deixava os sentimentos transparecerem, transbordarem de mim para os outros. Mas com o tempo, fui mudando,  aos poucos deixei de mostrar tudo o que sentia e não transparecia nada. Sempre com as mesmas respostas, as mesmas frases, as mesmas feições… sempre o mesmo!

Depois de um – longo – tempo agindo dessa forma, eu comecei a me ver diferente, encarava meu reflexo no espelho e não via a pessoa que sempre fui, ou pelo menos pensava, que era. Tudo parecia estar de cabeça para baixo e eu não sabia o ponto de partida dessa bagunça toda… Desde quando havia me tornado essa pessoa? Desde quando eu havia mudando de uma forma tão drástica?

A resposta demorou para chegar, mas aos poucos fui percebendo que essa mudança poderia ser qualquer coisa, menos drástica, nada havia acontecido de um dia para o outro. Eu, somente eu, me deixei tornar-me assim. O adjetivo certo não era fria, era alguma palavra menos intensa, mas não tão mais calorosa. O afastamento e perda de alguns amigos próximos e romances com finais fracassados não fazem bem à nenhuma pessoa.

Depois de refletir sobre essa pessoa estranha que havia me tornado, cheguei a apenas uma conclusão: Se eu não pensasse e decidisse o que realmente queria continuar sendo, nenhuma outra pessoa no mundo, poderia fazer isso por mim. Então, me encarei de novo, na frente do espelho e refleti comigo mesma:

“Eu cometi vários erros e aprendi com todos eles. O amor e, talvez até a amizade, ambos verdadeiros, são buscas incansáveis na vida da maioria de nós. Não sou menor ou pior que alguém por não ter alguém especial do meu lado. Hoje em dia, é raro, muito raro, ter alguém de verdade, cem por cento, do seu lado. A única certeza que tenho na minha vida, é a minha família junto com duas amigas as quais faria tudo para vê-las bem. Isso tudo me basta e eu posso muito bem ser uma pessoa, muito, realizada e feliz com ‘apenas’ isso. A minha felicidade sou eu quem construo, não dependo de ninguém para me fazer feliz, enquanto eu estiver feliz, me aceitando e me sentindo bem, como sou, os outros me verão da mesma forma e tudo em minha volta ficará cada dia melhor”

Depois desse meu novo “lema” criado, voltei a ser o que sempre fui e me escondia. Isso não vale só para mim, todo mundo é muito capaz de ser feliz sozinho. Sendo feliz sozinha, eu faço outros ficarem felizes e, convenhamos, felicidade compartilhada é muito melhor.


Dicas de livros – Romance.
08/12/2012 | Categoria: Amor, Escrita, Livros

Para quem não sabe, eu adoro ler. Leio vários tipos de liros, mas ultimamente estou lendo mais romances, então resolvi vir aqui e dar minhas dicas de livros com histórias de romance, para vocês.

Um dia –

O livro conta a história de Emma Morley e Dexte Mayhew. Os dois se conhecem no dia de suas formaturas, em 1988, e sabem que no dia seguinte terão que seguir caminhos diferentes em suas vidas. Mas mesmo passando apenas um dia juntos, não param de pensar um no outro. Os anos passam e Em e Dex tem vidas bem diferentes do que planejaram, mas o sentimento de um pelo outro continua o mesmo. O livro narra flashes do relacionamento dos dois, durante vinte anos. Os dois enfrentam juntos risos, lágrimas, brigas e disputas. Em cada ano, os acontecimentos são no dia 15 de julho , o significado deste dia importante é desvendado durante o livro.

Eu adorei o livro, me fez rir e chorar, ainda mais porque me identifiquei muito com muitas partes do livro. Uma história emocionante.

Diário de uma paixão –

Tudo começa em 1946 quando Allie Nelson e Noah Calhoun se apaixonam perdidamente e tudo parece perfeito. Até que os pais de Allie, a impendem de continuar vendo Noah, por conta de suas classes sociais. Os dois fazem de tudo para levar uma vida normal, mas o sentimento de um pelo outro nunca acabou. Até que, 14 anos depois, um artigo de um jornal faz reacender este amor adormecido.

Eu gostei bastante do livro, é uma história envolvente e surpreendente!

A última música –

Aos 17 anos, Verõnica Miller, ou Ronnie, vê sua vida virar de cabeça para baixo quando seus pais se separam e seu pai decide passar a morar na praia de Wrightsville , na Carolina do Norte. Três anos se passam e Ronnie ainda está distante dos pais, principalmente do pai. Então sua mãe decide que seria melhor os filhos passarem as férias com o pai, na Carolina do Norte. O pai de Ronnie, ex-pianista, vive tranquilamente na cidade. Ronnie, revoltada, rejeita qualquer tipo de aproximação com o pai e ameaça voltar para Nova Iorque antes do verão terminar. É quando Ronnie conhece Will, o garoto mais popular da cidade. Conforme vai baixando a guarda, vai se apaixonando por ele, abrindo-se para uma história que lhe trará muita felicidade – e dor.

É um livro maravilhoso, que mostra a relação de pais e filhos, a história de um primeiro amor, como recomeçar e perdoar. Muito bom.

Querido John –

Querido John, conta a história de um soldado americano que se apaixona por Savannah, um jovem conservadora. Ele é um jovem rebelde que se alista no exército, quando termina a escola, sem saber o que iria fazer da vida.  Durante sua licença, ele conhece Savannah a garota de seus sonhos.  Os dois começam a se relacionar e logo se transforma em um tipo de amor, em que Savannah jura que irá esperá-lo concluir seus deveres militares.  Mas em 11 de setembro, ocorre o atentado as torres gêmeas em que mudou o mundo todo. E como muitos homens e mulheres de coragem, John deveria escolher entre seu amor e seu país. Quando finalmente volta para a Carolina do Norte, John vê como o amor pode nos mudar de uma forma que nunca poderíamos imaginar.

Dentre todos os livros, esse foi o que menos me emocionou, mas isso não desmerece a história. É uma brilhante história de amor, mas eu achei clichê.

Espero que tenham gostado das dicas!

Beijos.