O Enem está chegando e… socorro!
11/10/2015 | Categoria: Estudos

large

Eu sei que provavelmente muitos leitores do blog irão fazer o Enem nos dias 24 e 25 de Outubro, então queria compartilhar com vocês um pouco da minha preparação para esses dois dias. A maioria já fez Enem alguma vez (ou irá fazer pela primeira por experiência), mas muitos tem na prova a chance do seu ingresso para a faculdade. A que eu pretendo fazer (a UFSC – Universidade Federal de Santa Catarina) ainda não utiliza o Enem como método oficial para o seu ingresso, mas muitas pessoas acreditam que falta pouco para que uma mudança aconteça.

No dia 24, são realizadas as provas de ciências humanas e ciências da natureza (4h30) e no dia 25 será linguagens, matemática e redação (5h30). Lembrando que a redação é extremamente importante para a sua nota final, já que se você for bem na redação, pode aumentar (e muito) os seus pontos.

Como lidar com a ansiedade

Essa parte é complicada. Para os ansiosos como eu, a gente sabe como é bem difícil se manter tranquilo e calmo em situações que a pressão é grande; ainda mais quando você está em ano de vestibular e o seu objetivo principal, durante todos os últimos meses, é se preparar para aquela prova. Como faltam duas semanas, eu já estou tentando me preparar psicologicamente. Não me estressando, não exigindo tanto de mim (mesmo que sempre existam aqueles conteúdos que temos que revisar de última hora), e procurando outras atividades que diminuem a minha ansiedade. No meu caso, é ouvir músicas agitadas bem alto pra tentar relaxar.

Se mantenha informado

Todo vestibulando sabe que uma das coisas principais que precisamos fazer nos meses anteriores a prova, é ficar ligado nas notícias internacionais e nacionais. O meu grande melhor amigo nos últimos tempos foi o Guia de Atualidades 1 e 2, que é cheio de informações importantes, matérias com infográficos e explicações ótimas sobre tudo o que está rolando de importante no mundo. Esses temas geram questões nas mais diversas disciplinas, e principalmente, podem virar o assunto da redação. Um deles que está em alta atualmente é o da imigração, por exemplo. Eu sei que às vezes não dá tempo de ler tudo (são muitas páginas) mas se você ficou sem tempo, escolha as mais importantes e com temas polêmicos, que podem cair na redação.

Assista vídeo aulas com resumos

O Descomplica fez vários módulos com resumos para o Enem. São muitos conteúdos, então é difícil se aprofundar em todos, mas vale tentar estudar aqueles que sempre caem (como por ex: Era Vargas, Primeira Guerra Mundial e Brasil Colônia em História). Caso você não tenha assinatura do site (que vale o investimento, às aulas me ajudaram muito!), você pode assistir algumas aulas no Youtube, que são bem completas. Ah, e preste atenção no Twitter deles. Sempre tem aulão grátis!

Descanse nos dias anteriores

Eu já coloquei na minha cabeça que na Sexta-Feira, um dia antes do Enem, vou ficar de boa em casa, no sofá ou assistindo alguma série. É bom se preparar para estar descansado física e mentalmente antes da prova, até porque, nós teremos que ficar sentado por horas e horas. Até quem gosta de ler, como eu, acaba ficando cansado depois de muitas questões. Não tem jeito! Também vale a dica de não fazer exercícios físicos pesados ou dormir tarde um dia antes, mesmo que o nervosismo esteja atrapalhando.

E por fim, boa sorte para todo mundo no Enem! <3


Estudando no Descomplica
04/04/2015 | Categoria: Estudos

Eu já comentei algumas vezes aqui no blog, mas para quem não sabe, eu estou no último ano da escola e também o mais desesperador. Sou vestibulanda (pretendo fazer Relações Internacionais na faculdade federal da minha cidade. Confesso que às vezes ainda fico em dúvida se jornalismo não é a melhor opção…) e só tive mais ou menos um mês de aula, mas a correria já é imensa. Ouço a palavra “vestibular” umas 30 vezes por dia como vocês devem imaginar; tenho duas/três provas toda Sexta, muito conteúdo pra estudar… e fiquei meio perdida com algumas matérias – sou péssima em exatas, Matemática, Química e Física são um terror pra mim – por isso eu resolvi investir mais nos meus estudos assinando o Descomplica.

Sempre ouvi falar do site, e por isso resolvi apostar. Para estudar para as provas, eu geralmente faço resumos. Também ando comprando algumas edições do Guia do Estudante (como a de História, que eu achei muito útil!) mas há dias que é muito difícil conseguir estudar todo o conteúdo. Quando você está no terceirão parece que 24 horas é pouco pra manter a matéria em dia. E vídeo-aulas te salvam muito nesse momento.

Dai você me pergunta: “ok, mas porque é necessário pagar se posso achar vídeos no Youtube?” Claro que você pode, mas o Descomplica tem um diferencial grande. Além de ser bem organizado, e oferecer aulas para TODAS as disciplinas, elas são divididas em módulos. Por exemplo, tem o módulo de Biologia do Enem, com 66 vídeos focados nisto. Tem também o extensivo Enem, resolução de exercícios, aulas ao vivo, monitorias, plano de estudo e um pacote especial pra quem quer estudar pra Medicina (dai o esquema é mais pesado).

Não gente, não tem ninguém me pagando pra elogiar o site, mas é que eu realmente curti ele. Sou uma pessoa que não consegue estudar mais que 4 horas direto, depois disso fico esgotada, então as aulas em vídeo auxiliam bastante. Adorei as de Redação também. A Redação é uma parte essencial para ir bem no vestibular, e como eu gosto de escrever, quero melhorar minha técnica para ter mais chances.

Aqui vocês podem conferir um pouco como são as aulas, eles postam lá no Youtube algumas.

Quanto custa? Tem dois tipos de assinatura que é possível fazer: a mensal, que custa R$29,90 por mês, e a anual, que é R$19,90 por mês. Foi essa última que eu fiz, já que vou precisar usar bastante o Descomplica até o final do ano. Tomara que em 2016 eu não precise de novo, né? rs Espero ter passado, mas vamos ver, né? Eu sei que a grana pode estar curta, mas nesse caso até vale falar com os pais pra eles ajudarem, porque eu sinceramente acho que dá uma grande ajuda nos estudos. Mesmo! O pagamento pode ser feito em cartão, boleto, e outras opções.


Volta às aulas
04/02/2014 | Categoria: Estudos

Tudo que é muito bom dura pouco. Essa frase se encaixa perfeitamente no fato que as férias estão acabando. Muitos colégios já começaram suas aulas nessa semana (ou começarão na semana que vem) principalmente em cidades que vão sediar a Copa. Minha prima que mora no Rio de Janeiro, por exemplo, teve inicio no dia 3 de Janeiro, por quê haverá mais de um mês de pausa em Junho por causa dos jogos. As minhas só começam no dia 17 de Fevereiro.

Eu gosto de aproveitar muito bem os três meses (ou dois, no caso de outros alunos) de férias para começar o ano com as energias renovadas. Mas mesmo assim, dá uma preguiça de enfrentar aquela rotina de novo. A minha, neste ano, vai ser um pouco diferente pois eu mudei de escola então não sei bem como as coisas vão ser (só o fato que vou ter que acordar antes das seis da manhã todo dia para pegar o ônibus ai que divertido, mas não) o ano passado foi bem puxado e eu encarei as alterações do ensino médio. E também tive algumas matérias novas para odiar, sorte que em alguns momentos os professores são legais (como foi o meu caso com Química) então você acaba gostando da aula.

Mas juro que um dos meus maiores objetivos para esse ano é tentar gostar um pouco de Matemática ou pelo menos entender a matéria (que é a parte mais complicada). Vontade de aprender eu tenho, tentei em muitos momentos em 2013, mas nem lendo os cadernos, fazendo exercícios, alguma coisa entrava na minha cabeça. Sorte que uma professora me salvava quando eu precisava e fazia eu entender pelo menos algo, o que me salvou de pegar recuperação. Então, no final do ano (ou na metade) eu vou contar se realmente consegui alcançar isso, que já virou até sonho. Nem me lembro quando foi a última vez que tirei um 10 numa prova que tinha equações nas questões. Sério.

Esse também será o meu penúltimo ano na escola. É super estranho pensar isso! Principalmente porque eu vou para o terceiro ano em 2015 sem nem ter um 1,60 de altura, mas ok né. Isso a gente releva. Já me acostumei com o pessoal sempre achando que eu tenho 13 e estou na oitava série. Se tem uma coisa que não muda todos os anos, é isso. Mas o contrário que possa parecer, eu já aceitei o meu tamanho, rs. Mas é assustador pensar que são os últimos dois anos de escola. Não vou dizer que “parecia ontem” que eu tinha chegado no ensino fundamental, mas tá comprovado: o médio passa rápido demais. Quando você ver, já vai estar tendo que estudar para o vestibular.

Para algumas pessoas o ano só começa de verdade em Fevereiro. Não sei se esse é o meu caso, mas de todo modo é nessa época que começamos a voltar para a nossa rotina, para o dia-dia, e também com isso as experiências começam a acontecer com mais intensidade. Espero que esse ano me traga novos desafios (já enfrentei alguns em Janeiro) e mais independência também. Vou começar a fazer muitas coisas sozinha e acho que isso vai ser importante para o meu crescimento pessoal.

Então, daqui a alguns dias é hora de voltar para os cadernos, livros, horas de estudo, fins de semana de crise porque na Segunda eu tenho prova de Física… Acho que esse será um ano de novidades. Mas eu vou sentir muita falta de ficar o dia inteiro assistindo meus seriados, tomando sorvete e principalmente, não tendo hora para acordar. Confesso que no ano anterior eu só levantava da cama e se penteasse o cabelo era muito sério e quando batia o sinal só faltava sair pela janela da sala mesmo pra ver se chegava mais rápido em casa.

Desejo uma boa volta às aulas para todo mundo, e que os próximos nove meses na escola sejam positivos, com amigos novos e bons momentos, apesar de toda aquela rotina meio cansativa. E pensem pelo lado positivo: a cada dia, falta menos para as férias de Julho!


Se preparando para o vestibular
30/01/2014 | Categoria: Estudos

Todo ano milhares de estudantes pelo mundo inteiro começam a se preparar para entrar em uma boa faculdade e cursar aquela disciplina que tanto se identifica. Acontece que muitos não sabem por onde começar e se desesperam achando que vestibular é um bicho de sete cabeças, o que na verdade não é – mesmo que também não seja fácil. Ou acabam não estudando por não saber como, ou estudam demais e acabam se prejudicando.

Esse ano estou indo para o terceiro ano do ensino médio, sou vestibulanda e minha ficha não caiu ainda. Mas desde o começo do ano já estou me preparando para no final do ano enfrentar alguns vestibulares e o ENEM. Mas esse me preparar não quer dizer que estou estudando loucamente e já cai de cara nos livros. Minhas aulas começam só dia 3 e decidi que estudaria para o vestibular assim que elas começassem. O motivo? Em um dos sites que visito sobre vestibulares li uma dica que aconselhava a não estudar nas férias, que tirassem esse tempo para relaxar e aproveitar esse momento e assim não se estressar tanto. Tenho me preparado da seguinte forma: pesquisar por sites que possibilitam o estudo online e de maneira fácil, páginas que dão dicas de qual a forma certa a estudar, simulados e testes vocacionais. Assim que minhas aulas começarem procurarei por livros na biblioteca da minha escola que vão me ajudar a complementar meus estudos e claro tirar dúvidas com meus professores.

Sei que cada um tem um modo de estudar, mas se eu pudesse dar uma dica seria essa: não estude demais. Já li vários artigos informando que estudar exageradamente pode acabar gerando problemas e não ajudando o aluno, causando por exemplo o estresse e a ansiedade. Se preparar para vestibular é essencial, mas de maneira saudável, por isso trouxe algumas dicas:

Fixe os horários de estudo e o conteúdo

Elaborar um plano de estudo é a melhor forma de conseguir um bom resultado. Adapte os horários com conteúdos de acordo com sua dificuldade. Por exemplo: se você tem dificuldade em química, reserve um tempo maior para esta matéria e assim com as outras disciplinas.

Estude em lugares tranquilos

Estudar em um ambiente calmo faz toda diferença na hora de aprender. O motivo? Se você estiver em uma sala com pessoas conversando ou vendo televisão, escutando música ou mexendo no celular, maior será a chance de distração e ficará muito mais difícil se concentrar no que está lendo. Por isso escolha lugares tranquilos e arejados. Podendo ser ao ar livre, em uma biblioteca ou no ambiente mais calmo da sua casa.

Refaça os exercícios até ter a certeza que aprendeu

Quanto mais você fizer uma coisa, maior a chance dela fixar em sua cabeça. Isso também acontece com os estudos. Repita os exercícios ou leia várias vezes, a chance de aprender é maior e assim lembrará com mais facilidade do conteúdo.

Elabore estratégias de estudo

Todo mundo sabe que não é fácil ficar horas lendo ou escrevendo sobre assuntos que na maioria das vezes não nos interessa. Por isso, uma forma de tornar os estudos menos tediosos e de certo modo divertido é elaborar estratégias diferentes. Por exemplo: uma forma bem conhecida é escrever palavras chaves em um papel de determinado conteúdo, assim quando pegar aquele papel se lembrará fácil do assunto que se trata. Existem outras maneiras de deixar os estudos mais fáceis de lidar, basta ter criatividade.

Treine a redação

Já sabemos que a redação é praticamente a parte mais importante das provas, por isso, se você não é tão bom em redigir um texto, pratique esse hábito. Procure escrever por temas anteriores de outras redações que já caíram nas provas, ou assuntos que estão sendo bastante discutidos.

Sites online

Para não ficar muito cansativo estudar somente com livros, cadernos, lápis e borracha, alterne para estudos online. Procure por sites que ofereçam conhecimento nas disciplinas. Minhas dicas de sites são o Descomplica que possuem aulas no YouTube ou online e de todas as matérias e o Guia do Estudante que além de possuir aulas e dicas dos conteúdos, trás testes vocacionais, simulados e o perfil de cada profissão. Além desses, existem muitas páginas no facebook de várias matérias especificas.

Mantenha a calma

O essencial é não se desesperar e querer devorar todos os livros que ver pela frente. Manter a calma é a parte mais importante para o sucesso com os estudos. Estude com tranquilidade, sem pressa e sem pressão. Garanto que dessa maneira seu resultado será bem melhor no final.


E se eu estiver em dúvida com o meu curso?
22/01/2014 | Categoria: Comportamento, Estudos

Sua prima sabe, sua irmã, seu melhor amigo… todos parecem ter muita certeza de qual curso escolher para a faculdade. Menos você. Mas não se apavore, pois eu te afirmo que ninguém está sozinho nessa! Eu mesma conheço muitos jovens de 20, 21 anos, que começaram uma faculdade, largaram e voltaram para o cursinho, depois tentaram o vestibular uma, duas ou até três vezes, pois o curso que eles escolheram não era exatamente o que eles esperavam. É muito complicado ter que escolher aquilo que você vai querer trabalhar, “pelo resto da vida” quando só se tem 17 ou 18 anos, não é?

Eu acho que temos a liberdade e o direito de mudar de opinião e ideia sempre. Não precisamos manter o mesmo pensamento por anos. Podemos amadurecer, crescer. Eu tenho uma ideia fixa de que quero cursar Direito há muito tempo. Mas e se no último ano de escola eu mudar de ideia? E se eu não quiser mais? Nunca sabemos o que pode acontecer, e ninguém é obrigado a continuar querendo a mesma coisa.

Tenho vários pais de amigos que cursaram ótimas faculdades, exerceram a profissão, conseguiram o seu diploma e alguns anos depois voltaram a estudar em outro curso. Acho isso uma ideia muito legal, pois mostra a versatilidade e a vontade das pessoas de aprenderem. Sinceramente, nunca é tarde para estudar, para adquirir novos conhecimentos e habilidades. Se você desistiu da faculdade no meio do curso, tente de novo. Faça outro, pesquise, descubra o que realmente quer. Não precisamos saber exatamente hoje o que vamos querer trabalhar quando tivermos 30 ou 40 anos. É muito pouco tempo, para decidir tantas coisas.

Os testes vocacionais estão ai para você descobrir quais são os seus interesses. Pergunte para amigos – mas nunca deixe de colocar a sua opinião em primeiro lugar, pois quem deve escolher é você – converse com os seus pais, diga suas dúvidas, aflições, e pesquise sobre a profissão que você se interessa. O cursinho também é uma opção ótima para quem quer se preparar, estudar muito e correr atrás dos seus objetivos.

É necessário tempo para descobrir a resposta para dúvidas importantes. Não deixe se abater pela pressão dos familiares ou dos outros, que nunca vão te incentivar a deixar uma faculdade no meio do curso. A ideia principal imposta pela sociedade é que todo mundo ganhe o diploma e vá logo trabalhar. Mas, se vamos ter uma profissão por tanto tempo, temos que gostar dela de verdade. Se não, como você vai obter sucesso e prazer fazendo aquilo que não gosta?

Então, se você realmente estiver se questionando se nasceu para fazer aquilo mesmo, busque coisas do qual você realmente gosta. Não hesite em pedir ajuda de quem você gosta para descobrir mais sobre si mesmo e sobre uma profissão que poderia seguir. Quando ainda somos jovens, temos tempo o bastante para não errar nas nossas escolhas. E quando você descobrir, se jogue! Estude muito, se esforce para passar no vestibular, mostre aqueles que duvidaram que você realmente consegue.


Minhas notas no Enem
07/01/2014 | Categoria: Estudos

Em Outubro, eu fiz o Enem pela primeira vez, e contei tudo sobre a minha experiência neste post. E agora que eu já vi os resultados, vim mostrá-los pra vocês. A melhor nota que eu tirei foi em redação mesmo (meus pais estavam com expectativas grandes quanto à isso, já que eu tenho uma facilidade maior para escrever e tal) e posso dizer que eu até fiquei satisfeita com o resultado. Lembrando que estou no primeiro ano do ensino médio (começo o segundo, agora em Fevereiro). Então, muitas matérias que caíram eu nunca tive, e confesso que em Matemática, tive que chutar a maioria. A nota mostrou que o meu ponto fraco é mesmo nas exatas, matéria que eu tenho mais dificuldade… desde, sei lá, sempre? Um dos meus planos para 2014 é inclusive superar esse medo gigante que eu sinto das provas de Matemática, Física, Química, e me esforçar para conseguir ficar na média.

Ciências Humanas e suas Tecnologias: 547,4

Ciências da Natureza e suas Tecnologias: 460.6

Linguagens, Códigos e suas Tecnologias: 582.6

Matemática e suas Tecnologias: 402.6

Redação: 720.0

Achei que de repente eu iria conseguir uma nota melhor em linguagens, códigos e suas tecnologias, já que envolve interpretações de texto, e também envolve português, uma matéria que eu costumo me dar bem. No geral, achei as interpretações da prova de nível médio. Algumas eram mais complicadas, exigiam ler com mais atenção, e outras eram bem fáceis, as respostas eram praticamente óbvias. Fiquei feliz com o resultado da redação. No Enem deste ano, quero conseguir resultados bem melhores em Matemática e Ciências da Natureza e suas Tecnologias, e quem sabe, alcançar 800 pontos em redação.

E vocês, como foram na prova? Conseguiram os resultados esperados?


Não passei no vestibular! E agora?
26/12/2013 | Categoria: Comportamento, Estudos

Ano de vestibular não é fácil para ninguém. Nesse ano, eu tive a minha primeira experiência, fazendo o Enem. Desde pequena já tenho total certeza do curso que eu quero fazer e a faculdade que também desejo cursar. Para os que não sabem, quero fazer direito, na UFSC, universidade federal daqui de Florianópolis, ou a UFRJ, a federal do Rio de Janeiro, caso eu planeje mesmo me mudar para lá após o final do ensino médio. São objetivos fáceis? Nem de longe! Sei que muita gente batalha por uma vaga na faculdade federal e o curso de direito é conhecido por ser um dos mais difíceis de passar. Já tenho consciência plena disso e se eu quiser passar será preciso muitas horas de dedicação, estudos e esforço total.

Como minha mãe foi coordenadora por mais de quinze anos e também é professora de literatura e língua portuguesa eu convivo com essa história de vestibular desde cedo. Já conheci muitos alunos que passaram meses estudando para passar em Medicina (e conseguiram!), outros que na primeira tentativa não tiveram sucesso mas continuaram tentando e por fim conseguiram, e outros estudantes que mudaram o curso que queriam no meio da faculdade, fizeram vestibular de novo, por ai vai.

Se você acabou de se formar no terceirão (ou não!) e já fez o vestibular, sabe que a apreensão nesse momento é grande. A expectativa ultrapassa os limites e parece que todos só falam em passar, estudar, entrar na faculdade… por fim, chega o momento de conferir a lista dos aprovados. E o seu nome não está lá! A primeira reação: choque. A segunda: decepção. E o conselho que eu te dou nesse momento é que não é o fim do mundo. Estudar bastante e ver que não passou realmente deixa qualquer um desolado e triste, se sentindo péssimo consigo mesmo. Mas não é sempre que conseguimos alcançar o que queremos. E você não é o único! Eu penso que também ficaria super triste se isso acontecesse comigo. Ainda mais porque eu me cobro muito. Mas já pus na minha cabeça que eu posso não conseguir na primeira tentativa.

Você sabia que a maioria dos estudantes que entraram em medicina na USP, por exemplo, a maioria já havia feito cursinho por quase dois anos e 48% deles não estavam prestando o vestibular pela primeira vez? Aqui nessa matéria do Guia do Estudante você pode conferir muitas histórias de alunos que estudaram um tempão, mas finalmente conseguiram entrar no tão sonhado curso. Também é bom avaliar o seu desempenho, pegar provas dos anos anteriores e ver qual foi a matéria que você foi mal, e concentrar os seus estudos naquilo que te traz mais dificuldade, porém sem deixar de lado o seu ponto forte. Se é bom em redação, treine muito para ela. Com um ótimo texto, suas chances vão ser bem maiores do que a dos outros candidatos, já que muitas pessoas tem dificuldade na redação.

Se o desempenho foi baixo, é porque você não entendeu o conteúdo. A sua escola influência muito nisso, mas é possível recuperar as matérias perdidas. Procurar outro cursinho, pedir opiniões de professores, investir a sua grana em algo que realmente vá dar um gás nos estudos vale muito a pena. Aliás, o cursinho é a primeira opção de praticamente todo mundo que não consegue de primeira, e muitos estudantes do terceiro ano também optam por fazê-lo durante o ano letivo.

Claro que pode ser bem decepcionante ver os amigos comemorando que passaram, postando milhões de fotos e textos grandes no Facebook, se empolgando para o inicio da facul, mas saiba que nem de longe você é o único passando por isso. Não é com certeza, o único estudante a tentar muitas vezes passar em um curso super concorrido e não conseguir. Isso leva tempo; independente do que você tiver escolhido cursar, identificar no que errou é o primeiro passo para tomar as rédeas e mergulhar nos livros.

Não deixe que ninguém diga que você não é capaz. Milhares de depoimentos de pessoas que realmente conseguiram estão ai para provar de que todo mundo é capaz sim, com cotas, sem cotas, estudando em faculdade pública ou particular. Às vezes nós não conseguimos de primeira mesmo. Afinal, muitas coisas da vida não vem na primeira tentativa. Nem na segunda, ou na terceira. Vem quando a gente realmente estiver pronto, e sem nunca ter desistido do que queríamos.


Fazendo o Enem pela primeira vez
29/10/2013 | Categoria: Estudos

Parece que ontem eu ainda estava na quinta série achando que todo mundo da oitava era praticamente gente grande. Agora acabou chegando a hora em que eu fiz o Enem pela primeira vez, ou seja, foi a minha primeira aproximação com o temido vestibular, história de se formar, faculdade e etc. Como sou Taurina (e perfeccionista) planejo detalhadamente meus planos muito tempo antes e já sei que quero cursar Direito numa faculdade federal e o objetivo mais alto seria fazer isso na UFRJ, mas como não sei se até lá não mudo de ideia sobre ir para outra cidade, vamos ver o que pode acontecer…

Só que o fato é que a hora de encarar isso chegou. Para os que não sabem tenho 15 anos e estou no primeiro ano do ensino médio e o Enem ainda não conta para quem está nessa série, mas eu fiz por experiência mesmo. Como sou super ansiosa e nervosa, acho que ajudaria ir dois anos antes e ir conhecendo bem (além de poder contar pontos a partir do segundo ano) e quando fosse para valer eu já conheceria o esquema e me sentiria pronta.

A prova aconteceria no Sábado e Domingo e eu me informei sobre as regras da redação com a minha professora de Gramática e com a minha mãe (que dá aula de literatura e gramática) e fui, com boa vontade e pronta para enfrentar as 80 questões do primeiro dia. Todo mundo já tinha me falado que os textos eram bem grandes, era uma prova cansativa (mas não impossível) então acabei indo de mente aberta mesmo.

Claro que no inicio foi aquele susto: a prova era gigante e eu acho que na questão 15 a minha vista já estava cansada. Mas depois eu acabei pegando o ritmo, fazendo com mais vontade, prestando a atenção nas questões; muitas tinham temas que eu nunca havia ouvido falar (ou um enunciado sobre algo que eu já aprendi, mas as alternativas eram mais complexas) porém pude perceber uma semelhança com as provas do colégio. O que é um ótimo sinal, não é?

Mas o dia que eu acho que me dei bem mesmo foi o segundo, com as questões de interpretação de texto! Conferi o gabarito depois e segundo a minha mãe, acertei várias, o que me deixou bem feliz. Mas o mais esperado era a redação. Minha expectativa estava alta e eu espero garantir uma boa pontuação. Gostei do tema (que era lei seca) e acho que consegui fazer um bom texto, no padrão. Foram 27 linhas e demorei uma hora, desenvolvendo e passando para a folha oficial.

Pena que o resultado só dá pra ver no ano que vem! Mas foi ótimo para ir treinando, percebendo como é a experiência e o fato de que afinal a prova não é um bicho de sete cabeças mas é necessário muito estudo e principalmente, estar ligado nas notícias gerais e o que acontece ao nosso redor. E ano que vem, lá vou eu de novo! Só sei que já estou me preparando para a loucura que vai ser o terceirão…


Escola nova. Como lidar?
15/02/2013 | Categoria: Comportamento, Estudos

Minhas aulas retornam no dia 19, mas eu só passei uma vez pela experiência de ir para uma escola nova, lá em 2009. Como sou até um pouco extrovertida, não foi algo que me deixasse aterrorizada ou com medo. Mas sei que muitas pessoas enfrentam aquela ansiedade de encarar uma escola nova, onde tudo é totalmente diferente (ok, não tanto). Mas os alunos, professores, uniformes e até mesmo o modo de explicarem as matérias pode ser bem distinto.

Por isso, elaborei esse post com algumas dicas e sugestões para quem está enfrentando essa situação. Se você mudou de cidade, ou de turno (vai estudar em uma outra turma) ou começa uma faculdade nesse ano, onde tudo vai ser novidade, vá de mente aberta para encarar novas experiências!

1. Procure um amigo em comum

Eu não moro exatamente em uma cidade pequena, mas aqui em Floripa todo mundo tem um amigo comum. Onde vocês moram pode ser bem diferente, por isso essa regra não vale para todos, mas se você tem um amigo na escola nova é sempre bom pedir a ajuda dele nos primeiros dias de aula para não ficar isolado, saber onde fica cada lugar e até mesmo te apresentar a todas as pessoas que são simpáticas e fazer amizade com elas nos primeiros dias. Toda turma tem aquela pessoa gente boa que chega nos alunos novos também. Por isso, puxe papo com ela! Pessoas que fazem piadas e são as mais engraçadas da turma são uma boa oportunidade para se aproximar.

2. Não fique muito ansiosa ou nervosa

É normal ficar nervoso prestes a enfrentar uma situação nova, que vai exigir coisas de você. Ficar ansioso também é um problema para muitos (inclusive pra mim) Respiração rápida, nervosismo, mãos tremendo, vergonha… eu sei como é! O melhor a fazer é respirar fundo e mentalizar que tudo vai dar certo. Colégio novo não é motivo para surtar. Pense que, no final do ano, você vai olhar pra trás e ver o quanto aquilo te acrescentou. Relaxe: você não é a única aluna nova!

3. Aproveite a oportunidade para mudar

Se no ano passado você não ligava para os estudos, deixava tudo para fazer em cima da hora e as tarefas no último dia, então aproveite o recomeço para mudar isso de vez. Ou seja, deixar de lado a preguiça e realmente se focar nos estudos. É uma chance que você vai ter para alterar as coisas. Se é tímida e busca novos amigos, agora é a hora para assumir uma personalidade mais aberta à novas amizades.

4. Fique atenta nos estudos

O ritmo da sua escola nova pode ser diferente do da antiga. Por isso, é importante não perder o foco nas aulas até descobrir qual é o ritmo dos professores, aquele que você se identificou mais, o estilo das provas. Afinal, há colégios em que as provas não são nada parecidas, e como você já está acostumada ao modelo antigo, pode se assustar de inicio. Revise sempre os conteúdos dados, tire dúvidas e se aproxime dos professores e ganhe a aprovação deles de um único jeito: se esforçando, fazendo as tarefas e não conversando muito em aula.


Comece o seu estágio!
12/02/2013 | Categoria: Comportamento, Estudos

Após uma pesquisa feita por mim há quase um ano aqui no blog, percebi que uma boa parcela de leitoras tinha 17 anos ou mais. E por isso, acho importante falar sobre temas mais sérios aqui, como o estágio. Ele é a primeira experiência de trabalho que temos em nossas vidas, e serve também para nos guiar e saber o que realmente queremos no futuro. Já acompanhei muitas pessoas que tiveram que trabalhar e se esforçar para ir atrás do seu.

Lembrando também que esse é um passo interessante após se formar na escola e passar no vestibular. Algumas faculdades possuem indicações de estágios e futuros trabalhos. Abaixo confira algumas dicas para você ter mais segurança e ir atrás do seu! Ah, e algumas pessoas já tem experiência ao trabalhar (a cima de 14 anos) como menor aprendiz (o que eu acho muito legal).

1. Escolha algo que tenha a ver com a sua área ou varie

Em algumas áreas, é difícil achar um estágio para quem ainda está começando ou acabou de entrar na faculdade. Ok, nós entendemos. Por isso, você pode escolher um estágio em uma empresa interessante, mesmo que a área que você está trabalhando não tenha 100% a ver com o que está estudando. Mas é sempre bom escolher um local que seja do seu interesse, que trabalhe com os seus temas. Isso te fará crescer. Há sempre muita expectativa com o primeiro estágio. Nem todas elas são supridas, por isso é normal que a pessoa troque de estágio duas ou três vezes.

2. Peça opinião dos pais e profissionais da área

A opinião dos seus pais, que são mais experientes que você e sabem como é o mercado, pode ajudar bastante. Eles darão dicas valiosas. E pode ser também que você possa conversar com aquela pessoa que já conhece a área no qual você planeja trabalhar, tipo aquele seu tio mais velho, primo ou irmão. Vale também questionar adultos que você sabe que entendem bem do assunto e pedir referências de como escolher o local e até mesmo se portar no estágio.

3. Inscreva-se para várias vagas

A melhor dica é sempre se inscrever para várias vagas diferentes e mandar o seu currículo para variadas empresas. Não espere só por uma, até porque depender de apenas uma aprovação não garante nada. Assim, você vai ter mais segurança na hora de conseguir um bom estágio.

4. Pesquise sobre a empresa

Manter-se informado sobre o que você realmente quer é a melhor solução. Pesquise sobre a empresa, fale com as pessoas que trabalham lá – se tiver a chance – confira as mídias sociais, enfim, informe-se se você realmente acha que é o que você deseja e se o seu perfil combina com o da empresa.

5. E o currículo?

Essa é uma questão que preocupa muitos jovens, já que após sair da escola sem nunca ter trabalhado você não tem nenhuma experiência. Por isso, foque-se nas atividades que você já fez (vale esportes, trabalhos sociais, adicionar informações valiosas, como aquele seu curso de inglês, conhecimentos de informática, experiência em línguas estrangeiras). Valorize suas atividades extracurriculares, seja direto e não se esqueça de checar o português (linguagem formal e nenhum erro, por favor!).