• 26e14d287bd9c5f49b36990e398601d0
    Comportamento

    Um recado para o Instagram

    ver post
  • space love xx Scott Brian Madeiras
    Amor, Reflexão

    Antítese

    ver post
  • 71e0db6e93ee0415f7c0c0cb28e2027c
    Looks, Moda

    Looks para o verão

    ver post
  • imagem.aspx
    Livros

    Livro: A Quimica Que Há Entre Nós

    ver post
  • January 7, 2014
    postado por

    Em Outubro, eu fiz o Enem pela primeira vez, e contei tudo sobre a minha experiência neste post. E agora que eu já vi os resultados, vim mostrá-los pra vocês. A melhor nota que eu tirei foi em redação mesmo (meus pais estavam com expectativas grandes quanto à isso, já que eu tenho uma facilidade maior para escrever e tal) e posso dizer que eu até fiquei satisfeita com o resultado. Lembrando que estou no primeiro ano do ensino médio (começo o segundo, agora em Fevereiro). Então, muitas matérias que caíram eu nunca tive, e confesso que em Matemática, tive que chutar a maioria. A nota mostrou que o meu ponto fraco é mesmo nas exatas, matéria que eu tenho mais dificuldade… desde, sei lá, sempre? Um dos meus planos para 2014 é inclusive superar esse medo gigante que eu sinto das provas de Matemática, Física, Química, e me esforçar para conseguir ficar na média.

    Ciências Humanas e suas Tecnologias: 547,4

    Ciências da Natureza e suas Tecnologias: 460.6

    Linguagens, Códigos e suas Tecnologias: 582.6

    Matemática e suas Tecnologias: 402.6

    Redação: 720.0

    Achei que de repente eu iria conseguir uma nota melhor em linguagens, códigos e suas tecnologias, já que envolve interpretações de texto, e também envolve português, uma matéria que eu costumo me dar bem. No geral, achei as interpretações da prova de nível médio. Algumas eram mais complicadas, exigiam ler com mais atenção, e outras eram bem fáceis, as respostas eram praticamente óbvias. Fiquei feliz com o resultado da redação. No Enem deste ano, quero conseguir resultados bem melhores em Matemática e Ciências da Natureza e suas Tecnologias, e quem sabe, alcançar 800 pontos em redação.

    E vocês, como foram na prova? Conseguiram os resultados esperados?

    December 26, 2013
    postado por

    Ano de vestibular não é fácil para ninguém. Nesse ano, eu tive a minha primeira experiência, fazendo o Enem. Desde pequena já tenho total certeza do curso que eu quero fazer e a faculdade que também desejo cursar. Para os que não sabem, quero fazer direito, na UFSC, universidade federal daqui de Florianópolis, ou a UFRJ, a federal do Rio de Janeiro, caso eu planeje mesmo me mudar para lá após o final do ensino médio. São objetivos fáceis? Nem de longe! Sei que muita gente batalha por uma vaga na faculdade federal e o curso de direito é conhecido por ser um dos mais difíceis de passar. Já tenho consciência plena disso e se eu quiser passar será preciso muitas horas de dedicação, estudos e esforço total.

    Como minha mãe foi coordenadora por mais de quinze anos e também é professora de literatura e língua portuguesa eu convivo com essa história de vestibular desde cedo. Já conheci muitos alunos que passaram meses estudando para passar em Medicina (e conseguiram!), outros que na primeira tentativa não tiveram sucesso mas continuaram tentando e por fim conseguiram, e outros estudantes que mudaram o curso que queriam no meio da faculdade, fizeram vestibular de novo, por ai vai.

    Se você acabou de se formar no terceirão (ou não!) e já fez o vestibular, sabe que a apreensão nesse momento é grande. A expectativa ultrapassa os limites e parece que todos só falam em passar, estudar, entrar na faculdade… por fim, chega o momento de conferir a lista dos aprovados. E o seu nome não está lá! A primeira reação: choque. A segunda: decepção. E o conselho que eu te dou nesse momento é que não é o fim do mundo. Estudar bastante e ver que não passou realmente deixa qualquer um desolado e triste, se sentindo péssimo consigo mesmo. Mas não é sempre que conseguimos alcançar o que queremos. E você não é o único! Eu penso que também ficaria super triste se isso acontecesse comigo. Ainda mais porque eu me cobro muito. Mas já pus na minha cabeça que eu posso não conseguir na primeira tentativa.

    Você sabia que a maioria dos estudantes que entraram em medicina na USP, por exemplo, a maioria já havia feito cursinho por quase dois anos e 48% deles não estavam prestando o vestibular pela primeira vez? Aqui nessa matéria do Guia do Estudante você pode conferir muitas histórias de alunos que estudaram um tempão, mas finalmente conseguiram entrar no tão sonhado curso. Também é bom avaliar o seu desempenho, pegar provas dos anos anteriores e ver qual foi a matéria que você foi mal, e concentrar os seus estudos naquilo que te traz mais dificuldade, porém sem deixar de lado o seu ponto forte. Se é bom em redação, treine muito para ela. Com um ótimo texto, suas chances vão ser bem maiores do que a dos outros candidatos, já que muitas pessoas tem dificuldade na redação.

    Se o desempenho foi baixo, é porque você não entendeu o conteúdo. A sua escola influência muito nisso, mas é possível recuperar as matérias perdidas. Procurar outro cursinho, pedir opiniões de professores, investir a sua grana em algo que realmente vá dar um gás nos estudos vale muito a pena. Aliás, o cursinho é a primeira opção de praticamente todo mundo que não consegue de primeira, e muitos estudantes do terceiro ano também optam por fazê-lo durante o ano letivo.

    Claro que pode ser bem decepcionante ver os amigos comemorando que passaram, postando milhões de fotos e textos grandes no Facebook, se empolgando para o inicio da facul, mas saiba que nem de longe você é o único passando por isso. Não é com certeza, o único estudante a tentar muitas vezes passar em um curso super concorrido e não conseguir. Isso leva tempo; independente do que você tiver escolhido cursar, identificar no que errou é o primeiro passo para tomar as rédeas e mergulhar nos livros.

    Não deixe que ninguém diga que você não é capaz. Milhares de depoimentos de pessoas que realmente conseguiram estão ai para provar de que todo mundo é capaz sim, com cotas, sem cotas, estudando em faculdade pública ou particular. Às vezes nós não conseguimos de primeira mesmo. Afinal, muitas coisas da vida não vem na primeira tentativa. Nem na segunda, ou na terceira. Vem quando a gente realmente estiver pronto, e sem nunca ter desistido do que queríamos.

    October 29, 2013
    postado por

    Parece que ontem eu ainda estava na quinta série achando que todo mundo da oitava era praticamente gente grande. Agora acabou chegando a hora em que eu fiz o Enem pela primeira vez, ou seja, foi a minha primeira aproximação com o temido vestibular, história de se formar, faculdade e etc. Como sou Taurina (e perfeccionista) planejo detalhadamente meus planos muito tempo antes e já sei que quero cursar Direito numa faculdade federal e o objetivo mais alto seria fazer isso na UFRJ, mas como não sei se até lá não mudo de ideia sobre ir para outra cidade, vamos ver o que pode acontecer…

    Só que o fato é que a hora de encarar isso chegou. Para os que não sabem tenho 15 anos e estou no primeiro ano do ensino médio e o Enem ainda não conta para quem está nessa série, mas eu fiz por experiência mesmo. Como sou super ansiosa e nervosa, acho que ajudaria ir dois anos antes e ir conhecendo bem (além de poder contar pontos a partir do segundo ano) e quando fosse para valer eu já conheceria o esquema e me sentiria pronta.

    A prova aconteceria no Sábado e Domingo e eu me informei sobre as regras da redação com a minha professora de Gramática e com a minha mãe (que dá aula de literatura e gramática) e fui, com boa vontade e pronta para enfrentar as 80 questões do primeiro dia. Todo mundo já tinha me falado que os textos eram bem grandes, era uma prova cansativa (mas não impossível) então acabei indo de mente aberta mesmo.

    Claro que no inicio foi aquele susto: a prova era gigante e eu acho que na questão 15 a minha vista já estava cansada. Mas depois eu acabei pegando o ritmo, fazendo com mais vontade, prestando a atenção nas questões; muitas tinham temas que eu nunca havia ouvido falar (ou um enunciado sobre algo que eu já aprendi, mas as alternativas eram mais complexas) porém pude perceber uma semelhança com as provas do colégio. O que é um ótimo sinal, não é?

    Mas o dia que eu acho que me dei bem mesmo foi o segundo, com as questões de interpretação de texto! Conferi o gabarito depois e segundo a minha mãe, acertei várias, o que me deixou bem feliz. Mas o mais esperado era a redação. Minha expectativa estava alta e eu espero garantir uma boa pontuação. Gostei do tema (que era lei seca) e acho que consegui fazer um bom texto, no padrão. Foram 27 linhas e demorei uma hora, desenvolvendo e passando para a folha oficial.

    Pena que o resultado só dá pra ver no ano que vem! Mas foi ótimo para ir treinando, percebendo como é a experiência e o fato de que afinal a prova não é um bicho de sete cabeças mas é necessário muito estudo e principalmente, estar ligado nas notícias gerais e o que acontece ao nosso redor. E ano que vem, lá vou eu de novo! Só sei que já estou me preparando para a loucura que vai ser o terceirão…

    subir
    elas disseram TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © 2017 // DESIGN POR SARA SILVA