• large-2
    Comportamento, Séries, TV

    As personagens femininas de Skam

    ver post
  • large
    Música

    Playlist: Junho

    ver post
  • large-2
    Culinária, Diversão

    Os melhores burgers de Florianópolis

    ver post
  • large-2
    Blogs

    O blog está de cara nova!

    ver post
  • January 14, 2017
    postado por

    O ano de 2016 foi bem difícil para a política e o mundo em geral. E isso afetou milhares de pessoas, e também chegou até a mim. É impossível, na minha opinião, não se importar com tudo o que anda acontecendo. Uma das minhas maiores decepções no ano anterior foi quando eu soube da vitória do Donald Trump. Raiva e decepção não resumem o meu desgosto: foi uma sensação ainda pior. “Mas ele não tem nada a ver com o Brasil”, muita gente me disse. Mas é importante lembrar que as tendências mundiais influenciam diretamente o nosso país e o globo inteiro. E a vitória do Trump não irrita apenas norte-americanos, e sim todos aqueles que lutam contra a homofobia, o racismo, o sexismo e todos os tipos de preconceitos e repressão das minorias.

    2017 começou com diversos crimes de feminicídio. Não se surpreenda se você viu pouca ou nenhuma notícia no jornal. A mídia muitas vezes não fala sobre isso, por isso cabe a nós, que temos algo poderoso nas mãos – como a internet – continuar debatendo, comentando e lutando contra, mesmo que nossas atitudes não sejam iguais. Foi pensando nisso que eu quis falar novamente sobre feminismo aqui no blog e mostrar artes que inspiram e foram criadas com o intuito de divulgar esse movimento.

    Irritada, mas esperançosa. Ou tentando ser. (Ambivalently Yours)

    Irritada, mas esperançosa. Ou tentando ser. (Ambivalently Yours)

    Eu me visto para mim mesma (Tea Rose Wright)

    Todos os corpos são bons (Hana, Frizz Kid).

    Todos os corpos são bons (Hana, Frizz Kid).

    Garotas podem fazer tudo (We Heart It)

    Estupradores estupram pessoas, e não roupas (We Heart It)

    As cantadas são uma reflexão sobre eles, e não sobre você (Hana, Frizz Kid)

    As cantadas são uma reflexão sobre eles, e não sobre você (Hana, Frizz Kid)

    Não estou interessada, me deixe em paz (We Heart It)

    Carol Rosetti

    Carol Rosetti

    Chega de violência contra mulheres e garotas

    Carol Rosetti

    Carol Rosetti

    Mulheres são perfeitas (Womens March on Washington 2017)

    April 12, 2016
    postado por

    Faz um bom tempo que eu não faço um post de inspirações aqui no blog. O outono já começou, e agora o clima começa a dar os primeiros indícios do frio (dependendo de onde você mora, aqui no Sul ainda está bem quente). Mas é possível começar a usar aquela jaqueta que você ama ou uma calça de cintura alta de novo.

    lb1!

    Da esquerda para a direita: 1. Lori A 2. Luanna Perez 3. Rachel-Marie 4. Ana Luísa Braun 5. Victoria Emi 6. Masha Kuprianova

    Street style

    large (1)

    large (2)

    large (3)

    large

    large (4)

    February 10, 2016
    postado por

    Desde que eu comecei a ficar viciada no Tumblr ano passado, eu comecei a acompanhar artistas que postam os seus trabalhos por lá. É um espaço onde você pode encontrar muitas pessoas talentosas, com ideias originais e criativas, e que também expressam os seus sentimentos por meio dos desenhos, das ilustrações e da arte em geral. Eu sempre gosto de pesquisar muito e achar outros blogs para acompanhar no site. Pode se tratar um pouco de gosto pessoal também, mas vale a pena dar uma olhada. Eu já fiz um post sobre ilustrações feministas também!

    large

    Anastasia Tasou

    Eu conheci o trabalho da britânica Anastasia Tasou pelo Instagram ano passado, e desde então venho acompanhando os desenhos dela no seu Tumblr (e também site oficial) e eles são incríveis; o legal é que é bem fácil se identificar, já que eles tem o intuito de expressar diversos sentimentos, como tristeza, solidão, felicidade, por meios dos seus traços e das frases, que sempre ganham um espaço importante nos seus desenhos. Ela é uma das minhas artistas favoritas e sempre cria projetos diferentes, como o “Your Secret”, em que as pessoas poderiam enviar por escrito algo que elas gostariam de expressar, e ela transformaria em uma ilustração.

    large (1)

    tumblr_nwn1b1YBSJ1u2f6pgo1_400

    Você pode conferir a loja virtual dela aqui!

    Geneviève Darling

    geneviève

    A canadense de Montréal tem um dos Tumblrs mais legais quando se fala sobre desenhos voltado para o público feminino, principalmente para quem apoia o feminismo. Se você também quer aprender mais sobre e também poder ver ilustrações maravilhosas sobre o empoderamento das mulheres, esse é o lugar certo. A artista também diz na sua página que o seu objetivo é dar mais visibilidade para as garotas lésbicas e queer por meio do seu trabalho. Ela tem uma loja no Etsy (um site que transforma os desenhos dos artistas em estampas e outros produtos) com T-Shirts lindas; ah, e o site entrega no Brasil. Geneviève também está no Instagram.

    tumblr_nuce80QNEZ1tseivwo4_1280

    geneviève

    Impossível não amar!

    gemma

    Gemma Flack

    A Gemma tem 20 anos e nasceu na Inglaterra, mas ela atualmente mora em Melbourne, na Austrália. Eu conheci a sua arte no final de 2015 enquanto navegava pelo Tumblr. Quando eu me deparei com os seus desenhos, me apaixonei na hora. O feminismo, os anos 80/90 e o movimento body positive são algumas das muitas coisas que a inspiram na hora de ilustrar. Eu gosto muito de acompanha-la em todas as redes sociais (dê uma olhada no IG dela!). Sabe aquelas meninas que você admira de verdade? Então! Também curto muito o estilo dela.

    tumblr_o03hqwPhAF1qbz0tno1_540

    tumblr_ns9185SFZK1qbz0tno1_1280

    Ela também tem a sua loja no Etsy!

    tumblr_o0d5h1Qlwu1soqnzxo1_500

    Olivia Moriarty

    Olivia Moriarty tem 18 anos e vive na Austrália: ela sempre desenhou, desde pequena, e está no final do ensino médio. Eu descobri mais sobre ela e o seu trabalho em uma entrevista recente que ela concedeu para Rookie Magazine. Ela revela que costuma fazer auto-retratos e usa fotos suas para se basear em referências de pose: por isso também sempre foi mais automático para ela desenhar mulheres. Ela também disse que ao longo do ano, alguns dos seus trabalhos serão exibidos pela primeira vez em uma exposição. 

    tumblr_npo879oZ9Q1soqnzxo1_1280

    tumblr_nyzahusLM21soqnzxo1_500

    E o Tumblr pessoal dela também é bem interessante, vale dar uma olhada!

    September 5, 2015
    postado por
    blog1

    Título: To All The Boys I’ve Loved Before – P.S: I Still Love You

    Autor (a): Jenny Han

    Data de lançamento no Brasil: Primeiro semestre de 2016

    Sinopse: Lara Jean não esperava realmente se apaixonar por Peter. Ela e Peter estavam só fingindo. Até que, de repente, eles não estavam mais. Agora, Lara Jean está mais confusa do que nunca. Quando outro garoto do passado retorna a sua vida, os sentimentos de Lara Jean por ele retornam também. É possível uma garota estar apaixonada por dois caras ao mesmo tempo? Nesta charmosa e sincera sequência do best seller do The New York Times, “Para Todos Os Garotos Que Eu Já Amei”, nós vemos o amor por trás dos olhos da inesquecível Lara Jean. Amor nunca é fácil, mas talvez isso seja parte do que o torna tão incrível. (Traduzido do Goodreads).

    Preço: $11,66 no Amazon

     Trago em primeira mão para vocês a resenha do segundo volume de “Para Todos Os Garotos Que Já Amei”, que eu comprei em Julho desse ano e fiquei completamente apaixonada pela história! Esse também foi o primeiro livro todo em inglês que eu li. Depois que terminei o primeiro e fiquei sabendo que a sequência só seria lançada aqui no Brasil em 2016, eu juro que fiquei louca. Eu tinha que saber a continuação da história de qualquer jeito! Para minha sorte, uma amiga estava indo para Orlando dali alguns dias. Pedi para ela comprar o livro, que havia sido lançado nos EUA em Maio. A capa dura é simplesmente linda, amei essa versão. É muito charmoso e igual vocês podem ver aí na foto.

    No primeiro livro, Lara Jean e Peter começam um relacionamento falso, já que ela quer despistar o fato de uma das suas cinco cartas para os garotos do qual ela já havia gostado, ter sido enviada para o seu vizinho e também ex-namorado da irmã, o Josh. Mas ao longo do enredo os dois acabam se aproximando de verdade como já era esperado e a relação e amizade deles se torna ainda maior. No inicio deste, ela e Peter estão juntos, mas não há nada definido. Ela tem medo de rotular a relação dos dois, se apaixonar demais, ou não saber lidar com a situação, já que todos os seus amores anteriores nunca se concretizaram: eles sempre foram platônicos, e ela não tinha que lidar com nenhum problema real em um namoro.

    A autora traz novos conflitos o tempo todo durante a história, e faz aquele truque que sempre está presente nos livros que amamos: você se apaixona por alguns dos personagens, os odeia nos próximos capítulos, e fica torcendo muito para que o seu casal favorito dê certo. Genevive também ganha um pouco mais de espaço dessa vez; a inimizade entre ela e Lara Jean, que na verdade foram melhores amigas na infância, se torna maior quando um vídeo da protagonista e do Peter em um momento íntimo vaza na internet e se torna um viral, e Gen é a principal suspeita.

    Enquanto tudo isso acontece, Peter continua bem próximo de Genevive, o que deixa os sentimentos da protagonista ainda mais confusos; ela não sabe o que fazer e se sente bem insegura. Achei interessante que a Jenny Han também adicionou passagens sobre o feminismo no início da história, algo que eu estava torcendo para que acontecesse desde o primeiro volume. Lara Jean cresce e se torna uma pessoa mais madura, aprendendo a priorizar os sentimentos dela.

    Eu senti falta da Margot, mas a personagem passa o tempo todo na faculdade na Irlanda, mesmo que receba algumas menções durante o enredo. Eu fiquei curiosa para saber se o namoro dela com o Josh teria um futuro, mas eles não tiveram uma participação fundamental para a história dessa vez. Bem diferente do pai de Lara Jean e Kitty, que estão mais presentes do que nunca. É nítido o crescimento da irmã mais nova da família Covey.

    Agora, vamos falar sobre um dos personagens intrigantes da história: John Ambrose McClaren foi um dos antigos amores de Lara Jean, e agora ele está de volta, fazendo-a lembrar de sentimentos que ela nutria por ele antes de entrar no ensino médio. É impressionante como a autora nos convence a gostar de alguns personagens, e esse é o caso do John. Ele é mais romântico e diferente do Peter, e acaba fazendo a protagonista questionar se é possível gostar de outra pessoa; ele aparece justamente quando o namoro dela está em uma péssima situação.

    Ela seria capaz de se apaixonar de novo, quando o Peter foi o seu primeiro relacionamento real? Não vou dar spoilers, mas juro que não é aqueles triângulos amorosos chatos e clichês que irritam o leitor. Esse vai te deixar ansioso e torcendo por ambos os personagens: Peter e John.

    É um livro para quem gosta de romance, passagens fofas e bons quotes. Os personagens também são muito bem desenvolvidos, e você realmente conhece todas as características deles e consegue imaginá-los perfeitamente durante a leitura.

    O final foi bem satisfatório, por mais que eu acha que poderia ter sido maior, sabe? Alguns livros sempre tem aquele fim que parece que foi feito mais ás pressas, ou é porque te deixam com aquele gosto de quero mais. A autora disse que um terceiro livro não iria acontecer, mas eu não ia reclamar se houvesse um. Depois dessa ótima experiência lendo os dois livros dela (e também a coleção em parceria com a Siobhan Vivian) eu quero ler também a série “The Summer”, que é a mais famosa dela.

    P.S: Se você saca um pouco de inglês, quer expandir o seu vocabulário ou faz curso, indico muito começar a ler livros de inglês pra ir treinando. Exige mais tempo e paciência do que ler um em português, é claro, mas é muito bom para aprender mais. As palavras que eu não sabia, eu pesquisava no Translate, o meu app do celular, e isso te faz aprender muitas expressões e palavras novas.

    blog2

    O próximo livro a ganhar resenha é “Ligações”, da linda da Rainbow Rowell

    April 26, 2015
    postado por

    Taylor Swift é a mais nova capa da Glamour UK de Junho. A publicação britânica fez um ensaio fotográfico incrível com a Taylor e além dela ser a matéria principal, a cantora também virou “editora chefe” da revista naquele mês e assinou algumas matérias; sim, ela escreveu alguns artigos. O tema da edição era empoderamento das mulheres. Ela escreveu uma matéria sobre as garotas que mudaram a sua vida, outra citando as que a inspiram, e dando dicas dos melhores restaurantes em NY, Los Angeles e Sydney.

    A cantora comentou sobre como foi fazer o primeiro álbum pop da sua carreira, quando a própria equipe que trabalhava com ela ficou na dúvida se aquilo daria mesmo certo, até porque, Taylor sempre fez sucesso no gênero country.

    “A única coisa que eles tiveram um problema foi comigo fazendo um álbum pop. Eles estavam bem assustados que eu não conseguiria manter o nível de sucesso que eu tive com o Red. Mas eu não me importei. Seria minha culpa se nós não vendêssemos nem a metade do que eles queriam, e eu sabia disso. Mas eu sabia que não poderia deixar os fãs confortáveis com o que eu estava fazendo. Nós temos que entreter as pessoas. Repetir uma coisa de novo e de novo não entretém.”

    O trecho mais polêmico da entrevista foi o que a Tay comentou sobre as críticas que a mídia faz dela sobre os seus supostos namorados, que já rolam faz anos, mas com o lançamento do novo CD acabaram abaixando um pouco. O 1989 foi o álbum mais vendido nos Estados Unidos em 2014 (e olha que ele foi lançado em Novembro!) e já alcançou as 7 milhões (!!!) de cópias, batendo muitos recordes. Um álbum, na indústria musical atual, alcançar só 1 milhão já é um grande feito, pois o mercado dos CDs físicos anda perdendo muitas vendas todos os anos (por causa do iTunes e serviços de streaming como o Spotify).

    “Acho que a mídia me passou uma mensagem bem injusta nos últimos anos, no qual eu não era permitida a namorar por alegria, diversão, ou novas experiências, ou aprender lições. Eu não sou “permitida” à namorar se não for duradouro, ou uma relação que dure vários anos. Se não, eu sou uma “namoradora em série” ou “louca por garotos.” A narrativa tem sido tão errada, toda vez é a mesma coisa. É: “Taylor é vista com um cara, ela está perseguindo ele.” Eles criavam um início para uma história que não acontecia na maioria das vezes, então eles precisavam criar um final. Eles sempre tinham que ir com uma alguma coisa fabricada, então eles usavam o mesmo final que todos os outros tabloides, como “ela é muito pegajosa”, “Taylor tem muitas emoções, ela assustou ele.” O que, honestamente, nunca foi a razão para nenhum dos meus términos. Sabe qual foi a razão? A mídia. Você pega algo tão frágil, como tentar conhecer alguém, e é como andar no meio de uma arena de gladiadores com alguém que acabou de conhecer. E de repente toda a mídia e o público tem permissão de aprovar ou não. Então, eu nem tento mais.”

    Ela também revelou o motivo de não fazer músicas com referências sexuais, mas deixou claro que aprecia as garotas que cantam o que elas querem cantar.

    Você sabe, todo mundo tem prioridades diferentes como artista. Toda mulher tem diferentes coisas que a fazem se sentir fortes e poderosas. Para mim, eu não tenho uma necessidade ou impulso de escrever sobre sexualidade explicitamente. Apenas nunca me ocorreu. Eu aprecio garotas que cantam sobre o que elas querem, porque é isso que elas querem cantar.

    Ela também revelou que não sente muita prioridade em tentar parecer legal ou que não se importa com as coisas que acontecem ao seu redor.

    Eu não dou muita prioridade em tentar ser legal. E acho que aos 25 anos, estou finalmente OK em me sentir assim. Eu já falei isso antes. Acho que existe uma prioridade em tentar ter essa personalidade que aparenta ser legal ou da moda, ou tediosa. E todas essas coisas são sexy. Todas essas coisas são chiques, quando você aparenta não ligar para nada, a não ser você mesmo. E eu não compro isso. Fico muito empolgada com várias coisas. E eu não fico entediada com nada disso, então eu não me esforço para parecer assim.

    Confira uma das matérias que ela escreveu também (e a própria cantora publicou no Twitter) sobre as mulheres mais importantes de sua vida.

    subir
    elas disseram TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © 2017 // DESIGN POR SARA SILVA