Livro: A Seleção – A Herdeira
24/05/2015 | Categoria: Livros

Título: A Seleção – A Herdeira

Autor (a): Kiera Cass

Editora: SEGUINTE (Companhia das Letras)

Preço Sugerido: R$29,90

Sinopse: No quarto volume da série que já vendeu mais de 500 mil exemplares no Brasil, descubra o que vem depois do “felizes para sempre”. Vinte anos atrás, America Singer participou da Seleção e conquistou o coração do príncipe Maxon. Agora chegou a vez da princesa Eadlyn, filha do casal. Prestes a conhecer os trinta e cinco pretendentes que irão disputar sua mão numa nova Seleção, ela não tem esperanças de viver um conto de fadas como o de seus pais… Mas assim que a competição começa, ela percebe que encontrar seu príncipe encantado talvez não seja tão impossível quanto parecia.

Eu sei que o quarto livro da série “A Seleção” não estava no meu post de livros do mês, mas quando tive a oportunidade de lê-lo não resisti. Eu não sou muito fã de várias continuações de séries; mas essa foi uma que eu li nos últimos dois anos e me apaixonei. Mesmo que o final do terceiro (e que eu acreditava que seria o último) livro não me satisfez muito, resolvi dar uma chance à esse quarto volume, narrado pela princesa Eadlyn, a filha mais velha de Maxon e America.

Este livro se passa muitos anos depois do fim do último volume, e é narrado por Eadlyn. A personagem é independente, segura e foi ensinada durante toda a sua vida (ela tem dezoito anos) a cumprir o seu papel de princesa e futura rainha de Illéia. Teimosa – assim como a mãe – ela é grata por todos os seus privilégios, mas em alguns momentos preferia não sentir o peso de ser a próxima líder da nação. Eadlyn tem um irmão gêmeo, Ahren, que é a sua outra metade. Também possui dois irmãos mais novos, Kaden e Osten.

Mesmo com o final das castas, terminado há algumas décadas atrás pelos seus pais, a população do país ainda não está totalmente satisfeita com a monarquia. Muitas pessoas passam fome, e o preconceito com as castas sete, seis e cinco ainda existe. As pessoas se dividem, e os que nasceram “livres” não enxergam como viver naquela época era muito difícil.

Com o objetivo de tentar distrair o povo e achar uma solução para tudo isso, Maxon e America propõem a Eadlyn que haja uma nova seleção. Trinta e cinco pretendentes seriam escolhidos e viveriam três meses no palácio. A seleção não acontecia faz um bom tempo – desde que America venceu – e Eadlyn detesta totalmente a ideia. Ela nunca se apaixonou e definitivamente não acha que precisa de um homem ao seu lado para governar. Esses foram pontos interessantes da história; a personagem é bem firme (mesmo que ela seja meio egoísta e irritante em alguns momentos) e não acredita que precisa de um príncipe para ajudá-la. E como eu adoro personagens femininas assim, achei que foi um ponto positivo.

O livro se desenvolve rapidamente (eu li em um dia!) e eu adoro a forma como a autora conduz o enredo. A cada capítulo, novas coisas vão acontecendo e você nunca fica no tédio durante a leitura. Essa é uma característica forte da Kiera Cass. 

Se tem romance na história? Tem sim, é claro! Mas ele acontece aos poucos. O meu personagem favorito (e que entrou na seleção por acaso) é o Kile. Ele é interessante e cativante, e faz o leitor gostar dele rapidamente. Também adorei o Erik e o Henri.

No inicio, eu achei que a autora só queria dar uma enrolada à mais com outro livro estendendo a história. Mas vale a pena ler sim, porque eu fiquei instigada do inicio até o final. Só senti falta de um aprofundamento maior na America, mas eu entendo que ela não é a protagonista dessa vez; só que a personagem sempre se destacou muito e me pareceu estranho vê-la de um jeito mais superficial.

Foi legal também rever outros personagens, como o Aspen, Lucy e a May. E a conexão de Eadlyn com o seu gêmeo Ahren ganha destaque.

O livro vai ter continuação (como fica bem claro para o final) e eu fiquei muito curiosa. Foi um final bem surpreendente – do jeito que a autora ama fazer – e vou acabar me rendendo e lendo toda essa nova coleção. O quinto ainda não tem previsão de lançamento, mas a autora já está escrevendo-o.


Livros do mês
17/05/2015 | Categoria: Livros

Eu sei, faz um tempinho que eu não publico resenhas ou wishlist de livros aqui no blog. Mas é que o terceiro ano está me deixando ainda mais ocupada que o ano passado – e olha que eu não achava que isso fosse possível! – e fica mais complicado terminar todas as leituras. No momento, estou lendo Morte Súbita, da J.K Rowling. Vai ter resenha aqui no blog, mas talvez demore um pouco, porque o livro em si é bem lento (mas eu estou gostando).

Com o meu aniversário chegando (é amanhã, 18 de Maio!) eu escolhi alguns livros que irei ganhar de presente. E vocês vão conferi-los aqui nos posts muito em breve.

malala

Eu Sou Malala

Confesso que estou um pouco atrasada e muitas pessoas que eu conheço já leram o livro que conta a história da menina mais jovem a ganhar um prêmio Nobel, aos 16 anos, a Malala Yousafzai. Ela lutou pelo seu direito de estudar no Talibã: lá, as meninas são proibidas de irem à escola. Ela também defende o feminismo e é uma ativista, com o apoio da ONU. Eu estou super interessada em ler essa história. Toda a situação que rola no Oriente Médio é bem difícil de entender, mas eu estou tentando, aos poucos. É ano de vestibular, e depois de ler muito sobre o assunto, consegui compreender mais. Ela também figura na lista da Time de pessoas mais influentes do mundo.

Malala Yousafzai recusou-se a permanecer em silêncio e lutou pelo seu direito à educação. Mas em 9 de outubro de 2012, uma terça-feira, ela quase pagou o preço com a vida. Malala foi atingida na cabeça por um tiro à queima-roupa dentro do ônibus no qual voltava da escola. Poucos acreditaram que ela sobreviveria. Mas a recuperação milagrosa de Malala a levou em uma viagem extraordinária de um vale remoto no norte do Paquistão para as salas das Nações Unidas em Nova York. Aos dezesseis anos, ela se tornou um símbolo global de protesto pacífico e a candidata mais jovem da história a receber o Prêmio Nobel da Paz. Eu sou Malala é a história de uma família exilada pelo terrorismo global, da luta pelo direito à educação feminina e dos obstáculos à valorização da mulher em uma sociedade que valoriza filhos homens.

 paula pimenta

Minha Vida Fora de Série: Terceira Temporada

Paula Pimenta é uma das minhas autoras brasileiras favoritas. Já li todas as séries dela, e é com muita expectativa que espero o lançamento do terceiro livro da jornada de Priscila, que tem lançamento marcado para 9 de Julho. O livro já está em pré-venda em várias livrarias de todo o Brasil (no site da Saraiva está custando R$30). O que eu mais curto na autora é o fato de ela te surpreender a cada página. Emocionar o leitor, deixá-lo ansioso, e também conseguir fazer você se apegar muito pelos personagens. Saudades Fani e Leo.

Três anos se passaram desde a 2ª temporada de “Minha vida fora de série”. Priscila, agora com 19 anos, percebe que tem que deixar a adolescência para trás e começar a lidar com as responsabilidades da vida adulta: o namoro com Rodrigo, cada vez mais sério; o início da faculdade, que ela ainda tem dúvidas se escolheu a certa; as novidades na família, que mais uma vez transformam seu cotidiano. Mas, como nos seriados que tanto ama, ela também vai passar por muitas reviravoltas e confusões, e descobrir que alguns acontecimentos de episódios passados podem afetar os atuais. Não perca mais esta temporada imperdível da vida fora de série de Priscila.

Ligações_CAPA.indd

Ligações

Bora completar a coleção de livros da Rainbow Rowell? Após ter me apaixonado pela autora quando li Eleanor & Park e Fangirl, eu decidi que gostaria de ter todos os lançamentos dela. Eu não me empolguei muito com o Anexos – o primeiro que ela lançou – mas isso não foi motivo para não comprar o Ligações, um dos seus livros que ganhou o prêmio de melhor ficção de 2014 no Goodreads. E olha, isso é pra poucos, viu? O Goodreads é o Skoob gringo; leitores do mundo inteiro debatem sua opinião sobre livros, autores, histórias, e eles não tem medo de criticar. Até os autores famosos estão por lá, falando com os fãs e fazendo reviews de livros!

Georgie Mccool sabe que seu casamento está estagnado. Tem sido assim por um bom tempo. Ela ainda ama seu marido, Neal, e ele também a ama, profundamente – mas o relacionamento entre eles parece estar em segundo plano a essa altura. Talvez sempre esteve em segundo plano. Dois dias antes da tão planejada viagem para passar o Natal com a família do marido em Omaha, Georgie diz a ele que não poderá ir, por conta de uma proposta de trabalho irrecusável. Ela sabia que ele ficaria chateado – Neal está sempre um pouco chateado com Georgie –, mas não a ponto de fazer as malas e viajar sozinho com as crianças. Então, quando Neal e as filhas partem para o aeroporto, ela começa a se perguntar se finalmente conseguiu. Se finalmente arruinou tudo. Mas Georgie estava prestes a descobrir algo inacreditável: uma maneira de se comunicar com Neal no passado. Não se trata de uma viagem no tempo, não exatamente, mas ela sente como se isso fosse uma oportunidade única para consertar o seu casamento – antes mesmo de acontecer… Será que é isso mesmo o que ela deve fazer? Ou ambos estariam melhor se o seu casamento jamais tivesse acontecido?


Livro: Maze Runner – Prova de Fogo
16/02/2015 | Categoria: Livros

Título: Maze Runner  – Prova de Fogo

Autor (a): James Dashner

Editora: V&R Editoras

Preço Sugerido: R$23,90

Sinopse: Depois de superarem os perigos mortais do Labirinto, Thomas e seus amigos acreditam que estão a salvo em uma nova realidade. Mas a aparente tranquilidade é interrompida quando são acordados no meio da noite por gritos lancinantes de criaturas disformes – os Cranks – que ameaçam devorá-los vivos. Atordoados, os Clareanos descobrem que a salvação aparente na verdade pode ser outra armadilha, ainda pior que a Clareira e o Labirinto. E que as coisas não são o que aparentam. Para sobreviver nesse mundo hostil, eles terão de fazer uma travessia repleta de provas cruéis em um meio ambiente devastado, sem água, comida ou abrigo. Calor causticante durante o dia, rajadas de vento gélido à noite, desolação e um ar irrespirável – no Deserto do novo mundo até mesmo a chuva é a promessa de uma morte agonizante. Eles, porém, não estão sozinhos – cada passo é espreitado por criaturas famintas e violentas, que atacam sem avisar. Manipulação, mentiras e traições cercam o caminho dos Clareanos, mas para Thomas a pior prova será ter de escolher em quem acreditar.

Eu li o primeiro livro da série perto do filme estrear – em Outubro de 2014 – e como eu havia comprado o volume 1 e o 2 juntos no site da Saraiva, agora no final das férias arrumei um tempo para ler o Scorch Trials, ou em título brasileiro, Prova de Fogo. Nesta continuação, após apenas alguns dos clareanos e Thomas conseguirem escapar do terrível labirinto, o pior ainda estava guardado para eles. O CRUEL – algo que ainda é misterioso para eles, e os  responsáveis por terem os feito passar por tudo aquilo – os coloca na segunda fase do experimento, a etapa 2.

Nesta nova situação que eles serão obrigados a enfrentar, às emoções dos personagens ficam ainda mais constantes, assim como o suspense no livro, que aumenta consideravelmente. Vários personagens novos também são adicionados, como o grupo B, que também passou pela experiência do labirinto. A diferença é que este grupo é composto todo por garotas, o contrário do grupo A. Conhecemos também os Cranks, que são as pessoas que também foram enviados pelo CRUEL para o deserto, e que já estão contaminados pelo Fulgor, a doença que disseminou toda a população mundial. Aos poucos, o contaminado corre o risco de ficar louco, insano e perder completamente o controle do seu lado humano, se não usar a cura.

Logo de inicio Teresa e Thomas, que possuem uma ligação forte (além da telepatia) são separados. Isso é o necessário para deixar o personagem nervoso, já que os dois aprenderam a lidar com quase tudo juntos. Porém, ele se aproxima ainda mais de Newt (meu personagem favorito) e Minho. E Thomas também tem que superar a raiva que ainda está sentindo pela morte de um dos seus melhores amigos, o Chuck.

Muitos momentos de tirar o fôlego e surpreendentes acontecem. Além de estarem sem água, comida, ou abrigo, eles precisam explorar o deserto e tem somente quinze dias até chegar em um local determinado pelo CRUEL, para conseguir a suposta cura do fulgor e estarem à salvo. Mas é claro que surgem várias surpresas pelo caminho. Thomas também conhece Brenda, uma crank que ainda não foi dominada completamente pela doença, e que vai se tornar uma nova amiga para ele.

Finalmente temos algumas respostas, mas muitas outras surgem durante a leitura. Eu pessoalmente achei o Prova de Fogo bem melhor que o Correr ou Morrer. Ele é mais intenso, emocionante, e eu também li bem mais rápido (em dois dias, o outro demorou mais de uma semana!). O livro tem um final angustiante e eu já quero comprar logo o volume 3, e também o último. Espero que o autor capriche no final pra justificar tanta coisa que rolou sem motivos aparentes nos dois primeiros livros.

Ah, e a adaptação cinematográfica do Scorch Trials vai ser lançada em 17 de Setembro aqui no Brasil.


Livro: O Doador de Memórias
30/01/2015 | Categoria: Livros

Título: O Doador de Memórias

Autor (a): Lois Lowry

Editora: Arqueiro

Preço Sugerido: R$16,10

Sinopse: A premiada autora Lois Lowry constrói um mundo aparentemente ideal onde não existem dor, desigualdade, guerra nem qualquer tipo de conflito. Por outro lado, também não há amor, desejo ou alegria genuína. Os habitantes de uma pequena comunidade, satisfeitos com a vida ordenada, pacata e estável que levam, conhecem apenas o presente – o passado e todas as lembranças do antigo mundo lhes foram apagados da mente. Um único indivíduo é encarregado de ser o guardião dessas memórias, com o objetivo de proteger o povo do sofrimento e, ao mesmo tempo, ter a sabedoria necessária para orientar os dirigentes da sociedade em momentos difíceis. Aos 12 anos, idade em que toda criança é designada à profissão que irá seguir, Jonas recebe a honra de se tornar o próximo guardião. Ele é avisado de que precisará passar por um treinamento difícil, que exigirá coragem, disciplina e muita força, mas não faz ideia de que seu mundo
nunca mais será o mesmo.

Para quem não sabe, esse livro foi originalmente publicado em 1993. E a adaptação de Hollywood da história foi lançada ano passado (aquela que tem até a Taylor Swift no elenco). A minha prima ganhou de presente e eu peguei para lê-lo antes da viagem acabar. A história traz o tema de distopia – que nunca esteve tão em alta ultimamente – mas na minha opinião aqui o autor já ganha vários pontos por trazer uma história bem original, antes de tantas séries de distopia terem sido lançadas, como nos dias de hoje.

O protagonista é Jonas, um menino de 12 anos, que vive em uma comunidade utópica. Todos os seres humanos de lá foram de alguma forma modificados. Eles não tem profundidade nos seus sentimentos e uma suposta paz está instaurada. Ou seja, não existe mais guerra. Não há ciúmes, inveja, competição, e nem amor de verdade. Ou música, cores. Ou seja, eles não possuem sensações, veem o mundo apenas de uma forma simples, como se fosse no preto e branco.

Cada jovem e adulto é dividido em áreas diferentes para se trabalhar, onde acham que eles se enquadram mais, no que levam aptidão para fazer. Alguns cuidam dos idosos, outras mulheres tem os filhos (cada marido e esposa só tem direito há dois filhos, uma menina e um menino, que não são deles realmente). O papel mais importante é o de Doador, uma pessoa que só é escolhida anos após muitos anos, e é o cargo máximo na comunidade. O Doador fica responsável por receber as lembranças para que um equilíbrio exista nessa nova sociedade. Porém, ele tem acesso à tudo que os outros não tem (sensações, senso de justiça, emoções, cores, etc).

Quando completa 12, Jonas já sabe que o que ele fará pelo resto da vida será escolhido em uma das cerimônias que acontecem todos os anos. Mas para a sua surpresa maior, ele é o escolhido como o próximo Doador, o que o pega desprevenido, já que isso nem havia passado pela sua cabeça. A partir dai, ele será ensinado pelo novo Doador tudo o que precisa saber. E é uma tarefa difícil, no qual ele precisa receber também o sofrimento e conhecer todos os lados da vida. Antes, era tudo simples.

A história vai se desenvolvendo e ele descobre que a sua comunidade não é a única. Há outra em que as pessoas podem ser como ele. Então, ele precisa ir em busca deles e durante o enredo descobre que nada do que ele vivia era tão perfeito como parecia. Muitas pessoas – inclusive os seus pais – guardavam segredos.

O livro acaba sem ter exatamente um final. Eu pesquisei, e não tinha achado uma continuação da história, até ver que “A Escolhida” era uma suposta sequencia, mas vários blogs afirmaram nas resenhas que não é exatamente isso. Dai fiquei na dúvida. A história me interessou bastante a partir da metade. Aliás, ela é muito rápida de ler. São só 192 páginas, quem lê rápido consegue devorar tudo em um dia (ou dois, que foi o meu caso).

Também fiquei sabendo que o livro é mega popular nos EUA, inclusive os adolescentes tem que lê-lo no ensino médio. Eu gostei bastante e indico pra quem quer matar o tempo nas férias. A escrita dele é ágil, bem fácil de ler também (não cansa!) e empolga o leitor.


Livro: Os Instrumentos Mortais – Cidade dos Ossos
28/01/2015 | Categoria: Livros

Título: Os Instrumentos Mortais – Cidade dos Ossos (Volume 1)

Autor (a): Cassandra Clare

Editora: Galera Record

Preço Sugerido: R$17,70 aqui

Sinopse: Um mundo oculto está prestes a ser revelado… Quando Clary decide ir a Nova York se divertir numa discoteca, nunca poderia imaginar que testemunharia um assassinato – muito menos um assassinato cometido por três adolescentes cobertos por tatuagens enigmáticas e brandindo armas bizarras. Clary sabe que deve chamar a polícia, mas é difícil explicar um assassinato quando o corpo desaparece e os assassinos são invisíveis para todos, menos para ela. Tão surpresa quanto assustada, Clary aceita ouvir o que os jovens têm a dizer… Uma tribo de guerreiros secreta dedicada a libertar a terra de demônios, os Caçadores das Sombras têm uma missão em nosso mundo, e Clary pode já estar mais envolvida na história do que gostaria.

CONTÉM SPOILERS!

Podem me chamar de atrasada, eu sei! Cidade dos Ossos é um livro bem famoso da literatura juvenil e quase todo mundo que é apaixonado por livros já conferiu, mas eu demorei um tempão pra começar a lê-lo de fato. Nas minhas férias no RJ, minha prima tinha ele e eu resolvi finalmente começar essa leitura (e eu tinha expectativas altas, já que sempre vi que a série tem uma legião enorme de fãs).

A protagonista é Clarissa Fray, uma menina de 15 anos (quase completando 16) que vê a sua vida mudar de uma hora para à outra em uma noite, quando ela vai em uma boate famosa de Nova York com o seu melhor amigo, o Simon. Clary testemunha um crime, que foi praticado por três jovens vestidos de preto, misteriosos. Porém, ela é a única que enxerga tudo isso. Mais ninguém – além dela – consegue ver Jace, Alec e Isabelle, que são Caçadores das Sombras. E em teoria, Clary – que seria uma mundana – não poderia vê-los.

É a partir deste momento que ela vai conhecer um mundo que nem sabia que existia, e também irá começar a questionar muitas coisas da sua vida, como o fato de sua mãe ser sempre misteriosa, não contando nenhum detalhe sobre a identidade do pai dela. Clary começa a ter conhecimento do fato de que lobisomens, vampiros, feiticeiros e outras criaturas sobrenaturais existem. O livro é repleto de ação, por mais que alguns capítulos sejam com vários diálogos e acontecimentos um pouco mais lentos, há bastante trechos de tirar o fôlego do leitor.

Com o tempo, ela descobre que também é uma Caçadora das Sombras e que isso está no seu sangue; por mais que ela nunca tenha se imaginado matando nenhum demônio. Como já era esperado, um dos personagens que eu mais gostei foi o Jace, que é sarcástico, engraçado, e aqueles personagens bad boys que as autoras colocam nas séries e todo mundo ama. Também gostei do Simon, que é aquele melhor amigo apaixonado pela protagonista, que está sempre tentando ganhar a atenção dela. O livro contém clichês grandes (que sempre aparecem em muitos livros jovens) mas lembrando que ele foi lançado em 2007. Eu só fui ler agora em 2015, depois de já ter visto algumas dessas características em muitos outros livros, por isso que isso me incomodou mais.

A mitologia me agradou. Adoro histórias com coisas sobrenaturais, que exploram outros cenários. É quase sempre uma garantia que o livro vai prender a sua atenção. Eu só achei o desfecho meio confuso (sabe quando você sente que acontece tudo meio rápido demais e fica um pouco perdido?) mas como tem continuação, é bem justificável. Eu vou querer ler o volume 2 sim, gostei da história no geral. Na livraria os preços estão bem caros (em torno de 40 reais) mas pela internet não passa de 28 reais.

Ah, vou assistir o filme nesse final de semana! Indico pra quem tá a fim de ler um livro com esses elementos que eu citei acima (e esteja preparado para embarcar numa série grande, porque já dei uma olhada e vi que tem vários volumes).


Livro: Anexos
27/01/2015 | Categoria: Livros

Gente, eu tô viva sim! Sei que fiquei quase duas semanas sem postar nada no blog, mas é que eu fui para o Rio de Janeiro e fiquei totalmente sem wifi. Até tentei achar um onde eu estava, mas não consegui, então não consegui postar. Mas tenho várias coisas preparadas que atualizarei já nesta semana. E desculpem mesmo pelo sumiço!

Título: Anexos

Autora: Rainbow Rowell

Editora: Novo Século

Preço Sugerido: R$16,90 no site da Saraiva

Sinopse: Beth Fremont e Jennifer Scribner-Snyder sabem que alguém está monitorando seus e-mails de trabalho. (Todo mundo na redação sabe. É política da empresa.) Mas elas não conseguem levar isso tão a sério, e continuam trocando e-mails intermináveis e infinitamente hilariantes, discutindo cada aspecto de suas vidas. Enquanto isso, Lincoln O’Neill não consegue acreditar que este é agora o seu trabalho – ler os e-mails de outras pessoas. Quando ele se candidatou para ser “agente de segurança da internet”, se imaginou construindo firewalls e desmascarando hackers – e não escrevendo um relatório toda vez que uma mensagem esportiva vinha acompanhada de uma piada suja. Quando Lincoln se depara com as mensagens de Beth e Jennifer, ele sabe que deveria denunciá-las. Mas ele não consegue deixar de se divertir e se cativar por suas histórias. No momento em que Lincoln percebe que está se apaixonado por Beth, é tarde demais para se apresentar. Afinal, o que ele diria…?

Esse é o terceiro livro que eu li da Rainbow, logo depois do Fangirl. Ele é narrado por um protagonista masculino, o Lincoln, que tem 28 anos (se não me engano) e se encontra meio perdido sobre o rumo da sua vida. Ele ainda mora com a mãe, não tem tantos amigos, e guarda memórias da sua ex-namorada – a Sam – da época em que ele ainda estava na faculdade. Sem um emprego que goste muito, ele trabalha de madrugada, numa redação, onde é o responsável por monitorar os e-mails dos jornalistas (o livro se passa em 1999, então essa prática ainda era super comum).

A sua vida continua bem pacata, até ele tornar um hábito o fato de sempre ler os e-mails engraçados, sarcásticos e cheios de confissões de duas melhores amigas da empresa: Beth e Jennifer. Ele não sabe quem elas são pessoalmente, mas fica cada vez mais curioso para ler o que elas conversam entre si. Lincoln até tenta acabar com isso, e adverti-las sobre o fato de estarem infringindo as regras da empresa (que não permite mais conversa entre os funcionários por e-mail sem ser sobre o trabalho e agora possui um filtro de conteúdo impróprio, monitorando tudo o que quem trabalha lá conversa pela caixa de entrada) mas ele acaba evitando isso cada vez mais, até sentir que está começando a conhecer as duas, mesmo que virtualmente.

Beth é crítica de cinema, então rola várias referências sobre filmes e músicas também (o que já era de se esperar, essa é uma característica muito legal da Rainbow que ela mantém em todos os seus livros) e a gente pode perceber que essa história de stalkear já existia com bastante força, mesmo na época em que as redes sociais ainda nem tinham nascido direito. Lincoln acaba se apaixonando, meio sem querer, por Beth. Ele não sabe como é a sua aparência física, mas sente que conhece bastante ela pelo que lê dos seus e-mails.

Além do protagonista, também acontece um desenvolvimento interessante por parte dos outros personagens. A mãe dele é super protetora – mesmo que ele já esteja quase com 30 anos! – e Lincoln, no decorrer do enredo, tem que começar a crescer de verdade e sair da zona de conforto dele. Ele compra o seu primeiro apartamento, passa a morar sozinho, a ter alguns amigos e ter coragem para se aproximar da Beth. O desenvolvimento do romance deles só rola mais para o final, mas eu torci pelo casal. E o livro traz a proposta de que é possível se apaixonar por alguém pelo que a pessoa verdadeiramente é, e não pelo que ela parece.

Beth, aliás, já viu ele na empresa e inclusive se interessa pelo Lincoln, mas sem saber que ele secretamente lê os seus e-mails. Eu adorei a amizade dela com a Jennifer também. O livro é gostoso de ler, passa rápido, é divertido e também uma boa indicação de leitura para as férias. Mas eu confesso que achei o Eleanor & Park e o Fangirl beem melhores! Eles me conquistaram mais (talvez pelos personagens serem jovens, então é bem mais fácil se identificar). Mas é questão de opinião, porque a minha prima leu e gostou igualmente também do Anexos.

Lembrando que esse é o primeiro livro da autora; eu acho que ela se desenvolveu muito mais como escritora posteriormente, e focou mais no público jovem. Mas a sua estréia não deixa a desejar. Eu indico pra quem curtiu os outros dois livros dela. E eu mal posso esperar para lançarem outro dela aqui no Brasil (já é uma das minhas autoras favoritas).


Livros, séries e música para as férias
03/01/2015 | Categoria: Livros, Séries

Se você é daquelas pessoas que, como eu, passam vários dias das férias sem fazer absolutamente nada, bem vindo ao clube. Eu fiz tantas coisas nesse ano, foi tanta correria, que a única vez que eu sai de casa foi pra ir na praia uma vez (eu sei que é meio loucura, mas sou preguiçosa) então eu passo a maior parte do tempo vendo séries, no Tumblr, lendo (a autora escolhida das férias é a Rainbow Rowell) e eu vim trazer algumas dicas pra vocês se entreterem nesses dias. É tudo simples, então, não precisa nem se mexer da cadeira pra fazer nada.

Livros

Fazendo Meu Filme – Paula Pimenta: Surpreendentemente, ainda tem muitas pessoas que não leram essa história incrível que é uma das mais famosas do Brasil. Fani, uma adolescente que é apaixonada por filmes, passa por muitas experiências nos quatro livros da série. Ela faz um intercâmbio para a Inglaterra, começa a namorar o melhor amigo, depois embarca para fazer faculdade nos EUA… E o legal é que tem uma edição linda com todos os volumes, em capa dura, e até uma de quadrinhos. Não tem mais desculpa pra não ler!

Eleanor & Park – Rainbow Rowell: Gosta de livros diferentes e que fogem do clichê? Então prepare a caixa de lencinhos e leia Eleanor & Park, o melhor livro (na minha opinião) da autora Rainbow Rowell. Cheio de referências musicais, ele se passa nos anos 80 e mostra o primeiro amor de Eleanor e Park, dois jovens bem diferentes, com vidas totalmente distintas, que começam um relacionamento meio confuso. A história é muito emocionante.

Will & Will – John Green e David Levithan: Já faz três anos que o John Green não escreve um livro, como ele mesmo afirmou no Twitter, e só eu acho que precisamos desesperadamente de um novo? A maioria da galera ainda não leu Will & Will, que é um livro em parceria com o David Levithan – outro autor incrível, aliás – que fala sobre dois personagens chamados Will Grayson, mas eles não tem nada a ver um com o outro, e o desenrolar da história é bem interessante.

Séries

My Mad Fat Diary – UK: Se você ainda não assistiu essa série, dá tempo! O meu 2015 já valeu só pela terceira temporada, que ainda não havia sido anunciada, ter sido finalmente confirmada. O hiatus dura um tempão (normalmente séries britânicas são assim) mas vale muito a pena. MMFD é honesta, emocional, e tem uma trilha sonora maravilhosa. A protagonista é Rae, uma menina que tem problemas psicológicos, e durante a série ela tem que superar eles, e os seus novos amigos a ajudam bastante; um dos pontos altos também é o Finn, provavelmente o melhor personagem masculino já criado na televisão britânica (ok, posso ter exagerado) e que se apaixona pela Rae.

Red Band Society – US: Eu ando preferindo séries que mostram temas mais reais, e Red Band Society mostra a vida de vários jovens em um hospital da Califórnia. Alguns tem câncer, outros anorexia, enfim, todos enfrentam uma doença séria e correm risco de vida. E eles tem que escolher um jeito de lidar com tudo isso, ao mesmo tempo que querem aproveitar a vida e precisam aprender a se relacionar entre si no hospital, já que eles passam a maior parte do tempo lá.

Faking It – US: Se você quer mais é rir nas férias e assistir séries com temas mais leves, Faking It é a melhor pedida. Produzida pela MTV, a primeira temporada mostrou duas melhores amigas – Amy e Karma – que fingiam ser lésbicas na escola, mas o problema é que a Amy acabou se apaixonando. Na segunda, muita coisa acontece no desenrolar da história e os episódios que são curtos – só tem 20 minutos – te garantem algumas gargalhadas. P.S: A Amy é a melhor personagem.

Música

Os links vão direto pro Spotify, onde você pode ouvir os álbuns completos. Se você quiser ouvir no programa, é só jogar o link na barra de pesquisa.

Echosmith – Talking Dreams: Echosmith é uma banda norte-americana da Califórnia. Todos os integrantes são bem novos (e irmãos), a vocalista, Sydney por exemplo, tem só 17 (!) e eles já lançaram o álbum debut da banda, que foi super bem nas paradas. O single “Cool Kids” alcançou ótimas posições na Billboard Hot 100, o que fez eles despontarem cada vez mais. O álbum de estréia é muito bom, e o som deles é um indie pop. As minhas favoritas são “March Into The Sun” e “Tell Her You Love Her.”

LIVESOS – 5 Seconds Of Summer: Não fez nem um ano que os australianos do 5SOS lançaram o primeiro álbum, mas em Dezembro eles já lançaram um live, gravado em diversos shows que os meninos fizeram no decorrer do último ano. Eu amei o CD (se bem que sou suspeita pra falar), e muita gente diz que prefere eles ao vivo, e dá pra sentir super bem a energia do público. Minhas favoritas? Disconnected, She Looks So Perfect (que ganha uma versão beem mais legal live), End Up Here e o cover de Teenage Dream da Katy.

Infinity EP – Against The Current: É muito amor por essa banda <3 Se você ainda não conhece o Against The Current, do qual eu falei aqui, não perca tempo e vá ouvir o EP da banda, que é composto por 5 músicas bem animadas, cheias de energia e com letras sensacionais. Sem falar que é quase impossível não se encantar pela atitude da vocalista, a Chrissy Costanza, que além de cantar muito bem também é bem estilosa. As que eu mais gosto é “Closer, Faster” e “Another You (Another Way).”


Livro: Fangirl – Rainbow Rowell
23/12/2014 | Categoria: Livros

Título: Fangirl

Autor (a): Rainbow Rowell

Preço: R$22,60 na Saraiva

Páginas: 424

Sinopse: Cath é fã da série de livros Simon Snow. Ok. Todo mundo é fã de Simon Snow, mas para Cath, ser fã é sua vida – e ela é realmente boa nisso. Vive lendo e relendo a série; está sempre antenada aos fóruns; escreve uma fanfic de sucesso; e até se veste igual aos personagens na estreia de cada filme. Diferente de sua irmã gêmea, Wren, que ao crescer deixou o fandom de lado, Cath simplesmente não consegue se desapegar. Ela não quer isso. Em sua fanfiction, um verdadeiro refúgio, Cath sempre sabe exatamente o que dizer, e pode escrever um romance muito mais intenso do que qualquer coisa que já experimentou na vida real. Mas agora que as duas estão indo para a faculdade, e Wren diz que não a quer como companheira de quarto, Cath se vê sozinha e completamente fora de sua zona de conforto. Uma nova realidade pode parecer assustadora para uma garota demasiadamente tímida. Mas ela terá de decidir se finalmente está preparada para abrir seu coração para novas pessoas e novas experiências. Será que Cath está pronta para começar a viver sua própria vida? Escrever suas próprias histórias?

Eu estou apaixonada pela Rainbow Rowell gente. É oficial! Essa autora é maravilhosa! Eu comecei a ler o Fangirl com grandes expectativas, porque eu vi vários elogios sobre ele. E não me decepcionei. Sabe aqueles livros que se lê bem rápido, porque a história vai avançando e quando você vê, já chegou no final? Para mim, foi exatamente assim. Se você curte romances melosos, com cenas bem fofas (eu admito que gosto) então vai curtir bastante esse. Se o único que você leu até agora dela foi o Eleanor & Park – igual à mim, antes deste – já aviso que os dois são diferentes. Eleanor & Park é de certo modo mais emocional, maduro e conturbado. E Fangirl, é um YA mais leve, porém passa longe de ser um livro bobo.

A protagonista da história é Cath, uma garota de 18 anos que vive com o pai e a irmã gêmea, Wren. As duas sempre foram inseparáveis – porém diferentes – e melhores amigas, até a partida para a faculdade. Wren decide que elas devem viver novas experiências e não precisam mais ficarem grudadas, como sempre foram, até aquela idade. Começando pelo fato de que as duas não seriam colegas de quarto no primeiro semestre da faculdade, e Cath já estava acostumada a dividir tudo com a irmã e também ser como uma sombra dela.

Cath é completamente apaixonada e obcecada pela série de livros Simon Snow, desde sempre. E além de ser uma grande fã, ela também escreve uma famosa fanfiction na internet, “Vá em Frente” que recebe milhares de acessos todos os dias, com a sua própria versão da história, em que Simon se apaixona pelo inimigo dele, o Baz. As referências à Harry Potter são enormes! No livro, também acompanhamos vários capítulos da fanfic dela. Cath ama escrever e esse é o seu grande talento, e basicamente, quase a única coisa que ela gosta de fazer.

Por isso, ela vai para a faculdade com medo. Nunca foi boa em fazer amigos, e também não fazia esforços para conhecer outras coisas. Não frequentava festas, não sabia conversar direito com garotos, e só tivera um namoro sem graça e não muito real com o seu melhor amigo no ensino médio, o Abel, que já não convive mais com ela. E agora que Wren quer se desvencilhar da irmã, ela se vê sozinha e em pânico com todas essas mudanças radicais, a começar pela sua nova colega de quarto, Reagan, que é bem diferente dela.

Cath precisa enfrentar muitas coisas novas: seu primeiro semestre na faculdade, que é totalmente atribulado. O fato que ela precisa escrever contos que não sejam baseados em Simon ou Baz, o que ela não acredita que seja possível, já que ela se aventurou tanto por esse mundo que não encontra inspiração pra escrever algo sobre a vida dela. E também aos traumas de infância; ela cresceu sem uma mãe, que abandonou ela, Wren e o pai quando pequena, e volta repentinamente querendo contato. Essa é, na minha opinião, uma das partes mais maduras da história.

Agora, preciso destacar o romance incrível do livro. Levi é ex-namorado de Reagan e um garoto engraçado, simpático e especial. Levi sorri e encanta todo mundo, e sempre parece querer conhecer os outros (diferente de Cath). Ele se apaixona por ela aos poucos e o relacionamento deles, que demora para acontecer, vai crescendo capítulo após capítulo. É incrível a habilidade de Rainbow Rowell de fazer casais que combinam muito, e encantam o leitor.

Se eu for apontar as minhas partes favoritas da história, são aquelas em que Cath lê a sua fanfic para o Levi. É bem, bem romântico. Então, se você gosta daqueles livros com casais assim, Fangirl é para você. É bem difícil não se encantar pelo personagem, que é envolvente, carismático, e com uma personalidade bem interessante.

Já comprei o primeiro livro da autora, “Anexos” (mais conhecido como “Attachments”) que foi recém lançado aqui no Brasil. Começo a ler amanhã, então em breve já tem resenha aqui no blog!


Meus presentes de Natal
21/12/2014 | Categoria: Livros, Música

Os meus presentes de Natal são basicamente os mesmos desde que eu tenho uns 11 anos. Eu costumo sempre ganhar livros, mas nesse ano, pedi um CD que eu precisava ganhar: o 1989 da Taylor Swift, e eu prometo que em breve vou postar algumas fotos aqui com todos os meus polaroids. O CD é lindo – e agora eu tenho quase todos da Taylor, só falta um, o primeiro dela que não é vendido no Brasil – e também garanti o Fangirl da Rainbow Rowell que eu mal podia esperar pra ler.

Fangirl – Rainbow Rowell por R$14,10 na Saraiva

Depois de ler o Eleanor & Park, em Julho deste ano, eu senti que PRECISAVA ler mais algum livro da Rainbow Rowell. E urgente! A autora me encantou completamente, e é legal quando lemos um livro YA (Young Adult) que foge dos clichês hoje em dia, já que muitos caem naqueles estereótipos que a gente já cansou de ler, né? E após me apaixonar muito por Eleanor & Park, quando eu vi os elogios que o Fangirl estava recebendo, escolhi esse como o próximo da autora a entrar na minha estante. A personagem principal é a Cath, que é uma nerd, fã dos livros do Simon Snow. Além de ser viciada no best seller, ela também escreve uma fanfiction sobre ele, que faz muito sucesso na internet. Cath nunca teve muitos amigos além da sua irmã gêmea, Wren, e agora ela precisa enfrentar o mundo – sozinha – no seu primeiro semestre na faculdade. E e é claro que rola um romance! Li as primeiras 100 páginas em 40 minutos de tanto que amei, e estou na metade. Vai ter resenha aqui no blog.

Taylor Swift – 1989 Deluxe Edition R$24,90 na FNAC

Quando eu realmente gosto de um CD, tenho que comprá-lo. Não tenho muitos, mas deixo os meus favoritos guardados (tem do Imagine Dragons, Arctic Monkeys, a coleção da Taylor, e alguns outros) e finalmente garanti o meu 1989, com os 13 polaroids. São lindos, fiquei apaixonada! O encarte do CD também é muito criativo e todo o design lembra os 80’s. É também um ótimo presente de Natal para as melhores amigas, primas, parentes, porque tá difícil de achar alguém que não esteja amando a Taylor nessa nova fase dela. Essa foto abaixo, foi eu que tirei.

<3

Hey, Let’s Make A Band – 5 Seconds of Summer R$59,90 na Saraiva

5SOS é a banda que eu mais ando ouvindo nos últimos meses, e eu acho que vocês devem ter reparado, porque eu citei bastante eles em alguns posts mais recentes aqui do blog. Esse livro, que é todo em inglês (vai ser ótimo pra treinar) conta a história da banda, como eles começaram, com várias imagens legais e textos escritos pelos meninos. É pra fã mesmo, que quer saber mais sobre eles. Eu já li todo na internet, mas queria muito ter, ainda mais porque a capa é dura e o design em si é bem bonito!


Wishlist de livros: Setembro
01/09/2014 | Categoria: Livros, Wishlist

Depois das promoções incríveis que rolaram no site da Saraiva (já disse que ninguém tá me pagando por propaganda, é que eu gosto muito dela mesmo) eu consegui atualizar a minha estante e ter tempo para ler bons títulos até mesmo nessa correria que anda o ano de 2014. Vou confessar que a minha rotina nunca foi tão puxada que nem durante esse ano. Mas eu tento não deixar o hábito da leitura de lado nunca, mesmo que às vezes seja complicado por falta de tempo.

Tem vários livros que eu quero ler, e alguns que eu também quero conhecer as séries antes dos outros filmes estrearem no cinema. Se você já leu, conta ai nos comentários!

Maze Runner – Correr ou Morrer (James Dashner): Sim, eu amo distopias! Estou super curiosa para começar essa série, que  já tem estréia marcada para chegar aos cinemas no dia 18 de Setembro aqui no Brasil. Confesso que uma das coisas que mais me chamou a atenção para o filme e posteriormente para o livro – do qual eu já tinha ouvido falar – foi que dois atores que eu adoro estarão no filme: Dylan O’Brien (o homem que eu ainda vou casar) e a Kaya Scodelario. Thomas é um garoto que se lembra apenas do seu nome e vai parar em um lugar que nunca esteve, chamado de “A Clareira.” Mas ele não está sozinho; vários outros garotos estão no lugar e também perderam toda a sua memória. A cada 30 dias, um novo garoto chega. Mas tudo muda quando uma menina (a primeira) chega no lugar, e traz consigo uma mensagem para Thomas, que pode mudar tudo.

Insurgente – (Veronica Roth): Eu já li faz um tempão o primeiro livro da série, mas ainda não comprei o segundo. Outros livros chegaram na frente e eu acabei não adiantando a leitura, mas já está mais do que na hora né, gente? Talvez um dos motivos que não tenha me empolgado tanto é justamente aquele mega spoiler que eu descobri do último livro, que praticamente todo mundo que gosta de livros ficou sabendo (infelizmente) o que estragou um pouco a surpresa, maaas… Isso não significa que eu não vou adorar continuar acompanhando a história da Tris, a leitura do primeiro volume me empolgou muito.

Eu Me Chamo Antônio – (Pedro Gabriel): Esse livro me interessa muito faz um bom tempo. Antônio é um personagem que descarrega todos os seus pensamentos e emoções em ilustrações, pequenos trechos, frases, e desenhos. Aposto que você já viu alguma citação do livro no Tumblr, e os desenhos, que cumprem grande parte do livro, também. É uma proposta diferente, praticamente inovadora na minha opinião. Resumindo: tô louca pra comprar e me inspirar!

Um Sorriso Ou Dois – Frederico Elboni: Um dos meus blogs favoritos é o do Fred, os textos e os vídeos dele são muito bons, e os colaboradores do site são muito incríveis, vale a pena dar uma olhada, é cada texto melhor do que o outro. Ótimo para se divertir, refletir e pensar também. Então, só por amar muito o blog, já tenho altas expectativas para o livro, que eu não sei como é possível, mas eu AINDA NÃO LI! Acreditam?