Livro: O Livro Das Princesas
08/01/2014 | Categoria: Livros

Titulo: O Livro Das Princesas

Autores (a): Lauren Kate, Patrícia Barboza, Paula Pimenta e Meg Cabot

Editora: Galera Record

Preço Sugerido: R$25,90

Sinopse: As mais populares autoras contemporâneas norte-americanas, Meg Cabot (“Diário Da Princesa” e “A Mediadora”) e Lauren Kate (“Fallen”), se unem às brasileiras e igualmente bem-sucedidas Paula Pimenta (“Fazendo Meu Filme”) e Patricia Barboza (“As Mais”) em uma coletânea que reinventa contos de fadas clássicos.

Sim, leitores! Mais uma resenha de livro aqui no blog essa semana. Estou aproveitando o grande tempo livre das férias para adiantar minhas leituras, coisa que durante o ano escolar ficou super difícil de fazer. O escolhido em questão é “O Livro Das Princesas”, que já chama a atenção por dois motivos: ser de contos e ter autoras bem conhecidas com os seus nomes ilustrados na capa. Meg Cabot é conhecida internacionalmente por seus best sellers, Paula Pimenta pela coleção de Fazendo Meu Filme e Minha Vida Fora de Série, Lauren Kate por Fallen e Patrícia Barboza pela trilogia As Mais.

São quatro contos que abordam histórias de princesas que já conhecemos faz muito tempo de uma maneira moderna, com protagonistas do século 21. A inspiração vem de A Bela e a Fera, Cinderela, A Bela Adormecida e Rapunzel. O primeiro conto é escrito por Meg, e fala de uma super modelo, famosa e linda (quem é fã dela deve ter lembrado da Nikki Howard, da coleção “Cabeça de Vento”) que se sente atraída por um cara que tem um físico bem diferente do que ela esperava. Em outras palavras, um acidente o fez parecer quase um monstro. Porém, a personalidade dele não combina nem um pouco com o que ele aparenta, sendo bem gentil. E isso une os dois, que estão no mesmo transatlântico.

O segundo é o Princesa Pop (e eu confesso, o meu favorito!) escrito pela Paula. Assim como todos os outros livros dela, ela nos faz se encantar pela personagem logo no inicio da história, se relacionar com ela. A protagonista é uma garota que teve que enfrentar a separação dos país, causada após ela pegar o pai no flagra traindo sua mãe com outra mulher (bem mais jovem). Logo depois, ele se casa com a dita cuja, e ainda começa a cuidar de duas novas irmãs. Não te lembrou a Cinderela? Mas aqui, a personagem tem atitude e é inclusive uma DJ nas horas vagas. As coisas mudam quando, na festa de quinze anos das irmãs postiças, ela conhece o astro Fredy Prince, e ele acaba conquistando ela de jeito. Só que, sem saber qual é a sua identidade verdadeira, ele fica com um par de all star dela e vai procurá-la em plena rede nacional. É de longe a melhor história, e eu adoraria se a autora fizesse um livro só pra ela.

As mais românticas vão curtir a da Lauren Kate, que traz inclusive uma linguagem mais antiga, ao abordar a história da Bela Adormecida, uma princesa que no dia do seu nascimento, recebe um “presente” de uma vilã cruel. Aqui as coisas são um pouco diferentes, e ela só vai adormecer quando encontrar um dos mais belos e puros animais sobrenaturais, o unicórnio, e ao tocar o seu chifre, vai entrar em um sono profundo e só será despertada com o beijo do verdadeiro amor. O conto é até meio poético. Eu gostei bastante, por mais que tenha lido que muitas pessoas não conseguiram se identificar com o enredo, ele traz uma pegada mais ingênua.

Por último, vem o de Patricia Barboza, que traz a “princesa” Camila, que se sente super aprisionada em casa, sufocada, e mal pode viver a sua vida. Ela tem os cabelos muito longos, o que resultou no apelido de Rapunzel. Porém, em um momento que ela esperou a vida toda, decide cortá-los de vez, e com isso quer ganhar um pouco de liberdade. Seu maior sonho é ser cantora, e por isso, publica vídeos cantando músicas da Katy Perry no Youtube. Aliás, ela é muito fã da cantora e ela é citada várias vezes durante a narração. O que agrada também o romance fofo – porém meio previsível demais – com o seu melhor amigo nerd. Essa personagem tem a impressão de ser a mais novinha do livro, de acordo com os seus pensamentos.

No mais, é uma leitura bastante agradável, envolvente, perfeita para meninas que curtem livros nesse estilo e são fãs de pelo menos algumas das autoras ilustradas na capa. Ah, e na orelha, vemos um recado de Mia Thermopolis. Eu aprovei muito, inclusive li em apenas um dia.


Livro: Minha Vida Fora De Série 2
06/01/2014 | Categoria: Livros

Título: Minha Vida Fora De Série 2

Autor (a): Paula Pimenta

Editora: Gutenberg

Sinopse: Na 2ª temporada de “Minha vida fora de série”, Priscila agora está com 16 anos e começa a lidar com questões mais sérias que alguns adolescentes enfrentam: a proximidade do vestibular, amizades que parecem sólidas e que de repente se perdem, o aprendizado de que um namoro tem de ser constantemente cuidado para não se desgastar. Ela também descobre que atos sem pensar, que parecem estar esquecidos no passado, podem marcar irreversivelmente o presente.

Li o primeiro volume da série em Maio de 2013, e a ansiedade era bem grande para ler o segundo, já que sou fã declarada da Paula Pimenta, uma das melhores autoras nacionais. O primeiro livro tinha uma pegada mais infanto-juvenil, já que a protagonista tinha 13 anos, e o Rodrigo – seu primeiro amor – tinha 14, mas isso não significa que os personagens não fossem maduros ou bem desenvolvidos. Ao contrário! É possível se identificar com a história deles mesmo se você tiver 17, 18 anos ou mais. Mas na segunda temporada, Priscila tem 16 e o Rodrigo vai fazer 17 dali a pouco tempo. Com isso, novas preocupações surgem: o vestibular, a vida escolar e os perigo do namoro cair na “rotina.”

Porém, os tão sonhados 15 anos não passam em branco na história! Priscila faz sua super esperada viagem para a Disney, que sempre foi um dos seus maiores sonhos. Recusando uma grande festa para amigos e família, ela embarca para os Estados Unidos com uma empresa de viagem e lá, muitas coisas surpreendentes acontecem, como conhecer um garoto, no mínimo, diferente dos outros que ela tem contato. O nome dele é Patrick, e ele é filho da dona da agência de viagens. Patrick além de ser lindo, misterioso e estiloso, puxa papo com a menina e não parece desistir até conseguir se tornar próximo dela, causando até dúvida nas melhores amigas de Pri: será que ela trairia o Rodrigo?

A relação deles não é explicitamente um romance. É apenas uma atração mútua, que faz a protagonista duvidar do que ela realmente quer, afinal, faz um bom tempo que ela não sente aquelas sensações tão fortes pelo namorado, já que a relação deu uma esfriada. Mas não, ela não trai ele! Porém, ela troca um beijo com ele, meio roubado, na verdade. E a culpa permanece no seu pensamento. Ela resolve não contar nada, mas fica um ano segurando esse segredo. Do outro lado do namoro, está Rodrigo, que quer avançar as coisas e tornar o relacionamento deles ainda mais sério, e não entende a mudança de comportamento da namorada, que de repente se afasta.

O que eu achei interessante na história foi contar que o namoro não é um conto de fadas ou novela das 9. Vemos todos os lados da história. Quando Rodrigo vai passar as férias na casa de praia, também sofre com a tentação, ao ser paquerado pela vocalista da banda do qual ele está tocando bateria. Ela é mais velha, muito bonita, e joga o maior charme para ele. Ele se sente tentado, mas consegue se segurar pelo amor que sente por Priscila.

Ambos estão diferentes, amadurecendo, com milhares de dúvidas, e também brigando bastante. Aliás, como quem leu Paula Pimenta deve saber, a autora é super dramática. Então, prepare a caixa de lencinhos para esse livro, porque rola muitas cenas de drama, momentos de reflexão e capítulos em que você praticamente quer entrar dentro da história para impedir que alguma coisa aconteça. São trechos dignos de seriado americano, viu? Aposto que você não vai querer largar o livro por um segundo. Não saber o que vai acontecer nessa história é muito agoniante!

Também acompanhamos o inicio do romance de Leo e da Fani, um casal pelo qual todo leitor tem o maior carinho. Esse segundo livro termina quando a Fani está prestes a embarcar para o seu intercâmbio na Inglaterra, e inclusive vemos um pouco da amizade dela com a Pri, e como a personagem queria mesmo ajudar o Leo a conquistar a Fani.

Quem aparece ainda mais no enredo é a família da Priscila. Seu pai e o seu irmão, que ainda estavam morando em São Paulo, se tornam cada vez mais presentes depois que alguns acontecimentos (não vou dizer, se não perde a graça!) acontecem, e inclusive vemos o retorno de Sam, a cunhadinha favorita de Pri. Os conselhos dela realmente são valiosos, e a personagem cai nas graças do leitor de primeira. É impossível não adorar ela!

No mais, esse livro só fez com que eu amasse ainda mais a autora. Chorasse, ou ficasse rindo com as partes engraçadas. É incrível como você se envolve com os personagens, sabe? Se relaciona de uma forma ótima com eles, justamente porque como os dramas são fortes, é bem difícil você não torcer por eles a cada página.


Livro: Gossip Girl Volume 10 e 11
29/12/2013 | Categoria: Livros

Titulo: Gossip Girl – Eu Não Mentiria Para Você (Volume 10)

Sinopse: Os jovens mais glamourosos de Nova York fogem do calor do verão na cidade para se refrescar à beira da praia. Ricos, belos e famosos se reúnem nos Hamptons, enquanto o estilista Bailey Winter recebe suas musas inspiradoras — Blair e Serena, é claro! Só mesmo o mundo da moda para unir essas beldades! E, coincidência das coincidências, Nate é o garoto da casa ao lado…

Fazia um tempo que eu não continuava a coleção de Gossip Girl. Inclusive contei isso aqui no blog neste post, e como uma amiga caridosa resolveu me emprestar os dois últimos volumes (o 10 e o 11) que eu ainda não tinha, finalmente consegui a proeza de terminar de lê-los. Como eu já tenho o 12, que é um prequel, e o 13 é um especial, vou tentar comprá-lo em breve.

O volume 10 conta a história de Blair e Serena na casa de um estilista famoso nos Hamptons, depois da formatura e dos planos para ir para Yale dali a alguns meses. As duas voltam a ser amigas depois de Serena ter sido escolhida para interpretar a Holly Golightly da modernidade, em um filme gravado em Nova York, e ter ocupado o papel que seria supostamente, o da vida da melhor amiga, já Blair sempre foi fã número um de Audrey Hepburn.

As duas voltam a se tornar próximas, e Blair engata de vez um romance com Nate – que é quase sempre o motivo de briga das duas – e dessa vez não se torna diferente: o triângulo amoroso fica cada vez mais intenso, quando ele finalmente decide que quer correr atrás de Blair e reatar o namoro. Quando os dois ficam juntos para valer, na festa de aniversário de Serena, a amiga acaba confessando que é apaixonada por ele. A amizade delas se põe à prova novamente: afinal, sempre que as coisas vão dar certo, o Nate fica entre elas e as coisas desandam novamente.

Já no Brooklyn, Vanessa é praticamente expulsa do seu apartamento quando a irmã mais velha volta para casa, e precisa ir morar com Dan. Pareceria perfeito, já que os dois sempre gostaram um do outro, se ele não colocasse em questionamento a sua homossexualidade. Sim, supostamente, ele teria virado gay. Mas e o seu namoro com Vanessa? Eu confesso que achei que a autora pode ter viajado no rumo que ela quis tomar para o Dan. Surge até um possível novo namorado que trabalha na mesma livraria que ele. Mas eu continuei torcendo para que ele ficasse com a Vanessa no final da história (como sempre).

Titulo: Gossip Girl – Não Me Esqueça (Volume 11)

Sinopse: A série Gossip Girl chega a seu tão aguardado quanto temido final. O verão está terminando e os jovens mais glamourosos de Nova York vão começar uma nova fase de suas vidas. Eles têm um pouco mais de uma semana antes de irem para a faculdade, e esses últimos dias serão bem aproveitados com muita festa. Todos estão fazendo planos para a vida independente e Blair está certa de que vai morar com Nate em Yale. Mas algo que ele não contou pode mudar tudo.

No “suposto” último livro da série, os personagens começam a se preparar para a vida na universidade, que começa dali a 10 dias. Blair vai finalmente realizar o maior sonho de sua vida: ir para Yale. Junto com Serena e Nate. Ela não podia estar mais feliz, após ela e o namorado terem passado uma temporada do verão velejando no barco da família Archibald. Blair está certa que pode perdoar Serena, já que no pensamento dela, Nate não sente nada pela outra amiga. Mas as coisas tomam rumos bem diferentes, quando ele é obrigado a confessar para Blair que não conseguiu o diploma para Yale, e também assume amar as duas garotas, se envolvendo com Serena (de novo!).

Quem também retorna ao livro é Jenny, que está de férias do internato. Ela volta para a história mais madura e aconselhando o irmão, Dan, que não sabe que rumo tomar, agora que vai ter que ficar longe da família e de Vanessa, indo para a universidade. Vanessa vai cursar cinema na NYU, que sempre foi o seu principal objetivo quando ela decidiu estudar na Constance Billard. Também ficamos sabendo o destino dos Waldorf, que vai se mudar para a Califórnia.

O clima de despedida é forte, e Nate não sabe o que fazer. Como ele não tem o diploma, não pode ir para Yale e não quer ficar sem Blair ou Serena. O personagem é meio bobinho. Tudo bem que ele sabe conquistar, mas só uma boa aparência não é motivo para duas melhores amigas de infância brigarem praticamente a série inteira por ele, né? Enquanto isso, Nate continua indeciso e simplesmente não diz com qual delas ele quer mesmo ficar.

Para mim, uma das personagens mais maduras de GG é a Vanessa. Sempre gostei de acompanhar a trajetória dela e o Dan, que eram os mais pé no chão. O livro termina com Serena se despedindo de Blair, já que ela vai ficar na cidade para gravar a sequência do filme que é protagonista. E Nate? Bom, ele resolve mandar um recado especial para as duas, e novamente assume que ele não consegue escolher nenhuma das duas.


Livro: De Volta Aos Quinze
25/12/2013 | Categoria: Livros

Título: De Volta Aos Quinze

Autor (a): Bruna Vieira

Editora: Gutenberg

Preço Sugerido: R$34,90 (Pode variar)

Número de páginas: 224

Sinopse: O que você faria se pudesse voltar no tempo? Será que, ao fazer escolhas diferentes, você conseguiria mudar sua vida para melhor? Anita tem 30 anos, e sua vida é muito diferente do que ela sonhou para si. Um dia, ao reencontrar seu primeiro blog, escrito quando tinha 15 anos, algo inusitado acontece, e tudo ao seu redor se transforma de repente. Com cabeça de adulto e corpo de adolescente, ela se vê novamente vivendo as aventuras de uma das épocas mais intensas da vida de qualquer pessoa: o ensino médio. Ao procurar modificar acontecimentos, ela começa a perceber que as consequências de suas atitudes nem sempre são como ela imagina, o que pode ser bem complicado. Em meio a amores impossíveis, amizades desfeitas e atritos familiares, Anita tentará escrever seu próprio final feliz em uma página misteriosa na internet.

Esse é o primeiro romance de uma das blogueiras mais famosas do Brasil, a Bruna Vieira que já tem dois livros publicados. Este, que é o primeiro volume da trilogia chamada “Meu Primeiro Blog” e um de contos, chamado “Depois Dos Quinze.” Sou suspeita para falar da Bruna pois sou completamente apaixonada pelas suas crônicas. Acompanho o DDQ há praticamente dois anos, por isso fiquei na expectativa e finalmente ganhei o livro de presente de Natal (ontem) e o li em apenas um dia! Isso mesmo! A última vez que isso aconteceu comigo foi com o livro “Lonely Hearts Club.”

A protagonista da história se chama Anita. Ela mora em São Paulo, tem 30 anos, e cresceu no interior de Minas Gerais. Quem conhece a Bruna já faz muito tempo vai poder enxergar as grandes semelhanças que existem entre a autora e a personagem, na descrição dos gostos musicais, roupas que ela veste, a maneira que ela fala do interior (ela nasceu em Leopoldina), e na sua paixão por animais. Em vez de um cachorro, Anita tem uma gata. Também podemos perceber, quando a personagem expõe sua opinião sobre alguns assuntos, que eles são o mesmo da Bruna, já ditos em textos dela publicados na internet.

No inicio do enredo, conhecemos a protagonista. Ela não tem a vida que esperava e não se sente feliz, nem realizada profissionalmente. Lamenta os erros que já cometeu na sua vida, não tem lá uma grande auto-estima e também se sente pouco valorizada pela família e pela mãe, que sempre parecem cobrar demais dela e esperar que o seu rumo tenha sido outro, totalmente diferente. Ela trabalha como secretária e fez faculdade de administração, mas sua verdadeira paixão na verdade é a fotografia. Ela vai para o casamento da sua irmã, que tem a suposta vida perfeita. A comemoração é grande e reúne todos os familiares. Ao reencontrar uma prima, amiga dela desde a época da adolescência e o seu marido arrogante e inconveniente, acontece uma situação na história (que eu não vou contar) e que a faz provocar uma grande cena no casamento, desagradando todos da família.

No dia seguinte, ainda desolada e decepcionada, Anita recebe uma mensagem da sua melhor amiga Helena, enviando o link do blog que ela escreveu aos 15 anos. Quando se depara com o primeiro post, contando sobre as suas expectativas para o inicio do ensino médio, algo estranho acontece e ela acaba voltando para o seu antigo quarto. Para a sua antiga vida. E volta no tempo! Alguns podem achar que é tudo muito parecido com “De Repente 30″, mas eu garanto que é só a premissa inicial. Todo o desenrolar é diferente.

Primeiramente, ela fica assustada. Depois, percebe que isso pode ser uma grande chance para consertar os erros que cometeu no passado, e quem sabe, mudar as suas decisões e o que eles provocaram no seu futuro. Anita tem a chance de reviver algumas experiências do ensino médio novamente, com a mente que ela tem agora, e evitar que muitas experiências ruins tenham acontecido. Porém, ela não fica o livro todo nesse cenário. Ela volta no tempo várias vezes e para a sua realidade atual também, quando a página do blog aparece no computador.

Conhecemos também seu melhor amigo, o Henrique, e grande parceiro. Ele conhece Anita super bem, sempre a apoiou em todas as decisões dela e foi muito carinhoso, compreensivo. Enfim, um amigo realmente leal. Os dois se entendem só pelo olhar. Ele fez faculdade de música, e vivia em Paris dando aulas, porém foi para o Brasil e reencontrou a amiga. O que ela descobre apenas depois é que essa amizade significa muito mais para ele do que para ela, e que na verdade ele era apaixonado, e por trás de todos os conselhos, estavam declarações de amor. E é ai que um romance começa.

A personagem vai ter que reconquistar seu melhor amigo, após um erro cometido na sua volta aos 15 anos ter feito a amizade deles nunca ter acontecido. Também temos como personagem o vizinho dela, chamado Joel, que move muitas coisas nessa história e nos faz curtir bastante a sua presença no enredo. Ah, e se preparem: quando a personagem vai para Paris, a descrição do livro te faz soltar suspiros, e dá uma vontade insuportável de ir pra Europa JÁ!

Agora, um contraponto da minha opinião e de outras reviews que eu conferi: muitas pessoas comentaram que as atitudes da Anita eram imaturas demais para alguém de 30 anos. Pode até ser, pois eu me identifiquei com coisas que ela fez (e eu tenho 15). Realmente algumas características dela lembram muito uma adolescente, mas isso não me atrapalhou. Talvez seja porque eu sou mais nova.

Devorei o livro rapidinho – em um dia, como eu tinha falado no início do post – e eu me apaixonei pela história. E pelo Henrique também! Não achei a paixão da Anita por ele forçada. Às vezes um ser humano só se dá conta dos seus sentimentos por alguém quando leva um pontapé do destino. Destaque para a playlist e as ilustrações colocadas no meio do livro.

Já pode lançar o segundo? A ansiedade já tá mil para lê-lo!


Livro: 365 dias do ano – Staying Strong
08/12/2013 | Categoria: Livros

Título: 365 dias do ano – Staying Strong

Autor (a): Demi Lovato

Editora: Best Seller Ltda

Preço Sugerido: 24,90

Sinopse: Para a megaestrela Demi Lovato, a vida tem sido uma jornada — de conquistas impressionantes e perdas arrebatadoras. Cantora recordista de vendas, apresentadora de TV e atriz, ela enfrentou batalhas com a depressão e a dependência, tudo isso sem desistir de encontrar a felicidade e a si mesma. Demi compartilhou sua trajetória na mídia, nas letras de suas músicas e para seus 17 milhões de seguidores no Twitter. Esses tweets resultaram neste livro, uma obra em 365 insights honestos, esperançosos e impactantes. Aqui estão, nas próprias palavras de Demi, as citações que a inspiraram, assim como suas reflexões pessoais e seus objetivos. Demi Lovato — 365 dias do ano é para todos, em qualquer lugar, que precisem de conforto, inspiração e um motivo a cada dia para serem fortes em sua própria trajetória.

Nunca escrevi nenhuma resenha aqui no blog, mas resolvi arriscar e talvez escreva outras.

Hoje fui a livraria com o intuito de comprar dois livros e com mais de quatro títulos na cabeça – se não tivesse um, compraria o outro. Nem preciso dizer que essa tática não funcionou e fiquei louca querendo comprar vários. No final acabei comprando Destrua Este Diário – que só chega daqui sete dias – e este da Demi Lovato, e apesar de ter saído da livraria triste por não ter comprado outros que queria tanto, não me arrependo da minha escolha.

Resolvi fazer a resenha de Staying Strong no mesmo dia que comprei, porque este não é um livro com uma história de começo, meio e fim, por tanto, dá para entender como ele funciona. Sou grande fã da cantora Demi Lovato – fiquei triste por não ter conseguido comprar o ingresso para seu show em Brasília – e acompanhei suas fases, era óbvio que compraria seu primeiro livro. Dito e feito.

365 dias do ano é um livro inspirador, motivador e de auto-ajuda. Para cada dia do ano há uma frase da qual a cantora tira suas próprias reflexões. Minha intenção era ler a cada dia uma frase, se hoje é dia 7 de dezembro, leria a página de hoje, mas não dá para resistir a olhar outras páginas. Acabei foleando o livro em outras datas que pra mim são importantes e em todas elas me deparei com frases que me fizeram refletir sobre determinados momentos da minha vida e de como ajo em algumas ocasiões.

Não importa a idade que você tenha, se você é ou não fã da Demi Lovato ou em que fase da sua vida você se encontra, este livro vai conversar com você. Mudar seu modo de ver certas coisas, refletir sobre determinados assuntos e te motivar a sempre seguir em frente, independente do que tenha passado. Esse livro não foi feito para ficar como qualquer outro livro, em uma prateleira, ele é um livro de cabeceira, que você deve sempre levar com você, porque não importa o lugar que esteja sempre haverá uma hora que precisará lê-lo para tirar alguma coisa do que está escrito ali.

Selecionei uma frase de cada mês para vocês terem uma ideia, olhem só:

1 de janeiro: “Você foi feito de modo lindo e maravilhoso”

7 de fevereiro: “Quando aprendemos a nos comunicar com os outros, são poucos os problemas que não podemos resolver juntos”

13 de março: “Não tema defender aquilo em que acredita, mesmo que precise fazê-lo sozinho”

4 de abril: “O ouro não pode ser puro, e as pessoas não podem ser perfeitas”

19 de maio: ” Não podemos depender sempre dos outros para ser feliz. Precisamos encontrar a felicidade dentro de nós mesmos”

6 de junho: “Não chore porque acabou; sorria porque aconteceu”

24 de julho: “Tudo vai dar certo no final, se não deu certo, ainda não terminou”

19 de agosto: ” Faça pequenas coisas com grande amor”

10 de setembro: “Faça algo maravilhoso: os outros talvez imitem”

30 de outubro: ” Mantenha o rosto para o sol e não verá nenhuma sombra”

13 de novembro: “Quando chegar ao final da corda, faça um nó e se agarre a ela”

21 de dezembro: “Seu telefone não tem a resposta para a sua felicidade – você tem”


Livro: Divergente
07/12/2013 | Categoria: Livros

Título: Divergente

Autor (a): Veronica Roth

Editora: Rocco Jovens Leitores

Preço Sugerido: R$27,90

Sinopse: Numa Chicago futurista, a sociedade se divide em cinco facções – Abnegação, Amizade, Audácia, Franqueza e Erudição – e não pertencer a nenhuma facção é como ser invisível. Beatrice cresceu na Abnegação, mas o teste de aptidão por que passam todos os jovens aos 16 anos, numa grande cerimônia de iniciação que determina a que grupo querem se unir para passar o resto de suas vidas, revela que ela é, na verdade, uma divergente, não respondendo às simulações conforme o previsto. A jovem deve então decidir entre ficar com sua família ou ser quem ela realmente é. E acaba fazendo uma escolha que surpreende a todos, inclusive a ela mesma, e que terá desdobramentos sobre sua vida, seu coração e até mesmo sobre a sociedade supostamente ideal em que vive.

Começo essa resenha dizendo que acabei de virar fã da Veronica Roth. Que livro incrível! Divergente foi uma das melhores leituras que tive esse ano e me lembrou o fôlego e a apreensão que Jogos Vorazes me causou ao ler o primeiro volume da série. Mas que fique claro: as comparações acabam por aqui. Mesmo que os dois livros sejam citados como parecidos, eles são muito diferentes um do outro. A semelhança fica com o fato de ambos os livros te envolverem muito, e a segunda é que o gênero é o mesmo: distopia, que pode ser considerado o tema mais famoso no mundo dos livros em 2013.

A protagonista do livro é Beatrice, uma garota que vai completar 16 anos. No seu mundo, a sociedade é dividida em cinco facções: Amizade, Erudição, Franqueza, Abnegação e Audácia. Todas tem características completamente diferentes e seus membros pregam coisas distintas. Na facção dela, as pessoas acreditam que o altruísmo é a qualidade mais importante de todas, ou seja, eles ajudam os outros, tentam se manter todos exatamente iguais – ninguém melhor, nem pior – e acreditam que suas vontades devem vir em segundo plano; a vida de outra pessoa é sempre mais importante.

Quando completam 16, os adolescentes passam por um teste de aptidão, que pode dizer de qual facção eles realmente pertencem. Muitas, porém, consideram uma grande traição trocar de facção e algumas delas até possuem inimizades, como a Abnegação e a Erudição. Beatrice faz o seu teste, mas a simulação não traz uma resposta exata e algo dá muito errado. Mais tarde, ela descobre que é um divergente, alguém que não pode ser controlado pelo sistema, que é diferente de todos os outros. Eles não pertencem a somente um grupo. Podem possuir características de todas as outras facções, o que é encarado como um grande perigo pela sociedade, principalmente pela Erudição. Por isso, quando algum deles é descoberto, corre grande perigo e é imediatamente morto.

Por fim, ela escolhe a Audácia, conhecida pelos seus membros velozes, destemidos e principalmente, corajosos. Eles são responsáveis por defender a cidade, por isso seu treinamento concentra-se na luta e na agressividade, o que é totalmente o oposto do que a Abnegação prega. Seu irmão, Caleb, acaba parando na Erudição, para surpresa de todos, pois a sua irmã sempre acreditou que ele era totalmente altruísta, qualidade que ela, apesar de ter tentado cultivar durante os anos, nunca conseguiu.

A fase de treinamento é extremamente difícil, e é nessa hora que o livro é recheado de cenas de ação, e capítulos que te deixam totalmente aflito. A protagonista tem o direito de mudar o seu nome, e por isso, se torna Tris. Ela é daquelas que dá gosto de acompanhar a leitura: mesmo sendo descrita como pequena, aparentemente frágil e não muito bonita, Tris é muito corajosa, não foge de brigas e não é uma jovem boba. Aliás, se você já cansou de personagens bobinhas, vai amar essa, que tenta ao máximo esconder todas as suas fraquezas durante a história; ela odeia que os outros tenham pena dela.

E tem espaço para romance também! Durante o enredo conhecemos o Quatro, um dos supervisores de treinamento, que é misterioso e carrega diversos segredos que só são revelados durante a história (ela é cheia de momentos inesperados!). Ele é dois anos mais velho que Tris e os dois acabam se aproximando. Mesmo sendo um pouco diferentes um do outro, o leitor acaba adorando o casal. Sem falar que o personagem masculino convence muito e viramos fã dele.

Espere por muitos momentos de ação, de luta, ousadia, e é claro, um ritmo que não vai te fazer respirar descansado até ler a última página da história, que já tem seqüência aqui no Brasil e chama-se Insurgente. O último livro, que já foi lançado nos EUA e causou a maior polêmica na internet pelo seu final (se você não quer estragar a surpresa, não procure spoiler sobre ele. Sério!) já teve a capa oficial divulgada e tem como título Convergente.



Livro: O Substituto
04/12/2013 | Categoria: Livros

Titulo: O Substituto

Autor: David Nicholls

Editora: Intrínseca

Preço Sugerido: R$19,90

Sinopse: Para Josh Harper, ser ator significa ter dinheiro, fama, mulheres aos seus pés e o papel principal nos palcos de Londres. Para Stephen C. McQueen, trata-se de uma longa e desastrosa carreira como figurante. Stephen tem um nome que não ajuda (não, ele não é parente do famoso Steve McQueen), um agente pouco interessado, um relacionamento complicado com a ex-mulher e a filha e um trabalho como substituto de Josh Harper, o 12º Homem mais Sexy do Mundo. E, quando percebe que está apaixonado por Nora, a linda e inteligente esposa de Josh, sabe que as coisas podem ficar ainda mais difíceis para ele. Ou, quem sabe, essa não é justamente sua Grande Chance? Com personagens engraçados e diálogos irresistíveis, O substituto é uma comédia arrebatadora.

Provavelmente a maioria de vocês conhece o David Nicholls por ele ser autor de Um Dia, um dos seus livros mais famosos que foi para o cinema, e por isso obteve ainda mais êxito. A narrativa de David é super detalhada, tem algumas piadas pelo caminho, muitas tiradas sarcásticas e ele adora preencher várias e várias páginas dos capítulos com os devaneios e alguns pensamentos aleatórios dos personagens, por isso eu já sabia o estilo de livro que me esperava quando comecei a ler.

“O Substituto” traz como o protagonista Stephen C. McQueen, um homem que é divorciado, possui uma filha pequena e seu grande sonho é ser um ator reconhecido pelos seus papéis. Ele nem precisa da fama, ele quer mesmo é ser valorizado no seu trabalho. Após um inicio de carreira que até alcançou algum sucesso, anos depois ele é o substituto numa peça teatral estrelada por Josh Harper, um ator cheio de dinheiro e mulheres aos seus pés. Ou seja: completamente o oposto de Stephen.

Ele passa muito tempo desejando que tenha a sua grande chance de poder interpretar o protagonista da peça um dia, mas Josh nunca falta ao trabalho e “o grande dia” que alavancaria sua carreira nunca realmente chega. Por isso, ele só trabalha em filmes infantis e como figurante em seriados de TV. Stephen não gosta muito de si mesmo e vive lamentando a vida que tem, os sonhos que não realizou e o divórcio mal resolvido.

Sua vida toma um rumo diferente quando ele conhece Nora, quando trabalha de garçom numa festa chique, cheia de celebridades, promovida por Josh. Parece quase amor a primeira vista: aquela mulher inteligente, meio misteriosa e que tem opiniões semelhantes com a dele se aproxima de Stephen e os dois viram amigos próximos. O fato que ela é a mulher de Josh é quase ignorado por ele; porém, ele começa a gostar ainda mais dela e as complicações só aumentam.

Após saber que Josh trai a mulher constantemente, com várias atrizes ou famosas, eles acabam fazendo um “trato.” Se Stephen não contar nada, ele vai ter a sua chance. Uma grande oportunidade de subir nos palcos e poder finalmente mostrar para todos o seu talento, que ele tenta constantemente provar, já que a própria ex-mulher e a filha não acreditam muito que ele ainda possa ter sucesso na carreira de ator.

A narrativa do autor flui rápido, apesar das descrições super longas que de vez em quando até entediam o leitor, ele sabe fazer o enredo correr mais rapidamente, característica que se pode observar nos seus outros livros também. Não foi o meu livro favorito, por motivos de que eu desejei que o personagem principal conquistasse mais o leitor, sabe? Apesar dele ser carismático. O final infelizmente não me satisfez muito, eu esperava uma conclusão mais clara após tantos conflitos que se desenrolaram durante todo o livro.

Porém quem gostou das outras obras pode aprovar essa também. Não me entendam mal: eu gostei do livro. Só não curti muito o ritmo e os personagens em si, sabe? O interessante do David é que ele coloca pessoas mais reais, mas talvez, às vezes, reais demais. Acho que um grande trunfo da história é fazer o leitor se identificar com o protagonista.


Os melhores vídeos sobre livros!
03/12/2013 | Categoria: Livros, Videos

Além de ficar procurando resenhas na internet ou as críticas no Skoob (porque na minha opinião, crítica de blogueiros e viciados em livros conta muito mais do que de várias pessoas por ai! haha) eu também acabo vendo vários vídeos ou vlogs sobre livros específicos. Quando quero saber por exemplo as novidades que estão sendo lançadas nas livrarias, o que tal pessoa achou do livro, se vale mesmo a pena comprá-lo… listei abaixo os meus vídeos favoritos. Acessem os canais também!

Quem é fã de livros vai curtir!


Livro: Apaixonada por palavras
13/11/2013 | Categoria: Livros

Título: Palavras Apaixonadas

Autor (a): Paula Pimenta

Preço Sugerido: R$23,80

Sinopse: Em “Apaixonada por palavras”, lançamento da Editora Gutenberg, em que a protagonista não é Fani ou Priscila. Desta vez, é Paula Pimenta por Paula Pimenta. Narrado em primeira pessoa, o livro reúne 55 crônicas escritas entre 2000 e 2009, que descrevem suas experiências, sentimentos e reflexões. Com a mesma eloquência e fluidez que caracterizam seus romances, Paula Pimenta revela aqui a si própria, com relatos, comentários e ideias de forma clara e envolvente. Como a própria autora descreve: “É rara a ocasião em que não estou com um livro por perto, e mais raro ainda é o momento em que eu não estou com um bloco e uma caneta. Sempre anotando, pensando por escrito”. Abordando temas como amor, ciúmes, amizade, esportes, cidadania, e muitos outros, a nova obra da escritora vai certamente agradar a todos que já conhecem a força narrativa e expressiva de Paula Pimenta.

Me apaixonei pela Paula com Fazendo Meu Filme e Minha Vida Fora de Série, então assim que vi o livro com algumas das crônicas delas (no livro, ela conta que possui um acervo com mais de 150) não resisti e comprei. Eu na verdade nunca li tantos livros de crônicas. Alguns da Martha Medeiros, esse da Paula e o da Bruna Vieira. Porém, eu curto muito esse gênero por motivos de que adoro textos mais curtos, histórias que não se arrastam por muitas páginas, e eu sempre consigo tirar uma reflexão interessante.

A capa é linda e transmite bem a ideia que a autora nos passa. No inicio, ela diz que é uma apaixonada por palavras. E eu me identifiquei muito, afinal, eu também sou! Acompanhamos os textos também desde 2000 até 2009 e é bem legal acompanhar o crescimento, o amadurecimento dela. Se você espera só coisas fofas, sobre amor e paixões, se enganou! Ela fala sobre violência, a falta de luz no Brasil, Harry Potter, enfim, ela comenta várias coisas diferentes em no máximo três páginas.

E é possível também perceber uma semelhança com a Fani, as duas são sim parecidas, até pelo fato de Paula comentar muitas vezes que é super tímida e que só conseguiu superar isso aos poucos, após a adolescência. Comenta também sobre suas viagens internacionais e o tempo que morou na Inglaterra (e que inspirou FMF2). Conhecemos também a opinião dela sobre diversos assuntos, passando por amor, e chegando em inveja.

É impossível não simpatizar com ela. A leitura é agradável, gostosa, rápida, e quando você vê, já acabou o livro. Eu ia lendo uma crônica só, e quando via, já tinha passado por mais de 10! E assim que acontece quando é realmente bom, né? Ele me conquistou, me prendeu, e eu só virei mais fã. Curti muito e indico para todos que se apaixonaram pelas séries da autora!


Livro: Cidades de Papel
20/10/2013 | Categoria: Livros

Título: Cidades de Papel

Autor (a): John Green

Preço estimado: R$29,90

Sinopse: Quentin Jacobsen tem uma paixão platônica pela magnífica vizinha e colega de escola Margo Roth Spiegelman. Até que em um cinco de maio que poderia ter sido outro dia qualquer, ela invade sua vida pela janela de seu quarto, com a cara pintada e vestida de ninja, convocando-o a fazer parte de um engenhoso plano de vingança. E ele, é claro, aceita. Assim que a noite de aventuras acaba e um novo dia se inicia, Q vai para a escola e então descobre que o paradeiro da sempre enigmática Margo é agora um mistério. No entanto, ele logo encontra pistas e começa a segui-las. Impelido em direção a um caminho tortuoso, quanto mais Q se aproxima de Margo, mais se distancia da imagem da garota que ele achava que conhecia.

Se eu pudesse, comprava todos os livros do John Green. Ainda quero ter a coleção completa (faltam poucos, viu?) e é totalmente justificável todo o hype que o autor anda recebendo. O que me deixa muito feliz, pois todos os livros dele estão sendo lançados aqui no Brasil pela Intrínseca com capas lindas e uma grande divulgação, gerada após o sucesso enorme que teve A Culpa É Das Estrelas em 2012/2013. Em “Cidades de Papel”, que me conquistou bem mais que O Theorema Katherine. A maioria das histórias de John traz um personagem masculino, normalmente nerd e que tem uma paixão platônica. Aqui, não é diferente: quem narra a história é Quentin Jacobsen que tem amigos engraçados (ou seja, ele não é nem um pouco solitário) e está prestes a se formar no ensino médio.

Ele nutre uma paixão platônica pela sua vizinha, a Margo Roth Spiegelman, que era sua amiga de infância. Os dois sempre andavam juntos quando crianças e certa vez, e aos 9 anos, os dois encontraram um corpo numa praça enquanto brincavam. Ela, sempre curiosa, quer descobrir quem era o cara e o que causou a morte dele.

Os anos se passam e ela acaba virando uma garota popular e engraçada da escola. Quentin – também chamado de Q. pelos mais próximos – é o oposto disso. Ele não aguenta a escola e inclusive nem quer ir nos bailes de formatura. Acha tudo uma coisa boba e os próprios amigos dele discordam, mas todos já acabaram aceitando a sua opinião. Eles sabem que ele é apaixonado por Margo faz muitos anos e não consegue mudar o seu sentimento. As coisas mudam completamente quando, em uma noite qualquer, ela aparece na janela dele vestida de ninja (ai aparece o senso humorístico do autor) e fazendo uma proposta: que ele saia com ela pela noite de Orlando para se vingar do namorado e dos amigos, cumprindo uma lista.

A noite se torna uma experiência incrível e ele acha que a partir daquele dia, os dois vão se tornar melhores amigos e que sua relação na escola vai mudar. Só que, no dia seguinte, Margo desaparece. Não é a primeira vez que isso acontece, tanto que os seus pais nem ligam. Ela já tem 18 anos, então a polícia não inicia buscas por ela. Todos acreditam que é só mais uma tentativa da garota de chamar a atenção.

Quentin não desiste fácil de nenhuma maneira. Ele acredita que Margo quer ser achada – talvez até mesmo por ele – e sai em busca de pistas que possam dizer o paradeiro da garota. É inserido na história um poema de Walt Whitman, “Canção de Mim”, que ele tenta interpretar. Também acaba fazendo amizade com Lacey, uma das garotas populares da escola que era próxima de Margo. A idealização romântica que Quentin faz dela é grande e no desenvolvimento da história vemos que os próprios conhecidos dele tentam desiludi-lo dessa ideia que a garota era misteriosa e perfeita.

Ela era de fato diferente e considerava Orlando uma cidade de papel, fato que quem quer ler o livro vai entender completamente o título. Isso significa que ela não queria se ajustar naquela vida que todos acabavam levando: se formar, casar, ter alguns filhos e um emprego normal, seguindo suas vidas simples e correspondendo às expectativas dos outros.

Ele tem vários trechos engraçados também e eu curti muito esse clima divertido. Há algumas partes que são bem sensíveis, profundas e que vão envolver o leitor, mas também há coisas bem curiosas, que não faltam em nenhum livro do John, isso já é típico dele e é uma das características que tornam o autor único.

O final me surpreendeu de certa forma, mas não totalmente. No desenrolar você mesmo vai sacando que aquilo poderia acontecer. Também nos faz refletir sobre a imagem que temos das pessoas, o que esperamos delas, como as vemos, e que como muitas coisas também são imaginadas na nossa cabeça. Quentin achava que Margo era um tipo de garota e acontece que ela era, no fim, totalmente diferente do que ele imaginava.

No mais, recomendo muito. Demorei quase duas semanas pra ler, mas é porque eu gosto de ler os livros desse autor devagar, pra ir entendendo a história e de fato mergulhando nela.