Os vídeos da cabine literária
29/09/2013 | Categoria: Livros, Viagens

Que eu sou apaixonada por livros, autores, filmes… acho que já dá pra perceber pela maioria dos posts aqui no blog. Como livros são o meu vício, eu acompanho há um tempo o canal do Youtube, o Cabine Literária, que é um dos mais famosos sobre o tema no mundo dos vlogs. Comandado por Danilo Leonardi e Gabriel Utyama, eles postam vários vídeos com resenhas (ou reviews) de lançamentos, livros antigos, novos, clássicos, e além de terem uma opinião consistente, os dois me influenciam bastante na hora de comprar um livro, por exemplo. Afinal, lançamentos sempre saem por um preço mais salgado e é bom saber se vale a pena ou não comprar.

A página do Facebook, que tem mais de 26 mil curtidas, sempre traz as novidades do canal, assim como o Twitter. Quer resenhas detalhadas e muitos comentários sobre cada coisa do livro? Então, se você realmente curte boas resenhas, vai gostar muito dos vídeos. Quem também gosta de filmes pode ler as críticas de cinema do Cabine de Cinema no mesmo canal.

Selecionei três vídeos das minhas resenhas favoritas para vocês conferirem.

Não deixem de conferir; os vídeos são ótimos e também rolam outros vídeos falando sobre leitura, comentários em geral, e-books, e muito mais.


Livro: Olho por Olho
08/09/2013 | Categoria: Livros

Titulo: Olho por Olho – Volume 01

Autor: Jenny Han e Siobhan Vivian

Editora: Novo Conceito

Sinopse: Alguma vez você já quis realmente se vingar de alguém que a ofendeu? Talvez uma ex-amiga que a apunhalou pelas costas, ou um namorado traidor, ou um estúpido da escola que a humilhou desde que você era pequena… Alguma vez você já sonhou em envergonhá-lo na frente de todos? E, então, alguma vez você se uniu com outras duas pessoas para criar um elaborado esquema de destruição e revanche? A maior parte de nós não pode dizer que sim a todas essas perguntas (felizmente). Mas, certamente, todos nós somos capazes de nos identificar com muitos dos sentimentos de Kat, Lillia e Mary em Olho por Olho… No entanto, de um exercício de malícia, de uma simples brincadeira adolescente, o jogo do “aqui se faz, aqui se paga” poderá assumir proporções trágicas, em que até mesmo as leis da natureza vão se dispor, misteriosamente, a acalmar os corações ofendidos. Deixe-se levar por uma genuína história sobre o certo e o errado, o justo e o injustificável e procure entender — se possível — os verdadeiros motivos que transformaram estas três meninas. Dramático, honesto e fascinante, este é um livro que ultrapassa todas as expectativas!

Sabe quando uma série de livros já causa vários comentários antes mesmo de ser lançada? É isso que acabou rolando com Olho por Olho, e assim que eu li a sinopse já me empolguei bastante. Por mais que eu goste de histórias mais adultas, também sou fã daquelas com personagens adolescentes e que se passam no high school. Porém, a proposta aqui era mais diferente. Só pela sinopse nós já percebemos que não se trata de uma história bobinha qualquer, e sim de um enredo super bem planejado e escrito. E é exatamente isso que você pode esperar desse livro!

Para começar, o tema principal abordado aqui é a vingança. As protagonistas são três: Mary, Kat, e Lilia. Elas moram na Ilha Jar, que é dividida em quatro cidades. Elas não são do mesmo grupo social, mas eventualmente, encontram algo em comum que as fazem se unir. Kat e Lillia foram amigas na infância, quando a última passava as férias de verão na Ilha Jar. O trio era formado com Rennie, uma garota popular e egoísta, que por brigas bobas de criança, acabou se afastando de Kat e praticando bullying com ela durante todo o ensino médio.

Lillia é cheia de amigos, mas isso não quer dizer que ela goste deles. Reevie, por exemplo, é um dos garotos do seu círculo, mas ele insiste em machucar Lillia e ela não o suporta. Assim como um dos melhores amigos dela, Alex, que parece estar tendo um caso com a sua irmãzinha mais nova, Nadia. Ela se encontra no grupo de jovens mais conhecidos da cidade, mas não se sente confortável lá e não confia neles.

Mary é uma garota nova na cidade. Ela já havia morado lá antes, mas há muitos anos atrás, resolveu ir embora, quando sofreu um trauma de infância, provocado por Reevie. Ela sofreu apelidos e nunca teve amigos. Diante de tantos problemas, ela quase desistiu da própria vida. Por isso, quando volta à ilha para morar com a tia, e se depara com o causador de todo o seu sofrimento na infância, ela decide se vingar.

São três garotas com motivos suficientes para ver, de uma vez por todas, aquelas pessoas que tanto a prejudicaram, pagarem pelo que fizeram. Os motivos são justificativas o suficiente, e nós vamos os conhecendo pouco ao pouco, enquanto o livro se desenvolve. Ele é bem misterioso e te deixa naquela ansiedade para ler tudo rapidamente. Sem falar que as personagens são envolventes, assim como as autoras, que não enrolam em nenhum momento.

E é claro que também tem um romance na história, né? Kat e Lillia são meio enroladas com Alex, o mocinho da história, que já pisou na bola com elas e também acaba sendo vítima de uma das vinganças; porém, acabamos descobrindo que ele não teve culpa de muitas coisas. Ele ficou com Kat durante todo o verão e tem uma queda por Lillia desde que era pequeno.

Aparecem até mesmo alguns elementos sobrenaturais no final da história, à lá Carrie A Estranha. O segundo volume já tem nome confirmado: Dente por Dente, e em breve vai sair no Brasil. Vou acompanhar todos os volumes, porque eu amei a história. Estava faltando alguma série assim para agitar o mundo dos livros teen’s.


Livro: A Garota Que Eu Quero
03/09/2013 | Categoria: Livros

Título: A Garota Que Eu Quero

Autor: Markus Zusak

Editora: Intrínseca

Sinopse: O Rube nunca amou nenhuma delas. Nunca se importou com elas. Nem é preciso dizer que Rube e eu não somos muito parecidos em matéria de mulher. Cameron Wolfe é o caçula de três irmãos, e o mais quieto da família. Não é nada parecido com Steve, o irmão mais velho e astro do futebol, nem com Rube, o do meio, cheio de charme e coragem e que a cada semana está com uma garota nova. Cameron daria tudo para se aproximar de uma garota daquelas, para amá-la e tratá-la bem, e gosta especialmente da mais recente namorada de Rube, Octavia, com suas ideias brilhantes e olhos verde-mar. Cameron e Rube sempre foram leais um com o outro, mas isso é colocado à prova quando Cam se apaixona por Octavia. Mas por que alguém como ela se interessaria por um perdedor como ele? Octavia, porém, sabe que Cameron é mais interessante do que pensa. Talvez ele tenha algo a dizer, e talvez suas palavras mudem tudo: as vitórias, os amores, as derrotas, a família Wolfe e até ele mesmo.

Estava passeando pela livraria quando me deparei com esse na prateleira, por um ótimo preço. Ai aquele instinto de leitor já apitou, né? Corri e fui olhar a sinopse. Juro que a principio, achei que seria um daqueles romances adolescentes bonitinhos com boa escrita. Talvez seja porque esse é o primeiro livro que eu li do Markus Zusak e não conhecia realmente o jeito que ele escreve, mesmo com o sucesso de “A Menina Que Roubava Livros” (que eu ainda não comprei) eu não tinha uma opinião sobre ele. Então, comprei e acabou sendo algo bem diferente do que eu esperava.

Primeiramente, o livro é o último de uma trilogia, intitulada “Os Irmãos Wolf.” Só descobri isso depois de ter comprado, e na capa não dizia simplesmente nada sobre ser o volume 3. Não entendi isso muito bem, mas li que a editora comprou esse último livro e alterou o titulo. Ainda bem que não era tão necessário assim ter lido o 1 e o 2 e eu consegui entender tudo muito bem. O protagonista é Cameron, o irmão caçula, que é completamente tímido, solitário, meio quieto, e que encontra o conforto nas palavras.

A identificação pelo personagem já começou por ai, quando eu vi que ele gostava de escrever. E a cada capítulo vemos um dos seus poemas, que refletem a situação que ele passou. Ele é narrado em primeira pessoa, o que torna tudo mais íntimo. É quase impossível não entrar na mente do personagem, e ele é bem relacionável, intenso, um jovem diferente e um protagonista nem um pouco bobo. Ele vive na sombra do irmão Rube, que é disputado pelas garotas e sempre aparece com uma namorada nova.

Porém, as coisas mudam quando a nova garota que ele está ficando interessa Cameron. Ela se chama Octavia e ele fica impressionado com a inteligência e a beleza dela, e o fato de que a garota também não tem nada a ver com o seu irmão. Os dois são diferentes demais, e ele gostaria de cuidar de Octavia do jeito que ela merece. Quando os dois terminam e ele consegue se aproximar dela, fica surpreso e até meio chocado. Afinal, nenhuma daquelas garotas nunca deu nenhum valor à ele.

Vemos também sua relação com a família, com os irmãos, como eles passam por problemas e mesmo que disputem algumas garotas, ele e Rube são melhores amigos; sempre foram e há um grande respeito entre eles. As pessoas enxergam Cam como o rejeitado, mas ele não quer mais ser visto dessa forma. Quer lutar pelo que realmente quer.

O final é daqueles sem tantas respostas, mas na minha opinião, foi o suficiente. O enredo, a escrita e os personagens são super intensos, bem explorados. É mais um livro que fala sobre sentimentos e emoções e não traz tantas ações por meio dos personagens. Agradou para quem gosta de uma leitura mais intimista, e ao mesmo tempo, profunda, sem abordagem de temas supérfluos.


Estou lendo
31/08/2013 | Categoria: Livros

Quer saber quais são os próximos livros que vão ganhar resenha aqui no blog? Então confira os livros que eu estou lendo ou ainda vou ler no mês de Setembro.

A Garota Que Eu Quero – Markus Zusak

O livro me chamou a atenção primeiramente pela capa. Achei fofa, li a sinopse, e ela também me interessou bastante. Além disso, eu ando super a fim de ler “A Menina Que Roubava Livros” e essa história é do mesmo autor, por isso, quis comprar e conferir o jeito que ele escreve. O preço estava ótimo, R$17,90, e pelo que andei conferindo, há outros lugares que está ainda mais barato. Esse é, na verdade, o último livro da trilogia “Os Irmãos Wolf.” A editora comprou esse terceiro, e a capa e título são diferentes, então não dá pra saber que é o volume 3. Narrado por Cameron, o caçula dos irmãos, a história fala sobre a sua paixão pela ex-namorada do irmão, Rube. Pode parecer romance adolescente, mas a escrita é totalmente evoluída, e o personagem, bem construído.

Olho Por Olho – Jenny Han e Siobhan Vivian

Novamente, a capa me fez ficar ligada na história. Adoro essas propostas mais jovens, só que pelo que eu já vi do livro, não é bem isso que as autoras seguem em “Olho Por Olho”, um dos lançamentos mais esperados da Bienal 2013. Ah, e é claro que o nome de Siobhan Vivian, que escreveu “Não Sou Esse Tipo De Garota” (um dos livros que eu mais amei na vida, juro!) ajudou muito. As personagens Kat, Lilia e Mary irão se vingar de pessoas que a machucaram, não importa se faz pouco ou muito tempo: “o jogo do ‘aqui se faz, aqui se paga’ poderá assumir proporções trágicas, em que até mesmo as leis da natureza vão se dispor, misteriosamente, a acalmar os corações ofendidos. Deixe-se levar por uma genuína história sobre o certo e o errado, o justo e o injustificável e procure entender — se possível — os verdadeiros motivos que transformaram estas três meninas. Dramático, honesto e fascinante, este é um livro que ultrapassa todas as expectativas!”

Perfeitos – Scott Westerfeld

Já rolou resenha do primeiro volume aqui no blog. Agora eu estou ansiosa para ler o segundo, mesmo que eu ache que “A Seleção” da Kieira Cass acabou se saindo bem melhor. Os dois tem o tema de distopia, e uma coisa que eu gosto no livro, é quando o autor não enrola muito e é bem ágil. Scott Westerfeld manda bem, mas ele em alguns momentos deixa a história se arrastar. Maaaas… isso não significa que eu não vou ler o volume 2, intitulado de Perfeitos. Até porque, eu preciso saber o que aconteceu com a Tally, protagonista, após finalmente se tornar uma perfeita.


Livro: Bem Mais Perto
21/08/2013 | Categoria: Livros

Titulo: Bem Mais Perto

Autor (a): Susane Colasanti

Editora: Novo Conceito

Sinopse: Quando Brooke descobre que o amor de sua vida, Scott Abrams, está se mudando do subúrbio de New Jersey para Nova York, ela decide segui-lo até lá. Viver com o pai ausente e se adaptar a uma escola totalmente nova são desafiantes para ela — e as coisas ficam ainda piores quando ela descobre que Scott já tem uma namorada. Mas como ela aprende a sobreviver na cidade grande, começa a descobrir todo um novo lado de si mesma e percebe que, às vezes, o amor pode te encontrar mesmo quando você não está olhando para ele.

Fazia um tempo que eu não lia aqueles livros teen’s leves e de fórmula simples e capa fofa. De vez em quando essas histórias podem ser ótimas surpresas e eu confesso que foi comprando livros sem expectativa, que eu descobri as minhas histórias favoritas (tipo “Lonely Hearts Club” e “Eu Não Sou Esse Tipo de Garota”). Então quando a minha amiga me emprestou esse livro eu corri para ler, e confesso, devorei as páginas bem rapidinho mas o resultado não chegou nem um pouco perto do que eu esperava.

Vamos começar falando sobre a protagonista: Brooke é uma garota de 17 anos que vai para o último ano da escola. Ela tem um QI elevado, mas mesmo assim não tira notas altas na escola, de propósito como assim gente? sua justificativa é que ela não acredita no sistema escolar e muito menos nos seus professores e na pressão da mãe para entrar em uma faculdade como Harvard, por exemplo. Por isso, ela fica somente na média ou tira notas abaixo do esperado. A personagem é completamente apaixonada por Scott Abrams, um garoto de sua escola, faz anos. O problema é que ele não sabe disso e os dois mal conversam.

Na tentativa de conquistá-lo, ela quer confessar o seu amor por ele, sempre com o pensamento de que quando ela falar o que sente, ele vai compreender e corresponder, já que na sua cabeça, os dois são destinados a estar juntos. E quando Brooke finalmente resolve ir falar com ele, descobre que sua paixão vai se mudar para Nova York logo no verão, e talvez ela nunca mais tenha a chance de vê-lo.

Os pais de Brooke são separados e ela vive com a mãe em Nova Jersey. Quando descobre que Scott vai para NY, ela resolve ir morar com o pai. Mas os dois não se falam há anos e a relação anda bastante fria, mas decidindo arriscar tudo e fazer uma coisa totalmente maluca, ela se muda para a Big Apple. Aliás, esse é um dos pontos fortes do enredo. A autora sabe descrever super bem a cidade e isso nos deixa no clima da história.

Porém, o que desanima mesmo são as atitudes da personagem. Ela é um retrato de uma adolescente que não combina mais com as personagens fortes que vemos, e afinal, quem se mudaria para uma outra cidade só por causa de um garoto? Questionamos os pensamentos dela, e o seu maior objetivo é ficar com Scott, se aproximar dele, realizar o seu “sonho”, o que deixa a leitura mais maçante, já que nós não nos identificamos com o que ela pensa.

Outro furo é que algumas dúvidas são deixadas em aberto, como o relacionamento com as suas antigas amigas de Nova Jersey. Por exemplo, o fato da sua velha amiga Candice também já ter gostado de Scott; não vemos nenhuma resolução para isso e a personagem é simplesmente esquecida, assim como um garoto misterioso no café, que se apaixona da protagonista. Ficamos sem respostas.

O personagem mais legal da história é John, o garoto do qual Brooke dá aula de monitoria. Ele é engraçado, divertido e cativante. Torcemos para que a garota se ligue no quão bom amigo ele é, e que ele realmente vale a pena investir como um interesse amoroso. Ele chega a se declarar para ela, mas não sabemos ao certo se os dois ficam juntos, apenas que são melhores amigos.

Não é que o livro seja de todo ruim. A escrita da autora, mesmo que eu tenha achado um pouco infantil, faz com que você leia tudo super rápido e quem gosta de ler muito, consegue terminá-lo em apenas um dia (eu demorei três). É uma opção legal para dar de presente para aquela sua prima mais nova, que ainda está entrando no mundo da leitura, sabe? Me decepcionei apenas pelo formato da história e pelo enredo. Mas não é por isso que vou deixar de ler outra história da autora, até estou interessada em conferir outro livro, para ver se foi só com esse mesmo que rolou essa opinião negativa.


Livros: A Seleção
17/08/2013 | Categoria: Livros

Título: A Seleção

Autor (a): Kiera Cass

Editora: Seguinte

Sinopse: Para trinta e cinco garotas, a “Seleção” é a chance de uma vida. Num futuro em que os Estados Unidos deram lugar ao Estado Americano da China e mais recentemente a Illéa, um país jovem com uma sociedade dividida em castas, a competição que reúne moças de dezesseis e vinte anos de todas as partes para decidir quem se casará com o príncipe é a oportunidade de escapar de uma realidade imposta a elas ainda no berço. É a chance de ser alçada de um mundo de possibilidades reduzidas para um mundo de vestidos deslumbrantes e joias valiosas. De morar em um palácio, conquistar o coração do belo príncipe Maxon e um dia ser a rainha. Para America Singer, no entanto, uma artista da casta Cinco, estar entre as Selecionadas é um pesadelo. Significa deixar para trás Aspen, o rapaz que realmente ama e que está uma casta abaixo dela. Significa abandonar sua família e seu lar para entrar em uma disputa ferrenha por uma coroa que ela não quer. E viver em um palácio sob a ameaça constante de ataques rebeldes.

Já tinha lido uma série de burburinhos e resenhas positivas sobre A Seleção, mais um livro do gênero da distopia que está bombando por ai, e não via a hora de ler também. Por muito tempo, ele foi pauta em blogs e revistas, e todo mundo elogiava bastante. Sem contar que, para mim, a opinião das blogueiras conta muito! Uma amiga me emprestou o primeiro volume e eu comecei a ler. Senti aquele doce gostinho de me apaixonar por uma história e querer virar página após página apressadamente para saber o que iria acontecer.

Um dos grandes trunfos é com certeza a protagonista maravilhosa, a America Singer. E vamos confessar, no mundo do best seller, é tão difícil encontrar uma personagem que realmente se saia bem nesse papel. Já li muitos livros de romance ou drama, e nele, ou a protagonista era totalmente boba, ou ela ficava presa naquele clichê eterno de triângulo amoroso, que no fim, era sem graça. E então apareceu a America, que é o contrário: divertida, corajosa, espontânea e humilde. E ela não fica dependendo do mocinho ou de alguma paixão para fazer o que quer!

Ela vive no país de Illéa, onde as pessoas são dividas por castas. A maior é a um, em que são as pessoas da realeza e do clero. America é uma cinco, composta por artistas. Sua família passa dificuldades, e ela ainda tem um problema: é apaixonada e mantém um relacionamento secreto com Aspen, da casta seis. É proibido e também inadmissível uma garota casar com alguém de uma casta abaixo dela, e por isso, eles se encontram escondidos. A Seleção é a chance de trinta e cinco garotas disputarem o amor do príncipe Maxon, e deixarem toda a pobreza e fome para trás, se tornando a próxima rainha.

De inicio, ela não quer se inscrever de jeito nenhum. Mas pressionada pela mãe e por Aspen, que querem um futuro melhor para ela, America acaba se inscrevendo: ela não acreditava que iria realmente passar, mas ela conseguiu. E agora, é obrigada a deixar toda a vida antiga para trás e ir para o palácio, competir com tantas outras garotas, por Maxon. Ela sempre o viu como alguém sem graça, sem opinião, e achava até então impossível se apaixonar por ele. Até o conhecê-lo e os dois se tornarem amigos.

Como é de praxe no gênero distopia, é debatido as questões políticas e filosóficas da sociedade em que o livro é ambientado. A protagonista quer lutar contra a injustiça e a opressão das castas, e ela não entende o motivo de se casar com alguém que não gosta, mas tenta, pois quer salvar a família da fome. Os dois se aproximam, e muito, e ela então fica na dúvida: o que fazer, já que America sempre amou Aspen?

A história não é nem um pouco devagar. A autora sabe nos interessar, fazer com que a gente fique cheio de curiosidade e leia rápido. Eu mesmo, li ele em apenas três dias. E logo que terminei, já fiquei louca para comprar o segundo volume. Indico para quem quer ler uma história realmente boa, com personagens bem construídos. Até você vai gostar do príncipe Maxon e se sentir amiga da protagonista.

Quem já leu?


Livro: Feios
14/08/2013 | Categoria: Livros

Titulo: Feios

Autor (a): Scott Westerfeld

Editora: Galera Record

Sinopse: Tally está prestes a completar 16 anos, e ela mal pode esperar. Não por sua carteira de motorista – mas para se tornar bonita. No mundo de Tally, seu aniversário de 16 anos traz uma operação que torna você de uma horripilante pessoa feia para uma maravilhosa pessoa linda e te leva para um paraíso de alta tecnologia onde seu único trabalho é se divertir muito. Em apenas algumas semanas Tally estará lá. Mas a nova amiga de Tally, Shay, não tem certeza se ela quer ser bonita. Ela prefere arriscar sua vida do lado de fora. Quando ela foge, Tally aprende sobre um lado totalmente novo do mundo dos bonitos – que não é tão bonito assim. As autoridades oferecem a Tally sua pior escolha: encontrar sua amiga e a entregar, ou nunca se transformar em uma pessoa bonita. A escolha de Tally faz sua vida mudar pra sempre.

Eu sempre via a capa do “Feios” na livraria e ele me chamava muito a atenção, mas como o preço do livro nunca abaixava eu acabava enrolando e nunca comprei. Foram praticamente dois anos assim e agora eu finalmente tive a chance de ler a série, que é bem conhecida e traz o gênero da distopia, que anda bombando muito por ai (ele começou a chamar a atenção do mundo todo com Jogos Vorazes). A protagonista é Tally, uma garota que vai fazer 16 anos. No seu mundo, isso significa que quando ela finalmente fazer aniversário, vai ser submetida à uma cirurgia feita por médicos especializados e se tornar perfeita.

A civilização que nós vivemos atualmente se extinguiu por algum motivo, e agora só vivem povos em algumas pequenas cidades totalmente futurísticas. Para gerar um equilíbrio na sociedade e nenhuma injustiça, é realizada a operação em todos os jovens, para que não se existam pessoas mais ou menos bonitas. Assim, todos seriam perfeitos e ao mesmo tempo iguais.

Para Tally Youngblood, o seu maior sonho é viver em Nova Perfeição, onde inclusive o seu grande amigo Peris vive após ter feito a operação. Mas parece que as pessoas que passam por ela não ficam diferentes só na aparência. E tudo isso é questionado por Tally quando Shay, uma nova amiga, aparece em sua vida. É a primeira vez que alguém lhe mostra um mundo diferente, totalmente distinto, em que eles podem ter a opção de não se tornarem perfeitos e não fazerem tudo o que os adultos querem.

Shay é uma das personagens mais interessantes e no inicio da leitura ela quase parece a protagonista, pois quem tem as ideias revolucionistas aqui não é ela, e sim a amiga que aparece só um tempo depois em que o plano de fundo da história já foi apresentado. Tally conhece então um grupo de rebeldes, que vivem na Fumaça, uma cidade independente em que várias pessoas se abrigam esses jovens e também adultos.

A história traz um tema polêmico e também se destaca entre os livros distópicos, que vem ganhando cada vez mais espaço. Ah, e também rola um romance, para aquelas que adoram um livro com algum casal chamando a atenção. Só que ele não é nem de perto o foco e o mocinho só chega lá pela metade do livro. Ele se chama David, e é um dos líderes da Fumaça.

Não foi o livro mais legal que eu já li, mas não deixou a desejar, claro. A história é envolvente e os capítulos que possuem cenas de ação te instigam a continuar lendo. Uma coisa que eu também gosto são de capítulos mais curtos (não gosto dos muito longos), e por isso esse primeiro volume me agradou bastante nesse fator. Irei ler o segundo, “Perfeitos”, com certeza!


Livros que lerei
31/07/2013 | Categoria: Livros

Aproveitei as férias para adiantar as minhas leituras. Engraçado que quando eu tinha 12 ou 13 anos, conseguia ler uns três livros por semana. Mas ai fui crescendo, a rotina foi mudando completamente e hoje é quase impossível ler tudo isso em apenas sete dias, acreditam? Por isso, se o livro é curto, eu demoro uma semana. Se é maior, pode chegar a quase duas. Mas isso não diminuiu nem um pouco meu gosto pela leitura. Pelo contrário: aumentou minha coleção de livros. Tenho praticamente uma biblioteca teen instalada no meu quarto (meu sonho é aquelas estantes gigantes, a minha não cabe mais nada!)

Sempre quis ler essa coleção de Scott Westerfeld, que tem como primeiro livro da saga “Feios”, mas sempre que eu ia na livraria, eles estavam bem caros; vontade não faltava, e sim o dinheiro. Por isso, uma amiga emprestou para mim os dois primeiros da coleção e eu começo o volume um hoje mesmo. A história fala sobre uma sociedade diferente, onde todos os adolescentes até os 16 anos vivem aprisionados e são intitulados de feios. Quando chegam a essa idade, eles passam por uma cirurgia que os deixa perfeitos. A obra também traz aquele clima de cidade opressora e futuro pós-apocalítico, estilo Jogos Vorazes.

Depois de ler o volume um e dois da série A Mediadora de Meg Cabot, eu curti esse estilo da série de ser pequena e ao mesmo tempo bem divertida também. A protagonista Suzannah realmente é bem cativante, por isso isso me instigou a continuar a ler os próximos volumes da série. Ele tem como gênero o sobrenatural, mas é uma leitura leve. Já comprei os volumes 3 e 4 e irei começar em breve. Daqui a alguns dias tem resenha do dois aqui no blog!

O Hobbit é um dos livros mais famosos de J.R.R Tolkien e foi adaptada para os cinemas recentemente, causando grande expectativa e comoção em todos os fãs do autor e também dos filmes O Senhor dos Anéis. Pois então, me deram o livro de presente no meu aniversário e eu ainda não li não consigo me perdoar estou ansiosa por essa leitura, já que é uma história muito elogiada por todo mundo.

E vocês, o que tem na sua listinha de leitura?


Livro: A mediadora
27/07/2013 | Categoria: Livros

Titulo: A Mediadora – A terra das Sombras

Autor (a): Meg Cabot

Editora: Galera Record

Preço Sugerido: R$37,90 (R$11 o vira-vira com volume 1 e 2)

Sinopse: Suzannah é uma adolescente aparentemente comum que tem um problema com construções antigas. Não é para menos. Afinal, muitas dessas casas velhas são assombradas. E Suzannah é uma mediadora, uma pessoa capaz de ver e falar com fantasmas para ajudá-los a descansar em paz. É claro que esse dom lhe traz muitos problemas. Mas nem ela poderia saber a gravidade do que encontraria ao mudar-se para Califórnia.

Sabe aquela série de livros que todo mundo vive elogiando e indicando? Foi assim que eu conheci A Mediadora, super sucesso de Meg Cabot. E como eu simplesmente amo os livros da autora, decidi ler depois que minha mãe (que também é super fã de livros!) comprou o vira-vira, que saiu muito mais em conta (na Saraiva custou onze reais) com o volume 1 e 2 do livro. Ah, também já garanti até do 5 e o 6, por isso, vocês podem aguardar resenha da série toda por aqui.

Essa história segue o gênero sobrenatural e traz como protagonista Suzannah, que tem 16 anos e é como qualquer outra adolescente, se ela não fosse uma mediadora. Ela é uma das poucas pessoas na terra que tem o dom de se comunicar com os mortos, ou seja, ela vê todos os fantasmas. E é dela seu papel de ajudá-los a descobrir o motivo de eles ainda estarem presos no mundo humano e o que precisam fazer para partir para outro lugar.

A personagem é bem cativante na minha opinião, pelo menos ela me interessou bastante, porém também é um pouco arrogante, acha que pode resolver todos os problemas do mundo sozinha sem a ajuda de ninguém. Mas essa é uma característica que também aparece em outras várias personagens da Meg. Ela é obrigada a se mudar de Nova York para a Califórnia com a mãe, no meio do segundo grau. Seu pai morreu há alguns anos e agora, a mãe se casou de novo, com um cara que possui três filhos também jovens.

Ela tem que enfrentar uma nova escola, uma nova família, e principalmente uma casa, que é uma construção super antiga, por isso, seria meio óbvio que Suze iria encontrar algum fantasma. E é exatamente isso que acontece quando ela descobre que um fantasma super gato e com morte misteriosa está morando no seu quarto. Ele se chama Jesse e morreu há aproximadamente 150 anos, por isso, pouco se sabe sobre ele, só que é um dos personagens mais legais da história e logo prende nossa atenção.

Na sua nova escola ela encontra um espirito bem revoltado e também perigoso de uma jovem, Heather, que se suicidou após ter problemas com o ex-namorado (que para piorar tudo, meio que se interessa por Suze). Ela tem que aprender a controlar os problemas e a lidar com Heather, que tem como grande objetivo matar o ex, matar a protagonista ou qualquer outro que possa vir a interferir nos seus planos.

O livro é bem curtinho e a leitura super rápida. Há enrolação em alguns momentos pois as descrições da autora são longas (mas quem já leu outros livros sabe que ela curte encher uma linguiça em alguns momentos), porém a leitura é super indicada para quem curte séries assim. Sabe aquele primeiro volume que você sente que a história não é muito aprofundada, mas que os seguintes vão explorar bem mais tudo? É exatamente isso.


Meg Cabot
| Categoria: Autores, Livros

Hoje vou falar um pouco sobre uma das minhas autoras preferidas – e aposto que de vocês também – a Patricia Cabot, ou mais conhecida como Meg Cabot. Tem como não amar os livros dessa norte-americana que, pasmem, já tem 46 anos? Eu jurava que ela era bem mais nova. Aliás, para saber criar personagens adolescentes tão bem, ela tem que ter uma alma de jovem, né? Suas séries mais famosas são A Mediadora e O Diário da Princesa.

O primeiro livro que li de Meg foi lá por 2008, e era o “Como ser Popular”, um dos seus títulos mais conhecidos. Como o nome sugere, ele não é nenhum tipo de manual de como conseguir novos amigos. Conta a história de uma menina que era excluída na escola e resolve se aproximar dos populares da escola. Mesmo que com esse meu curto resumo a história pareça rasa, ela é um dos livros mais legais de Meg!

O segundo foi Tamanho 44 Não É Gorda, uma deliciosa comédia, que tem toques de leitura investigativa e policial também. Isso só prova que a autora é super versátil.  O livro segue o gênero check lit e me fez se apaixonar de vez por histórias assim, que são sempre hilárias, com personagens que tem vários problemas e se assemelham mais às mulheres da atualidade. Também li o segundo da série, e agora só falta o último.

E atualmente estou lendo uma das suas séries mais aclamadas, A Mediadora. Comprei a versão vira-vira, por isso estou lendo bem rápido todos os volumes da série. Logo, logo, tem resenha do primeiro aqui no blog. Quem nunca leu, eu indico. Impossível não se viciar; outra característica interessante é que as personagens de Meg são bem convincentes e nós passamos a gostar muito delas durante a leitura.

Sem falar também na série que conta a vida de Nikki, a super modelo, que agora está no corpo de Emerson Watts, uma adolescente. Cabeça de Vento é o primeiro volume, seguido por Sendo Nikki. Eles são bem interessantes e trabalham também com o gênero sci-fi.

E vocês? Qual seus livros preferidos da autora?