• Kennedy em Porto Alegre. Foto: Guadalupe Bastos @_lupe
    Música

    The Maine no Brasil

    ver post
  • large-4
    Comportamento, Textos

    Reconstrua

    ver post
  • large-3
    Playlist

    Playlist: Julho

    ver post
  • imagem.aspx
    Livros

    Livro: Outros Jeitos de Usar a Boca

    ver post
  • December 4, 2011
    postado por

    Dizia que te odiava, mas te amava, como ainda amo.
    Te olhava só de longe e conversava pouco contigo, mas sentia saudade quando não estava perto.
    Fingia que não ouvia você falar, mas era só pra ficar um pouco mais perto.
    Fazia você rir, e olhava seu sorriso lindo, e os olhos negros grandes brilhando
    Como é bom ser culpada pela felicidade de alguém.

    Alimentava uma mentira, uma ilusão criada por mim mesma.
    Procurava me desiludir
    Procurava em nossas conversas provas de que ele não era pra mim
    Até que achei, e tratei de espanta-las da minha mente.

    Mente?
    Será que li certo?
    Uma poeta, de meia tigela, que seja,
    Falando mente?
    Palavra proibida na poesia.

    Não devia tocar no assunto?
    Pois é assim que trato.
    Minha mente sabe que ele não vale nada,
    Mas meu coração insiste em dizer que ele é perfeito pra mim
    Com todas as imperfeições que combinam com as minhas

    Ele é agitação, eu calma,
    Enquanto ele calaria, eu falaria
    Enquanto ele deixaria, eu ficaria,
    E meu medo não tem justificativa, não tenho mais,
    De que todos descobrissem o que eu sinto

    Nem eu mesma acredito no que eu sinto!
    Nada é tão explícito,
    É necessário coração de poeta pra entender,
    Nem que seja de meia tigela,
    Assim como é necessário coração de poeta para conta-la

    Sinto ciúme, justificado,
    Espanto o fato de ele não servir para mim da minha mente.
    Não estando lá ainda chegam ao coração?
    Espero que sim, encontre o caminho,
    Essa agonia de viver num labirinto me desgasta

    Isso me desgasta,
    Evitá-lo me desgasta,
    Fazer o que não quero, ou melhor,
    O contrário do que eu quero,
    Me deixa sem energia para nada mais

    Não vivo como deveria, consegue entender
    O corpo trouxe do espírito as sensações e o cansaço de uma vida que não é minha
    Vivo a vida de alguém que o odeia
    Mesmo amando-o
    Minto! Percebo agora

    Vivo minha própria vida, digo
    A vida de alguém que o ama
    Mas mesmo assim precisa dizer que não
    Pra quem o odeia seria mais fácil
    Será que alguém consegue odiá-lo?

    Torço para que aconteça comigo o que acontece com tanta gente, e eu já vi
    Venha, e "quebre"meu coração
    Me mostre o que eu já sei
    Prove
    Não ele não consegue

    Ai.

    Dói.

    De verdade.
    Senti no corpo agora o que minha alma sente sempre (qual dói mais? Você já deve ter a resposta)
    Pensar nisso, nele, em tudo, faz minha respiração doer quando eu o faço
    Então esqueço
    Deixo o tempo passar, até o perder,
    Perco tempo, enquanto isso, e amanhã tenho novas recaídas na minha insanidade crônica,
    Que só se encontra adormecida,
    Enquanto escrevo essa sana poesia.

    Primeira poesia não-obrigatória da minha vida. Espero que não achem tão ruim quanto eu achei.

    Evelyne Joyce.

    November 2, 2011
    postado por

    Tem flores nascendo na minha janela. Passarinhos cantando nas árvores ao lado. Não sei se exploro o mundo ou me conheço por dentro. Mas tenho a vida inteira para fazer isso, e mudo tão rápido que nem vai dar tempo saber o que penso sobre tudo, o que acho sobre o mundo, revelar o que sinto pelas pessoas e sobre mim mesma que tudo já terá mudado. Perda de tempo se conhecer. O mundo de fora faz tudo aqui dentro mudar como, sei lá. Tenho a sensação que nada muda mais que eu, mais volúvel que água. Uma vez durona outra uma manteiga derretida. As vezes quieta, as vezes falo baixo ou alto, vou no restaurante mexicano, ando de bicicleta, leio um livro, chupo bala, acabo um namoro, me arrependo de não ter saído, fico aqui, refletindo ao infinito, ninguém quer realmente saber como eu sou.

    Ouço rock, choro com pop, naquela balada que tomei um porre, você lembra? Pois eu não. Lembro de acordar sem as calças.Vagamente de uns lugares escuros, de coisas coloridas ocupando a minha mente, sei lá. Estava quieta, falei alto, comi nacos, planejei andar de bicicleta em Manhattan, me indicaram um livro, me ofereceram algo para botar na boca, tinha acabado um namoro, me arrependi de ter saído, refleti um minuto, achei alguém assim como eu sou. Liguei no dia seguinte e sigo olhando as flores nascendo na minha janela ou só fazendo companhia a minha própria solidão momentânea, tô esperando eles virem aí, sem música de fundo, pra ficar um pouco quieta, tenho a vida inteira pra viver, pra que ficar aqui lembrando? Pensa no futuro guria, vê que rumo a vida te dá, ele te dá, ou eu dou.

    Ando de salto as duas da tarde nem passo perto da bebida mais, os carros passam, e ouvir os passarinhos? Nem sou capaz. Só que tenho a vida inteira pra fazer isso, eles vão passar a vida inteira cantando, nas flores que nascem na minha janela. Me conheço por dentro explorando o mundo, saindo, bebendo, descobrindo o que há de pior, pois o que fazemos dessa vida, é saber o que não fazer e acertar quando chegar a hora. Tenho a vida inteira pra descobrir o que não, num restaurante mexicano, enquanto ando de bicicleta, lendo um livro, ou chupando bala, acabando um namoro, saindo, ficando aqui, refletindo ou só esperando os passarinhos que sempre estão na janela, é assim que eu vou.

    Os passarinhos que cantam na minha janela, são beleza que se encontra dentro de si mesmo e acomoda quem quer se conhecer, olhar para dentro. As vezes encanta mas não é o suficiente. Quer se conhecer vá para o mundo e conheça.

    Evelyne Joyce.

    September 19, 2011
    postado por

    Porque ele me persegue? Porque ele só volta quando estou bem? A verdade é que ele só me machuca só me trás tristezas e lembranças que um dia fizeram-me bem, mas hoje só me fazem mal, trás de volta aqueles momentos que sei, são inesquecíveis, mas por um momento queria esquecê-los, tirar da minha memória, da minha vida. Esse passado que apenas condena-me, que me traz dor, tristeza e lagrimas. Passado onde fico presa, sou prisioneira desse passado não distante, mas não recente, passado triste, passado incompreensível, passado que me deixa louca, que me deixa sem chão e desnorteada. Não quero mais me lembrar dele, desejo que suma da minha mente e que não fique nenhuma marca. Não quero algo para me lembrar e chorar, quero algo para lembrar e sorrir… Estou indo embora para longe de ti passado, você não irá mais perseguir-me. Passado fique longe de mim…

    July 25, 2011
    postado por

    Um dia desses uma amiga minha veio em casa e disse que "Manu Gavassi é perfeita."

    E agora eu preciso fazer uma confissão básica: eu odeio a palavra perfeição. Primeiro porque não existe, depois porque a menina que disse isso tem tudo pra ser perfeita também. Ela se dá bem na escola, é magra, tem olho e cabelo lindo, um namorado legal. E ainda procura defeitos em si pra reclamar, e acha que outra menina é perfeita.

    Mais um motivo pelo qual eu sou contra a perfeição: se alguém perguntar a Manu Gavassi se ela é perfeita, ela, sem sombra de dúvidas vai falar que não. Porque mesmo bonita e bem sucedida, ela deve ter problemas com química, o cabelo dela deve acordar muito ruim e dar trabalho pra arrumar, ela pode ter problemas pra dividir o quarto com a irmã… são tantos os problemas possíveis!

    E pra quê meninas querem ficar magérrimas, pra ficarem perfeitas. Mas quando conseguem, não tem o cabelo desfiado da moda, tem a boca grande demais, o olho pequeno, o queixo que é desse ou daquele jeito. E tudo o que elas queriam é ser como Manu Gavassi.

    Gente acorda vocês nunca serão como ela, ou como Gisele Bündchen, ou como a guria que faz a novela das oito, ou como a sua vizinha, como a menina mais popular da escola. O que cada uma tem que fazer é parar de pensar nos modelos, e se sentir bem com o seu cabelo, se não gosta, faz uma escova, se queria ser mais magra, fecha a boca, se não consegue emagrecer porque não pode largar o refrigerante, se contenta com uma barriguinha a mais e vai ser feliz tomando refrigerante!

    Mesmo que você sonhe alto, os pés devem estar plantados no chão.

    Não é nada contra Manu Gavassi, nem nenhuma das meninas que citei no texto. É contra as meninas que querem ser como outro alguém, e se esquecem de que é impossível. ;/

    July 24, 2011
    postado por

    Eu, depois de muito tempo me tornei expert em dar conselhos inúteis. Deus – ou qualquer outro nome para Ele, O cosmo, a coisa, Buda, Brama, Jesus, O Senhor, Alfa e Ômega, O Dono, Jeová, mas para simplificar, Deus mesmo – me deu o "dom", de entender a mente das pessoas. Conheço muito mais gente assim. Que olha pra você e sabe exatamente o que está sentindo. Que não te deixa mentir, sabe que é uma mentira. Acho que meus poderes se limitaram a entender sabe.

    Os meus problemas começam quando querem que eu entenda e Aconselhe. Sim, com A maiúsculo. Vamos ao dilema de todo aconselhador, ou qualquer que seja o nome dado a quem aconselha.

    1- Todo mundo é diferente. Você dá um conselho, e a outra pessoa tem milhões de motivos pra achar que você está completamente errado.

    2- A gente é obrigado a imaginar, o que a pessoa que pediu conselho está pensando. Adivinhar o que as pessoas envolvidas estão pensando. E o que as pessoas não envolvidas (leia-se desocupados que preocupam-se com a vida alheia) vão pensar.

    3- Tem aquela parte chata de "se der errado a culpa é minha". E mesmo que a culpa não seja minha, pelo menos a minha consciência fica pesada, não sei a de vocês.
    Por isso, na dúvida, eu num digué nada, como diz um ditado muito sábio da minha querida amada e quente região Nordeste.
    E aí vem o primeiro mandamento para consolar um amigo desesperado, que não sabe se fica ou vai, se pega o namorado da amiga ou não, se fica ou quieta e chega no cara, se fala para a amiga que ela parece uma piriguete ou deixa ela se tocar sozinha enquanto quebra a cara.
    Não sei o que vocês fazem, mas eu apelo para a numerologia, búzios, runas, macumba, tarot online, horóscopo ou qualquer coisa dessas que, na teoria resolve todos os seus problemas emocionais, financeiros.

    "A gente dá certo ou não?" É resolvido com três cliques no portal horóscopo da capricho. Câncer com capricórnio, combina, Áries e Peixes, sai fora. Simples assim.
    As indiretas nas músicas são o segundo passo se a amiga é uma cética e acha que tudo isso é só uma forma de vender revista do João Bidu. Porque se a paixão dela é Luan Santana, ela nunca, jamais, sob nenhuma circunstância vai contestar o que ele disse sobre qualquer assunto. Porque se ele escrever que a terra tem forma de um taco de golf, todas acreditarão. Então, só mandar que "um beijo vale mais que mil palavras" resolve um problema. Chega nele e beija, não tem problema nenhum. Ou, bota carimba a redação sobre as formas de energia limpa com um beijo que a professora com certeza não vai nem reclamar. E se reclamar, ai dela. FamiliaLuanSantanaPraSempre acima de todas as coisas.

    Por fim, se nada disso der certo. Desista. Você está entre a cruz e a espada. Diz que não sabe o que fazer, e deixa a amiga arrasada dizendo que vai ligar pra fulaninha que entende ela mais que você, que achava que vocês estariam juntas pra sempre mas não é bem assim e blablablá. Ou então, entra no site Pergunte ao Polvo e digita as opções. "Dá um fora ou indica para a amiga para ela se ferrar no seu lugar ficando com um babaca", vamos fazer uma simulação e…

    image 

    Pronto agora, um argumento e deixa sua amiga jogada a própria sorte indicando uma roubada – ou talvez não, o menino pode ser legal – para outra amiga.

    Dar conselhos, mais que uma simples tarefa da vida adolescente, uma arte.

    Esse texto é de humor, e não é real. Eu amo dar conselhos. Fãs de Luan Santana não se ofendam.

    Evelyne Joyce.

    subir
    elas disseram TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © 2017 // DESIGN POR SARA SILVA