• large-2
    Comportamento, Textos

    O que fazer em tempos de ódio?

    ver post
  • large-2
    Playlist

    Playlist: Agosto

    ver post
  • large
    Amor, Textos

    Ser sensível é corajoso

    ver post
  • imagem.aspx
    Livros

    Livro: Siga Os Balões

    ver post
  • February 28, 2017
    postado por

    Uma questão que é importante na hora de viajar é: quanto custa a comida? Quanto eu devo levar? Em Nova York, as coisas realmente custam mais caro, mas é possível gastar menos do que a maioria das pessoas dizem, se você achar os lugares certos (os cafés da manhã na área turística podem ter preços mais exorbitantes). Eu, por exemplo, gastava no máximo 30 dólares por dia com a alimentação. A maioria dos hotéis não possuem café da manhã em NYC, por isso você tem que ter uma quantia extra, diferente da maioria das outras cidades.

    Foto 26-01-17 19 06 14

    Shake Shack – 8th Avenue, 691 – Fast Food

    Uma das hamburguerias mais famosas de NYC, você não pode deixar de ir no Shake Shack. Ele possui diversas unidades espalhadas em diferentes áreas da cidade. Esta, que eu fui, fica em Midtown, em Manhattan’s West Side, pertinho da Times Square e da maioria dos locais turísticos (era na rua do meu hotel). Se planeje para ir antes e saiba que você pode enfrentar fila, porque o local está quase sempre lotado, seja de turistas ou locais. Me falaram que a que fica na Grand Central Terminal costuma ficar mais vazio, mas casualmente no dia que eu fui, também estava cheio!

    Preço: É super em conta. Ótimo para ir comer com a família algo gostoso sem gastar muito (menu).

    O que eu experimentei: Cheese Fries ($3,99) e o Shack Burguer ($5,55)

    Foto 25-01-17 16 22 07

    Barraquinhas de cachorro quente – Central Park West – Fast Food

    Não é boato: as barracas de cachorro quente em NYC te dão a oportunidade de experimentar um dos melhores hot dogs que você já provou. Além da comida ser super barata, dá para quebrar o galho muito bem quando você não quer sair da rota do passeio e ir procurar um restaurante. Foi isso que eu fiz após sair do Museu de História Natural e ir em direção ao Central Park. Vale a pena, e você vai ver milhares de barraquinhas espalhadas pela cidade. Ah, vale lembrar que as comidas nos EUA sempre vem em grande quantidade.

    Preço: Talvez em uma lanchonete você pagasse um preço semelhante, mas vale a pena pelo custo benefício e para provar o famoso cachorro quente (e economizar tempo nos passeios).

    O que eu experimentei: Hot Dog ($3,00) e French Fries ($5,00).

    Imagem: TripAdvisor

    Imagem: TripAdvisor

    Carve Cafe – 8th Avenue, na esquina com a 47th – Café da manhã

    Após alguns dias comendo em cafés caros e que a comida não compensava, uma luz me guiou ao Carve, um dos locais com o café da manhã mais em conta na área turística, e que também faz o famoso pão na chapa. Então, se você já está com saudades de um breakfast mais brasileiro, aqui é uma ótima opção. O atendimento também é muito bom (vários atendentes falam espanhol e português). Tem sanduíches variados, um café delicioso e um menu enorme. Ah, ele fica aberto 24h.

    Preço: Se o seu café é mais básico, como o meu, vai custar barato. Se você quer comer mais, pode desembolsar em torno de $15,00 mas o preço é justo pois a comida é boa, e a quantidade, grande. Depende do sanduíche que você preferir. (Menu)

    O que eu experimentei: Café Latte ($3,50), Blueberry Crumb Muffin ($3,25) e French Toast ($7,95).

    Foto 26-01-17 01 32 45

    Daniela Trattoria – 8th Avenue, 728 – Jantar

    Perfeito para o jantar, o Daniela Trattoria tem uma decoração bem legal e é interessante também para quem está em casal. Se você está visitando NYC no inverno, é uma boa ideia parar neste restaurante para experimentar uma das sopas. Elas são deliciosas (a melhor que eu já comi!). Tem a chicken soup, minestrone e pasta e fagioli. A minestrone, de vegetais, é sensacional. As pizzas também são um ponto forte do local.

    Preço: É moderado e segue a faixa dos restaurantes da região. A pizza custa de $16 a $18, e a massa, de $21 a $26. (Menu)

    O que eu experimentei: Minestrone ($9) e pizza margerita ($17).

    Imagem: City News

    Imagem: City News

    Oliver Garden – Times Square – Almoço e jantar

    Fundado em 1981, o Oliver Garden é a maior rede de comida italiana dos Estados Unidos, com mais de 800 unidades no país. Foi um dos restaurantes mais legais que eu fui: o atendimento é impecável, e a comida é realmente maravilhosa. É difícil não sair de lá satisfeito! E o complicado mesmo é escolher o que você quer do menu. As opções são muitas. A minha mãe experimentou a lasagna frita ($12,49), e eu juro que nunca havia provado algo com aquele gosto antes (SÉRIO).

    Preço: O Oliver Garden tem um preço mais salgado caso você esteja indo com a família. Caso você queira pedir vinho, com certeza a conta sairá mais cara. Mas os preços continuam sendo bem OK para a região. (Menu)

    O que eu experimentei: Fettuccine Alfredo ($18,49)

    Fettuccine alfredo

    Fettuccine alfredo

    February 23, 2017
    postado por
    Foto 26-01-17 14 29 38

    No último dia de viagem em NY foi o momento de passear em Lower Manhattan, onde fica o World Trade Center, o local em que se localizava as Torres Gêmeas. Visitamos o Ground Zero, o memorial dedicado a fatalidade do 11 de Setembro. É, com certeza, um dos memorais mais bonitos que eu visitei durante a viagem, porém ele carrega um misto inevitável de tristeza quando você está lá. Ao me deparar com tantos nomes – parecia que eles não acabavam nunca -, a gente se questiona porque a violência consegue superar a humanidade.

    Foto 26-01-17 14 43 36 Foto 26-01-17 14 36 36 (1) Foto 26-01-17 14 36 09

    O local possui duas construções, representando ambas as torres, com o nome de todas as pessoas que estavam presentes nela. Dentro deles, tem uma cascata enorme de água. Ao lado você também encontra o museu do World Trade Center. O local tem várias barracas em que você pode comprar algumas coisas em memória do local, que ajudam na manutenção dele (que é impecável).

    Foto 26-01-17 14 56 25 (1)

    Bem próximo, tem o Westfield World Trade Center, o maior shopping de Manhattan, que tem toda a estrutura em cores claras. Ele possui a Forever 21, Apple, H&M, e outras lojas famosas. Diversas grifes também estão localizadas no mesmo, que tem lojas com preço mais salgado.

    Foto 26-01-17 14 58 02

    Sabe aquela história de andar na rua e encontrar algo muito interessante? Foi assim que conhecemos a St. Paul’s Chapel, a igreja mais antiga de Manhattan, construída em 1776 (sim!). Na frente dela, tem um cemitério com túmulos dos anos 1777, 1800, 1888… é incrível, sério! Famílias inteiras e importantes estão lá. Para alguns pode parecer estranho, mas é muito legal ver coisas do século passado na sua frente.

    Foto 26-01-17 15 38 09 (1) Foto 26-01-17 15 38 41 (1)

    A igreja também possui um sino que toca apenas no dia 11 de Setembro, para homenagear as vítimas e suas famílias. Ela também está fortemente ligada a instituições de caridade e trabalhos voluntários.

    Quando foi construída, a propriedade era o “prédio” mais alto da cidade. Agora, ele parece até pequeno perto dos outros! Como as coisas mudam, né?

    Foto 26-01-17 15 38 46 (1)

    Pegamos um táxi de volta para o coração da cidade, com destino a Grand Central Terminal, a maior estação de trem do mundo, construída no século 20 e inaugurada em 1913. É uma das obras de arquitetura mais conhecidas de NYC, e motivos não faltam: o local é grandioso, lindo, e possui diversos andares.

    Foto 26-01-17 16 05 54 Foto 26-01-17 16 05 41 Foto 26-01-17 16 06 56

    Você provavelmente lembra desse local, pois diversos filmes e séries são gravados constantemente na Grand Central. Impossível não lembrar do primeiro episódio de Gossip Girl, em que a Serena chega nas escadarias da estação. Durante a viagem, eu assisti “The Girl In The Train” e vários episódios de Mr. Robot, e foi muito legal ter reconhecido tantos cenários da cidade.

    Foto 26-01-17 16 38 01

    Já na Quinta Avenida, esbarramos – literalmente – com a The New York Public Library, fundada em 1895 e que possui um acervo com milhares de livros. Aqui, você pode fazer reunião, estudar, ou simplesmente usar o seu computador em uma das diversas salas da biblioteca: e o silêncio impera em todas elas.

    Foto 26-01-17 16 42 57 Foto 26-01-17 16 44 53 Foto 26-01-17 16 50 09 Foto 26-01-17 16 50 23

    Dica: Todos os locais históricos da cidade possuem lojinhas específicas (nos museus, por exemplo, você não precisa comprar o ingresso para acessá-las). Elas são cheias de itens legais para quem quiser levar presentes e lembranças desses locais especiais. A do MET, por exemplo, é cheia de livros em edições especiais sobre moda e arte. A da Biblioteca foi uma das minhas favoritas. Vale a visita.

    Foto 26-01-17 16 54 15 Foto 26-01-17 17 10 15

    NYC é uma daquelas cidades maravilhosas que parece um mundo a parte. O tempo todo novidades acontecem, as pessoas se movimentam nas ruas, e a moda também está sempre presente (a galera se veste muito bem, sério!), e coisas legais para fazer é o que não falta. A diversidade e a tolerância também imperam no local. É um clima diferente das outras cidades dos EUA. Eu já quero voltar, principalmente para conhecer o Brooklyn, o Soho e o Chelsea.

    February 20, 2017
    postado por
    Foto 25-01-17 18 19 53

    Uma das minhas partes favoritas de NY foi conhecer tantos museus maravilhosos. Fiquei impressionada em como os norte-americanos tem a oportunidade de vivenciar a cultura de uma maneira acessível, todos os dias (já que nos museus, como eu contei, rola aquela história de pagar o preço que desejar). O Metropolitan Museum Of Art é o principal da cidade e fica na Quinta Avenida.

    É impossível não lembrar de Gossip Girl enquanto você passeia pela quinta. A gente vai relembrando diversos cenários do seriado, e a escadaria do MET sempre foi ponto de encontro entre Blair e Serena.

    Foto 25-01-17 18 21 35 Foto 25-01-17 18 29 43

    Depois de passear por lá, nós pegamos um táxi até a Century 21, que fica na Lincoln Square, na Broadway. No caminho, foi possível ver também a Juilliard School, a universidade de música e artes mais importante do país. Ela tem uma arquitetura linda, e fica no Lincoln Center Plaza. A região é super movimentada o tempo inteiro, com várias lojas e alguns cafés legais.

    Olha que prédio lindo!

    Olha que prédio lindo!

    Foto 25-01-17 22 25 20

    Passamos pelo Lincoln Center Ballet por acaso, voltando para o hotel. É difícil não se impressionar com os locais municipais da cidade, que são muito bem feitos, com uma arquitetura de tirar o fôlego de qualquer um. O local é simplesmente lindo, e nesse dia ia acontecer uma apresentação de balé no teatro, e a rua estava lotada, cheia de gente chegando para o espetáculo.

    Foto 25-01-17 22 25 50

    Em New York é assim: em cada esquina que você vira, sempre vai ter algo muito interessante para ver e prestar a atenção (literalmente!). Não é a toa que se você olha pela janela no meio da madrugada, a rua ainda está super movimentada.

    Foto 26-01-17 01 44 02 Foto 26-01-17 01 36 47

    Nesse dia aproveitamos também para visitar a Times Square a noite. Programa super turístico sim, mas que não pode faltar se você nunca foi na cidade. O local é super cheio nesse horário, mas dá para andar tranquilamente (pelo menos em Janeiro foi assim), e visitar as lojas por lá. As que eu mais indico é a H&M (que dá para ver o logo enorme no prédio na primeira foto), que tem três andares, assim como a Forever 21, e a Sephora, com diversas linhas de make diferentes.

    Foto 26-01-17 01 46 17

    Tirar uma foto na escadaria vermelha pode ser uma tarefa complicada, mas não dá para deixar de sentar lá e observar a Times Square do alto (é o melhor ponto para tirar fotos!).

    February 12, 2017
    postado por

    Na viagem eu tive a oportunidade incrível de passar três dias em New York, e posso dizer que foi uma das experiências mais legais da minha vida. Eu – como a maioria das pessoas – sempre quis conhecer a cidade, mas não achava que a chance iria surgir ainda em 2017. Dois blogs me ajudaram muito na hora de montar o roteiro da viagem: O NY & About, da Martha Sachser, brasileira que mora há 10 anos na cidade, e o Matraqueando, com dicas preciosas. E a minha amiga Ana Maria, que conhece bem a cidade e me ajudou na hora de colocar tudo no papel (ou seria Word?).

    Foto 24-01-17 19 09 38 (1)

    No primeiro dia que eu cheguei na cidade, o tempo estava chuvoso, com muito vento e -2. Mas isso não me impediu de logo de cara, conhecer a Times Square (mesmo congelando!). O lugar era tudo o que eu imaginava, só que ainda melhor. Cheio de lojas, propagandas enormes e aqueles cenários que a gente vê muito nos seriados. Eu voltei posteriormente, a noite, e bati fotos bem legais (mas isso fica para outro post).

    O hotel que eu e a minha família nos hospedamos foi o ROW NYC. Ele fica na oitava avenida e tem uma localização muito boa, o que é essencial quando você vai viajar para NY. O hotel fica a apenas cinco minutos da Times Square, e em um local bem turístico da cidade, ou seja: tem muitos restaurantes, cafés e gifts shops. A reserva foi feita pelo Booking (que na maioria das vezes, garante preços bem mais amigáveis do que em comparação com outros sites). Eu super indico o hotel: o quarto para 3 pessoas era espaçoso, confortável, e o atendimento foi perfeito. Também tem bar, academia, e a famosa Sugar Factory dentro do saguão.

    Foto 25-01-17 11 51 33 NYC

    O dia seguinte já estava mais quente (em torno de 8 graus) com sol. A gente deu sorte, pois era o dia de fazer o passeio do Circle Line Liberty Cruise, pelo Rio Hudson, no Píer 83, perto do Hell’s Kitchen. Ele é uma boa pedida para quem quer ver partes legais da cidade com uma visão mais geral, se você não vai ficar tantos dias, como eu. Ah, e o barco também passa perto da Estátua da Liberdade. O narrador vai falando sobre todos os pontos turísticos. Ele mostra também o Píer 54, que foi o destino dos sobreviventes do Titanic, e que está sendo reformado atualmente.

    nyc2 Foto 25-01-17 12 18 32 (1)

    Existem opções de passeios mais longos, para quem estiver interessado. Mas se você estiver com o roteiro apertado, vale a pena fazer este de uma hora.

    Foto 25-01-17 14 28 16

    O American Museum of Natural History foi a segunda parada. Fundado em 1869, ele fica em frente ao Central Park. É bom reservar algumas horas para visitá-lo (e mesmo assim, é bem difícil conseguir ver tudo!). Ele é separado em alas, com a história de vários povos e suas respectivas culturas. Eu passei pela história dos asiáticos e africanos, e é uma experiência muito legal. Você aprende muito, e de uma maneira divertida (o local era lotado de escolas com crianças pequenas impressionadas com tudo).

    Eu também visitei a ala dos animais vertebrados. Os fósseis de dinossauros são surpreendentes, e muitos foram descobertos na América Latina (principalmente na Argentina): ou seja, tem muita coisa que surgiu perto de nós, e nem sabíamos. Essa foi a única área que eu consegui bater fotos legais, porque as outras eram muito escuras.

    Foto 25-01-17 15 38 39 Foto 25-01-17 15 26 30 Foto 25-01-17 15 29 21

    Dica: Todos os museus possuem preços sugeridos (o ticket era $22 dólares para adultos) mas você pode pagar o preço que preferir por eles. Sim! É só ir ao balcão na compra dos ingressos e dizer o preço que você quer pagar. E é isso mesmo, sem erro.

    Vista do Central Park de dentro do museu

    Vista do Central Park de dentro do museu

    A visita ao Central Park aconteceu em seguida. Fomos direto para o Strawberry Fields, memorial do John Lennon, que fica bem pertinho do museu (uns 10 minutos a pé ou menos, seguindo na direção do trânsito, saindo na frente do museu).

    Foto 25-01-17 16 47 13 Foto 25-01-17 16 50 59

    O memorial do cantor é cheio de pessoas o tempo inteiro, então tirar a foto ali no centro escrito “Imagine” é uma missão complicada. Tem uma galera tocando violão, fazendo os seus covers das músicas dos Beatles, além de muitas camisetas, ilustrações e desenhos do John. O local foi construído com a ajuda de Yoko Ono. O apartamento em que ele viveu fica bem pertinho dali, o Dakota Building.

    Foto 25-01-17 16 53 29 Foto 25-01-17 17 00 15 Foto 25-01-17 16 50 06 (1) Foto 25-01-17 17 13 22

    O parque é um dos locais mais bonitos de NY e você não pode deixar de visitá-lo. É necessário pelo menos uma hora para ver uma (pequena) parte. É possível passar horas no Central Park, batendo fotos e explorando cada lugar. A pista de patinação (que funciona no inverno) fica próximo da saída que é caminho para o Museu de Arte Moderna. Confira os preços aqui.

    Foto 25-01-17 17 50 08

    Antes de jantar passeamos pelos arredores do ponto em que estávamos do Central Park, que era próximo do MOMA, o Museum Of Modern Art, que data de 1929. Aqui, rola o mesmo esquema dos outros museus (você paga o que preferir). Essa foto, da entrada, foi uma das minhas favoritas que eu tirei na viagem.

    February 7, 2017
    postado por
    Foto 21-01-17 18 13 53

    No meu primeiro final de semana na Georgia nós fomos visitar Atlanta, principal cidade do estado. Era 21 de Janeiro e esse dia ficou super marcado na minha memória, pois estava ocorrendo a Womens March, uma marcha realizada em todos os Estados Unidos como um protesto contra as ações recentes do Trump, as suas declarações e a campanha política extremamente sexista, homofóbica e racista.

    Poder presenciar essa marcha de perto foi incrível e emocionante. Eram milhares de pessoas unidas, segurando placas, com camisetas apoiando o feminismo e contra todos esses absurdos que andam acontecendo no mundo inteiro que nos deixam revoltados. Eu confesso que naquele momento me surgiu uma esperança de que a nossa geração seja mesmo uma mais politizada e que luta contra as injustiças sociais que as minorias são vítimas.

    O movimento Black Lives Matter também foi citado diversas vezes na marcha

    O movimento Black Lives Matter também foi citado diversas vezes na marcha

    As ruas da cidade estavam lotadas, e o trânsito, paralisado. Eu vi muitos grupos de jovens indo juntos para a Marcha, animados, cheios de cartazes, e alguns com camisetas apoiando o ex candidato Bernie Sanders.

    hard rock

    Logo depois foi o momento de conhecer o Hard Rock Cafe, no centro de Atlanta. Eu já tinha visto o restaurante algumas vezes, mas não entrei. Eu queria conhecer a decoração, que é especial para quem ama música. Cheio de guitarras de artistas importantes do rock (e da música pop também), é difícil não se impressionar. O ponto forte com certeza é o ambiente.

    Foto 21-01-17 18 56 52

    Os Beatles possuem uma parede só com fotos memoráveis da banda, um violão que já foi usado pelo John Lennon, um desenho feito à lápis pelo mesmo, e outras coisas que fariam qualquer fã surtar. O meu pai, que ama a banda, adorou tudo. E nada mais justo do que eles ganharem um espaço grande no Hard Rock Cafe, né?

    Foto 21-01-17 19 00 00 Foto 21-01-17 18 57 59

    Dica: Os preços de alimentação do Hard Rock são bem mais salgados do que nos outros lugares. Então, se você quer economizar, dá para conhecer o local e ir almoçar/jantar em outro lugar. Ah, e sempre tem uma loja lá dentro (alguns preços são acessíveis) e dá para levar lembranças e camisetas para você ou para algum amigo.

    De volta para os arredores de Duluth, eu visitei um shopping aberto bem interessante, o The Forum, na Peachtree Parkway. Na verdade, o que me fez entrar nele foi que eu enxerguei a placa da Barnes & Nobles, uma livraria que eu sempre quis visitar, e que é uma das mais famosas nos EUA. As minhas expectativas foram atendidas! Eu passei mais de uma hora no local olhando tudo e desejando os livros.

    Foto 01-02-17 15 45 49

    Foto 01-02-17 15 04 57

    Eu passei um tempão na seção Young Adult, olhando os lançamentos (sabe aquele livro que você espera há meses a continuação sair no Brasil?) decidindo o que eu poderia levar. Os livros com capa dura são mais caros, custando em torno de $19 dólares. Os com capa mole são bem mais em conta: eles são no máximo $10 dólares. Mas vamos confessar que a capa dura é quase irresistível.

    Foto 01-02-17 15 12 25

    Foto 01-02-17 15 13 45

    Os fãs de Harry Potter possuem um espaço especial na Barnes & Nobles, com promoções de livros e a série com capas e versões diferentes. Eu não fotografei tudo, e tem muita coisa legal, de acessórios ao livro em formato HQ de HP. Eu fiquei impressionada. Quero começar a ler a série novamente, só que gostaria de comprar com uma capa alternativa (tem várias!).

    Foto 01-02-17 15 33 34

    Quem ai é fã da Nora Robers? Nessa parte da livraria eu encontrei todos os livros por preços incríveis (os de capa mole, que eu comentei a cima). Foi aqui que eu escolhi os dois que eu levaria: “The Summer I Turned Pretty”, da Jenny Han, e “That Summer”, da Sarah Dessen. Juntos eles custaram $20, e eu escolhi estes porque eu dificilmente achava aqui no Brasil (e eu sou fã das duas autoras).

    Foto 01-02-17 15 22 43

    A seção de vinil é imperdível! Tem desde os discos mais clássicos até os atuais, passando por The Beatles, Pink Floyd, The Smiths, até chegar em Ed Sheeran. Eu achei até mesmo o primeiro CD da carreira da Taylor Swift, que nunca foi vendido aqui no país. Fiquei desejando muito os vinis.

    Dentro da livraria também tem um Starbucks, e a galera toma um café ali enquanto lê os livros que comprou. Legal, né?

    subir
    elas disseram TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © 2017 // DESIGN POR SARA SILVA