Viajar
21/06/2014 | Categoria: Viagens

Quando escrevemos em blogs e sites entramos em um mundo diferente e, não sei se é porque conhecemos pessoas de vários lugares do mundo, a vontade de fazer a mala e sair conhecendo esse mundão é ainda maior. Não que outras pessoas não tenham essa mesma vontade, mas quando lemos constantemente posts sobre esse assunto vai criando em nós aquele sentimento de que precisamos fazer o mesmo. É aquela garota que teve sua primeira viagem para fora do país – oi Bia -, aquela que perdeu o medo e foi sozinha, as várias fotos e vídeos que vemos das blogueiras que mostram tudo para seus leitores, dicas de lugares, preços, compras… Tudo isso junto muda a forma como pensamos sobre viajar.

Na maioria das vezes pensamos que isso nunca vai acontecer com a gente. Que nunca vamos sair do nosso cantinho, porque esse é o nosso destino: permanecer onde nascemos. O medo fala mais alto e, por isso, deixamos escapar várias oportunidades – aqui não estou falando apenas sobre viajar, e sim, sobre sair da zona de conforto. Sempre pensamos que não temos condições financeiras. E há acima de tudo, desculpas. Falamos que é impossível e está fora do nosso alcance, mas quer saber? Algo só se torna impossível se você achar que é, e nada está fora do nosso alcance quando lutamos para conquistar o que desejamos. Então, não é impossível fazer aquela viagem dos sonhos.Uma das coisas que eu tenho aprendido acompanhando viagens de algumas blogueiras é que, acima de qualquer obstáculo vale a pena tentar. Se você tem vontade de sair do seu estado para morar ou conhecer outro, então tente. Se quiser sair do país e conhecer outros, então tente. Se não tem grana, batalhe para que ela chegue. Pode não ser fácil conseguir fazer aquela viagem que tanto deseja, mas como disse anteriormente, nada é impossível. Um dia pode ser sua vez.

Conhecer lugares diferentes nos faz abrir a mente, a gente muda a forma de pensar.

Por enquanto estou limitada a viajar (essa é uma das desculpas da qual citei anteriormente), mas conhecer o mundo não será apenas um sonho para mim. Não acho que desejar conhecer outras lugares seja um sonho distante, acho apenas que alguns tem mais coragem de arriscar do que outros, e é isso que faz todo diferença.

Há tantos lugares incríveis no mundo, que precisam ser explorados. Lugares que são capazes de mudar uma vida, inspirar histórias, trazer alegria. Há tantos lugares para se conhecer e você vai justamente escolher permanecer nessa rotina de ir ou permanecer nos mesmos lugares?

Existem tantas maneiras de viajar. Imaginar a tal viagem é uma delas, mas porque não coloca-la em pratica?


Orlando: Refeições/restaurantes
18/05/2014 | Categoria: Viagens

O que você ouve primeiramente quando te falam sobre a comida dos Estados Unidos? Fast food, refeições pesadas, lanches, Mc Donald’s ou Burger King. Pois é isso mesmo! Lá fora, eles não tem esse costume de comer arroz e feijão que nem a gente. Aliás, normalmente comidas assim vem em quantidades muito maiores e os alimentos são mais pesados. Nos parques, é bem normal você encontrar costelas gigantes de carne, pedaços de frango enormes, e tudo mais. Tem comida saudável? Tem, óbvio! Mas a de acesso mais fácil e barata são justamente essas. O café da manhã é repleto de waffle e muffins.

Mas eu não quero assustar ninguém. Mesmo com as comidas sendo gordurosas e nesse estilo, dá pra se alimentar bem em alguns momentos. Existem lugares com comidas extremamente baratas e refeições mais rápidas, e boas pra quem quer economizar grana durante a viagem. Eu já falei um pouco sobre a comida dos parques, tirando o Hooters.

Dollar Tree

Ele é o R$1,99 dos Estados Unidos, mais especificamente. Quer economizar? Esse é o local perfeito para comprar muita coisa, incluindo comidas rápidas, que é só colocar no microondas e em alguns minutos elas já estarão prontas. A loja também vende picolés, sorvetes, muito cup noodles (no final da viagem eu não aguentava mais olhar pra um copo desses. Meu deus do céu!) e o bom é que você vai ver o Dollar Tree espalhados por muitos lados de Orlando. É fácil de achar, os atendentes são simpáticos e é tudo extremamente barato.

Hooters

Eu já tinha comentado sobre esse restaurante no blog, que é tipicamente americano. Ele bomba a noite, e os clientes são principalmente homens, porque ele é tipo um ponto de encontro para os norte-americanos assistirem os famosos jogos de futebol. São várias telas grandes espalhadas no local, além de um bar super agitado e as garçonetes, que são famosas por usarem roupas curtíssimas. Elas tratam os clientes muito bem. A primeira vez que eu tive realmente dificuldade em falar com alguém na viagem em inglês foi aqui, porque a garçonete usava várias gírias e palavras que eu nunca tinha ouvido. Mas tudo foi resolvido rapidamente. Os pratos são tipo os do Outback, mas cuidado: tem muita pimenta, muito molho. E eu não estou sendo exagerada, pois pedi a comida que menos tinha pimenta no cardápio e ela era extremamente forte! Era batata-frita com queijo e cebolas.

Starbucks

O Starbucks não pode faltar, né? Todo mundo que viaja quer ir nele! E vale a pena mesmo. Ótima opção pro lanche da tarde, pro café da manhã, ou quando você simplesmente quer comer um cookie bem grande. Eles não são pequenos como os que vemos por aqui e também tem uma massa um pouco diferente. Os cafés são maravilhosos (na minha opinião) sem falar nos sabores diferentes das bebidas que tem lá. Eu tomei uma deliciosa, que era quase um milkshake, bem geladinha mesmo, e amei. As lojas estão localizadas principalmente nos shoppings, mas você encontra em quase todos os lugares.

Giraffas

Depois de alguns dias de viagem, você vai começar a morrer de saudade da comida brasileira, e de como ela digere super rápido no nosso estômago comparada às comidas dos gringos. Lá em Orlando os mais populares são o Camila’s e o Vittorio’s, e tem o Café Mineiro Brazilian Steakhouse também, mas o único que eu fui, foi o Giraffas. A comida é bem gostosa e não decepciona. Óbvio que tem diferença com a que comemos aqui, como o arroz, mas mesmo assim vale a pena. O preço é em conta, e sempre que você entrar lá vai ter um atendente falando português, o que vai ser um alívio se você não curte falar em inglês. Em alguns casos eles não são absurdamente simpáticos, depende da garçonete.

  • O Dunkin’ Donuts é um dos locais mais famosos dos EUA. Ele vende donuts de todos os tamanhos, sabores, cores, e café também. É uma rede super conhecida, você vai achar em muitos lugares!
  • Se você é apaixonado por frango, então vai gostar das milhões de lanchonetes e restaurantes em que a comida principal é essa. É frango por todo lado, literalmente. Desconfio que os americanos preferem ele à batata-frita. Aliás, o prato mais famoso lá é batata com frango.
  • Vale super a pena ir no Mc Donald’s. Você vai reparar que como a quantidade de locais pra comer é ENORME nas ruas, eles optam por fazer locais bem grandes, com muitas placas coloridas e chamativas, pra chamar mais a atenção, já que a concorrência é enorme. Em uma das redes de Mc da International Drive que eu fui, ele possuía dois andares. O primeiro tinha karaokê, uma área de café da manhã (servia panquecas!) um balcão para pedir os lanches normais, e no segundo andar, eram só jogos. Dava pra passar bastante tempo lá!

Busch Gardens
21/04/2014 | Categoria: Viagens

Esse é o parque favorito de todos os fãs de montanhas-russas super radicais, e é o local perfeito para quem ama adrenalina (como eu!). Como esse tipo de brinquedo sempre foi o que eu mais gostei, eu não poderia perder a oportunidade de ir para o Busch Gardens, que fica em Tampa, localizado à uma hora de Orlando. É fácil de chegar lá com GPS se você pegar as rodovias principais (na volta, nós quase nos perdemos no meio de umas ruas bem mais afastadas na cidade). O foco dele também são os animais. São zoológicos e áreas representando a África e a Ásia. Ah, e tem muitos locais lindos para bater fotos, com flores e animais fofos!

O ingresso custa 90 dólares pelo site e eu paguei 98 comprando na hora, então a diferença não é muito grande; às vezes os preços são super semelhantes na internet ou no guichê. No dia que eu fui em Tampa, (no inicio de Março) estava fazendo muito frio! E eu nem tinha levado roupas quentes. Em Orlando estava sol e calor, e lá, um vento forte e fazia uns 10 graus. Então, não esqueça do moletom, às vezes a temperatura varia muito.

A Sheikra tem 61 metros, e solta a galera numa queda livre de 90 graus a mais de 112 km/h. É somente para os corajosos! Só de me lembrar, eu ainda nem acredito mesmo que fui. A fila até que foi rápida, durou uns 45 minutos. Nada descreve a sensação de estar lá e sentir aquela adrenalina enorme. Antes da primeira queda – que é a maior e mais assustadora de todas – ela fica parada por alguns segundos lá em cima. É agoniante, isso eu posso garantir! Eu quase morri de emoção vale muito à pena, porque é uma experiência incrível. Normalmente tem mais fila que as outras do parque, por ser a atração mais famosa. Ela não assusta tanto assim depois que você cai os 90 graus. Ela tem até uma curva que sobe girando 360 graus!

A Kumba, não é tão assustadora quando parece, mas é cheia de loopings emocionantes. O legal das montanhas-russas desses parques é que o trajeto é sempre surpreendente. Sem nem mesmo perceber, você passa por baixo de alguma coisa, por curvas inusitadas… é bem diferente. Ela dura três minutos (sendo uma das de maior duração no parque) e tem aspirais de 360 graus. Ela tem várias descidas emocionantes!

Cheetah Hunt foi uma das minhas atrações favoritas do parque. Ela é uma montanha-russa cheia de curvas e surpresas, além de ser muito, mas muito rápida! Acho que é uma das mais velozes do parque e isso só deixa tudo ainda mais emocionante, você sai dela sem fôlego. O legal do inicio é que ela começa devagar e do nada pega uma velocidade grande, ou seja, ela te pega de surpresa. Além disso, também é uma das maiores do parque, dá pra enxergá-la de vários lugares.

A Montu acaba se tornando uma montanha-russa mais leve depois que você já foi em todas as outras que eu citei. Ela é bem rápida e tem vários loopings, e é mais legal por não ser um carrinho, e sim o banco que está nos trilhos. Ótimo pra ver o parque inteiro lá de cima, ainda mais com dias ensolarados (como o que eu fui!). A única coisa que eu não gostei muito é que a cabeça bate mais, porque ela se movimenta muito e com força. Porém, os bancos são confortáveis (assim como os de todas as outras atrações no parque).

Eu não fui com tantas expectativas para a Scorpion, já que ela tem uma estrutura menor, então não assusta muito, mas me surpreendi! Ela é bem divertida e a descida que te leva para um looping enorme é de deixar qualquer um com muito (sério!) frio na barriga. A fila foi bem rápida até, não tinha muita gente. No dia que eu fui no Busch Gardens o parque não estava lotado; me falaram que na temporada as filas são de horas.

Eu só fui almoçar (ou quase jantar!) mesmo lá pelo final da tarde. O parque naquele dia fechava perto das seis horas, então próximo das cinco eu fui comer. Escolhemos o Zambia Smokehouse, opção mais perto. Tinha uma praça de alimentação maior no parque, mas no Busch Gardens tudo é muito distante, então se você quiser ir em outras áreas, tem que caminhar – e muito – a pé e naquele momento eu já estava super cansada. Esse restaurante é mais prático (fica no caminho da Sheikra, inclusive você consegue ver todo o trajeto dela enquanto come!) porque você escolhe o seu pedido, entra numa fila e eles já vão fazendo tudo rapidamente, ou ele já vai estar pronto na bancada. Então, se estiver em dúvida, é só escolher o que quiser ali e depois pagar. O processo é rápido. Porém, ele não tem comidas muito leves. Eu pedi o menor prato (só frango e batata) mas existem outros bem maiores com o molho barbecue. Eu não escolhia esses pratos porque lá tudo é pesado demais, então corria o risco de ficar mal do estômago. Os preços variam de 12/25 dólares.


Wizarding World Of Harry Potter
02/04/2014 | Categoria: Viagens

O parque que eu mais estava ansiosa quando soube que ia para Orlando era com certeza o Wizarding World Of Harry Potter, localizado dentro do Islands Of Adventure. Todos os fãs da saga – e até os que nem gostam tanto assim – vão se emocionar e gostar muito do lugar, que realmente faz você se sentir nas páginas do livro ou nos cenários do filme, de tão perfeito que os detalhes e cada pedaço são. De longe era o parque mais cheio! Muita gente também se programava para ir especialmente nele primeiro, assim que chegava no Islands Of Adventure.

Essa foto foi tirada por mim assim que eu cheguei no parque. No primeiro dia caiu a maior chuva, mas nem isso conseguiu atrapalhar a alegria de estar lá (mesmo tendo que usar aquela capa de chuva, que depois de um tempo, fica insuportável!). Assim que você está se aproximando já é possível ver o castelo de longe e o pessoal bate as fotos logo ali no inicio (não existe apenas uma entrada). Um dos brinquedos principais é o simulador (que é dentro do castelo) e a montanha-russa Dragon Challenge. As lojas e restaurantes são com as descrições feitas nos livros. É tudo feito com extrema perfeição.

Cerveja Amanteigada

Eu tinha lido vários comentários sobre ela; alguns diziam que era ruim, outros que era muito bom. Quando eu fui pedir a minha, pedi a mais gelada possível, que era a frozen. Não experimentei a outra versão e me falaram que ela era mais doce que a minha. Eu gostei bastante, na verdade achei que parece meio que um sorvete, um milkshake. É deliciosa. Sério. E o copo também é bem grande, difícil é conseguir tomar tudo aquilo sozinho. Não é caro, porque a quantidade é grande, então vale a pena.

Dragon Challenge

Inspirada na primeira tarefa do Torneio Tribuxo, a montanha-russa é a única radical que tem no complexo do parque de HP. É composta por dois trilhos: o vermelho e o azul, que percorrem caminhos diferentes e parece que irão se chocar (embora quem está nela nem perceba!). Como tinha pouca fila, eu consegui ir nas duas. A azul tem mais curvas, porém a vermelha é mais rápida que a outra. Vale super a pena ir, mesmo que o trajeto em si seja bem rápido.

Harry Potter and the Forbidden Journey

É praticamente o brinquedo principal do parque todo. É um simulador incrível e MUITO real, onde você passa por vários lugares da história do filme acompanhado dos personagens. Está na lista o campo de quadribol, e também ver os dementadores de perto. Ele sacode bastante, o que deixa tudo mais realista. A fila costuma ser bem maior (na primeira vez eu peguei 20 minutos e na segunda, uma hora) mas aqui não tem essa história de ficar no tédio enquanto espera. Afinal, no caminho, você entra no castelo e passa pelo escritório do Dumbledore, a sala de Defesa Contra as Artes das Trevas, pelo corredor da escola (aqui os quadros também falam!), é muito legal observar tudo. Tem que ir devagar mesmo. Ah, e não adianta muito levar câmera pois a luz não colabora nada pra foto (e é proposital mesmo).

Honeydukes

Conhecida como Honeydukes ou Dedos de Mel, essa foi uma das minhas lojas favoritas do parque. É o lugar perfeito para comprar os feijões, os sapos de chocolate, os doces, e tudo mais. Eu fiquei um tempão na loja escolhendo tudo. E o interessante é que cada doce tem um sabor único, ou seja, você não está comprando simplesmente uma barra de chocolate que vai achar fácil em outro lugar. As embalagens são muito legais e super trabalhadas. Amei os feijões (que realmente, tem gostos bem diferentes) e o chocolate que eu comprei.

Na saída do simulador também tem uma loja que vendem as camisetas, os copos, uma coruja pra vender (sim!), além de muitas outras coisas que vão ser bem especiais pra quem é fã. Eu mesma fiquei louca na loja. Comprei um kit com quatro copos e uma regata da Grifinória. Vale lembrar que a varinha não vende nessa loja e sim em outros lugares espalhados pelo parque (e numa loja no Universal Studios também). A minha dica é: guarde bem o seu dinheiro para esse momento, por quê vale a pena, principalmente se quiser guardar as coisas de recordação. Os copos das casas de Hogwarts são incríveis, muito bonitos.

Flight of the Hippogriff

Se você não gosta de brinquedos muito acelerados, está com crianças e quer algo mais leve, essa montanha-russa é bem rápida (dura uns 40 segundos eu acho!) e também não é nem um pouco radical, apesar do carrinho ir numa velocidade alta. A fila também costuma ser bem menor. Não deixe a altura dela te assustar!

Ah, e você pode também assistir algumas apresentações que rolam no parque.

Resumindo: é tudo sensacional. Juro que foi um dos meus lugares favoritos da viagem! Ainda quero voltar lá um dia. Vale cada centavo que você gasta para estar lá.


Universal Orlando Resort
16/03/2014 | Categoria: Viagens

O Universal Orlando Resort é um complexo de parques que foi inaugurado em 1990, com a finalidade de reproduzir vários estúdios da Universal, é um parque temático dividido em várias áreas e dedicado à muitos filmes e personagens famosos e queridos pelo público. Pessoalmente, ele foi o meu parque favorito que eu visitei na viagem para Orlando. O motivo é que impossível estar no Universal e não sentir a magia daquele lugar! Os cenários são maravilhosos, te transportam para filmes e épocas diferentes, sem falar no parque do Harry Potter (foi emocionante como fã da saga estar lá, finalmente!) e os brinquedos radicais são emocionantes. Sem falar na CityWalk a noite, que é linda!

Universal Studios e Islands of Adventure

O parque é dividido nessas duas grandes áreas. A primeira é focada nos cenários e partes diferentes  – ele possui vários, como Nova York, Hollywood, Production Central, San Francisco, World Expo e KidZone – nos personagens, que em alguns horários do dia sempre estão nos parques prontos para bater foto com todo mundo, além de vários simuladores (na Disney eles são super reais. Você se sente transportado para aquele mundo!) e muitos restaurantes temáticos, de super-heróis e quadrinhos principalmente. Já o Islands tem como seu maior destaque o Wizarding World of Harry Potter, Jurassic Park, e muitos brinquedos radicais.

Os brinquedos que eu mais gostei

Sou super fã de montanha-russa, e não perco uma. Até as mais loucas, eu sempre topo ir, pra mim é uma das partes mais divertidas dos parques e em Orlando, elas são cheias de surpresas, ou seja, o trajeto nunca vai ser exatamente do jeito que você pensa. Elas sempre passam por lugares inusitados, e são feitas em cenários bem diferentes. A primeira que eu fui, foi a do Hulk, localizada logo na entrada do Islands. É uma das mais fortes da Universal. No inicio, você passa por um túnel escuro meio devagar, para logo depois ela acelerar e ir muito, mas muito rápido!

Ah, e o destaque também vai para os simuladores. Em alguns, o carrinho fica parado e a tela em 3D só vai mudando, e em outros ele se mexe e vai passando pelos cenários. Porém, eles não são simples! A tecnologia dos parques é de deixar qualquer um de boca aberta. É tudo muito real. Você se sente completamente dentro dos cenários. Eu amei o simulador do Homem-Aranha, que te faz sentir no topo dos prédios da cidade e enfrentando alguns vilões. O do Simpsons é muito divertido e você vai em uma montanha-russa junto com os personagens, enquanto Maggie vira um bebê gigante prestes a destruir tudo pela frente. A do Transformers também é incrível. E o legal é que tudo nos parques são planejados. Os detalhes são perfeitos. Você não vai encontrar defeitos! Se esperar 30 minutos numa fila, não vai ficar morrendo de tédio, porque enquanto você está nela, vai passando por cenários super bem bolados sobre o brinquedo escolhido.

Além do Hulk, eu também fui na Hollywood Rip Ride Rockit, uma montanha-russa muito legal, cheia de loopings e uma queda gigante no início. Ah, e o mais divertido é que você vai o trajeto todo ouvindo uma música, que você pode escolher antes do brinquedo começar. Uma das minhas preferidas foi a Revenge Of The Mummy. Imagine uma montanha-russa completamente no escuro, e muito rápida! Então, ela é exatamente assim. E com muitas surpresas e cenários legais também. Numa hora, a parede ao seu lado começa a pegar fogo e você também sente todo o calor.  O caminho para chegar nos carrinhos é bem escuro e surpreendente.

Essa é a emocionante Rockit!

Revenge of the Mummy é um dos brinquedos mais incríveis do parque

E tem muita coisa legal para as crianças mais novas também. Aliás, eu via muitas famílias nos parques, os pais sempre iam acompanhados de três filhos pelo menos, sem falar na grande quantidade de gêmeos que tinham lá. O brinquedo favorito dos mais novos era o Despicable Me Minion Mayhem, um filme em 3D onde você virava um Minion (e tinha que aprender a agir como um!). Eu achei bem fofo. Confesso que amei Meu Malvado Favorito 2.

Existem alguns brinquedos também que você vai a pé, e muitos deles são mais interessantes para quem entende inglês, já que os funcionários ficam interagindo bastante com o público, como o Twister – Ride it Out e Disaster. Eles são opções legais pra quem quer dar um tempo depois do almoço e não ir direto nos brinquedos mais empolgantes.

RESTAURANTES

Os lugares para lanchar são vários. Tanto quanto nos dois parques, você encontra muitas opções, algumas mais baratas, outras mais caras, porém os preços não variam tanto assim e os pratos também não. Você vai encontrar muito frango e batata-frita, macarrão, carne, hambúrguer, e se quiser salada, a maioria tem pedaços pequenos de frango. Sim, é frango em praticamente todos os pratos! Cuidado ao pedir coisas com pimenta, porque lá tudo é mais forte e os molhos são muitos. Em alguns lugares a água é grátis. Eu optei por ela em praticamente tudo que comi. Um lanche médio é em torno de 5 ou 6 dólares, os maiores, de 10 à 13 dólares.

As barraquinhas de comida que tem nos parques (pipocas, sorvete, chocolate) são mais caras. Alguns preços são super salgados então não vale a pena sair comprando tudo o que você vê pela frente. E tudo vem em grande quantidade também, as porções não são muito pequenas, e quando são, na verdade trazem comidas que logo depois você já vai ficar cheio. Por isso, eu optava por coisas leves, porque nos parques, tem que andar muuito durante o dia todo!

Esse foi um dos meus parques favoritos para bater várias fotos, além do Magic Kingdom. Tem muitos lugares legais, como eu disse anteriormente, todos os detalhes são muito bem feitos. É uma visita que vale a pena! Sem falar no CityWalk, um dos lugares mais bonitos que eu já vi a noite. Quando escurece, todas as luzes se iluminam, é algo fantástico de ver, sério. Nessa área do parque, que fica entre o Universal Studios e o Islands, as pessoas podem ir sem pagar (porque você não entra em nenhum dos dois parques), então, a noite, muita gente vai para lá nos restaurantes, bares e tudo mais. Tem uma vida noturna bem agitada, rolam até alguns shows. Fiquei morrendo de vontade de ir no cinema, que tinha uma estrutura gigante, e um grande telão com nome de todos os filmes (lançamentos que ainda nem chegaram no Brasil) passando.

CityWalk durante à noite. (Imagem)

O próximo post será sobre o The Wizarding World of Harry Potter!


Direto de Orlando!
12/03/2014 | Categoria: Viagens

Estou escrevendo esse post direto de Orlando, na Flórida, aqui nos Estados Unidos. Para começar, me desculpo pela falta de posts aqui no blog, mas fica difícil atualizar o site com o ritmo super agitado da viagem. Acordar cedo, tomar café da manhã no hotel e sair para os parques, conhecer a cidade ou fazer compras. Aliás, acho que foi uma ótima ideia viajar com a família, assim tenho mais tempo para visitar os locais da cidade, ir nos shoppings, outlets, tudo com calma. Viajei no dia 4, na Terça-Feira, e cheguei em Miami no dia 5 de manhã.

O voo internacional foi bem tranquilo, durou até rápido. Tinha vários filmes legais para assistir, mas eu acabei ficando com sono mesmo (já que voamos durante a noite) e só acordei perto de chegar em Miami. Já tínhamos alugado um carro pela internet para usar em Orlando, e a viagem de Miami até lá durou mais ou menos quatro horas. Eu achei que ia ser bem mais prático, mas nos perdemos várias vezes e tivemos que contar com a ajuda do GPS ou dos americanos nas cidades próximas pra nos ajudar. Eu faço inglês há dois anos e consegui me comunicar muito bem por aqui. As pessoas são super simpáticas no geral e muitas falam em espanhol, então se você não domina o inglês pode recorrer à essa língua pra não ficar sem se comunicar.

A única dificuldade que encontrei no inglês foi no Hooters (restaurante típico de comida americana), que a garçonete tinha um sotaque carregado e foi mais complicado, porém ela foi bem legal com todo mundo e eu consegui fazer os pedidos sem muitos problemas. Todos os funcionários do hotel foram gente boa, assim como os da Disney, que já estão preparados para receber turistas do mundo todo, por isso não é o maior problema do mundo conseguir falar com eles. Eu confesso que achei que iria me atrapalhar, mas não! Acabei virando a tradutora da viagem (apelido dado até pela recepcionista aqui do hotel).

ORLANDO PARA QUEM NÃO ESTÁ DE EXCURSÃO

Se você vai viajar com uma agência, não vai ter grandes problemas na hora de chegar ao hotel, na cidade, nos parques (alguns ficam longe, como o Bush Gardens que se localiza em Tampa, à 1h30 de Orlando) mas se vai com a família, sem guia de viagem, prepare-se para pesquisar bem quais são os locais que vocês irão e principalmente, contar com a ajuda de mapas e de alguém que saiba pelo menos o básico do inglês. Por sorte, sempre que nos perdemos conseguimos nos localizar, mas é muito melhor traçar as rotas antes de ir para a estrada. Conselho de quem passou por dificuldades até chegar no Hotel. A viagem de carro que seria mais ou menos três horas, acabou durando muito tempo, por que a cidade mesmo sendo super turística, não tem muitas placas falando com clareza os locais. Você vai ler muito o nome International Drive, uma rodovia gigante, que passa por muitos lugares e leva à vários lados.

QUAL O PREÇO DA COMIDA?

Eu vim com uma quantia de dinheiro totalmente planejada. Quanto ia gastar nas compras e quanto usaria todo dia para comer. Reservei no mínimo 30 dólares para isso, mas é possível comer algo por muito menos aqui na cidade, é só escolher os lugares certos. Não tem muita variedade na alimentação e é preciso cuidado ao escolher os restaurantes, que podem ser caros e as redes de fast food servem basicamente frango, batata-frita, hambúrguer e… mais frango. Basicamente todo lugar tem essa comida, e depois de uns dias fica horrível ter que comer todo dia só isso, então, escolha o Starbucks, que tem algumas coisas gostosas e mais baratas, o Camila’s, Vitorio’s e o Giraffas se quiser comida brasileira (almocei duas vezes neste último e aprovei). Cuidado ao ir em restaurantes. Pedi um prato de batata-frita com queijo e molho no Hooters e levei um choque: tinha MUITA pimenta. E olha que eu perguntei para a garçonete qual prato tinha menos pimenta antes de escolher. Com 10 dólares você pode comer o que quiser nesses lugares que citei. Para os parques, reserve 15 dólares pelo menos.

ONDE ALMOÇAR OU LANCHAR NOS PARQUES?

Até hoje (dia 11) eu fui no Universal Studios, Islands of Adventure e Bush Gardens. O legal dos dois primeiros parques é que os restaurantes são temáticos. Tem de personagens famosos, super-heróis, de quadrinhos, enfim, uma variedade enorme e perfeito para bater muitas fotos. Mas as comidas são praticamente as mesmas e não tem muita alteração, só nos preços. Lugares como o Hard Rock são mais caros, por serem famosos. Na City Walk – que é super badalada durante à noite – tem muitas opções, mas eu indico escolher jantar lá no final do dia, quando anoitecer, porque fica bem mais legal e é melhor optar por uma comida pesada só depois de ir nos brinquedos. Lugares para lanchar é o que não falta. Eu escolhi batata-frita e hambúrguer no primeiro dia, e nos dois seguintes macarrão com almôndegas, porque era mais leve. Almocei em restaurantes diferentes mas a comida era praticamente igual (até o sabor). No Bush Gardens, os lugares não são temáticos, já que ele é mais de montanha-russa, animais, mas é um parque bem bonito também. Tem lanchonetes grandes, e lugares em que você entra numa fila, escolhe a comida e ela já fica pronta em alguns poucos minutos e você pega no balcão.

QUANTOS DIAS PARA CADA PARQUE?

No Bush Gardens dá tranquilamente para ir num dia só. Eu paguei 98 dólares no ingresso (esse, eu não comprei pela internet) e ele é focado em montanha-russas mesmo. São várias, e uma das mais famosas – a Sheikra – está nesse parque. Ela é emocionante! Em algumas horas, se não for em temporada (agora em Março os parques são mais vazios e a maior fila que eu peguei foi de 45 minutos) você consegue ir nas principais, bater fotos e dar uma conferida no zoológico. Porém, o ritmo é rápido! Já no Universal Studios, que tem também o Islands Of Adventure (onde fica localizado o Harry Potter) é muito recomendado ir dois dias. Eu paguei 113 dólares na promoção do Decolar, o que dá direito á transitar pelos dois parques uma vez por dia. Em apenas um dia, é muito difícil conseguir ver tudo (ou quase tudo) dos dois, principalmente porque se estiver lotado, você vai perder um bom tempo na fila. São muitos detalhes, cenários perfeitos, brinquedos radicais, então, é necessário um grande tempo.

SINGLE RIDER E FASTPASS

O single rider é uma fila que existe em alguns brinquedos, que geralmente vai mais rápido. O motivo é que as pessoas que vão no single rider, não tem preferência de irem em dupla ou com mais pessoas na atração, ou seja, vão sozinhas. É uma boa opção para quem não quer esperar tanto. O fastpass é um ticket que vai trazer um determinado horário no qual você irá poder ir num brinquedo sem utilizar a fila normal. Esse método existe em apenas alguns parques. Acredito eu que seja mais útil quando a fila ultrapassa uma hora, assim você não fica gastando dinheiro à toa, até porque, esperar meia horinha não mata ninguém, né?

Foto: We Heart It

Esse foi um post mais básico para introduzir a série de coisas que eu vou postar sobre a viagem. Ainda vou colocar as várias fotos que eu tirei quando chegar em casa, já que pelo computador aqui no hotel fica bem mais complicado. Ah, também irei contar detalhadamente sobre cada parque, os shoppings, pontos turísticos e outlets.


Falta pouco para a Disney!
02/03/2014 | Categoria: Viagens

Para quem não sabe – eu já falei em alguns posts antigos aqui no blog, mas talvez você não tenha visto – eu escolhi não fazer uma festa de 15 anos em 2013 e sim viajar para a Disney. De inicio, eu ia sozinha com algumas amigas numa agência de viagens. Porém a notícia empolgou a família toda, e por isso, vamos viajar eu, minha mãe, meu pai, uma das minhas melhores amigas, meus dois irmãos e minha cunhada. E faltam exatamente 3 dias para a viagem! Eu embarco no dia 4 de Março e volto no dia 15 para o Brasil.

Quero aproveitar muito, fazer compras, realizar o passeio que sempre foi o sonho da minha vida (desde que eu me lembro por gente) e aproveitar o um ano e meio de curso de inglês que eu já tenho, para ver se consigo me virar por lá, já que os meus pais não falam nada da língua. Listei os lugares que eu mais estou ansiosa para visitar.

É bem difícil pensar em Orlando e não lembrar de compras. Eu irei visitar o outlet que fica na International Drive (que é perto do hotel) e ir no Orlando Premium Outlet, que é uma rede de lojas na cidade. Esse possui mais de 100 lojas, dentre elas, Forever 21, Calvin Klein, DKNY, J.Crew, Adidas, Vans, Aeropostale, enfim, tem uma variedade enorme, além da praça de alimentação que também é bem grande. Pesquisando na internet, descobri que várias horas – ou quase um dia inteiro – devem ser reservados se você quiser visitá-lo com calma e tranquilidade, que é o meu caso, já que eu odeio sair correndo e comprar com pressa.

O Mall At Millenia é um dos shoppings mais sofisticados e bonitos de Orlando, por ter uma decoração incrível, mais de 150 lojas e ser muito grande. Os preços não são baratos como no outlet, mas mesmo assim algumas lojas (como a da Victoria’s Secret) tem promoções e é possível comprar coisas por bons preços. Ele também possui lojas de alta costura, como a Chanel e a Gucci, que no meu caso vão servir só pra olhar, mas já vai ser uma experiência legal passear por lá. Outro shopping conhecido é o Florida Mall.

Miami é um lugar que não pode deixar de ser visitado por quem vai para a Disney, né? Por isso, reservamos um dia para conhecer as praias, outlets e pontos turísticos no dia 8 de Março. Eu chego na cidade no dia 4 a tarde, mas vou de carro pra Orlando e como não vai dar tempo, vamos deixar pra visitar alguns dias depois, assim dá pra ver tudo sem correria. Acho que vai render várias fotos bem legais (não vou deixar de registrar cada momento, óbvio!).

O primeiro parque eu vou visitar é o da Universal e nem precisa dizer que tô MORRENDO de ansiedade para ir no Wizarding World of Harry Potter, né? Pra quem é muito fã da saga, acho que vai ser um dos momentos mais emocionantes da viagem. Desde que saiu a notícia que o parque seria lançado há alguns anos, e na sua abertura em 2010, eu sempre quis visitá-lo. Quero fazer compras por lá, tomar a cerveja amanteigada (que mesmo a maioria do pessoal dizendo que não é muito boa, quero provar mesmo assim) e bater muitas, mas muitas fotos. Eu vou para o Universal no dia 5 e 12 de Março.

No dia 7, numa Sexta-Feira, eu vou para Tampa, cidade que fica mais ou menos à uma hora e meia (ou duas horas), de Orlando. Meus pais vão visitar os pontos turísticos e o resto do pessoal vai para o Busch Gardens, conhecido pelas montanha-russas enormes, principalmente a Sheikra, uma das mais famosas, e que eu com certeza não vou perder a oportunidade de ir (apesar de saber que vou morrer de medo). Ela tem uma altura de 61 metros e queda livre de 90 graus. O parque também tem um zoológico bem legal.

No dia 11 eu vou visitar o Magic Kingdom e espero tirar várias fotos bonitas no parque, além de visitar alguns brinquedos que a minha amiga já me indicou (aliás, é legal pedir sugestões para os amigos que já foram e podem dar dicas muito úteis de que brinquedos ir, para não perder tempo na fila naqueles mais bobos). Além de ver a queima de fogos a noite o desfile que rola no final da tarde, quero aproveitar bastante. Esse vai ser o último parque.

Essa é a minha primeira viagem internacional (a primeira de várias, eu espero. Quem sabe, né?) e quando ela terminar, vou compartilhar com vocês as imagens, contar como foi, além das dicas de compras, lugares, e tudo mais.

Gostaria de pedir desculpas pela falta de atualização no blog. Foram muitos dias sem post, mas a culpa é da escola. A minha rotina anda muito puxada e eu praticamente nem entro no computador mais durante a semana, não tenho tempo nenhum. Além de estudar, ter que ir no inglês e ficar praticamente o dia inteiro pegando ônibus, eu chego super cansada e vou dormir cedo para acordar às 5h30 da manhã no dia seguinte.


Assista Unconditionally de Katy Perry
20/11/2013 | Categoria: Música, Viagens

Nessa quarta-feira (20/11) a cantora Katy Perry lançou o clipe do seu segundo single do álbum Prism. O clipe é bem diferente dos demais da cantora, é mais intenso e glamouroso, cheio de efeitos especiais, como neve, fogo e chuva de flores. O ambiente se parece com o de um filme de época e a cantora é atropelada por um carro, Katy declarou que é uma metáfora do amor: “É como ser atingido por um carro” disse em seu Twitter. Sem contar que o figurino é perfeito. Confira:


Feriado no Rio de Janeiro
21/10/2013 | Categoria: Viagens

No feriado que aconteceu na semana passada, Segunda-Feira e Terça-Feira, eu estava no Rio de Janeiro, um dos motivos pelo qual não consegui atualizar o blog (além de estar sem internet). Fui fazer a entrevista para os vistos da minha viagem à Disney, que vai acontecer em Março de 2014. Sim, é uma burocracia gigante pra quem vai viajar aos Estados Unidos e quem já foi, sabe como é! Com o passaporte pronto, fui fazer os detalhes que ainda faltavam e aqui em Floripa não dá, somente em cidades maiores (como São Paulo e Brasília).

Não, não foi a primeira vez que eu fui para o RJ! Deve ter sido a quinta ou a sexta… tenho família lá, então normalmente em Agosto/Setembro ou Janeiro eu sempre vou, em feriados ou férias. Inclusive eu queria fazer a UFRJ ou a UERJ, mas isso é história para outro post…

Na Quinta, fiz um passeio na Lagoa Rodrigo de Freitas bem cedo (muito) eram tipo 7h30 da manhã. Eu tinha acabado de ir pela primeira vez no consulado. O dia 1 foi bem rápido, então aproveitei a oportunidade para dar uma passeadinha por ali. Uma amiga até comentou lá no meu Instagram que eu estava de calça e casaco no Rio! Hahahaha, juro que tem explicação gente: na sombra estava frio e tinha o maior vento. Mas depois a tarde eu sai só de short e blusa porque, ao contrário, ia morrer de calor.

Na Sexta e no Domingo fui direto pra praia. Sempre vou aqui em Floripa mas no Rio parece que é diferente, mais animado, ou com todo aquele clima bom de férias, né? Consegui pegar uma cor (o que dá pra ver claramente na foto em que mostra a minha perna) e deu pra aproveitar bastante também. Praia, sorvete, shopping. Desejando Janeiro logo!

Aproveitei pra visitar a minha loja favorita, a FNAC que infelizmente não tem aqui em Florianópolis. É a que eu mais gosto de ir, seja pelas promoções que rolam o tempo todo, ou pela incrível variedade de produtos, seja de eletrônicos, livros, DVDs ou muitos CDs (sempre compro algum quando vou lá) e dou uma olhada nas revistas internacionais (que são mais caras nos outros lugares). Quando vi esse Minion na entrada da loja não resisti. Eu sei que pode soar meio infantil mas fiquei apaixonada por Meu Malvado Favorito e tinha que bater uma foto assim.

Até que comprei poucas coisas, viu. Só duas: o CD novo do Arctic Monkeys, uma das minhas bandas favoritas. O AM lançou há pouco tempo no Brasil e eu já garanti o meu <3 O livro foi um da Paula Pimenta, escritora que ganhou a minha atenção após a coleção Fazendo Meu Filme e Minha Vida Fora de Série. “Palavras Apaixonadas” é um livro só de crônicas e textos dela. Esperem resenha logo depois que eu terminar de ler! Voltei para casa também com A Marca de Atena do Rick Riordan, que em breve aparece aqui no blog também.

E essas são algumas fotos da viagem! Pensei em aos poucos, compartilhar um pouco mais da minha vida pessoal aqui no blog (sem ser só por meio de textos). Quem sabe não dá certo?


Os vídeos da cabine literária
29/09/2013 | Categoria: Livros, Viagens

Que eu sou apaixonada por livros, autores, filmes… acho que já dá pra perceber pela maioria dos posts aqui no blog. Como livros são o meu vício, eu acompanho há um tempo o canal do Youtube, o Cabine Literária, que é um dos mais famosos sobre o tema no mundo dos vlogs. Comandado por Danilo Leonardi e Gabriel Utyama, eles postam vários vídeos com resenhas (ou reviews) de lançamentos, livros antigos, novos, clássicos, e além de terem uma opinião consistente, os dois me influenciam bastante na hora de comprar um livro, por exemplo. Afinal, lançamentos sempre saem por um preço mais salgado e é bom saber se vale a pena ou não comprar.

A página do Facebook, que tem mais de 26 mil curtidas, sempre traz as novidades do canal, assim como o Twitter. Quer resenhas detalhadas e muitos comentários sobre cada coisa do livro? Então, se você realmente curte boas resenhas, vai gostar muito dos vídeos. Quem também gosta de filmes pode ler as críticas de cinema do Cabine de Cinema no mesmo canal.

Selecionei três vídeos das minhas resenhas favoritas para vocês conferirem.

Não deixem de conferir; os vídeos são ótimos e também rolam outros vídeos falando sobre leitura, comentários em geral, e-books, e muito mais.