Livros sobre o verão
04/03/2017 | Categoria: Livros

jenny han

Título: The Summer I Turned Pretty – O Verão Que Mudou A Minha Vida

Autor (a): Jenny Han

Editora: Galera Record

Gênero: Young Adult

Sinopse: A vida de Belly é medida em férias de verão. Para ela, todas as coisas boas só acontecem entre os meses de junho e agosto, quando está na casa de praia junto a Susannah, única e melhor amiga de sua mãe e uma espécie de tia, e seus dois filhos, Jeremiah e Conrad. Mais do que irmãos postiços e companheiros de férias, os filhos de Susannah tornaram-se o centro das suas emoções. A véspera do aniversário de 16 anos de Belly marca também o fim daquele que parece ser o último verão onde estarão todos reunidos em Cousins Beach. A partir do ano seguinte todos estarão ocupados demais e talvez algum deles já nem esteja mais entre nós…

A Jenny Han é uma das minhas autoras favoritas, e eu sempre tive vontade de ler essa série, que é uma das mais famosas dela. Um livro que mistura romance, amizade, e te envolve de uma maneira que só essa autora sabe fazer, “The Summer I Turned Pretty” traz como protagonista Belly, uma garota prestes a fazer 16 anos. Ela sempre passa as suas férias de verão na praia. Jeremiah e Conrad são seus amigos de infância, e desde os onze anos de idade, ela possui uma paixão (quase) platônica por um dos irmãos, que nunca a correspondeu, e sempre a viu como uma menina mais nova.

Enquanto Conrad é mais tímido e fechado – e também o mais velho -, Jeremiah é alguém com quem Belly sempre pode contar nos momentos de companheirismo. Ele é engraçado e tem uma conexão especial com ela. Os dois a encantam de uma maneira diferente. Apesar do triângulo amoroso ser o ponto chave do livro, as relações familiares e o amadurecimento são os protagonistas da história. 

A personagem ainda é uma adolescente, mas ela tem que crescer e entender que nem tudo é do jeito que a gente quer. Belly é mimada demais no início do enredo, e aos poucos ela vai aprendendo a respeitar mais os rumos que as outras pessoas escolhem, mesmo que ela não tenha as mesmas vontades. Eu confesso que me vi um pouco nela em alguns momentos. Quando nós temos 15 ou 16 anos, parece que aquelas paixões são definitivas e que vão definir muita coisa na nossa vida. Mas, mais tarde, a gente descobre que não é bem assim. 

É um livro super envolvente e eu com certeza quero terminar a série. No final da história, eu já sentia que conhecia muito bem os personagens.

 sarah dessen

Título: Aquele Verão

Autor (a): Sarah Dessen

Editora: iD

Gênero: Young Adult

Sinopse: Há muita coisa acontecendo na vida de Haven… Primeiro, o casamento do pai com Lorna Queen, a “Mulher do Tempo” da televisão local. Depois, o casamento da irmã Ashley com o chato Lewis Warsher, que não parece combinar com Ashley de jeito algum. Haven também não consegue ignorar o fato de ter quase um metro e oitenta e cinco de altura e ainda continuar crescendo. Ela mal consegue ver quem ela é agora ou onde ela pode se ajustar. Então, o antigo namorado de Ashley, Sumner Lee, aparece e reacende as lembranças de Haven do verão quando seus pais eram felizes, a irmã era descolada e despreocupada, e tudo era perfeito… ou pelo menos assim parecia.

Aquele Verão é o livro de estreia de Sarah Dessen, publicado em 1996. Mesmo sendo apenas o seu primeiro livro, nós já temos um gostinho enorme do seu estilo, sempre tão próprio: suas personagens estão constantemente lidando com a família. Seja com o pai, em “O Que Aconteceu Com o Adeus“, ou com o irmão, em “Bons Segredos“. Haven é uma adolescente que passa por momentos confusos. A sua vida mudou completamente após a separação dos seus pais, e o ideal de “família feliz” terminou em poucos meses, quando o seu pai traiu sua mãe. Após pouco tempo, ele está casando novamente. Lorna Queen, sua colega de trabalho – ambos são jornalistas – é a sua noiva, e Haven não consegue lidar com ela. A ideia de outro casamento a assusta, mesmo que sua irmã mais velha, Ashley, pareça estar aceitando tudo tão bem, ela não sente o mesmo.

Casamentos são uma grande questão na vida da protagonista: sua irmã também está prestes a pisar no altar, e agora será apenas Haven e a mãe morando em casa. Apesar dela e de Ashley serem próximas, a relação entre as duas nunca foi das melhores. Um misto de admiração e ciúmes sempre esteve presente. Haven é mais tímida, e Ashley é o destaque da família, seja com os seus namorados, o noivo e a cerimônia chegando.

As coisas começam a mudar quando Sumner Lee, ex-namorado de Ashley, reaparece na cidade. Haven mantinha uma boa relação de amizade com ele, mas que chegou ao fim após ele e Ashley terminarem, há alguns anos. Sumner encanta todos ao seu redor. Ele é comunicativo, divertido, e consegue trazer o melhor de Haven vir à tona. Porém, ele é mais velho que ela, e sempre a enxergou como uma “irmã mais nova”, mesmo que agora Haven tenha crescido, e ela mesma não consiga mais se reconhecer ao se olhar no espelho.

O enredo toma rumos inesperados, e a Sarah Dessen sempre gosta de fazer reviravoltas: eu desejava um final para a personagem, mas ela conseguiu fazer algo diferente e realista. Para os fãs da autora, essa leitura é muito legal para perceber o quanto ela evoluiu no seu trabalho, mas sempre soube fazer histórias especiais.


Lorde lança primeiro single do álbum novo
02/03/2017 | Categoria: Música

C5799vIUwAAWoSh

Demorou, mas a espera oficialmente chegou ao fim! Lorde lançou o primeiro single do seu segundo CD, intitulado de Melodrama, e com previsão de lançamento para este ano. O primeiro trabalho dela havia sido lançado em 2013, e foi um sucesso, levando a artista alternativa para o topo das paradas. Eu confesso que já estava morrendo de saudades da cantora: o álbum dela foi um dos meus favoritos durante muito tempo. Sabe aquele que você ouve até enjoar?

Green Light é a primeira faixa divulgada, e traz um toque ainda mais pop para o som da cantora, sem deixar de lado uma letra incrível, que tem tudo para virar aquela música pra gente se acabar de dançar na balada. Vem álbum novo!


Lugares legais para comer em NYC
28/02/2017 | Categoria: Viagens

Uma questão que é importante na hora de viajar é: quanto custa a comida? Quanto eu devo levar? Em Nova York, as coisas realmente custam mais caro, mas é possível gastar menos do que a maioria das pessoas dizem, se você achar os lugares certos (os cafés da manhã na área turística podem ter preços mais exorbitantes). Eu, por exemplo, gastava no máximo 30 dólares por dia com a alimentação. A maioria dos hotéis não possuem café da manhã em NYC, por isso você tem que ter uma quantia extra, diferente da maioria das outras cidades.

Foto 26-01-17 19 06 14

Shake Shack – 8th Avenue, 691 – Fast Food

Uma das hamburguerias mais famosas de NYC, você não pode deixar de ir no Shake Shack. Ele possui diversas unidades espalhadas em diferentes áreas da cidade. Esta, que eu fui, fica em Midtown, em Manhattan’s West Side, pertinho da Times Square e da maioria dos locais turísticos (era na rua do meu hotel). Se planeje para ir antes e saiba que você pode enfrentar fila, porque o local está quase sempre lotado, seja de turistas ou locais. Me falaram que a que fica na Grand Central Terminal costuma ficar mais vazio, mas casualmente no dia que eu fui, também estava cheio!

Preço: É super em conta. Ótimo para ir comer com a família algo gostoso sem gastar muito (menu).

O que eu experimentei: Cheese Fries ($3,99) e o Shack Burguer ($5,55)

Foto 25-01-17 16 22 07

Barraquinhas de cachorro quente – Central Park West – Fast Food

Não é boato: as barracas de cachorro quente em NYC te dão a oportunidade de experimentar um dos melhores hot dogs que você já provou. Além da comida ser super barata, dá para quebrar o galho muito bem quando você não quer sair da rota do passeio e ir procurar um restaurante. Foi isso que eu fiz após sair do Museu de História Natural e ir em direção ao Central Park. Vale a pena, e você vai ver milhares de barraquinhas espalhadas pela cidade. Ah, vale lembrar que as comidas nos EUA sempre vem em grande quantidade.

Preço: Talvez em uma lanchonete você pagasse um preço semelhante, mas vale a pena pelo custo benefício e para provar o famoso cachorro quente (e economizar tempo nos passeios).

O que eu experimentei: Hot Dog ($3,00) e French Fries ($5,00).

Imagem: TripAdvisor

Imagem: TripAdvisor

Carve Cafe – 8th Avenue, na esquina com a 47th – Café da manhã

Após alguns dias comendo em cafés caros e que a comida não compensava, uma luz me guiou ao Carve, um dos locais com o café da manhã mais em conta na área turística, e que também faz o famoso pão na chapa. Então, se você já está com saudades de um breakfast mais brasileiro, aqui é uma ótima opção. O atendimento também é muito bom (vários atendentes falam espanhol e português). Tem sanduíches variados, um café delicioso e um menu enorme. Ah, ele fica aberto 24h.

Preço: Se o seu café é mais básico, como o meu, vai custar barato. Se você quer comer mais, pode desembolsar em torno de $15,00 mas o preço é justo pois a comida é boa, e a quantidade, grande. Depende do sanduíche que você preferir. (Menu)

O que eu experimentei: Café Latte ($3,50), Blueberry Crumb Muffin ($3,25) e French Toast ($7,95).

Foto 26-01-17 01 32 45

Daniela Trattoria – 8th Avenue, 728 – Jantar

Perfeito para o jantar, o Daniela Trattoria tem uma decoração bem legal e é interessante também para quem está em casal. Se você está visitando NYC no inverno, é uma boa ideia parar neste restaurante para experimentar uma das sopas. Elas são deliciosas (a melhor que eu já comi!). Tem a chicken soup, minestrone e pasta e fagioli. A minestrone, de vegetais, é sensacional. As pizzas também são um ponto forte do local.

Preço: É moderado e segue a faixa dos restaurantes da região. A pizza custa de $16 a $18, e a massa, de $21 a $26. (Menu)

O que eu experimentei: Minestrone ($9) e pizza margerita ($17).

Imagem: City News

Imagem: City News

Oliver Garden – Times Square – Almoço e jantar

Fundado em 1981, o Oliver Garden é a maior rede de comida italiana dos Estados Unidos, com mais de 800 unidades no país. Foi um dos restaurantes mais legais que eu fui: o atendimento é impecável, e a comida é realmente maravilhosa. É difícil não sair de lá satisfeito! E o complicado mesmo é escolher o que você quer do menu. As opções são muitas. A minha mãe experimentou a lasagna frita ($12,49), e eu juro que nunca havia provado algo com aquele gosto antes (SÉRIO).

Preço: O Oliver Garden tem um preço mais salgado caso você esteja indo com a família. Caso você queira pedir vinho, com certeza a conta sairá mais cara. Mas os preços continuam sendo bem OK para a região. (Menu)

O que eu experimentei: Fettuccine Alfredo ($18,49)

Fettuccine alfredo

Fettuccine alfredo


Tendência: Mini Mochila
26/02/2017 | Categoria: Moda, Tendência

blog

É unânime: as mochilas pequenas, também conhecidas como mini backpack, são o acessório favorito das meninas em Nova York. Quase todo mundo sai na rua com a sua, complementando o visual e também para carregar algumas coisas essenciais. Talvez por ser mais prática (e não pesar nada), as bolsas pequenas voltaram com força e substituíram as maiores. Claro que para algumas pessoas essa não é a melhor opção (para usar na faculdade, ou na escola), mas eu por exemplo levo poucas coisas para o trabalho, então ela funciona muito bem para mim.

blog1

1. Camilla Soares (Brasília) 2. Silvia Postolatiev (Londres) 3. Alicia Nicholls (New York)

blog2

1. Diana Lor (Bucarest) 2. Sheila (Pensilvânia) 3. Alina Ermilova (Moscou)

blog3

1. Alicia Nicholls (New York) 2. Maria Lee (New York) 3. Kristina V 

large (2)

large (1)

large (3)

large (4)


Último dia em NYC
23/02/2017 | Categoria: Viagens

Foto 26-01-17 14 29 38

No último dia de viagem em NY foi o momento de passear em Lower Manhattan, onde fica o World Trade Center, o local em que se localizava as Torres Gêmeas. Visitamos o Ground Zero, o memorial dedicado a fatalidade do 11 de Setembro. É, com certeza, um dos memorais mais bonitos que eu visitei durante a viagem, porém ele carrega um misto inevitável de tristeza quando você está lá. Ao me deparar com tantos nomes – parecia que eles não acabavam nunca -, a gente se questiona porque a violência consegue superar a humanidade.

Foto 26-01-17 14 43 36

Foto 26-01-17 14 36 36 (1)

Foto 26-01-17 14 36 09

O local possui duas construções, representando ambas as torres, com o nome de todas as pessoas que estavam presentes nela. Dentro deles, tem uma cascata enorme de água. Ao lado você também encontra o museu do World Trade Center. O local tem várias barracas em que você pode comprar algumas coisas em memória do local, que ajudam na manutenção dele (que é impecável).

Foto 26-01-17 14 56 25 (1)

Bem próximo, tem o Westfield World Trade Center, o maior shopping de Manhattan, que tem toda a estrutura em cores claras. Ele possui a Forever 21, Apple, H&M, e outras lojas famosas. Diversas grifes também estão localizadas no mesmo, que tem lojas com preço mais salgado.

Foto 26-01-17 14 58 02

Sabe aquela história de andar na rua e encontrar algo muito interessante? Foi assim que conhecemos a St. Paul’s Chapel, a igreja mais antiga de Manhattan, construída em 1776 (sim!). Na frente dela, tem um cemitério com túmulos dos anos 1777, 1800, 1888… é incrível, sério! Famílias inteiras e importantes estão lá. Para alguns pode parecer estranho, mas é muito legal ver coisas do século passado na sua frente.

Foto 26-01-17 15 38 09 (1)

Foto 26-01-17 15 38 41 (1)

A igreja também possui um sino que toca apenas no dia 11 de Setembro, para homenagear as vítimas e suas famílias. Ela também está fortemente ligada a instituições de caridade e trabalhos voluntários.

Quando foi construída, a propriedade era o “prédio” mais alto da cidade. Agora, ele parece até pequeno perto dos outros! Como as coisas mudam, né?

Foto 26-01-17 15 38 46 (1)

Pegamos um táxi de volta para o coração da cidade, com destino a Grand Central Terminal, a maior estação de trem do mundo, construída no século 20 e inaugurada em 1913. É uma das obras de arquitetura mais conhecidas de NYC, e motivos não faltam: o local é grandioso, lindo, e possui diversos andares.

Foto 26-01-17 16 05 54

Foto 26-01-17 16 05 41

Foto 26-01-17 16 06 56

Você provavelmente lembra desse local, pois diversos filmes e séries são gravados constantemente na Grand Central. Impossível não lembrar do primeiro episódio de Gossip Girl, em que a Serena chega nas escadarias da estação. Durante a viagem, eu assisti “The Girl In The Train” e vários episódios de Mr. Robot, e foi muito legal ter reconhecido tantos cenários da cidade.

Foto 26-01-17 16 38 01

Já na Quinta Avenida, esbarramos – literalmente – com a The New York Public Library, fundada em 1895 e que possui um acervo com milhares de livros. Aqui, você pode fazer reunião, estudar, ou simplesmente usar o seu computador em uma das diversas salas da biblioteca: e o silêncio impera em todas elas.

Foto 26-01-17 16 42 57

Foto 26-01-17 16 44 53

Foto 26-01-17 16 50 09

Foto 26-01-17 16 50 23

Dica: Todos os locais históricos da cidade possuem lojinhas específicas (nos museus, por exemplo, você não precisa comprar o ingresso para acessá-las). Elas são cheias de itens legais para quem quiser levar presentes e lembranças desses locais especiais. A do MET, por exemplo, é cheia de livros em edições especiais sobre moda e arte. A da Biblioteca foi uma das minhas favoritas. Vale a visita.

Foto 26-01-17 16 54 15

Foto 26-01-17 17 10 15

NYC é uma daquelas cidades maravilhosas que parece um mundo a parte. O tempo todo novidades acontecem, as pessoas se movimentam nas ruas, e a moda também está sempre presente (a galera se veste muito bem, sério!), e coisas legais para fazer é o que não falta. A diversidade e a tolerância também imperam no local. É um clima diferente das outras cidades dos EUA. Eu já quero voltar, principalmente para conhecer o Brooklyn, o Soho e o Chelsea.