• Colagem por https://www.simplywhytedesign.co.nz/portfolio/digital-collages
    Blogs, Comportamento, Filmes, Música

    Ronda Virtual #2 – O que há de mais interessante na internet

    ver post
  • 2291f002dffe5a86eb3419ef5c2bb542
    Comportamento, Textos

    desculpe incomodar

    ver post
  • 58520cec17184311ac3fac39ff8c0309
    Música

    Playlist: Outubro – Brasilidades

    ver post
  • s114329664
    Séries, TV

    O que vale a pena assistir – Netflix

    ver post
  • Setembro 1, 2019
    postado por
    Design sem nome

    No mês de Agosto eu tive o prazer de visitar, pela primeira vez, o Parque Gráfico, feira incrível de arte que acontece anualmente em Florianópolis, Santa Catarina. A idealização do evento, feito por Camila Petersen, e com o suporte de toda uma equipe técnica, chegou em sua quarta edição em 2019. O parque gráfico realizou a sua primeira edição em 2016.

    “A Parque Gráfico é uma feira de exposição, troca, venda e consumo de produções gráficas e publicações independentes, tais como zines, livros, livros de artista, HQs, catálogos, editoriais, postais, pôsteres, gravuras e toda uma infinidade de produtos impressos que carregam consigo as características desse tipo de produção: menor tiragem, alto valor artístico e conceito mais artesanal e menos industrial.” Fonte

    Arte para mim é algo essencial, e iniciativas como essa são um pontapé para incentivar artistas; o mais interessante é que no Parque podemos conhecê-los, conversar pessoalmente (principalmente com aqueles que você já acompanha na internet faz tempo, que foi o meu caso com a @camixvx, a Camila Rosa), e consumir produtos que são feitos por artistas independentes. Também é possível visualizar o ativismo no evento de diversas maneiras; seja nas artes representativas, nos artistas queer e nas frases de apoio ao movimento LGBTQI+, negro e feminista.

    IMG-4533

    Eu acompanho a Camila Rosa a um bom tempo no Instagram (se você segue o Insta do blog já deve ter visto as artes dela muitas vezes por lá nos stories). Camila é do mesmo estado que eu, Santa Catarina. Quando eu comecei a segui-la nas redes sociais ela estava morando em Nova York. A artista já fez vários trabalhos incríveis por lá (um dos mais recentes faz parte da campanha Keep Fighting). Suas artes falam sobre feminismo, veganismo, e sempre mostram mulheres de corpos e etnias diferentes; eu sou apaixonada pelo traço dela e de como suas ilustrações são poderosas e impactantes. Elas transmitem muita força. Foi muito legal poder conhecer a artista no Parque Gráfico!

    IMG-4534

    Letícia Moreno é a autora do Negapeta; eu ainda não conhecia o seu trabalho e tive a oportunidade de apreciar no Parque e também levar alguns stickers pra casa. Letícia é ilustradora, aquarelista e estuda História da Arte na UFRJ. Um detalhe muito legal é que todas as compras vinham em em envelopes com desenhos feitos por ela (cada um deles diferente!). Eu gostei muito das artes dela com aquarela. Seus desenhos trazem mulheres negras e muita representatividade. Acompanhe-a no Facebook também!

    IMG-4535

    A fotografia também tem um espaço enorme no Parque Gráfico. Joe Nicolay, de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, foi um dos meus artistas favoritos. Eu fiquei impressionada com os cartões postais que traziam fotografias conceituais, em preto & branco. O trabalho dele traz as pautas de diversidade e identidade; Joe é graduando em Artes Visuais pela UFRGS. Vale super a pena conferir o seu trabalho na internet (que é super extenso!).

    IMG-4537

    A Naomy Rosa, conhecida artisticamente como @Batnau, foi uma das pessoas que eu mais adorei ver no Parque Gráfico. O trabalho dela está sempre presente nas Feiras de Florianópolis, em especial a Feira Afro Artesanal, uma tradição no centro da cidade, da capital de Santa Catarina. Já presenteei algumas amigas com cadernos e adesivos; o sketchbook é um dos meus favoritos! Uma característica única de seu trabalho são os desenhos feitos com café. A designer de interiores atualmente mora em Criciúma.

     IMG-4538

    É difícil não amar as ilustrações delicadas e as personagens femininas da ilustradora e designer têxtil Caroline Bogo. O seu estande estava lotado de meninas olhando os prints, adesivos e demais trabalhos da artista. Estavam presentes desenhos com muitas cores – em especial o rosa -, cheios de detalhes e uma estética maravilhosa. Comprei de aniversário para um amigo um print lindo. Caroline também estava vendendo alguns originais na Feira.

    IMG-4532

    IMG-4539

    IMG-4536

    Apesar dos tempos complicados no nosso país, a arte está viva e bem, obrigada. Os artistas são inspiradores e trazem mensagens importantíssimas. Não consegui fotografar tudo, mas o Parque Gráfico traz um explícito tom político e de questionamento, principalmente no trabalho dos artistas negros e LGBTQ, que mostram suas vivências, percepções e experiências em zines, ilustrações e frases. Também houve espaço para livros que exploravam temas tabus – com estandes que traziam tiragens produzidas por editoras pequenas -.

    Apoiar eventos como esse é essencial. Precisamos ocupar esse espaço e fazer questionamentos, além de acompanhar as pessoas que produzem conteúdo e arte de diversas maneiras. Essas formas de expressão carregam em si um poderoso olhar crítico, uma outra maneira de enxergar a sociedade, as angústias e crises que estamos vivendo. Muitos cartazes de artistas jovens e mais velhos questionavam a democracia, o status quo, a maneira como a sociedade está estruturada. Eu sai de lá, naquele dia, energizada e com força para continuar contribuindo coletivamente, mesmo nesses dias difíceis de 2019.

    Janeiro 23, 2018
    postado por
    100_0083 3

    Durante a minha viagem a Atlanta, eu adquiri algo que já estava querendo há um tempão: uma câmera legal para tirar fotos dos lugares que me inspiravam, das viagens, e dos meus amigos. O modelo escolhido foi a Kodak AZ252. Desde então eu ando tentando tirar algumas fotos (e testando a câmera, porque só entendo 50% das funções até agora). Algumas fotos ficam legais, e outras ficam longe de serem boas. Mas o que vale é a tentativa e ir aprendendo, né?

    Com essa ideia, eu tirei algumas fotos no Primavera Garden, uma espécie de shopping a céu aberto em Florianópolis que reúne cafés, lojinhas fofas e uma floricultura maravilhosa.

    100_0089 1 100_0087 2

    O lugar é especial para quem ama plantas e flores (como eu). Sem falar que os preços são ótimos, ainda mais na área em que o Primavera Garden está localizado em Floripa. É um espaço com uma arquitetura charmosa e cheio de detalhes bonitos. Eu gosto muito de descobrir um lugar diferente na minha cidade, que eu sempre acho que conheço tão bem (mas claramente, nem tanto assim!).

    100_0084 4Flores por todo lado <3

    100_0070 6

    Um dos meus espaços favoritos no Primavera Garden é o Café Cultura, que eu tive o prazer de conhecer ano passado por indicação da minha amiga. E ela acertou muito bem! A cafeteria surgiu em Santa Catarina e possui franquias espalhadas pelo estado em São José, Balneário Camboriú, Cricíuma e Tubarão. O cardápio deles é extenso e o mais especial, para mim, são as bebidas. Os cafés são maravilhosos. Eu já provei o Ice Latte (bem geladinho), e o Cultino Cookies & Cream, que possui café gelado, sorvete de creme, cookies e chantilly.


    100_0077 8

    Café Peaberry e Descafeinado (Swiss Water)

    100_0076 7Eles estão à venda também no site

    100_0071

    Para comer eu indico o croissant de presunto e queijo (que é delícioso), o waffle e o misto. As opções são várias: tem café da manhã, da tarde, e até comidas mais elaboradas para quem prefere jantar (ainda quero experimentar o café especial de ressaca).

    100_0078

    Onde fica? Florianópolis, SC 401, Saco Grande (8h às 19h30).

    Junho 17, 2017
    postado por

    Eu sou taurina e comer é uma das minhas atividades favoritas (sério). E ultimamente eu estou experimentando bastante hambúrguer gourmet, algo que se popularizou nos últimos anos. Toda cidade está cheia de restaurantes com essas propostas, e alguns trazem os burgers mais gostosos (e é uma tarefa difícil escolher qual é o melhor, acredite). Nesse post eu selecionei os meus restaurantes favoritos de hambúrguer – falando também sobre os preços – de Florianópolis. E já que essa é uma cidade turística, fica aqui as dicas para quando você visitar Floripa, já estar sabendo onde comer!

    P.S: Todas as fotos utilizadas neste post são de autoria dos estabelecimentos citados.

    São Paulo Hamburgueria

    13055281_1729536493937030_1602719732200737967_o

     

    Endereço: Rua Gentil Sandin, Praia Comprida, São José (SC).

    Faixa de preço: $$ (Mediano)

    Um dos meus restaurantes favoritos, o São Paulo, tem burgers deliciosos e com tamanhos consideráveis (também sempre vem a batata frita e o molho como acompanhamento). O meu favorito é o Barueri, que custa apenas R$20,00. O preço dos outros burgers mais elaborados varia (o que o meu irmão adora é R$26,00). É um local ótimo para ir com amigos, bem descontraído, e que tem preços bem legais pra quem não quer gastar muito. Em 2016, o São Paulo foi considerado o dono do melhor hambúrguer de Floripa!

    19092783_1926950334195644_7658012087484175249_o

    Gourmet Burger Market

    03

    Endereço: Rua Desembargador Pedro Silva, 2045, Coqueiros

    Faixa de preço: $$$ (Se você estiver disposto a gastar mais!)

    Esse é o meu restaurante preferido da lista. Mas é também um local que eu vou mais em ocasiões especiais, porque o preço dele é mais salgado. Porém, a comida, os drinks e o ambiente compensam. É um local para comemorar com os amigos, e também ideal para quem é super exigente com a qualidade da comida. Os hambúrguer são extremamente deliciosos, e as porções acompanham dois molhos, fritas ou onion rings. O meu prato favorito é o Fiesta (R$47,00) que serve duas pessoas. Os burgers são super elaborados, então se você gosta de algo diferente e mais inusitado, o Burger Market não vai te decepcionar. As sobremesas também são ótimas.

    05

    Nobre Burger

    15871811_358915047815910_5273830154877417200_n

    Endereço: Rua Santo Antônio, Barreiros, São José

    Faixa de preço: $ (Muito barato!)

    Se você está naquela fase de ter que economizar muito, mas mesmo assim não quer deixar de lado o sagrado hambúrguer, a Nobre é o melhor local para comer bem e pagar pouco em Floripa, acredite! E só porque o preço é baixo não significa que a qualidade não seja boa: pelo contrário, é tudo muito bom, bem feito e delicioso. O burger classic, que é o mais simples (e o meu favorito, porque eu, surpreendentemente, não gosto de burgers muito elaborados) custa apenas R$16,00, com fritas. A maionese verde deles também é uma das melhores que eu já provei. Ah, e eles também tem hot dogs. Eu nunca provei, mas eles são bem elogiados!

    18920245_436915716682509_2615419283885238965_n

    Bartô Burger Lounge

    17800134_437965789891193_999143713001862650_n

    Endereço: Rua Koesa, 99, Kobrasol (São José)

    Preço: $$ (Mediano)

    O Bartô tem um lugar especial no meu coração, porque ele foi o responsável por iniciar a minha paixão por burgers gourmet. As porções são bem grandes, os preços são bons, os burgers são ótimos e um dos destaques é a batata frita com queijo, um dos melhores pratos do restaurante. O restaurante também é um bar com música ao vivo e que oferece vários drinks diferentes. É um ponto de encontro para aquela saída depois do trabalho, ou para comemorar um aniversário, como eu mesma já fiz.

    17523478_430876727266766_6855929430575348406_n

    E você, tem algum restaurante que é o seu favorito?

    Abril 14, 2017
    postado por
    large

    Eu já falei algumas vezes aqui no blog que eu enfrento problemas com ansiedade, e tenho certeza que eu não sou a única. A ansiedade se tornou uma doença que ganhou mais atenção nos últimos anos, portanto, mais pessoas foram diagnosticadas. Mas ela sempre existiu na nossa sociedade. E eu sempre tento melhorar o meu estado mental praticando exercícios. Comecei a caminhada faz mais de um ano, e mais recentemente, o yoga.

    O yoga, muito mais do que apenas uma prática, é uma filosofia de vida. Em algumas culturas ele é extremamente valorizado. Na Índia, por exemplo, com o hinduísmo, no Tibete, na Indonésia, dentre outros. A verdade é que a gente ouve falar pouco sobre o yoga (pelo menos, era isso que acontecia comigo!). Eu não sou nenhuma expert no assunto, mas a impressão que eu tenho, desde que comecei a prática-lo, é que ele nos ensina a desapegar dos estímulos externos. Limpar a nossa mente (de verdade!) e aprender a viver mais o presente.

    Na teoria, você pode até pensar que isso parece simples. Mas é bem mais difícil do que parece! Nós somos cobrados constantemente na sociedade em que vivemos. Eu me formei no ensino médio, e já tinha que ir para a faculdade. Não passei no vestibular, e estudei um ano no cursinho. Não passei, de novo. E fiquei sem rumo. Eu não sabia o que eu ia fazer, qual seria o meu futuro, e a minha ansiedade atingiu o ápice. E então eu percebi que eu nunca vivia o agora. E isso é algo que a gente faz e nem percebe: vivemos sempre o amanhã, a semana que vem, o ano que vem. E isso causa estresse, dúvidas, doenças mentais, enfim, diversos problemas.

    Me indicaram o yoga, e eu pensei: “por quê não tentar?”. No início a gente acha a prática bem diferente. Até mesmo estranha. Afinal, ficamos um tempo em uma mesma posição, são vários exercícios de respiração, coisas que te fazem criar consciência corporal. Existe algum momento do seu dia que você para de pensar em um turbilhão de atividades que precisa fazer? Ou planos? O yoga é o momento em que a gente para, se foca, e tenta se concentrar apenas naquele momento. O meu professor sempre diz que a posição corporal é importante, mas a externa é mais ainda, para que exista o equilíbrio.

    Vale a pena fazer?

    Varia de pessoa para pessoa, mas o yoga é a atividade ideal para mim. Eu sou um tipo de pessoa que é bem sensível ao que acontece no meu redor, e me focar, prestar a atenção no que eu faço, nunca foi algo simples. Eu sempre estou pensando lá na frente, imaginando um monte de coisas. E isso faz com que eu viva em uma constante batalha interna. O yoga te ajuda a prestar mais a atenção no que está ao seu redor. E cada aula te traz um ensinamento diferente. As posturas exigem força (esqueçam esse papo de que você fica parado no yoga: a aula é bem desafiadora!), e concentração naquilo que você está fazendo. Não no futuro.

    A minha mãe, que é mega agitada, não curtiu muito (ela só fez uma aula). Algumas pessoas reclamam que não conseguem se focar, mas isso é super comum. Eu tenho dificuldades também para esvaziar os meus pensamentos. Mas com o tempo nós vamos exercitando o corpo e a mente, aprendendo a nos respeitar mais. Algo que eu achei curioso, é que a gente mal conhece nosso próprio corpo. Eu convivo com ele há 18 anos e tenho dificuldade em algumas posturas, porque não sei como me posicionar do jeito correto.

    Yoga no cotidiano

    Outro aprendizado legal do yoga é que você é incentivado o tempo todo a colocá-lo em prática durante a sua rotina. É o chamado “estado de yoga”, ou seja, mesmo que a aula tenha terminado, você continua naquela tranquilidade e calmaria, presente no que está fazendo naquele momento. O yoga me ajuda bastante. Por exemplo: quando você tem um dia estressante, e bate aquela ansiedade (ou é complicado lidar com uma situação), fazer uma postura por 5 minutos ou um exercício de respiração já faz uma mega diferença. Não é preciso muito tempo de prática. Depois de algumas aulas você já se acostuma a se concentrar muito mais.

    Eu ainda estou aprendendo mais, a cada dia, sobre o yoga. Eu realmente queria compartilhar com vocês essa ideia, que vai do contrário a absolutamente tudo que nós somos ensinados. Você não precisa fazer tudo ao mesmo tempo, você não precisa ser o melhor em 50 tarefas ou se ocupar com várias atividades ao longo do dia, só para provar ao mundo que é capaz. E muito menos cobrar coisas de si mesmo. Conforme eu vou fazendo mais aulas, contarei um pouco mais sobre. Se você tiver vontade, e quiser mudar pelo menos um pouquinho o seu estado de espírito, eu super recomendo.

    Maio 31, 2016
    postado por
    blog

    Sim, vocês estão vendo um post sobre exercício físico aqui no blog! Eu confesso que nunca fui uma pessoa com grandes habilidades esportivas. Durante toda a minha vida escolar, nunca aprendi direito vôlei e handebol. Eu até tentei gostar, mas não rolou. Futebol também nunca foi meu forte, na ginástica olímpica eu durei dois meses, e o único esporte que eu levei para frente foi o taekwondo. Alguns anos se passaram e eu fiquei sedentária por um bom tempo. Durante o meu terceiro ano, eu cometi a burrada de não praticar nenhum esporte (não façam isso enquanto estiverem estudando para o vestibular!). Resultado: tive um ano super estressante.

    Foi nas férias que eu aceitei o convite dos meus pais para começar a fazer caminhada. Depois de muita preguiça, prometi para mim mesma que eu iria continuar caminhando toda semana, principalmente por que eu enfrentaria mais um ano de estudos. E quatro meses depois, posso dizer que se eu soubesse que essa prática era tão boa, eu teria começado bem antes! Para aqueles que querem praticar um exercício mas tem bode de academia (ou até mesmo quer complementar o seu treino), aposte na caminhada. Eu listei alguns benefícios dela, e eu posso afirmar que eles são verdadeiros.

    1. Diminui o estresse e a ansiedade

    Esses foram os meus dois maiores problemas em 2015, e eu queria enfrentá-los de vez em 2016. A caminhada, quando praticada com frequência, alivia muito os sintomas de estresse e principalmente da ansiedade, que pode atrapalhar muito a vida de algumas pessoas. Durante a caminhada o corpo libera uma grande quantidade de endorfina, que gera um relaxamento e até mesmo uma animação (juro). Dá vontade de continuar se esforçando. Se você também é ansioso (a), eu realmente sugiro caminhar. Vai te ajudar muito, e a diferença é perceptível depois de poucas semanas.

    2. Você não precisa de muito

    Diferente de alguns esportes, para caminhar você não precisa ter muita experiência e condicionamento físico (algo que você vai ganhando aos poucos). Alguns truques de respiração e postura são necessários, mas além disso, não precisa ser nenhuma rainha fitness: quem está falando isso é uma pessoa que até pouco tempo tropeçava toda hora por ai. A caminhada não te exige muito! Depois que você vai se acostumando, você vai ganhar mais habilidade. Ah, a roupa é básica: legging, camiseta e um tênis bem confortável.

    3. Melhora o humor

    Em alguns dias da semana eu não sou a pessoa mais bem humorada do mundo, mas caminhar algumas vezes me deixa bem mais empolgada. O exercício físico te dá essa sensação de “dever cumprido”, e mais importante, te faz perceber que cuidar do corpo e da mente é mais importante que qualquer prova de vestibular. E também diminui drasticamente as dores musculares (comuns para quem trabalha e estuda todos os dias).

    4. Previne contra doenças

    Quando praticamos algo que gostamos, nem sempre a gente percebe os benefícios: eles são um bônus. A caminhada previne contra a osteoporose (que afeta em maioria, as mulheres), depressão, doenças cardiovasculares e a diabetes. O exercício ajuda a controlar a pressão sanguínea, prevenindo os derrames e infartes, e no caso da diabetes, o pâncreas e o fígado são mais estimulados durante a caminhada, fazendo o corpo produzir mais insulina.

    5. É bom para se distrair 

    Sabe quando a sua cabeça tá cheia e você não aguenta mais a semana que parece interminável? Fazer uma caminhada ao ar livre é ótimo para isso. Eu quase sempre estou com a cabeça cheia, e sair para caminhar ajuda bastante. E eu também nunca esqueço os fones de ouvido. Aliás, montar uma playlist divertida e com músicas animadas é essencial para não desanimar. Coloque todas as músicas que te dão vontade de dançar.

    O que não pode faltar na playlist de caminhada

    Hailee Steinfeld – Love Myself

    Rihanna – Kiss It Better

    Rachel Platten – Fight Song

    Selena Gomez – Me & My Girls

    Ariana Grande – Into You

    Tove Lo – Like Em Young

    Alessia Cara – Wild Things

    Taylor Swift – New Romantics

    ZAYN – Pillow Talk

    Queen – Don’t Stop Me Now

    The Maine – Same Suit, Different Tie

    The 1975 – The Sound

    Marina And The Diamonds – How To Be A Heartbreaker

    Agora não tem mais desculpa, né? Chama as amigas e partiu caminhar (mesmo que seja em ritmo lento, tá valendo!).

    subir
    elas disseram TODOS OS DIREITOS RESERVADOS © 2017 // DESIGN POR SARA SILVA